terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Alegro Alfragide Promove a Felicidade


Catarina Rodrigues, da Associação Best Me, dedicada ao Coaching para a Felicidade, é a convidada do Centro Comercial Alegro Alfragide para realizar os Workshops Cultura Alegro em Fevereiro.

Ser feliz é um desejo comum a todos e o começo de um novo ano é a altura ideal para parar, refletir e traçar objetivos que conduzam ao aumento dos níveis de satisfação com a vida pessoal e profissional, em todos os estágios.

Para demonstrar que a felicidade está ao alcance de todos e como lá chegar, o Centro Comercial Alegro Alfragide convida Catarina Rodrigues, da Best Me, Associação de Coaching para a Felicidade, para os já habituais Workshops Cultura Alegro, no mês de Fevereiro.

Ao longo de quatro sessões, Catarina Rodrigues partilha o seu conhecimento com dicas e ferramentas úteis para trabalhar e aumentar os índices de felicidade, passando por várias temáticas, destinadas a todas as idades.

Amanhã os participantes iniciam uma verdadeira viagem de autoconhecimento numa sessão sobre “A sua marca pessoal”, e no próximo dia 8 serão abordadas as temáticas “Produtividade e Eficácia”. Na segunda quinzena do mês, e porque a vida deve ser vivida em pleno e com felicidade em qualquer fase, fala-se de “Super Avós” (dia 15) e de “Viver a Reforma” (dia 22).

Planeie a sua agenda para participar nos Workshops Cultura Alegro em Fevereiro. Totalmente gratuitos realizam-se sempre à quarta-feira, das 10h30 às 12h30, na Experience Box (Piso 0). A inscrição pode ser efetuada através do site ou no Balcão de Informações do Alegro Alfragide. 

Faça de 2017 um ano de viragem na sua vida, seja mais feliz e transforme-se na melhor versão de si próprio!

Noites de animação no Casino Lisboa em Fevereiro


O Casino Lisboa propõe, em Fevereiro, um extenso programa lúdico e cultural no Arena Lounge. Trata-se de um versátil cartaz de animação, a não perder, de Quinta-Feira a Domingo. A entrada é livre.

Com propostas sempre diferentes, o Casino Lisboa acolhe, às Quintas-Feiras, uma relevante série de espectáculos especiais no Arena Lounge. O novo circo estará em destaque, logo no dia 2, com a actuação de João & Tiffanie e, posteriormente, a 16 de Fevereiro, com uma exigente performance da dupla Raquel e Angélica. Por sua vez, o pole dance estará em evidência, no dia 9, com a actuação de Sara e Raquel; enquanto André Vaz assegura, a 23 de Fevereiro, um espectáculo de fado.

O ciclo de música ao vivo renova-se, ainda, de Sexta-Feira a Domingo, com vários sets protagonizados pelos The Joe’s, Daniela Mendes 4Teto, Trio Naranjus e Woodnote. O programa consolida-se, de Quinta-Feira a Sábado com as actuações conhecidos DJ’s que escolhem os ritmos ideais pela noite dentro.

Arena Lounge - Palco central
Novo Circo com João & Tiffanie
João & Tiffanie regressam, já no próximo dia 2 de Fevereiro, ao Casino Lisboa com um espectáculo de novo circo de elevado grau de dificuldade. Esta conceituada dupla estará, assim, em evidência a partir das 23 horas.

Recorde-se que, o duo João & Tiffanie nasceu da junção de uma bailarina e de um ex-ginasta. Juntos, actuando pelo mundo, possuem uma carreira brilhante, baseada em forças combinadas e números aéreos onde fundem a dança contemporânea, a acrobacia e a contorção.

Pole Dance com Sara e Raquel
Sara e Raquel são duas apaixonadas por pole dance. Essa paixão juntou-as em performances que combinam a dança com as forças combinadas, flexibilidade e acrobacia. A não perder, no próximo dia 9 de Fevereiro, às 23 horas.

Novo Circo com Raquel & Angélica
Em noite de novo circo, Raquel & Angélica serão, no próximo dia 16, a partir das 23 horas, as grandes protagonistas no Arena Lounge. Uma bela instalação de tecidos brancos serve de cenário para a performance que clama pelas Divas do teatro antigo. Elas são a imagem da placidez, suavidade e, ao mesmo tempo, da confiança e do poder físico e poético.  

Fado com André Vaz
Com um registo intimista, André Vaz apresenta-se, a 23 de Fevereiro, pelas 23 horas, no Arena Lounge. Pela primeira vez no Casino Lisboa, André Vaz actua, habitualmente, nas mais conceituadas casas de fado de Lisboa, faz parte do elenco de “Páteo de Alfama/Fado em si” e do projecto de sucesso “Fado in Chiado”.

André Vaz teve o primeiro contacto com o fado através de familiares e amigos fãs incondicionais da “canção nacional”. Com, apenas, 9 anos venceu a Grande Noite do Fado (1993). O seu percurso continuou com várias edições discográficas, aparições televisivas, presença num filme de Manoel de Oliveira, participações na série francesa "Montre Moi ta Ville” e no musical “Amália”, de Filipe La Féria.

Arena Lounge – Palco-multiusos
As noites de animação no Casino Lisboa distinguem-se, também, pelas inovadoras sugestões de música ao vivo. Em Fevereiro, o palco-multiusos do Arena Lounge recebe, de Sexta-Feira a Domingo, quatro propostas musicais a não perder. A entrada é livre.

A banda The Joe's apresenta-se, de 3 a 5 de Fevereiro, no Arena Lounge. O grupo recria êxitos das décadas de 50, 60 e 70, privilegiando ídolos musicais como Elvis Presley, The Beatles, Roy Orbinson, The Platters, The Doors, Simon & Garfunkel, Rolling Stones e James Brown.  

Trata-se de uma banda lisboeta de covers que reúne em palco Marco Pereira (voz, trompete e trombone), José Nuno Gonçalves (guitarra), João Pedro Gonçalves (baixo) e André Pedro Dias (bateria).

Daniela Mendes 4Teto actua, de 10 a 12 de Fevereiro, no Casino Lisboa. A mescla de influências dá o mote. Nasce assim uma nova abordagem a temas de autores muito conhecidos e outros menos próximos da generalidade do público. 

Daniela Mendes forma os 4Teto, partilhando o palco com Xico Santos, no contrabaixo, Nir Paris na bateria/percussões e André Marques da Silva, na guitarra. A intérprete convida o público a fazer uma viagem musical assente na mistura de sons, ritmos e palavras de Portugal, Brasil ou Cabo Verde.

Por sua vez, os Trio Naranjus apresentam-se, de 17 a 19 de Fevereiro, no Arena Lounge. Constituído por multi-instrumentistas este trio "todo-o-terreno" aposta na diversidade musical, recuperando temas de nomes consagrados como, por exemplo, The Beatles, Coldplay, Sting, Marillion, Foo Fighters ou os portugueses Trovante.

Com mais de 10 anos de experiência a diversão e emoção é garantida e a boa música é devidamente celebrada. 

Os WoodNote actuam, de 24 a 26 de Fevereiro, protagonizando um ciclo musical que engloba numerosas composições clássicas que vão desde o jazz até ao soul mais profundo. 

Os WoodNote distinguem-se por uma performance musical onde a espontaneidade e naturalidade dos músicos, providencia um ambiente de cumplicidade com o público. O vocalista André Ferreira apresenta-se, em palco, com Pedro Brito na guitarra, Luís Rosa, no baixo, e Rui Carvalho, na bateria.

Arena Lounge - Jukebox
No Arena Lounge, a Juke Box assume, pouco depois da meia-noite, o protagonismo dos serões do Casino Lisboa. São conhecidos DJ’s que seleccionam criteriosamente os ritmos mais adequados pela noite dentro. A entrada é livre.

Programa de Fevereiro
02 - Nuno di Rosso
03 - Johnny Deep
04 - Yugo Dee

09 - Mr. Mute
10 - Dj Al
11 - John Holmes

16 - Pelota
17 - Bruno Safara
18 - Luis Patraquim

23 - Pan Sorbe
24 - Diogo Pires
25 - Luís Leite

Noites de animação musical em destaque no Casino Estoril


O Casino Estoril acolhe, em Fevereiro, um renovado programa de animação musical no Lounge D. O público poderá assistir, de Quarta-Feira a Domingo, a partir das 22 horas, a um diversificado elenco de espectáculos, entre os quais se destacam o flamenco, fado, soul, r&b, rock e pop. O ambiente festivo prolonga-se até de madrugada, sendo a entrada livre.

Ciclo de Fado às Quartas-Feiras
Com um novo elenco, o ciclo de fado continua em destaque, às Quartas-Feiras, pelas 22 horas, no Lounge D do Casino Estoril. São diferentes gerações de intérpretes que sobem ao palco para apresentar composições bem conhecidas da “canção nacional”. 

Salvador Taborda e Maria João Quadros actuam logo no dia 1, seguindo-se Gustavo e António Pinto Basto a 8 de Fevereiro. Nuno de Aguiar e Matilde Cid apresentam-se no dia 15 e, posteriormente, Gonçalo CastelBranco e Tânia Oleiro sobem ao palco a 22 de Fevereiro.

Concerto de Gino Vitali
Gino Vitali apresenta-se, na próxima Quinta-Feira, 2 de Fevereiro, a partir das 22h30, no Lounge D para recriar alguns dos grandes êxitos que marcaram, nas últimas décadas, o panorama da música internacional. 

Com um registo intimista, Gino Vitali convida o público a recordar numerosos êxitos intemporais. Trata-se de um concerto que recupera composições que marcaram diferentes gerações.

Concerto de Rui Faria e Sandra Gonçalves
Com uma renovada proposta musical, Rui Faria e Sandra Gonçalves actuam, a 3 de Fevereiro, a partir das 23 horas, no Lounge D. Num reencontro com os visitantes do Casino Estoril, esta dupla propõe um concerto dedicado a grandes êxitos do pop, rock e blues.

Concerto de Frederico Braga da Costa
Em versão acústica, Frederico Braga da Costa apresenta-se, a 14 de Fevereiro, pelas 22 horas, para protagonizar um concerto intimista. O artista propõe-se interpretar vários temas originais da sua autoria e recriar outros êxitos que marcam o panorama da música internacional. 

A personalidade e o bom gosto musical são as bases deste conceituado projecto liderado por Frederico Braga da Costa. Do swing ao pop, passando por temas originais, Frederico Braga da Costa traz ao Casino do Estoril um largo e vasto repertório, preenchido com grandes êxitos.

“Festival Flamenco Casino Estoril” às Quintas-Feiras
Com um notável elenco, o “Festival Flamenco Casino Estoril” regressa, em Fevereiro, ao Lounge D. Trata-se do 1º ciclo de “Baile Flamenco” que engloba quatro espectáculos, a não perder. Estarão em evidência alguns dos melhores intérpretes de flamenco. Com entrada livre, às Quintas-Feiras, a partir das 22h00, no Lounge D.

Com dois espectáculos agendados para Fevereiro, o Casino Estoril propõe, assim, no próximo dia 16, a “Gala de Abertura” com Alberto Ruiz, seguindo-se, a 23 de Fevereiro, a “Gala Novos Flamencos” com Karen Lugo.

Concerto dos New Chapter
Com um estilo musical pop-rock, os New Chapter sobem ao palco do Lounge D no próximo dia 17 de Fevereiro, pelas 23 horas. A banda distingue-se pela energia crua, envolvente e genuína do seu repertório. A dinâmica dos quatro elementos cria uma fusão de exposição ao público da cultura musical de cada um. Facilmente se encontra uma intensidade de sons e vozes interrompidos por silêncios emocionais.

A banda de Cascais reencontra-se com os visitantes do Casino Estoril, após ter protagonizado memoráveis actuações no Lounge D. A vocalista Joana Ruivo será acompanhada por Nilton Vieira na guitarra, Joel Frazão no baixo, e Jason Frazão na bateria.

Concerto de Rogério Gil
Rogério Gil apresenta-se, no próximo dia 18 de Fevereiro, pelas 23 horas, no Lounge D para recriar grandes êxitos da música portuguesa que marcaram diferentes gerações. O intérprete presta homenagem a nomes consagrados como, por exemplo, Rui Veloso, Jorge Palma, Paulo Gonzo, Trovante, Paulo de Carvalho ou José Cid. O fado canção de autores como José Luís Tinoco, Ary dos Santos estará, também, em destaque.

Concerto de Joana Abreu
Em noite de música ao vivo, Joana Abreu regressa, no próximo dia 24 de Fevereiro, a partir das 23 horas, ao Lounge D. A combinação da música pop com a música rock constitui o mote para uma actuação muito interactica com o público.

Concerto Lúcia Echagüe
Em concerto inédito no Casino Estoril, Lúcia Echagüe actua, no próximo dia 25 de Fevereiro, a partir das 23 horas, no Lounge D. A artista apresenta o seu segundo álbum "Ar", que estreou como compositora. Lúcia Echagüe renovou a sua identidade numa proposta, que vai ao encontro de vários ritmos mundiais, como, por exemplo, o folclore, flamenco e jazz.

Nascida em Buenos Aires, Argentina, Lúcia Echagüe é cantora e compositora. Vive em Lisboa, desde 2001, tendo trabalhado com excelentes músicos de diferentes países, como Victor Zamora (Cuba) e Ciro Cruz (Brasil), com quem gravou em Madrid em 2010 o seu primeiro álbum "Tudo pode ser", com temas da cantora cubana e produção musical em julho Fowler Jose Ramon Mestre.

Programação em Fevereiro, de Quarta-Feira a Domingo
Ciclo de Fado: Quartas-Feiras: Dias 1, 8, 15 e 22
Concerto de Concerto de Gino Vitali: Dia 2
Concerto de Rui Faria e Sandra Gonçalves: Dia 3
Concerto de Frederico Braga da Costa: Dia 14
Ciclo de Festival flamenco: Dia 16 e 23
Concerto dos New Chapter: Dia 17
Concerto de Rogério Gil: Dia 18
Concerto de Joana Abreu: Dia 24
Concerto Lúcia Echagüe: Dia 25

Programação de Póquer no Lounge D em Fevereiro
Com um conceito multidisciplinar, o Casino Estoril concilia, ainda, a vertente de animação cultural com uma diversificada oferta de eventos de Póquer. As noites do Lounge D serão, também, marcadas pelo Calendário do “Planet Earth Poker Tour”, não havendo, neste caso, programa de animação cultural.

A temporada da Força na Disneyland Paris


Até 26 de Março de 2017, a Disneyland® Paris vai despertar com a Temporada da Força, uma celebração única da saga intergaláctica.
Imagine uma experiência única, encontrar-se cara-a-cara com o Capitão Phasma ou com um Stormptroopers Patroll; imagine atividades criadas para transportar os convidados para uma galáxia muito, muito longínqua; imagine um espetáculo noturno sob um céu de estrelas com arquitetura imponente como pano de fundo.
O Parque Walt Disney Studios® vai estar no coração desta celebração, com todo um conjunto de eventos que os fãs de Star Wars vão adorar, mas não é tudo:

“First Order March”, “Stormtroopers Patrol” e “Star Wars: A Galaxy Far, Far Away”
Durante esta temporada, os dias do Parque Walt Disney Studios® serão marcados pela presença épica das personagens saídas do mundo Star Wars. A iniciar esta viagem intergalática está “First Order March”, conduzido pelo Capitão Phasma, que será seguido pelo espetáculo “Star Wars: A Galaxy Far, Far Away”, que foca a atenção em várias personagens icónicas da saga como Darth Vader e Kylo Ren. Finalmente, os convidados serão confrontados pela Stormtroopers Patrol, com a qual vão poder interagir!

“Star Wars: A Galactic Celebration”
Ao cair da noite, o Parque Walt Disney Studios vai iluminar-se com as cores da icónica saga STAR WARS™ num espetáculo desenhado especialmente para a Disneyland® Paris. “Star Wars: A Galactic Celebration” é um espetáculo arrebatador de luz e som, com projeções e efeitos especiais, e com muito mais surpresas. Heróis da saga como o Chewbacca e o R2-D2, bem como Kylo Ren, Darth Maul, Darth Vader e muitos outros, vão estar presentes, para encantar todos os convidados. Personagens icónicas do Empire, da First Order e claro da Resistência vão aparecer em palco, acrescentando uma incrível dimensão a este espetáculo que presta tributo a esta saga. Um evento único imperdível. 

Os Jedi tomam o palco no Parque Disneyland®
Para trazer equilíbrio à Força, os Master Jedi aguardam os jovens Padawans, dos 7 aos 12 anos, para o treino diário na Jedi Training Academy (Vidéopolis® - Discoveryland). Até 4 de Maio de 2017, este treino especial vai leva-los ao coração do mundo Star Wars e deixá-los caminhar lado-a-lado com os heróis da saga.

Escolho Ser Feliz


Sara Cardoso, mestre em Reiki Tradicional e em Karuna Reiki, está de regresso com um novo livro, Escolho Ser Feliz, com o selo editorial da Pergaminho. 

Através de uma leitura bastante acessível e prática, Sara Cardoso aborda o tema da felicidade de uma forma muito simples e de fácil entendimento. «Por mais estranho que possa parecer, quase sempre pensamos que a felicidade é algo que vem do exterior: se tivéssemos mais dinheiro, o trabalho ideal, uma saúde perfeita, o companheiro dos nossos sonhos… enfim, poderíamos ser felizes… Pois bem, se estamos à espera que a nossa vida se torne perfeita para sermos felizes, bem podemos esperar sentados… e até mesmo que consigamos a tal vida ‘perfeita’ será que isso nos garante um estado de felicidade?», questiona a autora, que ao longo das 132 páginas deste livro procura ajudar as pessoas a encontrar algumas boas ideias com o objetivo de conseguirem criar no mundo a felicidade que desejam, assim como conseguirem encontrar o caminho da tranquilidade, da alegria e da paz interna. Ver o lado positivo das coisas, como melhorar a autoestima, saber aceitar a mudança e agir em vez de se prender à inércia são algumas das dicas que Sara Cardoso desenvolve neste livro, que embora pequeno no tamanho é de grande utilidade.


Delírio em Las Vedras


A vida são dois dias e o Carnaval três. Mas o Carnaval de Torres Vedras dura seis dias!

No carnaval de Torres Vedras não há diferença entre actores e espectadores, tudo é simultaneamente encenado e espontâneo. Uma comédia surreal de costumes, Delírio em Las Vedras é um filme que ultrapassa qualquer definição ou género. Durante sete dias (seis dias de Carnaval mais a noite do seu enterro), um grupo de repórteres inspirados nos diferentes estilos dos canais televisivos, dos canais pimba aos culturalistas, dos radicais aos musicais, dos radiais aos canais 3D, invade o Carnaval de Torres Vedras. O seu objectivo é garantir o máximo de audiência. E estão dispostos a tudo para isso! Os repórteres mascaramse de forma a poderem misturar-se com a multidão, quebrando assim todas as barreiras e tornando-se parte da Realidade do Carnaval. Tudo é real dentro do surrealismo do Carnaval de Torres Vedras. 

Delírio em Las Vedras é uma ficção que invadiu o real. atravessando territórios, jogando com questões centrais à nossa sociedade mediatizada. É uma viagem caleidoscópia da qual ninguém sai incólume e uma manifestação espontânea da arte de viver e de representar. Como dizem em Torres Vedras: “O Carnaval devia ser todos os dias!”


Tsering Paldron, conhecida monja budista, lança pela Pergaminho o seu terceiro livro: «O Hábito da Felicidade»


O Hábito da Felicidade é o novo livro de Tsering Paldron, conhecida monja budista, que apresenta com esta obra uma nova abordagem dos ensinamentos tradicionais budistas no caminho da felicidade. A autora parte de um livro anterior, A Alquimia da Dor – título publicado pela Pergaminho, em 2004 – no qual são apresentadas as mais diversas formas de lidar com as situações excecionais de dor. Já neste novo livro Tsering Paldon vai ainda mais longe ao incluir métodos para lidar com o mal-estar e a ansiedade quotidianos, problemas prementes da sociedade atual.

O livro chega às livrarias no dia 3 de Fevereiro.

Vale a Pena Não Ter Medo


Em Do Pântano Não Se Sai a Nado e Portugal - Desalento e Esperança, Joaquim Silva Pinto centrou-se em episódios e personagens que conheceu de perto. Mantendo o estilo acutilante que lhe é característico, em Vale a Pena Não Ter Medo apresenta um registo mais solto, tendo enveredado pela quase ficção. As personagens são imaginárias, mas fazem lembrar ou cruzam-se com pessoas reais.

Sucedem-se um indiano ardiloso, a política portuguesa nos anos 60, a devoção mariana, uma castiça tertúlia andaluza, o Dia dos Mortos da cultura mexicana e reflexões sobre passado, presente e futuro do nosso País. Ambientes e factos descritos com minúcia, em páginas atravessadas com o sentido de humor a que este autor já nos habituou.

Sobre o Autor

Integrou os governos de Marcelo Caetano dos 33 aos 39 anos, numa preocupação renovadora. Foi próximo de Melo e Castro e Pinto Leite. Em 1975, passou a viver em Madrid, começando como empregado e evoluindo com sucesso nos meios empresarial e associativo. Regressado a Portugal em 1981, colaborou em grandes empresas, que apoiou na área da internacionalização, mas como dirigente associativo, dentro e fora das nossas fronteiras, participou em realizações dedicadas às problemáticas das PME’s e indústrias criativas. 

Docente universitário especializou-se em organização empresarial. Após intervir no MASP, voltou à política activa, durante cinco anos, sendo deputado à AR e líder de bancada na CM de Oeiras. Veio a afastar-se do PS em oposição frontal a Sócrates. Em 2012, pôs voluntariamente termo a lugares de administração, dedicando-se a consultadoria com assumido empenho na valorização do sénior activo, das cidades sustentáveis e do papel das câmaras de comércio bilaterais. Tem presentemente 80 anos.

Vaticanum


Um comando do Estado Islâmico entra clandestinamente no Vaticano e o papa desaparece. Horas depois surge na Internet um vídeo em que os terroristas mostram o sumo pontífice em cativeiro e fazem um anúncio chocante.

O papa será decapitado em directo à meia-noite.
O relógio começa a contar.

O rapto do papa desencadeia o caos. Milhões de pessoas saem às ruas, os atentados sucedem-se, multiplicam-se os confrontos entre cristãos e muçulmanos, vários países preparam-se para a guerra.

Apanhado no epicentro da crise quando trabalha nas catacumbas da Basílica de São Pedro, Tomás Noronha vê-se envolvido na investigação para descobrir o paradeiro do papa e cruza-se com um nome enigmático.

OMISSIS

A pista irá conduzi-lo ao segredo mais sombrio da Santa Sé.

Usando informação genuína para nos revelar o que se esconde nos bastidores do Vaticano, o escritor favorito dos portugueses está de regresso com o thriller do ano. Com Vaticanum, José Rodrigues dos Santos mostra uma vez mais por que razão é considerado o mestre do mistério real.



Sobre o Autor

Nasceu em 1964 em Moçambique. Abraçou o jornalismo em 1981, na Rádio Macau, tendo ainda trabalhado na BBC e sido colaborador permanente da CNN.

Doutorado em Ciências da Comunicação, é professor da Universidade Nova de Lisboa e jornalista da RTP. Trata-se de um dos mais premiados jornalistas portugueses, galardoado pelo Clube Português de Imprensa e pela CNN.
Vaticanum  é o seu décimo sexto  romance.

Fabricar a Inovação


A grande questão que atravessa o mundo das ciências, das letras e das artes sempre foi esta: como se faz acontecer a inovação? Como é possível inovar em áreas tão diferentes como o design, a engenharia, a arquitectura, a publicidade, o jornalismo, a medicina, a literatura, a história...

Para responder a esta questão de hoje e de sempre foram convocados diversíssimos especialistas de áreas muito diferentes do saber teórico e do conhecimento aplicado. A sua visão da criatividade nos respectivos domínios constitui ao mesmo tempo, neste livro, uma homenagem a um grande criador: o escultor e arquitecto Charters de Almeida.

O leitor fica detentor, com este livro, de uma reflexão riquíssima que abre perspectivas epistemológicas e no âmbito das ciências aplicadas para se repensar os mecanismos e processos que conduzem à inovação, afirmando-se que esta é fundamental para o progresso e até para a sobrevivência da humanidade. A inovação é, no fundo, a centelha divina que confere à acção humana um traço de transcendência.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017


A educação em Portugal foi levada durante mais de 40 anos a uma situação dramática. A posição dos professores foi posta em causa. E abriu‑se uma brecha para o impensável. Este é um livro em que a ficção se mistura com a realidade para contar aquilo que até parece mentira. Há alunos que batem nos professores? Sim. Perceber os quês e os porquês dessa realidade a que se chegou é imperativo. Mais ainda hoje em que há fortes razões para temer que a escola que aí vem seja uma exacerbação dessa «escola» que durante tanto tempo houve. Uma narrativa tocante que revela a realidade como só a ficção pode fazer.

«Sim, a bofetada da ex-aluna não foi, afinal, mais do que isso: uma simples bofetada, uma bofetada banal, uma bofetada normal. Ou, dito de outro modo, apenas mais uma bofetada normal inserida como um elo normal no encadeamento normal de bofetadas normais com que a normalidade social, fora e dentro da escola […], tem vindo, desde há muito tempo, a agredir e a ofender a dignidade do ser professor.
— E a cadeia de bofetadas ainda vai continuar a crescer, a aumentar e a engrossar — disse num murmúrio triste, de olhos fechados, amolecendo-se no sofá. — Estamos ainda muito longe do fim…»

Sobre o Autor

Manuel Nunes nasceu em Pampilhosa da Serra, em 1953. É licenciado em Filosofia pela Universidade de Coimbra e em Teologia pelo Instituto Superior de Estudos Teológicos de Coimbra. Alargou esta sua formação académica de base fazendo incursões nas áreas de Psicologia e Ciências da Educação (Universidade de Coimbra) e Estudos Portugueses (Universidade Clássica de Lisboa). Actualmente lecciona no Ensino Secundário. Tem publicadas diversas obras de índole pedagógica.

Raquel Tavares nos Coliseus em Abril


Raquel Tavares, uma das mais importantes e consistentes vozes do Fado contemporâneo, faz a sua grande estreia em nome próprio nas duas mais emblemáticas salas portuguesas, os Coliseus, já no próximo mês de Abril. A fadista apresenta dia 21 no Coliseu de Lisboa e dia 22 no Coliseu do Porto, o último álbum de estúdio, “Raquel”, editado a 06 de maio, pela Sony Music. Os bilhetes já estão à nos locais habituais.


“Vou concretizar um dos maiores sonhos da minha vida. Cantar nos Coliseus de Lisboa e Porto. Precisamente 20 anos depois de ter pisado o palco do Coliseu de Lisboa pela primeira vez na Grande Noite do Fado (1997), apresento o disco 'Raquel', num concerto que no último ano me tem dado tantas alegrias, juntamente com a equipa que me acompanha e que vive tudo isto tanto quanto eu. É enorme a emoção e poucas as palavras para a descrever. Sei que serão duas noites mágicas que ficarão guardadas em mim para sempre, como aquela noite há 20 anos atrás”, explica a fadista.
“Raquel”, o terceiro longa-duração, sucessor de “Bairro” (2008), produzido por Fred Pinto Ferreira, João Pedro Ruela e Tiago Bettencourt, é um disco intemporal que nas suas 12 canções apresenta o Fado de Raquel, o Fado clássico, enraizado na mais profunda tradição, o espelho mais fiel da alma portuguesa, com fortes pulsações do presente. Este disco junta alguns dos mais importantes compositores da moderna lusofonia, como Caetano Veloso, Mallu Magalhães, Rui Veloso, António Zambujo, Miguel Araújo, Jorge Cruz e Tiago Bettencourt, a nomes incontornáveis da sua História, de Alfredo Marceneiro a Pedro Homem de Mello, passando por João Dias, Carlos Rocha ou Arlindo de Carvalho.


23º Super Bock Super Rock - Novas confirmações para o Palco EDP


Nestes primeiros dias do ano continua a acrescentar-se voltagem ao cartaz do 23º Super Bock Super Rock. No Palco EDP a fórmula mantém-se, e é simples: confiamos na energia de quem (já podemos garantir) tem nas mãos o futuro do rock. Depois da primeira confirmação para este palco, os Boogarins, juntam-se-lhe mais três nomes: Kevin Morby, James Vincent McMorrow e Bruno Pernadas.

Há uma nova folk norte-americana que entusiasma os melómanos, da qual faz parte Kevin Morby. Baixista dos Woods e voz dos Babies tem já três discos em nome próprio. Depois de "Harlem River" (2013) e "Still Life" (2014), editou em 2016 o muito recomendável “Singing Saw”. Um álbum em que a folk atinge a maturidade, com country, pop e rock à mistura, e belíssimas canções (algumas de protesto) que nos lembram Bob Dylan ou Leonard Cohen. Kevin Morby não perde tempo e já prometeu mais um disco para 2017. Dia 13 de Julho no Super Bock Super Rock, podemos, então, esperar novidades, mas também desfrutar destas canções que nos soam a uma América sem o filtro de Hollywood.

Passemos da América para a Europa. Da Irlanda chega James Vincent McMorrow. Há muita música dentro da própria música deste irlandês. Aqui o ecletismo é quase um programa, como se percebe nesta declaração de intenções: “Cresci a querer escrever canções como o Neil Young, mas a querer produzi-las como os Neptunes.” E não se tem saído nada mal nessa fusão de influências. No último “We Move”, editado em Setembro de 2016, convidou para a produção nomes como Nineteen85 (Drake, DVSN) e Frank Dukes (Kanye West, Rihanna). Ou seja, R&B e hip-hop que James Vincent McMorrow soube harmonizar perfeitamente com a sua folk irresistível. Dado adicional: a versão que fez da música "Wicked Game" de Chris Isaak tem sido um sucesso no Youtube, depois de ter sido usada num trailer da série “Game of Thrones”. Claro está, que mais uma visualização no Youtube não substitui uma ida ao Super Bock Super Rock, no dia 15 de Julho!

Agora, duas certezas. Primeiro, quem passa pelo festival sabe que vai encontrar muito talento português. Segundo, o talento imenso de Bruno Pernadas. Começou a estudar guitarra clássica aos 13 anos, passando mais tarde pela Escola Superior de Música de Lisboa – Departamento de Jazz – e pelo Hot Club de Portugal. Depois de em 2014 nos ter oferecido a estreia “How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge”, em 2016 surpreende com génio editando dois discos: “Those Who Throw Objects at the Crocodiles Will Be Asked to Retrieve Them” e “ Worst Summer Ever”. Muitas canções, com muitas coisas lá dentro: jazz, pop, rock psicadélico, electrónica… A ideia de viagem é uma ideia interessante para descrever a música de Bruno Pernadas. Embarquemos, portanto, nesta viagem, dia 15 de Julho no Palco EDP, em mais um Super Bock Super Rock.

Cage the Elephant & The Temper Trap ao vivo em Portugal


Cage The Elephant passam por Portugal para um concerto em nome próprio, dia 6 de Fevereiro no Coliseu, no Porto. O grupo traz quatro aclamados discos de originais, com destaque para “Tell Me I’m Pretty”, editado no passado mês de Dezembro.


The Temper Trap, banda de Melbourne liderada por Dougy Mandagi, vai passar por Portugal para dois concertos em nome próprio. O grupo atua dia 14 de Fevereiro no CCB, em Lisboa, e dia 15 de no Hard Club, no Porto. Na bagagem trazem o mais recente longa duração “Thick as Thieves”.

"Eu, Daniel Blake" o último filme de Ken Loach


Eu, Daniel Blake, o último filme de Ken Loach, que venceu a Palma de Ouro, no Festival de Cannes, e que tem sido considerado um filme imprescindível pela crítica e pelo público, continua em exibição, tendo já ultrapassado os 19 mil espectadores.

O filme continua em exibição em Lisboa (UCI El Corte Inglés) e no Porto (UCI Arrábida) e tem sessões agendadas em Olival Basto (Malaposta, 27 de Janeiro), Póvoa de Varzim (Cine-teatro Garrett, 2 de Fevereiro) e Vila Nova de Famalicão (Casa das Artes de V.N. de Famalicão, 9 de Fevereiro).

Daniel Blake (59) trabalhou como marceneiro durante a maior parte da sua vida, em Newcastle. Agora, e pela primeira vez, precisa de ajuda do Estado. O seu caminho cruza-se com o de Katie, mãe solteira, e as suas duas crianças, Daisy e Dylan. Para escapar à vida numa residência para sem-abrigo em Londes, a única hipótese de Katie foi a de aceitar um apartamento numa cidade que ela desconhece, a 300 milhas de distância. Daniel e Katie encontram-se na terra de ninguém, apanhados pela burocracia da Segurança Social.

Vida Activa: O Espírito de Hannah Arendt


Vida Activa: O Espírito de Hannah Arendt de Ada Ushpiz continua em exibição. O filme foi estreado pela Midas Filmes no âmbito das comemorações dos 110 anos do nascimento da filósofa alemã.

A filósofa alemã Hannah Arendt causou polémica na década de 1960 ao desenvolver o conceito subversivo da "banalidade do mal" referindo-se ao julgamento de Adolph Eichmann, sobre o qual escreveu para a revista New Yorker. A sua vida privada não foi menos controversa graças ao seu caso amoroso com o célebre filósofo alemão e apoiante nazi Martin Heidegger. Este documentário provocador e arrojado, com base numa vasta quantidade de materiais de arquivo, oferece um retrato intimista da vida de Arendt, viajando pelos lugares onde viveu, trabalhou, amou, e foi traída, enquanto escrevia sobre as feridas abertas dos tempos modernos.

Uma Discussão com 50 Anos


Uma Discussão com 50 Anos, de Martin Scorsese e David Tedeschi, estreia em exclusivo no Cinema Ideal, em Lisboa, a 2 de Fevereiro. 

O filme retrata a polémica e influente publicação The New York Review of Books e o seu carismático e incansável editor, Robert Silvers, que conjuntamente com a sua co-editora, Barbara Epstein (que faleceu em 2006), tem guiado a revista desde o seu lançamento há mais de meio século.

Martin Scorsese explica, “Aprendi tanto ao longo dos anos com a The New York Review of Books - deu-me tanto, que me entusiasmou logo a oportunidade de fazer este filme. Foi-nos proposto, a mim e ao David, fazer um filme que reflectisse o que é tão único nesta publicação. É um filme sobre a aventura do pensamento e a sensualidade das ideias,  como refere Colm Toibin. Espero que tenhamos sido bem sucedidos”.“A publicação tem uma história tão respeitável, mas o que me fascina é a forma como se envolvem com o mundo de hoje”, refere David Tedeschi. “Pouco depois de termos terminado o filme, a CIA juntou-se oficialmente ao Twitter, ao que a publicação respondeu com tweets ao longo do dia, com excertos de artigos da CIA sobre tortura. Este impulso de confronto era algo que queríamos capturar no filme”. 

Através do estilo único de Scorsese, Uma Discussão com 50 Anos utiliza materiais de arquivo raros, material real filmado nos escritórios da Review, entrevistas e retratos da fotógrafa Brigitte Lacombe, bem como excertos de escritores icónicos que ilustram a profundidade e influência da publicação. O confronto e a argumentação inteligente estão no ADN da The New York Review of Books, “Quando começámos em papel não queríamos fazer parte de uma institução”, refere Robert  Silvers. "Procurávamos exactamente o contrário, avaliar o trabalho e a veracidade das instituições, tanto políticas como culturais”.

Tendo a história como cenário, esta avaliação é tecida ao longo do filme. Mary McCarthy viaja até ao Saigão durante a guerra do Vietnam para contestar a presença americana. Gore Vidal e Norman Mailer lutam pelo feminismo. Michael Greenberg relata a raiva e frustração do Movimento Occupy Wall Street. Joan Didion lê o seu artigo sobre jovens injustamente condenados no caso de 1989 do Central Park Jogger. “As revistas não mudam o mundo, mas moldam um determinado clima de ideias”, refere o colaborador Avishai Margalit. “Há uma metáfora: a influência é como um cavaleiro num jogo de xadrez, um movimento direito e outro diagonal. Não segue linhas rectas”. Uma Discussão com 50 Anos captura o poder das ideias na formação da história e documenta esse processo extraordinário.

Na Via Láctea


Na Via Láctea, o novo filme de Emir Kusturica, o realizador de Gato Preto, Gato Branco e Underground, que foi apresentado no último Festival de Veneza e antestreou em Portugal no Lisbon & Estoril Film Festival, no âmbito de uma retrospectiva dedicada ao realizador, continua em exibição nos cinemas.

Primavera em tempos de Guerra. Todos os dias, o leiteiro atravessa a fronteira de burro, lançando balas para levar as suas preciosas mercadorias aos soldados. Abençoado pela sorte na sua missão, amado por uma bonita aldeã, um futuro tranquilo parece aguardá-lo... Até que a chegada de uma misteriosa mulher italiana vira a sua vida de pernas para o ar. Esta é uma história de paixão e amor proibido, que os levará numa série de fantásticas e perigosas aventuras. Unidos pelo destino, nada nem ninguém parecem poder pará-los. Vencedor de duas Palmas de Ouro do Festival de Cannes, Emir Kusturica realiza e dirige esta história de amor e guerra, recheada de emoção, comédia e aventura.

sábado, 28 de janeiro de 2017

Coleccionadores de Sonhos


Este é um livro que viaja no tempo e no espaço, da agonia do império colonial ao auge das lutas liberais do século XIX, das chanas de Angola às noites chuvosas da cidade do Porto. Coleccionadores de sonhos? Sim, de sonhos de liberdade, de justiça, de felicidade. Mas também coleccionadores de pesadelos, de revoluções frustradas, de amores desabridos, de abismos mortais. Às personagens principais, Artur e Cloé, e às outras que com elas se entrelaçam, junta-se um baú – «havia algo de estranho naquele baú» – ponto de confluência e de intersecção de geografias, histórias e paixões. Um baú pelo qual Artur se deixa enfeitiçar quando o descobre num antiquário da Rua da Cedofeita, no Porto. Aliás, com as suas memórias e segredos, tonalidades e rumores, a Cidade Invicta transforma-se em hiperpersonagem de Coleccionadores de Sonhos.

Sobre o Autor

António Castro nasceu em Angola, no Bongo-Lépi, em 1951. Entre 1969 e 1971 publica alguns contos no jornal ABC de Angola, é co-produtor do programa de rádio «Cosmos 11», estuda no Instituto Comercial de Luanda (ICL), co-edita a revista do ICL, funda com um conjunto de amigos um grupo de teatro e o movimento de jovens Modjove publica o livro de poemas Eu, a minha terra e a minha gente. Simpatizante do MPLA, entra, em 1974, para o Comité de Defesa do Prenda (Luanda) e publica o livro de poemas Canções Clandestinas da Revolta Latente. 

Em 1975 faz parte dos quadros da Comissão Nacional do Plano. É ainda nomeado instrutor militar da Organização de Defesa Popular (ODP), fazendo parte da estrutura de comando de uma unidade de combatentes camponeses.

Como consequência do golpe de Estado de 27 de Maio de 1977, abandona o país. Em Estocolmo, ganha a vida a lavar loiça no restaurante Caravela e aprende artes gráficas num jornal pertencente à comunidade de refugiados políticos sul-americanos. Em Lisboa, adere à LCI/PSR, onde milita a tempo inteiro. Trabalha na cooperativa de artes gráficas daquela organização. Abandona a militância política em 1981. A residir em Setúbal desde 1982, aí trabalha em várias empresas.

Voca People - 12 a 16 de Abril no Tivoli BBVA


Reza a História que Portugal foi o primeiro país a ser conquistado por estes 8 simpáticos extra-terrestres, oriundos do distante planeta VOCA. Em Abril estão de regresso a Lisboa, com novos temas e um medley totalmente dedicado a Michael Jackson.




sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Confissões de Inverno


Confissões de Inverno é o romance de estreia de Brendan Kiely, uma obra pujante sobre o retrato multidimensional de um jovem adolescente que lida com os desafios implacáveis da passagem para a idade adulta. Este é um livro que explora vários temas sensíveis: a crise de identidade, o desmoronamento familiar, a falta de redes de apoio, a ausência de um sentido de pertença, o consumo de drogas e ainda o abuso sexual no seio da igreja católica. 
Aidan é o protagonista deste livro, um jovem vulnerável que encontra no padre Greg um amigo e confidente, mas cujo elo de confiança é quebrado de forma trágica. 
Brendan Kiely é natural de Boston, cidade norte-americana onde, em 2002, rebentou o escândalo dos abusos sexuais por padres católicos. 
Este livro está traduzido em dez línguas e integra o TOP 10, de 2015, dos melhores livros de ficção para jovens adultos (Young Adult) da American Library Association. Foi ainda selecionado pela prestigiada publicação Kirkus Reviews como um dos Melhores Livros do Ano, em 2014.

Melhores do Ano da Rádio Nova Era


A única entrega de prémios da música em Portugal, os Melhores do Ano da Rádio Nova Era, está a chegar, e com ela chegam ao Pavilhão Rosa Mota, alguns doa maiores talentos nacionais.
Um dia especial que celebra o que de melhor de faz no nosso país e que conta com novas confirmações: Beatbombers, Diogo Piçarra, Mundo Segundo e Virgul.

Esta dupla nacional, composta por DJ Ride e Stereossauro, de seu nome Beatbombers, sagrou-se campeã do mundo, em Dezembro de 2016, no IDA World DJ, a principal competição do mundo de ‘scratch' e ‘turntablism' que decorreu em Cracóvia, na Polónia.
Repetiram assim a vitória já antes obtida em 2011 e que se somou a outros triunfos neste campeonato: 2.º lugar em 2010 e 2012; 3.º lugar em 2014.
A 1 de abril, o campeonato será outro: Nos Melhores do Ano da Nova Era, os Beatbombers prometem voltar a surpreender com esta “arte” nos pratos.

2017 promete para ser o ano de Diogo Piçarra. O cantor prepara o lançamento do seu segundo álbum de estúdio “do=s”, previsto para 31 de Março, reunindo alguns dos maiores nomes da produção nacional. No dia seguinte à edição do álbum, a 1 de Abril, Diogo Piçarra apresenta-se ao vivo nos Melhores do Ano da Nova Era.
O mais recente single retirado do novo álbum intitula-se “História” e foi composto e escrito por Diogo Piçarra. “História” sucede a “Dialeto”, cujo videoclip conta com mais de 6 milhões de visualizações no canal Vevo, tendo atingido recentemente o galardão de Single de Ouro, atribuído pela AFP.
Diogo Piçarra consolida-se assim como um dos mais importantes nomes da pop nacional atual, com mais de 40 milhões de visualizações nos seus vídeos e seguido por milhares de fãs nas redes sociais: mais de 290 mil seguidores no Facebook, 110 mil no Instagram e mais de 30 mil no Twitter.

Mundo Segundo é um dos nomes mais respeitados do hip hop nacional, tendo já completado duas décadas da sua carreira, a solo e com projetos coletivos, como os Dealema.
Recentemente lançou um novo EP a solo, intitulado “Sempre Grato”, com 7 faixas, entre as quais se encontra o tema “Margens do Douro”.
Para este ano, Mundo Segundo planeia o lançamento de um álbum conjunto com Sam The Kid e muitos concertos, para promoção das novas canções.

Virgul estreou-se solo em 2016, depois da carreira com os Da Weasel e os Nu Soul Family.
O seu primeiro tema a solo foi o badalado “I Need This Girl”, escrito em conjunto com Carlão, seu antigo companheiro nos Da Weasel.
O segundo single foi a canção “Só Eu Sei”, cujo videoclip já ultrapassou os 4 milhões de visualizações no YouTube.
Para este início de ano, está previsto o lançamento do seu primeiro álbum.

Já confirmados

DVBBS, DJ Bl3nd, April Ivy, Beatbombers, Bezegol, Bispo, D.A.M.A., Diogo Piçarra, DJ Oder, Jimmy P, Mundo Segundo, Ninka Kore, Piruka, Valas, Virgul.

As Estações Harmónicas - Wang Li and Wu Wei


A música do duo chinês, formado por Wang Li e Wu Wei, desafia a mais criativa das catalogações. Para além dos seus instrumentos – o sheng, um ancestral órgão de boca de palhetas livres; o berimbau de boca, um dos mais antigos instrumentos musicais conhecidos; e a flauta calabash, uma flauta chinesa vertical de palheta livre –, o duo utiliza também os sons extraídos dos próprios corpos, promovendo a prática dos instrumentos orientais numa perspetiva musical moderna. O mote parece ter sido dado pela reclusão de Wang Li durante quatro anos num mosteiro francês, entregando-se a uma introspeção que encontraria um eco perfeito na música que viria a produzir a partir de então.

Música Chinesa Livre e Inovadora amanhã pelas 21 horas no Grande Auditório da Gulbenkien.

Pierre Aderne regressa com novo disco: Da janela de Inês


“Da janela de inês”surgiu de um romance inacabado, de onde o autor colheu fragmentos para ilustrar onze dias na vida de inês.O português do Brasil e o português de Portugal encontram-se, paqueram nas estrofes, misturam-se. Quase todas as letras chegam em prosa, as rimas dão lugar à repetição de frases, que foram cuidadosamente musicadas por Léo Minax.

Um bordado onírico de sons e palavras, que montam o roupeiro de Inês, alfacinha da gema, assim como seu disco, que coloca em um mesmo acordes dos quintais e das esquinas de minas gerais, sementes rítmicas cabo-verdianas, cariocas, cantadas em mar manso.



Este São Valentim, Amor com Canon se paga

Está a chegar a altura mais romântica do ano, e muitos já estarão a pensar de que forma vão surpreender a sua alma gémea. Para aqueles que acreditam que demonstrar os seus mais sinceros afetos não é suficiente e porque, como já dizia o outro, "em amor, um rico presente vale mais que um belo discurso", a Canon preparou um conjunto de sugestões de prendas que irão deixar a sua cara metade radiante:

Canon EOS M5
Se o seu mais que tudo é um apaixonado por fotografia, esta nova câmara mirrorless oferece uma fusão entre o poderoso desempenho de uma DSLR e a portabilidade e conforto de uma compacta. É a prenda ideal para os entusiastas que já dominam os conceitos básicos da fotografia e as funcionalidades das reflex. Com um design compacto e elegante é a prenda ideal para levar consigo, enquanto fotografa tudo ao seu redor e partilha com quem quiser, graças ao NFC, Wi-Fi e Bluetooth incorporados. PVP recomendado: 1.169,00€ (EOS M5 + Adaptador)

SELPHY CP1200
A SELPHY CP1200 é a companheira perfeita para aqueles que gostam de criar e guardar memórias duradouras também em papel. Se esta é a sua cara metade não precisa pensar mais. Esta impressora fotográfica compacta permite imprimir em casa ou em viagem, a partir de smartphones, tablets ou câmaras compatíveis, com qualidade de laboratório e em menos de um minuto. PVP recomendado: 139,99€ (com kit de impressão)

Canon PowerShot G7 X Mark II
Se a sua amada é Blogger, Youtuber ou Instagrammer, a PowerShot G7 X Mark II é a prenda que procura. Com um sensor de 20.1 megapixéis e um zoom ótico de 4.2x, a câmara é perfeita para capturar fotos e vídeos que valem a pena partilhar diretamente nas diferentes redes sociais sem filtros ou edição. Esta partilha é possível graças às funcionalidades de conectividade por Wi-Fi e NFC Dinâmico. Além do design compacto e ergonómico, esta câmara apresenta um ecrã tátil inclinável para fotografar até nos ângulos mais desafiantes. PVP recomendado: 699,99€.

Canon EOS 80D
A nova EOS 80D é tudo o que precisa para deixar o seu companheiro feliz, se ele for um amante da fotografia. Com esta DSLR poderosa e totalmente equipada vai oferecer tudo o que ele precisa para aperfeiçoar as suas técnicas de fotografia e vídeo. Incorpora um sensor CMOS de 24.2 megapixels, um processador DIGIC 6, um sistema AF de 45 pontos cruzados e uma taxa de disparo rápida, e responsiva de 7 fps, que a tornam num equipamento versátil que cria fotografias impressionantes e vídeos em Full HD. PVP recomendado: 1.819,99€ (Kit EOS 80D + EF-S 18-135mm F3.5-5.6 IS NANO USM).

Canon PIXMA TS5050
Se a sua namorada é daquelas que gosta de ter tudo impresso, desde as memórias das férias de verão aos bilhetes de avião, então a nova impressora PIXMA TS5050 é o que precisa para a surpreender. Com Wi-Fi pode imprimir a partir do computador e de dispositivos móveis através da app Canon PRINT. E mais, com estas impressoras pode imprimir as suas fotografias diretamente do Facebook e Instagram™ até em tamanho 13x13 cm (5x5”). PVP recomendado: 115,00€

Canon EOS 1300D
A EOS 1300D é a câmara ideal para os casais que gostam de tornar os seus momentos a dois eternos, com qualidade superior a um smartphone e com um equipamento intuitivo e fácil de utilizar. Graças ao Wi-Fi e ao NFC incorporados, a 1300D torna a partilha de imagens e vídeos mais simples do que nunca. Além disso, pode tornar as suas imagens mais divertidas através do modo de efeitos criativos incluído, como Câmara de Brincar, Preto-e-Branco e Olho de Peixe. PVP Recomendado: 519,99€ (kit EOS 1300D + EF 18-55mm IS)

Canon PowerShot SX720 HS
Se é verdade que o amor é cego, com esta câmara garantimos que verá com superzoom. A PowerShot SX720 HS é a câmara superzoom mais fina e poderosa da Canon, com um zoom ótico ultra grande angular de 40x e ZoomPlus de 80x. Desde o Machu Pichu ao majestoso Taj Mahal, esta câmara de apenas 35.6 mm de espessura é a companhia de viagem perfeita para os entusiastas de fotografia que procuram mais do que a qualidade de um telemóvel. A câmara possui um modo Story Highlights que edita as suas histórias especiais e cria um álbum em vídeo que pode rever e partilhar facilmente sem necessitar de edição. PVP recomendado: 379,99€

JP Simões é Bloom ao vivo no Lux dia 9 de Fevereiro


Bloom apresenta o seu disco de estreia “Tremble like a Flower”, no próximo dia 9 de Fevereiro, na discoteca LUX em Lisboa. 

Os temas tensos e luminosos de "Tremble Like a Flower" ganham vida num concerto pulsante e imenso onde se viaja da intimidade até às florestas virgens dos confins do universo. 

No palco: Miguel Nicolau (Memória de Peixe), que partilhou a produção artística do disco, encarrega-se da guitarra que tanto contribui para o som característico de Bloom;  Carlos Bica, convidado especialíssimo, estará no contrabaixo; João Gomes nas teclas; Sérgio Costa no Sax e flauta e, last but not the least, Marco Franco na bateria. 

Este é um espectáculo maturado com várias apresentações anteriores, incluindo dois importantes festivais; Festival Maré de Agosto, nos Açores, onde se estreou, e Jameson Urban Routes, o festival Lisboeta que habitou o Music Box, no final do ano passado.

É agora vez de Bloom brilhar em nome individual, num espaço mítico da capital, como é o LUX já no próximo dia 9 de Fevereiro. 

O disco de estreia de Bloom, "Tremble like a Flower" está já disponível, para ouvir e comprar, no Bandcamp .

WUD - a estreia da toupeira - "Heart x Cortex" sai dia 10 de Fevereiro


Os WUD (Wait Until Dark) são uma espécie habitante no sub-solo cuja genética só permite emergir à superfície depois do sol-pôr. Nesse sub-mundo afastado da vida ao cimo da terra e do quotidiano humano, estes seres dedicam-se à construção de uma galeria de ideias longe da vista do mundo mortal.

É através da música, das artes visuais e do storytelling sensorial, que os WUD saem das catacumbas onde residem, por questões intrínsecas à sua natureza, para disparar um conjunto de mensagens com a consciência humana como alvo.

"Heart x Cortex" é a realidade paralela desenvolvida por este projecto virtual, cuja narrativa, suportada por personagens "soricomorphas" antropomorfizadas, remete directamente para os seus criadores. Desta construção, onde o rock industrial se funde com electrónica negra e difusa, resulta uma fábula satírica numa interpretação da actual condição humana.

Pax Iulia


Terminou o processo de desmontagem do Reservatório de água da Praça da República, que deu lugar a um conjunto de estruturas arqueológicas do período romano cujo estado de conservação e a grande volumetria constituem elementos fundamentais para a compreensão e valorização daquele espaço arqueológico e para a promoção do património da cidade.

O valor científico daquelas construções do fórum (a praça principal) da cidade de Pax Iulia e o estado de conservação em que se mantêm ultrapassa largamente aquilo que era espectável, constituindo uma verdadeira e boa surpresa quer para especialistas em arqueologia quer para profissionais do património, tanto à escala nacional como internacional. A cidade de Beja, a colónia romana de Pax Iulia tem agora visível um exclusivo conjunto patrimonial (três templos, um tanque) que demonstram bem a grande importância da cidade em época romana e acrescem ao batistério paleo-cristão, à casa de moeda, às casas islâmicas, inegável interesse científico, e proporcionam elevado potencial para atracção de fluxos de turismo sobretudo de turismo que procura qualidade cultural.

O que agora se confirma e abre um novo e elevado motivo de interesse para a cidade e quem nos visitará, é que a decisão da Câmara Municipal foi tomada sobretudo a pensar na estratégia de futuro e de promoção e valorização do centro histórico de Beja.

As escavações vão ainda continuar, de modo a deixar apresentáveis as estruturas arqueológicas e a articulá-las com o edifício que se está a reabilitar.

Vedações recebeu quatro nomeações para os Óscares


"Vedações", realizado por Denzel Washington, baseado no argumento de August Wilson, adaptado da peça vencedora de um Prémio Pulitzer e um Tony Award, recebeu quatro nomeações para os Óscares: melhor filme, melhor ator, melhor atriz secundária e melhor argumento adaptado. 

"Obrigado à Academia por este fantástico reconhecimento e por homenagearem as brilhantes palavras de August Wilson. Sou um sortudo por me terem confiado este projecto e por ter tido a oportunidade de trabalhar com a espectacular Viola Davis e com todo o meu talentoso elenco e equipa." Denzel Washington

"Obrigada à Academia por reconhecerem este extraordinário e importante filme e o meu trabalho no mesmo. Obrigada ao Denzel por ter estado ao leme!" Viola Davis

"Não podia estar mais satisfeito e agradecido à Academia pelo reconhecimento do nosso filme. Estendo os meus agradecimentos ao Denzel, à Viola, ao fantástico elenco e equipa do 'Vedações' que deram vida às palavras de August Wilson. É um dia muito especial, estou muito emocionado." Todd Black (Produtor)

"Estou muito feliz que o trabalho do August esteja a ser reconhecido e que milhões de pessoas tenham a oportunidade de ver 'Vedações'! Sinto que ele teria ficado incrivelmente orgulhoso do amor e carinho que todos os envolvidos, especialmente o Denzel, investiram para tornar este filme possível." Constanza Romero Wilson (Esposa de August Wilson)



"Vedações" conta a história de Troy Maxson, um trabalhador dos saneamentos de Pittsburgh que sonhou ter uma carreira no baseball, mas que já era demasiado velho quando as ligas principais começaram a aceitar jogadores negros. Ele tenta ser um bom marido e pai, mas o seu sonho perdido de glória consome-o e força-o a tomar uma decisão que ameaça destruir a sua família.

Estreia dia 23 de Fevereiro em Portugal.

Monopoly: Ainda tem cinco dias para salvar o Scottie!


Começou a contagem decrescente para descortinar o futuro de Monopoly – o jogo de tabuleiro mais famoso do mundo! Será que os fãs vão salvar o Scottie? Ou será que os amantes deste jogo vão mudar o rumo da sua história, dizendo adeus ao dedal e ao carrinho de mão para dar as boas vindas ao pato de borracha e ao hastag?

O destino dos icónicos peões de Monopoly está nas mãos dos fãs, que têm ainda cinco dias (até 31 de janeiro) para salvar as suas peças preferidas! Basta, para isso, aceder a www.VoteMonopoly.com e escolher os oito símbolos que querem ver a salvo e que deverão permanecer nas próximas edições do jogo.

São mais de 50 peões a lutar pelo seu lugar no famoso tabuleiro e nem mesmo os clássicos estão a salvo! O cão, a cartola, o carro de corrida, o gato, o dedal, o carrinho de mão, o navio e a bota competem, agora, com a galocha, o pinguim, o telefone, o hastag, o pato de borracha, a máquina fotográfica, entre tantos outros.  

As peças eleitas pelos fãs vão integrar uma nova edição do jogo de tabuleiro, disponível em Portugal a partir do mês de outubro. Os resultados serão divulgados pela Hasbro a 19 de março, Dia Mundial do Monopoly .

Monopoly é o jogo de tabuleiro mais famoso do mundo, jogado por mais de mil milhões de pessoas em 114 países. Criado em 1935, as suas peças são, desde sempre, um dos elementos chave do jogo e que mais entusiasma os fãs. O carro de corrida, o dedal, a bota, a cartola e o navio vivem nos tabuleiros Monopoly desde a sua edição original, enquanto o cão e o carrinho de mão chegaram no início da década de 50. Mais tarde, em 2013, os fãs votaram para incluir uma nova peça no jogo: após uma longa temporada, o ferro de engomar reformou-se, dando assim lugar ao gato.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Eusébio – História de uma Lenda


Um filme documental sobre a vida de Eusébio da Silva Ferreira visto pelo seu lado mais íntimo e humano. O amor e a paixão à camisola fizeram de Eusébio um nome que entrou para sempre na história de Portugal e do desporto rei.
Muitos foram aqueles que vibraram com as suas jogadas e golos espetaculares. Entre lágrimas, aplausos e imagens vivas, Eusébio recorda-nos as histórias vividas ao longo da sua vida. Ele é um exemplo para todas as gerações e permanece na imaginação de todos como um herói, simples e humilde. 
O filme ‘Eusébio – História de uma Lenda’ estreia em exclusivo nos cinemas a 23 de Março.



O filme é um relato impressionante da vida de Eusébio da Silva Ferreira visto pelo seu lado mais íntimo e humano. Desde os tempos de menino, que sonhava ser jogador da bola, até ser consagrado como o melhor jogador do mundo, o “Pantera Negra” revela-nos, na primeira pessoa, os momentos gloriosos da sua carreira ao serviço da seleção e do seu clube do coração, o Sport Lisboa e Benfica.  
O amor e a paixão à camisola fizeram de Eusébio um nome que entrou para sempre na história de Portugal e do desporto rei. Ele é um exemplo para todas as gerações e permanece na imaginação de todos como um herói, simples e humilde.

Realizado por Filipe Ascensão, o filme foi projetado em parceria com Eusébio da Silva Ferreira e reúne depoimentos de António Simões, Hilário da Conceição, Flora da Silva Ferreira, Sir Bobby Charlton, Rui Costa, Luís Figo, Cristiano Ronaldo, entre outros. 

HMB - Novo disco "Mais" - 10 de Fevereiro


"Mais", o novo álbum dos HMB nasce numa fase de muita estrada e de crescente popularidade.
Acabou o efeito surpresa de ter uma banda a cantar em português canções com características mais soul e RnB e por isso os HMB apostaram em sedimentar o futuro com um trabalho inundado de canções honestas e de uma ambição assumida em chegar mais longe.
Em "Mais", o leque de influência está mais alargado do que nunca , o pop dos anos 80, as guitarras  de Lenny Kravitz, a crueza de Kendrick Lamar, a frontalidade lírica de quem não esconde nada, a presença do som de Prince e os arranjos vocais que só o Heber consegue fazer, orquestrados pela batuta dos dois alicerces inabaláveis inerente aos HMB - Soul e RnB.

Carminho, junta o fado à soul em “O Amor é assim” - indiscutivelmente uma das canções do ano - e Emicida, traz o calor do Brasil a “Estrela Brilha”.
Mesmo a acabar o disco, DJ Ride empresta o seu talento na co-produção do tema titulo “Mais”.

“Mais gratos, Mais Maduros, Mais aventureiros. Este disco nasce num período de muito trabalho e realização pessoal enquanto banda, resultado de muitas coisas que vimos, sentimos, vivemos e experimentámos. “

"Mais" o terceiro disco dos HMB, chega às lojas no dia 10 de Fevereiro.


seBENTA ao vivo - Live Session 10 e 11 de Fevereiro, Estúdios Namouche, 22h00


Os seBENTA apresentam o álbum RAIO-X no formato de Live Session nos próximos dias 10 e 11 de Fevereiro às 22h00 nos Estúdios Namouche, com dois concertos que visitarão o novo álbum, bem como, alguns dos mais conhecidos temas da banda! Este novo registo é o seu melhor álbum de sempre, e contou com as participações de Zé Pedro (Xutos & Pontapés) e do mundialmente reconhecido surfista Garrett McNamara, no single “VIVE”.
Os seBENTA assumem cada vez mais um lugar de excelência no panorama do rock nacional como uma das melhores bandas da atualidade, com qualidade inquestionável de álbum para álbum, espetáculo para espetáculo! Estando sempre junto dos seus fãs, a sua história é hoje maior que ontem, porque acreditar é mais que tudo... É ir até ao fim do mundo!
Dias 10 e 11 de Fevereiro todos os caminhos acertam Namouche!
Um espetáculo imperdível onde o rock será visto, filmado e gravado a Raio-X!
Os seBENTA gritam VIVE porque a vida é para ser vivida!


Netflix anuncia a estreia de "Por Treze Razões"


A Netflix anuncia a estreia da nova série original baseda nos livros bestseller de Jay Asher, Por Treze Razões. A série vai estrear mundialmente no serviço de streaming a 31 de Março de 2017.

Inspirada nos livros bestseller de Jay Asher, a série Por Treze Razões relata a história do adolescente Clay Jensen (o estreante Dylan Minnette) que um dia ao regressar a casa depois das aulas encontra à sua porta uma misteriosa caixa com o seu nome.

Dentro dessa caixa estão diversas cassetes gravadas por Hannah Baker (a estreante Katherine Langford) – uma colega de escola por quem se sentia atraído – que se suicidou duas semanas antes. Nos testemunhos que gravou nas cassetes, Hannah explica as treze razões pelas quais ela decidiu por termo à vida. Será que Clay é um desses motivos? Ao ouvir as cassetes, ele irá descobrir porque foi incluído na lista.

Através da narrativa de Hannah e Clay, Por Treze Razões tece uma história intrincada e dolorosa sobre a vida na adolescência que irá tocar profundamente todos os espetadores.

Por 13 Razões tem produção executiva de Tom McCarthy, Brian Yorkey, Selena Gomez, Joy Gorman e Kristel Laiblin e estreia na Netflix a 31 de Março.


A Sony apresenta o seu primeiro televisor OLED 4K, o BRAVIA OLED A1


É o primeiro televisor a integrar a tecnologia OLED e um ecrã que emite o som diretamente, sem necessidade de colunas

A Sony aproveitou a feira CES de Las Vegas para apresentar a sua mais recente aposta em televisores - a série BRAVIA OLED A1 - o primeiro televisor OLED em 4K da marca. Após o lançamento do seu primeiro televisor OLED em 2007, a Sony volta a apostar nesta tecnologia, integrando, desta vez, o 4K num televisor com um design espetacular e uma qualidade de imagem inigualável - ambas características distintivas da marca.

Além disso, a série BRAVIA OLED A1 é a primeira da Sony a unir ecrã e colunas, graças ao Conceito One Slate: este novo televisor não dispõe de colunas, o áudio sai diretamente do ecrã. Isto confere-lhe um design único e minimalista que concentra toda a atenção no ecrã, graças à sua moldura praticamente invisível e ao ecrã ultrafino que o torna possível. Em linha com este design minimalista, os cabos passam por dentro do suporte do televisor, ficando ocultos a partir do exterior. Este televisor pode ainda ser fixado numa parede.

BRAVIA® OLED A1

A série A1E BRAVIA OLED oferece cores mais ricas e intensas, bem como tons negros sem precedentes, com um contraste dinâmico, imagens nítidas e um amplo ângulo de visão. Graças a mais de 8 milhões de píxeis com iluminação própria, controlados individualmente com a máxima precisão, o televisor OLED da Sony cria um contraste extraordinário.

A série A1 também está equipada com a tecnologia exclusiva Acoustic SurfaceTM da Sony, que faz vibrar o ecrã e permite que o áudio seja emitido diretamente através do ecrã do televisor. Desta forma, o novo televisor não dispõe de colunas, o som está integrado no próprio ecrã. Isto permite criar uma união perfeita entre imagem e som - impossível de alcançar num televisor convencional - e uma grande sincronização de imagem e som, mesmo nas partes laterais. Tudo isto, aliado ao ângulo de visão OLED excecionalmente amplo, faz com que a série A1 ofereça uma experiência visual e sonora sem precedentes, a partir de qualquer posição de visualização.

A tecnologia Acoustic Surface otimiza o design inovador da série A1, eliminando as colunas convencionais, colocadas, habitualmente, à volta do televisor. O resultado é um design único, minimalista e sem base, para que nada o distraia das imagens.

Por fim, importa referir que, além de uma qualidade de imagem inigualável e de um design extraordinário, este é um televisor inteligente (Smart TV) com sistema operativo Android, para o qual é possível transferir as suas apps favoritas e utilizar as que já vêm instaladas de fábrica para aceder a vários canais, tais como Netflix, Amazon Video, Spotify, etc.

Esta nova linha de televisores está disponível em 55, 65 e 77 polegadas.