terça-feira, 31 de outubro de 2017

Marcas de Guerra


Marcas de Guerra, da DreamWorks Pictures, segue um grupo de soldados americanos que regressam do Iraque e lutam para se reintegrarem na vida familiar e civil, vivendo ao mesmo tempo com as memórias de uma guerra que ameaça destruí-los muito depois de terem deixado o campo de batalha.

Protagonizado por um elenco liderado por Miles Teller, Haley Bennett, Amy Schumer, Joe Cole, Beulah Koale, Scott Haze, Keisha Castle-Hughes, Brad Beyer, Omar J. Dorsey e Jayson Warner Smith, este drama é inspirado no best-seller do jornalista e escritor David Finkel, vencedor de um prémio Pulitzer.

Jason Hall, que escreveu o argumento de Sniper Americano, faz a sua estreia como realizador com Marcas de Guerra, sendo também autor do argumento. A produção é de Jon Kilik (saga The Hunger Games: Os Jogos da Fome, Babel) e Ann Ruark (Biutiful) é a produtora executiva.


Brother reúne revendedores no seu 10º Evento de Canal Certificado


A Brother reuniu uma vez mais, os seus revendedores oficiais no evento de Canal Certificado, que celebra este ano a sua 10º edição e contou com a presença de mais de 130 profissionais.

No decorrer do evento foram destacados alguns produtos lançados recentemente como a nova gama laser a cores e foi efetuado o pré-lançamento dos scanners ADS2200 e ADS2700dw. Os convidados presentes tiveram ainda a oportunidade de ficar a conhecer o novo modelo de negócios “Easy Packs”.

De acordo com João Fradinho, country manager da Brother, “Este é o 10º evento da marca e todos consecutivos o que muito nos orgulha, mesmo num período com uma conjuntura económica desfavorável nunca deixámos de investir neste encontro como prova da importância que damos aos nossos principais Revendedores. Destaco que uma percentagem elevada dos revendedores presentes no 1º encontro estão hoje aqui, demonstrando que a aposta na nossa marca para além de ser rentável é duradoura.”

Casino Estoril aposta na animação musical em Novembro


É já amanhã, 1 de Novembro, que o Casino Estoril inicia um novo ciclo de animação musical. Com um enquadramento festivo, estarão em destaque espectáculos de fado, rock, pop, soul, r&b, jazz e, ainda, vários dj sets. A não perder, de Quarta-Feira a Sábado, no Lounge D. A entrada é livre.

Ciclo de Fado às Quartas-Feiras
Com uma significativa afluência de público, as noites de fado prosseguem, em Novembro, no Lounge D com uma série de actuações a não perder. São diferentes estilos interpretativos que estarão em destaque às Quartas-Feiras, a partir das 22 horas.

Teresinha Landeiro e Gonçalo Castelbranco actuam, logo na Quarta-Feira, dia 1, enquanto Teresa Tapadas e António Pinto Basto apresentam-se a 8 de Novembro. Teresa Brum e Zé Maria Souto Moura sobem ao palco no dia 15 e, posteriormente, Rodrigo e Tânia Oleiro serão os protagonistas no dia 22. 

Concerto de Inês Barroso e André Mendes
Em noite de estreia, Inês Barroso e André Mendes estreiam-se, a 2 de Novembro, pelas 22h30, no Lounge D para reeditar vários êxitos que marcaram o panorama da música internacional. Por caminhos cruzados, a vocalista Inês Barroso e o pianista André Mendes juntam-se para interpretar e relembrar alguns dos maiores temas do jazz e do soul, assim como adaptar músicas mais atuais e conhecidas a versões calmas e quentes.

Concerto The Fly – Tributo U2
Com um percurso iniciado, em 2008, os The Fly são considerados uma das melhores bandas de tributo aos U2. Os The Fly reproduzem versões de músicas da banda de Dublin, transmitindo, ainda, aos espectadores a genuína sensação de estarem a acompanhar um verdadeiro concerto dos U2.

Os The Fly asseguram o guarda-roupa a rigor e o desfile de carismas, desde a presença incontornável, tanto vocal quanto física, de Tiago "Bono" Barbosa, até ao serenamente inquieto Tiago "The Edge" Pimentel, sem esquecer a postura, tão intrépida quanto a sua batida, de André "Mullen Jr" Santos e a coolness inconfundível de Ricardo "Clayton" Ramos. 

Ciclo de Dj Sets 
O programa de animação musical distingue-se, ainda, pelas actuações de dois experientes Dj’s nacionais. O Dj David Fortes apresenta-se, no dia 4 e, posteriormente, o Dj Fonz será o protagonista no dia 11 de Novembro. O ambiente festivo está garantido, a partir das 23 horas.

Concertos de Rogério Gil
Com um repertório diversificado, Rogério Gil regressa, em Novembro, com mais duas propostas musicais. O artista sobe ao palco no dia 9, numa actuação que privilegia numerosos clássicos da música portuguesa e, posteriormente, apresenta-se, no dia 24, para recriar êxitos da música ligeira à pop portuguesa. Em destaque no Lounge D, às 23 horas.

Concertos de Cristelo
Em estreia absoluta no Casino Estoril, o pianista Cristelo apresenta, a 10 e 18 de Novembro, pelas 23h00, o projecto Piano Rock. O artista participou em diferentes edições do Rock In Rio, tendo recebido elogias do público e da crítica especializada.

Cristelo lançou, no passado mês de Maio, em formato digital o álbum "PianoRock". Este CD inclui algumas músicas conhecidas como: "Counting Stars" (One Republic), All Of Me (John Legend), Stairway To Heaven (Led Zepellin), Wake Me Up (Avicii), entre outras, além de composições próprias como "Lucas", música em homenagem ao seu filho, e "Awake".

Concerto de Frederico Braga da Costa
Em versão acústica, Frederico Braga da Costa regressa, a 16 de Novembro, pelas 22h30, ao Lounge D para interpretar vários temas originais da sua autoria e recriar outros êxitos que marcam o panorama da música internacional. A personalidade e o bom gosto musical são as bases deste conceituado projecto liderado por Frederico Braga da Costa. Do Swing ao Pop, passando por temas originais, Frederico Braga da Costa traz ao Casino do Estoril um largo e vasto repertório, preenchido com grandes êxitos

Concerto da banda Alta Cena
Pela primeira vez no Casino Estoril, a banda Alta Cena sobe ao palco do Lounge D, no próximo dia 17 de Novembro, a partir das 23 horas. Com músicos de várias nacionalidades, a banda Alta Cena privilegia o jazz, percorrendo, ainda, outras sonoridades centradas em ritmos latino-americanos, africanos e portugueses.

Concerto de Rui Faria & Sandra Gonçalves
Com várias actuações bem-sucedidas, Rui Faria & Sandra Gonçalves reencontram-se, a 23 de Novembro, pelas 22h30, com os visitantes do Casino Estoril. A dupla propõe “The Mighty 80’s: A (Yet Another) Trip Down Memory Lane - The Unforgettable Hits”.

Concertos de Cristina Bokor Rogeiro
Com uma proposta revivalista, Cristina Bokor Rogeiro actua, a 25 de Novembro, no Lounge D, convidando o público a reviver clássicos do soul, r&b e pop dos anos 80, assim como alguns registos de bossa nova. Cristina Bokor Rogeiro será acompanhada por Alex Veiga no baixo, Manuel Oliveira ao piano, e João Carvalho na bateria.



Casino Lisboa recebe novas bandas e Dj's em Novembro


Com um ambiente festivo, o Casino Lisboa propõe, em Novembro, aos seus visitantes um novo programa de animação musical. Estará em evidência um dinâmico cartaz que inclui, de Quarta-Feira a Sábado, cinco bandas no Arena Lounge. Apresentam-se, ainda, de Quinta-Feira a Sábado, pouco depois da meia-noite, vários Dj’s conhecidos no panorama nacional. Com entrada livre, a animação prolonga-se até de madrugada. 

É já na próxima Quarta-Feira, dia 1, que a banda Play 4 You regressa ao Arena Lounge. Com um tom informal, este quarteto estabelece singulares momentos de empatia com o público. A não perder até ao dia 4 de Novembro.

Os Play 4 You apresentam uma série de covers com clássicos do rock, do soul e do funk, não esquecendo, ainda, outros êxitos do pop e do rock. A vocalista Vânia Domingues será acompanhada por Jorge Correia, na guitarra, Pedro “Olho Azul”, no baixo, e Valter Mariz na bateria. 

Com várias actuações bem-sucedidas, os Tamla apresentam-se, de 8 a 11 de Novembro, no Arena Lounge. A vocalista Elisabete Brás partilha o palco com André Mendes nas teclas, e João Colaço na bateria.

Desta sua essência, o estilo perdura na “alma” característica à sua representação. O som da Motown chega-nos como título de criação de três performers sincrónicos, evocando os mentores e sucessores desta vibração musical única. 

Por sua vez, os Bossa Morna apresentam-se, de 15 a 18 de Novembro, no Arena Lounge para convidar o público a “celebrar a boa música, independentemente da sua origem”. 

As suas versões são quentes e dançantes e a química deste quarteto está a dar muito que falar. Os Bossa Morna são constituídos por Ivo Dias (voz e guitarra), Diogo Caetano (voz, cavaquinho e guitarra), Iuri Oliveira (percussão) e Matteo Bowinkelman (percussão). 

Noutro aguardado regresso, os Trio Naranjus apresentam-se, de 22 a 25 de Novembro, no Arena Lounge. Constituído por multi-instrumentistas, este trio "todo-o-terreno" aposta na diversidade musical, recuperando temas de nomes consagrados do panorama internacional.

Com cinco anos de actividade ininterrupta e mais de 400 actuações, o Trio Naranjus é formado por três músicos versáteis. Pedro Carvalho apresenta-se com a guitarra acústica, carron (instrumento de percussão muito ligado ao Flamenco) e canta. Pedro Soares toca a outra guitarra acústica, baixo eléctrico, pandeireta com o pé e canta. Por sua vez, Tiago Barbosa canta e toca teclados. 

Daniela Mendes 4Teto actua, de 29 de Novembro a 2 de Dezembro, no Casino Lisboa. A mescla de influências dá o mote. Nasce assim uma nova abordagem a temas de autores muito conhecidos e outros menos próximos da generalidade do público. 

Daniela Mendes forma os 4Teto, partilhando o palco com Xico Santos, no baixo, Ciro Lee na percussão e André Marques da Silva, na guitarra. A intérprete convida o público a fazer uma viagem musical assente na mistura de sons, ritmos e palavras de Portugal, Brasil ou Cabo Verde.

Arena Lounge - Jukebox
O programa de animação musical sugere, ainda, de Quinta-Feira a Sábado, pouco depois da meia-noite, diferentes Dj’s que escolhem os ritmos ideais para um serão pleno de animação. A entrada é livre. 

Programa de Novembro
02 - Nery
03 - Sheri Vari
04 - Luís Patraquim

09 - Nuno di Rosso
10 - Diogo Pires
11 - Yugo Dee

16 - Pelota
17 - Mr. Mute
18 - John Holmes

23 - Dj Al
24 - Johnny Deep
25 - Luis Leite

30 - Pan Sorbe



Detetives Selvagens em nova tradução


Narrativa trepidante, Detetives Selvagens, de Roberto Bolaño, é uma extraordinária máquina de contar histórias, atravessada tanto pela melancolia das ilusões desfeitas como pela violência de um humor iconoclasta e feroz. Esta nova tradução da obra-prima que o autor chileno publicou em vida (2666 é um livro póstumo), revela-nos fielmente a essência da sua escrita. 
Publicado em 1998, o quinto romance de Bolaño divide-se em três partes autónomas, pelas quais circulam personagens rebeldes, em relatos descontínuos. O chileno Arturo Belano (alter ego de Bolaño) e o mexicano Ulisses Lima são os ‘detetives’ da trama: dois poetas que seguem as pistas deixadas pela misteriosa escritora mexicana, Cesárea Tinajero, desaparecida no deserto de Sonora. Este é um livro imenso, uma enciclopédia literária, cheia de ecos auto-biográficos, que reflecte a Cidade do México durante a segunda metade dos anos 70, quando Bolaño era um poeta vanguardista, fundador do movimento infrarrealista. 
Romance caleidoscópico, disperso e fragmentário, Detetives Selvagens acolhe dezenas de personagens que atravessam a vida num permanente estado de migração e insatisfação, numa constante odisseia. 
Há muito aguardada, esta nova tradução de Detetives Selvagens faz parte do destaque que a Quetzal Editores tem estado a dar ao autor ao longo de 2017 (o ano Bolaño). 

Sobre o autor
Roberto Bolaño nasceu em 1953, em Santiago do Chile. Aos 15 anos mudou-se com a família para a Cidade do México. Durante a adolescência leu vorazmente e escreveu poesia. Fundou com amigos o Infrarrealismo, um movimento literário punk-surrealista, que consistia na «provocação e no apelo às armas» contra o establishment das letras latino-americanas. Nos anos 70, Bolaño vagabundeou pela Europa, após o que se instalou em Espanha, na Costa Brava, com a mulher e os filhos. Aí, dedicou os últimos 10 anos da sua vida à escrita. Fê-lo febrilmente, com urgência, até à morte (em Barcelona, em julho de 2003), aos 50 anos. A sua herança literária é de uma grandeza ímpar, sendo considerado o mais importante escritor latinoamericano da sua geração – e da atualidade. Entre outros prémios, como o Rómulo Gallegos ou o Herralde, Roberto Bolaño já não pôde receber o prestigiado National Book Critics Circle Award, o da Fundación Lara, o Salambó, o Ciudad de Barcelona, o Santiago de Chile e o Altazor, todos atribuídos a 2666, unanimemente aclamado o maior fenómeno literário da última década.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

A Bela e o Monstro no Gelo: A História de amor deste Natal


De 17 de Novembro a 7 de Janeiro, a magia do amor está no Alegro Alfragide. Carla Andrino, José Carlos Pereira e Ricardo de Sá dão vida às personagens principais deste conto, ao lado de mais 14 atores, cantores, bailarinos e patinadores, num espetáculo cheio de magia e cor que vai encantar e divertir as famílias neste Natal!

O sonho e a magia do amor estão no ar este Natal! O centro comercial Alegro Alfragide, numa produção da AM Live, apresenta uma das mais belas histórias de amor de todos os tempos: “A Bela e o Monstro no Gelo”.

Inspirada no conto original de Alan Menken, nesta história nem tudo é o que parece. Bela é uma menina que não aceita o seu destino e Monstro é um príncipe a quem o destino pregou uma desagradável surpresa e está preso por um feitiço que só o amor pode quebrar. Os objetos ganham vida. Um castiçal que dá as boas-vindas, um relógio que nunca sabe as horas e um bule casamenteiro guiam o público nesta viagem pelo castelo encantado para contar esta misteriosa e apaixonante história de amor.

A prestigiada atriz Carla Andrino veste o papel de Bule, o ator José Carlos Pereira, mais conhecido por Zeca, é o Castiçal, e Ricardo de Sá, conhecido ator da série Morangos com Açúcar e músico, é o Monstro enclausurado. Em palco estão acompanhados por um elenco talentoso de mais 14 atores, cantores, bailarinos e patinadores.

Com direção artística de João A. Guimarães, também responsável pela encenação, e de Joana Quelhas, a quem caberá ainda a coreografia do espetáculo, música de Artur Guimarães e texto de Ana Queirós, o espetáculo estará em exibição de 17 de Novembro a 7 de Janeiro, na tenda montada no exterior do centro comercial Alegro Alfragide, com capacidade para mais de 700 espetadores.

Da mesma equipa que produziu “A Branca de Neve no Gelo”, em 2015 e “A Cinderela no Gelo”, em 2016, estão reunidos os elementos necessários para um verdadeiro espetáculo sensorial. Todos os detalhes são pensados ao pormenor para mergulhar o espetador num universo de magia e encanto, através de cenários envolventes e arrebatadores, figurinos ricos, música, dança e muitas acrobacias no gelo.

O valor da amizade e do amor a vencer qualquer barreira para ver este Natal num espetáculo de magia, cor e diversão, recheado de personagens encantados e momentos vibrantes para toda a família!

Em Novembro o Casino Lisboa reforça aposta no Novo Circo


A genuína arte do Novo Circo constitui, em Novembro, um dos principais destaques do programa de animação cultural reservado para o Arena Lounge do Casino Lisboa. Já no próximo dia 4, Jocka e Raquel asseguram um exercício de Forças Combinadas. No dia 11, será a vez de Jocka Carvalho apresentar-se em tecido vertical e, no dia 18, Raquel Nicoletti regressa com um novo número em tecido vertical. Posteriormente, a 25 de Novembro, estará em evidência Tiago e Raquel com outro exercício de Forças Combinadas. Com entrada livre, aos Sábados, a partir das 23 horas.

Jocka e Raquel: Forças Combinadas - 4 de Novembro
Jocka e Raquel propõem um número de Foças Combinadas de elevado grau de dificuldade. A dupla encontra-se através de uma realidade artística muito própria, partilhando os mesmos sonhos e ambições. Com uma assinalável experiência, Jocka e Raquel já percorreram várias aéreas artísticas, assim como, desportivas.

Ginastas de alta competição, tendo representado Portugal nas mais importantes provas internacionais, Jocka e Raquel desenvolveram intensamente os seus talentos nas artes circenses e dança. Em Statue Act fazem a fusão perfeita da força e flexibilidade. 

Jocka Carvalho: Tecido Vertical – 11 de Novembro
Noutro surpreendente espectáculo de Novo Circo, Jocka Carvalho será o protagonista de um exercício em tecido vertical. Onde estão os limites do eu? Até onde posso ir através da imaginação? Estas são as demandas da alma de Jocka Carvalho, um jovem que se define pela procura do seu lugar de expressão e que já percorreu várias aéreas artísticas e desportivas, tendo sido atleta de alta competição, bailarino, artista de circo, coreógrafo.

Jocka Carvalho já se apresentou em grandes palcos mundiais, tendo desenvolvido intensamente os seus talentos nas artes circenses e dança. Está, actualmente, em digressão com Acts Circenses, uma fusão perfeita de circo, dança e acting! Jocka World is the Circus… let him be part of yours!

Raquel Nicoletti: Tecido Vertical - 18 de Novembro
Protagonista de notáveis actuações, Raquel Nicoletti reencontra-se, uma vez mais, com os visitantes do Casino Lisboa. A artista apresenta uma fusão sensível entre música, teatro e acrobacia. Raquel Nicoletti é actriz, acrobata e música, e expressa suas artes e inspirações no pequeno palco no Arena Lounge numa actuação de tecido vertical. 

Tiago e Raquel: Forças Combinadas - 25 de Novembro
Raquel e Tiago trabalham juntos neste bem-sucedido projecto de nome Duo Kru. O público poderá acompanhar a expressão do movimento combinado com o pormenor acrobático característico destes dois performers, antigos ginastas de alta competição. Aliados à musicalidade das formas, o Duo Kru apresenta uma nova actuação caracterizada pela ironia e o desconforto em celebração do Novo Circo.

Com entrada livre, os exercícios de Novo Circo proporcionam momentos únicos na animação do Arena Lounge do Casino Lisboa. 

Melech Mechaya apresentam "Aurora" em Lisboa e Porto


Os Melech Mechaya irão realizar dois grandes espectáculos em Lisboa e no Porto em duas das mais carismáticas salas do país: Tivoli BBVA dia 27 de Dezembro (Lisboa) e Casa da Música dia 29 de Dezembro (Porto).

O quinteto actua dia 27 de Dezembro no Tivoli BBVA em Lisboa e dia 29 de Dezembro na Casa da Música no Porto, em dois espectáculos únicos com convidados especiais.

Os concertos assinalam o lançamento do novo disco "Aurora", e terão a presença de convidados especiais. O novo disco tem conquistado a crítica nacional (5 estrelas na revista Blitz) e internacional, e figurou durante 3 meses consecutivos no Transglobal World Music Charts.

O 3º single extraído de Aurora será "Boom", com a participação especial de Noiserv.

Grande Real Villa Itália Hotel & Spa renova Brunch à Boca do Mar


Com a chegada do Outono, o Grande Real Villa Itália Hotel & Spa em Cascais renova o Brunch à Boca do Mar e alia a Portugalidade ao modo de vida saudável das Poke Bowls. Continua disponível todos os sábados e domingos entre as 12:30h e as 16h.

No que concerne à variedade de pequeno-almoço mantém-se o bacon tostado, os ovos mexidos com espargos e farinheira, a batata-doce assada, os cogumelos salteados, a seleção de sementes e papas de aveia, iogurtes naturais e os deliciosos ovos benedict feitos ao momento.

Nas entradas, aos já conhecidos pastelinhos crocantes de bacalhau, às empadas de galinha e aos peixinhos da horta, acrescenta os tacos recheados, o guacamole com nachos, o tomate concassé com cebola, o folhado de linguíça e as chamuças de novilho com especiarias. Como complemento há sempre uma sopa, entre elas: miso, tomate, creme de couve-flor, lentilhas ou abóbora com Roquefort e amêndoa torrada. O habitual sushi é também modernizado e passa a ter um toque de fusão.

Nos pratos principais, para além do já famoso pica-pau de carne, terá por cada edição uma opção ainda mais rica como os medalhões de novilho à Portuguesa, cachaço de porco Ibérico, espadarte grelhado com molho virgem, salmão com molho de mostarda e limão ou ainda o peixe galo noisette.

A grande novidade é o novo show cooking de poke bowls, onde poderá criar uma à sua medida, escolhendo de entre os vários ingredientes: selecção de peixe fresco, tofu normal ou fumado, frango, arroz ou noodles, algas hidratadas, alga nori, sementes de sésamo, cebola, cebolo, cebolinho, pickles, manga, abacate, abacaxi, pepino, tomate, rabanete, malagueta, cenoura, courgette, frutos secos e regar tudo com os molhos kimuchi, mayo de manjericão, soja e teriaki.

As sobremesas mantêm-se as tradicionais, como o arroz doce, os pastéis de nata, as pratas de Cascais, Tiramisu, crepes, donuts e mini bolas de Berlim. Para os mais saudáveis há sempre fruta fresca da época laminada.

De destacar ainda que o novo valor do Brunch de 32€ por pessoa, para além da água mineral, dos  refrigerantes e dos néctares de frutas, inclui agora vinho branco e tinto da seleção do hotel. As  crianças dos 0-5 são gratuitas e dos 6-12 têm 50% de desconto.

Festival de teatro ORIENTE-SE despede-se com espectáculo sobre Florbela Espanca


No dia 4 de Novembro, às 21h30, no Auditório Fernando Pessa, o ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador recebe o Grupo Teatro Renascer, de Esmoriz, que apresenta “Flor Alma Espanca”, considerada uma das dez melhores peças de 2016, pela Federação Portuguesa de Teatro. O último espectáculo apresentado na primeira edição do ORIENTE-SE é uma valiosa interpretação histórica da vida atribulada de Florbela Espanca.
O Festival ORIENTE-SE teve início no dia 30 de Setembro e termina este sábado, 4 de Novembro, acolhendo seis grupos oriundos de várias zonas do País. O anfitrião deste Festival é o Teatro Contra-Senso, grupo de teatro amador, sediado em Marvila, que este ano celebra duas décadas. A criação desta festa do teatro é a forma de comemorar o seu vigésimo aniversário. O actor Pedro Górgia é o Padrinho desta primeira edição de Oriente-se.

FLOR ALMA ESPANCA

Um dia como os outros este de 8 de Dezembro. Corria o ano de 1894. Não nos dizem as crónicas se o frio era muito ou pouco, se chovia ou se a noite estava com bom lugar. Rectificamos. A noite era de sete para oito na cronologia dos dias. Foi nessa noite que em Vila Viçosa nasceu uma menina. O nome da mãe consta dos registos. Antónia da Conceição Lobo. E falamos da mãe porque, até à altura da sua nascença, o pai era incógnito. Apenas se declara como progenitor na noite do nascimento da filha. Dá pelo nome de João Maria Espanca. E nessa mesma noite o nome da nascida havia de ser feito. Assim ficou como Flor Bela de Alma da Conceição. É sempre bom quando tudo acaba em bem sabendo-se, de antemão, que a nascida não era desejada nem do lado da mãe, nem do lado do pai. Porém nasceu. Sã e escorreita. E uma vida ia começar. 

Historial do Grupo Teatro Renascer

A constituição oficial do Grupo Teatro Renascer, de Esmoriz, deu-se a 30 de Junho de 1992 e, nos estatutos, o seu destino ficou traçado: “A associação tem por fim representar peças de autores nacionais e estrangeiros, organizar espectáculos de nível cultural e publicar boletins informativos”. Um destino implacável que se vai cumprindo e repartindo pelas pessoas que se orgulham de tomar parte nele. Se a revista foi o género que marcou os primeiros anos de vida do grupo, a vontade de experimentar e mostrar variedade levou-o a peças infantis, dramas e comédias. Em 2000, iniciou o seu projecto mais importante, o Festival de Teatro de Esmoriz, com o qual todos os anos recebe grupos de teatro de diversas origens.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Vamos Falar de Blues com Pedro Abrunhosa no Nova Arcada


Começa hoje o primeiro festival de Blues em Braga, o Nova Arcada Braga Blues, com um Warm Up promovido pelos Iberian Blues Mafia às 18h, na Praça Central do Nova Arcada. Também inserido na programação do festival, no próximo Domingo dia 29 de Outubro, Pedro Abrunhosa fará uma entrevista / concerto nos cinemas Cineplace Nova Arcada pelas 17h.

Budda Guedes leva o seu programa de YouTube para a sala de cinema do Nova Arcada e entrevista Pedro Abrunhosa, numa conversa sobre o Blues. Juntos irão ainda tocar alguns Blues escolhidos pelo consagrado músico portuense, que traz consigo dois dos seus músicos (Cláudio Souto, nos teclados e Bruno Macedo na guitarra) para se juntarem a Budda Guedes (voz e guitarra) e fazerem um mini concerto à volta do Blues.

Vamos Falar de Blues é um programa de YouTube que teve início em Fevereiro deste ano, onde Budda Guedes entrevista várias figuras do Blues nacional e internacional, com o intuito de divulgar o género e de munir de ferramentas todos aqueles que se queiram aprofundar no género.

Este programa especial será filmado e exibido mais tarde no canal de Youtube. O evento é gratuito mas limitado aos lugares disponíveis. Para reservar bilhete, basta ligar para 253100886.

Pascal Bruckner em Portugal


Pascal Bruckner um dos principais pensadores do chamado grupo dos Novos Filósofos está em Portugal para uma conferência dedicada ao tema Adeus Europa no âmbito do festival Folio.

O filósofo e ensaísta francês, nascido em 1948, analista de temas de impacto no quotidiano das sociedades e que fez parte do chamado grupo dos «Novos Filósofos», juntamente com Alain Finkielkraut, Bernard-Henri Lévy e André Glucksmann, entre outros, um grupo de intelectuais franceses que romperam com as correntes hegemónicas do pensamento do seu país nos anos 70 e 80 (em que o marxismo era dominante) e apresentaram uma visão crítica dos rumos políticos e comportamentais da Europa pós-Maio de 1968. A Gradiva lança em simultâneo com a sua vinda a Portugal o seu mais recente livro – Racismo Imaginário - Islamofobia e Culpabilidade.

Pascal Bruckner participa numa mesa de debate dedicada ao tema Adeus Europa em conjunto com o poeta Nuno Júdice hoje pelas 21 horas no Auditório Praça da Liberdade, em Óbidos.

No livro Racismo Imaginário - Islamofobia e Culpabilidade o filósofo francês Pascal Buckner procura demonstrar como o termo «islamofobia» aniquila qualquer opinião crítica acerca do islão. Segundo ele uma grande religião como o islão não é redutível a um povo, pois tem uma vocação universal. Poupá-la à prova de um exame, realizado desde há séculos ao cristianismo e ao judaísmo, é encerrá-la nas suas dificuldades actuais. E condenar para sempre os seus fiéis ao papel de vítimas, ilibados de toda a responsabilidade pelas violências cometidas em seu nome.

Desmontar esta impostura, reavaliar o que se chama «o regresso do religioso» e que é, ao invés, o regresso do fanatismo, celebrar a extraordinária liberdade que a democracia dá aos cidadãos, o direito de crer ou de não crer em Deus: estes são os objectivos deste livro de Pascal Bruckner que agora a Gradiva publica em língua portuguesa.

Rui Veloso abre ciclo de "Concertos Arena Live" no Casino Lisboa


Em noite dedicada à música portuguesa, Rui Veloso inaugura, na próxima Segunda-Feira, 30 de Outubro, às 22h00, o ciclo de “Concertos Arena Live 2017”. Trata-se do prelúdio de um cartaz de luxo que inclui uma série de 10 concertos no Arena Lounge do Casino Lisboa. Com entrada livre, o programa está agendado para as noites de Segunda-Feira, culminando com o tão aguardado Réveillon. 

Referência no panorama da música nacional, o intérprete portuense sobe ao palco central do Arena Lounge para apresentar alguns dos seus principais sucessos discográficos que marcam diferentes épocas da sua extensa carreira.

Cantor, compositor e guitarrista, Rui Veloso propõe-se recriar, num formato intimista e de grande cumplicidade entre músicos e público, numerosos êxitos que se tornaram intemporais.

Entre as composições preferidas do público figuram vários clássicos como, por exemplo, “Chico Fininho”, “Bairro do Oriente”, “Porto Covo”, “Porto Sentido”, “Sei de Uma Camponesa”, “Paixão”, “O Prometido é Devido”, “Não Há Estrelas no Céu”, “Lado Lunar”, “Todo o Tempo do Mundo” ou “Nunca Me Esqueci de Ti”.

Rui Veloso foi distinguido com importantes prémios ao longo de mais de 35 anos de carreira. Desde o álbum pioneiro “Ar de Rock”, passando pelo seu “Lado Lunar” e prosseguindo pelos incontornáveis “O Concerto Acústico” e “A Espuma das Canções” construiu um percurso impar que será revisitado no Casino Lisboa.

Ciclo de “Concertos Arena Live 2017”
- 30 de Outubro: Rui Veloso
- 06 de Novembro: Gisela João
- 13 de Novembro: Carlão
- 20 de Novembro: GNR
- 27 de Novembro: Slow J
- 04 de Dezembro: Branko e Convidados
- 11 de Dezembro: David Carreira
- 18 de Dezembro: Agir
- 25 de Dezembro: Gospel Collective (Dia de Natal)
- 31 de Dezembro: Ana Moura (Réveillon)

No âmbito do ciclo de “Concertos Arena Live 2017”, Rui Veloso actua, no próximo dia 30 de Outubro no Casino Lisboa. O programa estende-se até ao final do ano, assegurando um ambiente festivo no Arena Lounge. A não perder, às Segundas-Feiras, às 22h00, excepto na noite de Réveillon. A entrada é livre.

Funchal, um dos novos destinos europeus para o verão de 2018


O programa de voos da Lufthansa para destinos de lazer para o verão de 2018 já está aberto para reservas. O novo programa inclui cinco novos destinos de verão. Portugal vai ganhar uma nova rota semanal – Funchal – Munique – e aumento de frequências na rota Faro – Frankfurt que vai passar de 7 para 9 voos semanais. “O mercado português é muito importante para a Lufthansa”, referiu Patrick Borg Hedley. “Voamos para Portugal há mais de 60 anos e vamos a expandir os nossos serviços”.

Novo destino a partir de Munique

Madeira, a ilha das Flores, vai estar a somente 4 horas de Munique, num voo direto, a partir de 31 de Março de 2018. Este voo vai assim complementar o voo semanal já existente para Frankfurt. A partir da primavera, os voos da Lufthansa partirão da capital da Baviera todos os sábados em direção ao Funchal.

Novidades a partir de Frankfurt

A partir de 25 de Março, Faro e Frankfurt vão ficar ligadas com nove voos semanais. A partir do verão, haverá dois novos voos, um ao sábado às 13h25, chegando a Frankfurt às 17h30, e outro ao domingo às 15h05, com chegada a Frankfurt às 19h10.

A partir de 31 de Março de 2018, haverá pela primeira vez voos de Frankfurt para Thira/Santorini (Grécia), todos os sábados. Thira, a capital da ilha de Santorini, é considerada uma das cidades mais bonitas da Grécia. A vista que se tem sobre a ilha a partir de Thira, que foi construída na borda da cratera de um vulcão, é especialmente deslumbrante.

A partir de 26 de Março de 2018, a Lufthansa irá oferecer pela primeira vez voos diários de Frankfurt para Glasgow (Escócia) durante todo o ano. Com aproximadamente 600 mil habitantes, Glasgow é a maior cidades da Escócia e a Terceira maior do Reino Unido, logo a seguir a Londres e a Birmingham. Glasgow é o ponto de partida ideal para explorar a Escócia.

Chișinău, a capital da Moldávia, vai estar ligada a Frankfurt durante todo o ano. Com mais de 700 mil habitantes, é também a cidades com mais população do país. É um centro de negócios importante, uma cidade universitária e um centro cultural. A Lufthansa vai voar diariamente pela primeira para esta metrópole a partir de 25 de Março de 2018.


Da Lusitânia a Portugal: Dois mil anos de história


Chegará às livrarias a 10 de Novembro a História de Portugal de Diogo Freitas do Amaral, perspetiva pessoal sobre a constituição da nossa nacionalidade e das etapas da construção do país.

Dividido em 10 partes, representativas das 10 fases da nossa evolução política, esta história acompanha o desenvolvimento de Portugal: de condado, a Nação, a país integrante da União Europeia, da OTAN e da ONU.

Escrito num tom acessível e direto, filtrado pelo olhar singular e experiência incomparável de Diogo Freitas do Amaral, «Da Lusitânia a Portugal: Dois mil anos de história» é um livro essencial para quem quer conhecer o passado de Portugal e entender os porquês políticos e estratégicos das decisões que mudaram o nosso país.

Sobre o autor

Diogo Freitas do Amaral é uma figura nacional conhecida como professor de Direito, político e escritor. Nascido na Póvoa de Varzim, de família vimaranense, em 21 de Julho de 1941, doutorou-se em 1967 e ascendeu a catedrático em 1984. Como fundador e primeiro presidente do CDS, foi um dos líderes dos quatro principais partidos políticos da Democracia portuguesa, em 1974 e nos anos seguintes. Foi conselheiro de Estado, VicePrimeiro-Ministro, Primeiro-Ministro interino, Ministro dos Negócios Estrangeiros (2 vezes) e Ministro da Defesa Nacional. No plano internacional, foi presidente da UEDC – União Europeia das Democracias Cristãs (1981-83) e presidente da Assembleia Geral da ONU (1995-96). De regresso a Portugal, foi cofundador e primeiro diretor da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa. Além de numerosos livros e manuais de Direito, o autor publicou na Bertrand dois volumes de Memórias Políticas (1995 e 2008), um manual de introdução à Política (2014) e duas biografias histórias – D. Afonso Henriques (2001) e D. Afonso III (2015). Noutra editora, publicou uma História do Pensamento Político Ocidental (2011). Está em preparação o volume III das suas Memórias Políticas.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Casino Lisboa recebe Raquel Nicoletti


Bem conhecida dos visitantes do Casino Lisboa, Raquel Nicoletti regressa, no próximo Sábado, 28 de Outubro, ao palco central do Arena Lounge para protagonizar um novo espectáculo de Novo Circo. Com entrada livre, a não perder, a partir das 23 horas.

Com dois sets, em tecido vertical, agendados para o Arena Lounge, Raquel Nicoletti apresenta um dinâmico exercício de elevado grau de dificuldade que promete surpreender os visitantes do Casino Lisboa.

A artista exprime a sua versatilidade propondo uma fusão sensível entre música, teatro e acrobacia. Raquel é actriz, acrobata e música, e expressa as suas artes e inspirações no pequeno palco no Arena Lounge.

Winchester - Brevemente nos Cinemas


Nos arredores de São Francisco fica a casa mais assombrada do mundo. Mandada construir por Sarah Winchester (interpretada pela premiada Helen Mirren), uma viúva e herdeira da fortuna da família Winchester, as obras da casa parecem não ter fim. Mas o que parece ser um monumento erguido por uma mulher peturbada, é na verdade uma prisão, um asilo para centenas de fantasmas vingativos. E alguns têm contas a ajustar com a família Winchester.

Baseado numa história verídica.


Caderno Diário da Memória


A 10 de Novembro Mário Augusto prepara-se para abrir novamente o caderno das recordações. Após o êxito de «A Sebenta do Tempo», o jornalista e apresentador regressa à escrita com «Caderno Diário da Memória». Neste novo conjunto de apontamentos, que conta com um prefácio de Rui Reininho, o autor procura reavivar as divertidas lembranças daqueles que cresceram e viveram nas décadas de 60, 70 e 80, dando também a conhecer ao mais novos ícones e momentos históricos desse período.

Seja para uma consulta esporádica ou para uma leitura imersiva, «Caderno Diário da Memória» promete ser um companheiro que ajudará a enfrentar a borracha do tempo e a limpar o pó às mais caricatas e marcantes recordações, guardadas há muito no baú das memórias.

Carlos Cunha em “A Grande Ressaca” no Casino Estoril


O bom humor está de regresso ao Auditório do Casino Estoril que recebe, nos próximos dias 11 e 12 de Novembro, a comédia “A Grande Ressaca”. Com um registo verdadeiramente hilariante, Carlos Cunha será o grande protagonista desta dupla sessão de espectáculos que promete conquistar o público.

“A Grande Ressaca” é uma comédia teatral protagonizada por Carlos Cunha, no papel de Alberto, um empresário de mariscos congelados que há dez anos perdeu a sua mulher para Ramiro, um empresário com a mania que vende mariscos vivos (e vende mesmo). Alberto vive angustiado com esta perda e nunca deixou de acreditar que a sua mulher vai voltar para casa.

Na noite em que Alberto faz sessenta anos, ele e o seu amigo e empregado Jaime abusam da bebida, o que dá origem a uma grande ressaca no dia seguinte, ressaca essa com uma particularidade: Alberto não se lembra de nada do que fez na noite passada. Todavia, Jaime lembra-se e vamos descobrindo ao longo da peça que a noite foi tudo menos uma noite normal, e que, inclusivamente, Alberto matou Ramiro e o corpo está lá em casa.

Dá-se então início, num ritmo frenético e com muitas personagens à mistura, ao contra-relógio que Alberto terá de fazer para se livrar do corpo do amante da mulher (e de uma acompanhante que o chantageia), que agora quer regressar a casa. E no meio de muito humor e situações altamente inusitadas, também se tocam temas fortes, como o amor, a solidão, os afectos e a idade.

Estreias de cinema de 26 de Outubro de 2017


Esta semana dentre as várias estreias de cinema nas salas nacionais o "Cultura e não Só" destaca as seguintes:



Thor: Ragnarok

No terceiro filme da saga das suas aventuras em nome próprio, Thor, o super-herói da Marvel que encarna um deus nórdico, é capturado e obrigado a entrar em lutas de gladiadores contra Hulk, seu colega nos Vingadores. Tudo enquanto tenta salvar Asgard, o seu reino, do apocalipse.
Thor e Hulk continuam a ser interpretados por Chris Hemsworth e Mark Ruffalo, respectivamente, mas há nova vida por aqui: Taika Waititi, o idiossincrático realizador de culto neozelandês responsável por filmes como "O que fazemos nas sombras" ou "Hunt For the Wilderpeople" (que não teve estreia entre nós), está atrás das câmaras, além de dar voz a um das personagens. No elenco, Tom Hiddleston volta como Loki, o irmão e rival de Thor, acompanhado por nomes estreantes ou repetentes neste universo como Tessa Thompson, Cate Blanchett, Jeff Goldblum, Anthony Hopkins, Idris Elba ou Benedict Cumberbatch. 



O Outro Lado da Esperança

O finlandês Aki Kaurismäki regressa ao seu estilo cómico seco para lidar com a crise dos refugiados, sem qualquer pudor em mostrar o racismo e a violência a que migrantes podem estar sujeitos. O filme centra-se em Khaled (Sherwan Haji), um mecânico sírio que acaba em Helsínquia, e na sua interacção com um vendedor de camisas (Sakari Kuosmanen) que anda de cidade em cidade. Este ganha uma quantia assinalável a jogar póquer e compra um restaurante, onde acaba por empregar Khaled. 



Jigsaw - O Legado de Saw

John Kramer (Tobin Bell), o sádico que é o principal responsável pela tortura toda da saga "Saw", está morto há mais de dez anos. Apesar disso, alguns homicídios macabros resultam numa série de cadáveres, todos mortos de uma maneira que seria bastante típica de Jigsaw, o nome pelo qual Kramer é conhecido.
Depois de "Saw 3D - O Capítulo Final", de 2010, retoma-se aqui a popular saga de terror iniciada por James Wan – aqui produtor executivo – em 2004. 

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

SEA LIFE Porto regressa à Praia do Castelo do Queijo para limpar o areal


A Praia do Castelo do Queijo foi limpa no final de Setembro por cerca de 400 voluntários, numa iniciativa promovida pelo SEA LIFE Porto. Menos de um mês depois e contando com o apoio da empresa dinamarquesa Vestas, promove-se uma nova iniciativa para recolher “novo” lixo acumulado no areal e zona rochosa, trazido pela ondulação do mar e pelas correntes marítimas.

A limpeza de praia, organizada pelo aquário portuense em Setembro, contou com um número recorde de voluntários que, numa tarde, recolheu 360 kg de lixo depositado. Ainda cerca de três centenas de voluntários ficaram em lista de espera para também participarem no evento, mas a logística de toda a iniciativa não permitia maior adesão. Isto permitiu refletir e concluir que cada vez mais há uma maior responsabilização e consciencialização social por parte de toda a comunidade e não ir ao encontro dela seria desrespeitar as pessoas e a Natureza.

Motivado e apoiado pela empresa Vestas, líder mundial na fabricação, instalação e manutenção de turbinas eólicas, que em julho deste ano inaugurou na nossa cidade um Centro de Investigação e Desenvolvimento, o SEA LIFE está a organizar uma nova ação: a “Limpeza de Praia powered by Vestas” vai passar novamente pela Praia do Castelo do Queijo, desta vez a um sábado, para oferecer a todos os voluntários um arranque de fim-de-semana muito educativo. 

Por isso, o SEA LIFE Porto convida todos a colocar mãos à obra e a juntar-se ao grupo de voluntários Vestas. A partir das 10h30, o grupo de voluntários irá reunir-se na Praia do Castelo do Queijo, com direito a lanche e visita gratuita ao aquário, no final da manhã.

“Limpeza de Praia powered by Vestas” decorre a 28 de Outubro (sábado, às 10h30).

The Black Mamba em showcase e sessão de autógrafos na Worten do NorteShopping


A loja Worten do NorteShopping, em Matosinhos, promove já amanhã, dia 26 de Outubro, a partir das 18h00, um showcase, seguido de uma sessão de autógrafos, com os The Black Mamba.

Sopro, de Tiago Rodrigues, no D. Maria II


Após a estreia no Festival de Avignon, Sopro apresenta-se agora no Teatro Nacional D. Maria II. Um espetáculo de Tiago Rodrigues, com Beatriz Brás, Cristina Vidal, Isabel Abreu, João Pedro Vaz, Sofia Dias e Vítor Roriz.

De 2 a 19 de Novembro, o D. Maria II apresenta Sopro. Um espetáculo de Tiago Rodrigues, estreado a 7 de Julho no Cloître des Carmes (França), no âmbito do Festival de Avignon - um dos mais importantes festivais de artes performativas do mundo.

Descrito pelo jornal francês, Le Figaro, como "uma homenagem vibrante ao teatro e àqueles que o fazem”, chega agora à Sala Garrett, num palco atrás do qual a sua protagonista, Cristina Vidal, ponto do D. Maria II há mais de 25 anos, tantas vezes se manteve incógnita. Neste espetáculo, esta guardiã de uma profissão em vias de extinção aparece pela primeira vez sob os holofotes, acompanhada por cinco atores e centenas de fantasmas. Consigo, são evocadas as histórias reais e ficcionais de um teatro agora em ruínas. Que teatro habita  a sua imaginação e a sua memória? Que mundo nos pode  dar a ver, usando apenas o seu sopro invisível?

A 16 de Novembro, às 18h30, na FNAC Chiado, decorrerá o lançamento do livro Como ela morre / Sopro. Uma edição do D. Maria II e da Bicho do Mato, que reúne os dois mais recentes textos de Tiago Rodrigues.

“A noite não é eterna” de Ana Cristina Silva vence Prémio Fernando Namora


Ao décimo romance publicado, Ana Cristina Silva venceu com “A noite não é eterna”, por unanimidade do Júri, o Prémio Literário Fernando Namora, promovido pela Estoril Sol, com o valor pecuniário de 15 mil euros.

O Júri, presidido por Guilherme D ´Oliveira Martins reconheceu ter sido outro ano literário de vincada qualidade, tendo seleccionado ainda, com muito apreço, numa lista de finalistas votados, os romances concorrentes de  Álvaro Laborinho Lúcio (“O homem que escrevia azulejos”), Ana Teresa Pereira (“Karen”), Dejan Tiago Stankovic (“Estoril – um romance de guerra”), J.Rentes de Carvalho (“O Meças”) e Possidónio Cachapa ( “Eu sou a árvore”).

Na acta, o Júri salientou no romance “A noite não é eterna”, tratar-se de “uma obra que se articula a partir da realidade social, politica e humana das crianças romenas, e das suas famílias, no período da ditadura de Nicolae Ceausescu”.

O Júri foi ainda sensível ao facto do romance vencedor ser “uma belíssima composição narrativa com linguagem sóbria e cuidada, que valoriza em particular a narrativa de um drama pungente, num quadro político sufocante e obsessivo. É uma história construída sobre os labirintos da tirania”.

Numa entrevista recente, Ana Cristina Silva referiu que “a infância tem muita influência na forma como somos capazes de nos relacionar uns com os outros e aquilo que acontecia nos orfanatos da Roménia necessariamente teve consequências na forma como vivem agora aquelas crianças” e que “há dois níveis de opressão no livro: daquilo que se passa na sociedade e em casa. Esses dois níveis interagem, até porque o marido da personagem é um daqueles funcionários de partido que querem subir a todo o custo. Aliás é isso que está na base do drama que aquela mulher enfrenta”.

Presidido por Guilherme d`Oliveira Martins, o Júri desta 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora foi ainda integrado por José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores, Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários, Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e por Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, pela Estoril Sol.

Professora e psicóloga, Ana Cristina Silva, é natural de Vila Franca de Xira, onde reside, leccionando sobre a psicologia da linguagem. Especializou-se na área da aprendizagem da leitura e escrita, desenvolvendo investigação no domínio das aquisições precoces da linguagem escrita, ortografia e produção textual.

Publicou o seu primeiro livro “Mariana, todas as cartas” em 2002 e já foi anteriormente finalista no Prémio Literário Fernando Namora com o seu romance “Cartas Vermelhas”, publicado em 2010, eleito livro do ano pelo jornal Expresso. Foi ainda finalista do Prémio SPA/RTP, em 2012, com o romance “Rei do Monte Brasil “ com o qual ganhou o Prémio Urbano Tavares Rodrigues.

No plano académico, tem obra científica dispersa por jornais e revistas especializadas, em Portugal e no estrangeiro.

O Prémio Literário Fernando Namora será entregue oportunamente em cerimónia a anunciar. 

Casino Lisboa recebe a banda Satisfaction


As noites de música ao vivo continuam a suscitar o interesse dos visitantes do Casino Lisboa. Os Satisfaction são a próxima banda em destaque no Arena Lounge. Trata-se de mais um dinâmico ciclo de actuações, a não perder, até 28 de Outubro. A entrada é livre.

O vocalista Duarte sublinha: “Interpretamos vários êxitos da música pop, rock e soul que marcaram diferentes épocas”. Com inovadores arranjos musicais os Satisfaction interpretam, assim, um alargado repertório que inclui diversas composições intemporais.

Satisfação foi o que encontraram os quatro músicos quando concretizaram a formação da banda. Com a sua guitarra, o vocalista Duarte partilha o palco com Luis Rosa no baixo, Nuno Pires nos teclados e João Mouzinho, bateria.

Ciclo de actuações dos Satisfaction
Quarta-Feira, 25 de Outubro: 22h00 às 22h50 e das 23h10 às 00h00
Quinta-Feira, 26 de Outubro: 20h30 às 21h20 e das 23h10 às 00h00
Sexta-Feira, 27 de Outubro: 20h30 às 21h20 e das 23h10 às 00h00
Sábado, 28 de Outubro: 20h30 às 21h20 e das 23h20 às 00h10

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Vodafone Mexefest


Num cartaz que conta com nomes como Cigarettes After Sex, Destroyer, Oddisee, Manel Cruz, entre tantos outros, há sempre espaço para surpreender. A cantora iraniana-holandesa Sevdaliza, a jovem britânica Mahalia e o fadista português Paulo Bragança também têm presença marcada no Vodafone Mexefest.

Com ecos de diferentes músicas e pronúncias, a voz de Sevdaliza só poderia ser deste tempo. Nasceu no Irão, mas a Holanda acabou por ser o destino dos pais, refugiados políticos, quando Sevdaliza tinha apenas 5 anos. É verdade que chegou a ser basquetebolista de alta competição, mas a música falou mais alto. Do desporto talvez tenha ficado a ética de trabalho. Sevda (é assim que todos a tratam) é obsessiva com a sua arte, controlando todos os processos da música que produz. O resultado é uma eletrónica capaz de emocionar, próxima do trip hop de bandas como os Portishead ou os Massive Attack, mas sem deixar de lado as influências de géneros como o grime ou o dubstep. Depois dos EPs “The Suspended” ou “Children of Silk”, ambos editados em 2015, o primeiro longa duração chegou em abril deste ano. “Ison” confirma Sevda como uma das vozes mais interessantes da atualidade. Ao vivo, não há expectativas frustradas: Sevdaliza continua a diluir as suas sombras na beleza da sua voz. Este é mais um talento para conhecer melhor em novembro, na Avenida da Liberdade, em Lisboa.

Mahalia Burkmar nasceu em Leicester, no ano de 1998. As primeiras canções chegaram bem cedo - a primeira delas, “My Angel”, foi escrita com apenas oito anos de idade. Quando completou 13 anos, a jovem cantora assinou o seu primeiro contrato, com a editora Asylum Records. Apesar deste percurso, Mahalia não teve pressa para gravar, privilegiando o conhecimento de si própria e do mundo. Colaborou com a banda eletrónica Rudimental e já acompanhou estrelas como Ed Sheeran ou Kendrick Lamar. A simplicidade das suas canções serve a suavidade e delicadeza da sua voz. Com a ajuda de produtores do calibre de Steve Fitzmaurice ou Nineteen85, Mahalia não dá passos em falso neste início de carreira. “Diary of Me” é o primeiro álbum, com uma irresistível atmosfera pop, mas também com vontade de explorar outras linguagens, mais próximas do hip hop (ouça-se, por exemplo, o single “Sober”). O futuro é todo de Mahalia. Primeira etapa: conquistar Lisboa e o público exigente do Vodafone Mexefest.

Paulo Bragança começou a sua carreira em 1986 e gravou o primeiro disco em 1992: “Notas sobre a Alma". David Byrne, líder dos Talking Heads, impulsionou-o para uma carreira internacional que viria a ser invejável. Apelidado pela imprensa internacional de “fadista punk”, Paulo Bragança foi uma das caras mais identificativas de um novo tempo da história do Fado. Depois do sucesso, viveu em absoluta e austera reclusão durante quatro anos. Pensar o pensamento era a rotina exaustiva diária desses tempos. E depois de seis anos sem qualquer contacto com Portugal, encontra-se agora no nosso país com Carlos Maria Trindade, seu editor e amigo de sempre, e já começaram a trabalhar juntos num novo álbum. No Vodafone Mexefest espera-se a alma e a irreverência daquele apelidado por alguns como o “Variações do Fado”...

Os passes únicos para o Festival encontram-se à venda na Blueticket e locais habituais, e agora também na App Vodafone Mexefest, com desconto para clientes Vodafone.

Sam Smith em Lisboa


Sam Smith acaba de anunciar as datas da ambiciosa digressão europeia de apresentação do segundo álbum de originais, “The Thrill Of It All”, que já tem data de lançamento agendada para o próximo dia 3 de Novembro. Esta, que será a maior tournée da sua carreira, contará com uma ronda de concertos pelo Reino Unido, com duas datas no O2 Arena, em Londres, passando pelas mais importantes salas europeias e terminando em Portugal, com um concerto dia 18 de Maio, na Altice Arena.
Sam Smith já apresentou uma pequena amostra do sucessor do aclamado “In The Lonely Hour”, durante uma série de concertos intimistas em Londres, Nova York, Los Angeles e Berlim, no passado mês de Setembro. O aguardado segundo registo de estúdio, “The Thrill Of It All”, irá ser lançado mundialmente no dia 3 de Novembro através da Capitol Records. 




Fadista André Vaz anuncia tour no Japão


Depois do disco de estreia que foi aclamado pela critica, André Vaz quer levar o seu "Fado" ainda mais longe e anuncia agora a sua primeira tour internacional. Sete salas em sete datas diferentes no Japão.  E muitas surpresas ainda por vir.

27 de Outubro - Matsuyama
29 de Outubro - Osaka
30 de Outubro - Osaka
2 de Novembro - Gumma
3 de Novembro - Tóquio
4 de Novembro - Tóquio
5 de Novembro - Tóquio 

André Vaz pode ser um nome desconhecido para a maioria das pessoas, mas o fado não é, de todo, desconhecido para André Vaz. Nascido e criado na cultura do fado, cedo começou a cantar de forma profissional. Vieram primeiro os concursos, depois os musicais e o cinema. Ainda criança gravou vários registos em nome próprio até descobrir, já em adulto, a sua verdadeira identidade como fadista, maturada nas melhores casas de fado da capital. E é numa viagem à génese dessa identidade que André nos leva agora em FADO. 

O trabalho começou com a recolha dos onze temas que compõem o disco. Muitas horas a ouvir as velhinhas gravações dos anos 60, 70 e 80. Em mente, um objectivo, os fados com que verdadeiramente se identificasse, mas que dessem espaço para o seu cunho pessoal. Era importante modernizar aquele som, torna-lo actual e seu, para isso eram necessários fados intemporais que não perdessem a sua essência qualquer que fosse a roupagem que lhes desse.

Temas de fadistas como Carlos Ramos, Manuel Fernandes, Maria da Fé, Francisco José, Manuel de Almeida, Fernando Maurício, entre outros, nunca antes regravados por nenhum artista que não o cantor original, foram os escolhidos. Fados que se distinguem pela sua poesia popular inalterada, injustamente caída em desuso nas gravações de fado mais actuais. 

Em FADO, André contou com a orientação de Diogo Clemente (Carminho, Raquel Tavares, Mariza) que assina a produção do disco, bem como as violas no mesmo. Mas a interpretação instrumental também não foi descurada e a guitarra portuguesa foi entregue a Ângelo Freire (Ana Moura) e Bernardo Couto (António Zambujo), e o baixo a Marino de Freitas (Carlos do Carmo), músicos sobejamente experientes na área do fado. 

O fado é, desde 2011, considerado "Património oral e imaterial da humanidade" pela Unesco. Este FADO promete tornar-se num documento de referência do fado actual e mostrar o muito que o nome André Vaz ainda vai dar que falar no fado. 

Casino Estoril recebe o "Road To Mr. Universe"


O Salão Preto e Prata do Casino Estoril recebe, no próximo dia 1 de Novembro, a partir das 09h30, a prestigiada a prova "Road to Mr. Universe". Trata-se do maior evento de culturismo realizado em Portugal com um total de 50 mil euros em prémios, o que constitui o maior Prize Money amador do mundo.

Organizada pela WABBA Portugal, o "Road to Mr. Universe" será um ensaio geral para o “Mr Universe”, de 2018, da WABBA International, cujo evento está, também, agendado para o Salão Preto e Prata do Casino Estoril.

Alguns dos melhores atletas de vários países competirão em 20 categorias distintas, incluindo uma divisão profissional da WABBA International. O evento encerra com chave de ouro o circuito de 100 mil euros da WABBA Portugal, o maior circuito amador nacional existente na modalidade.

Comunidade chinesa reforça apoio às vitimas do incêndio de Pedrógão Grande


No âmbito de uma expressiva campanha de solidariedade, iniciada no passado mês de Junho, em apoio às vítimas do incêndio de Pedrógão Grande, Choi Man Hin, Presidente da Associação de Comerciantes e Industriais Luso-Chinesa, acompanhado por outros representantes e em nome da comunidade Chinesa, recebeu o Presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, para lhe entregar, desta vez, um donativo de 31 mil euros. Recorde-se que, Choi Man Hin, entregou ao autarca, poucos dias após o incêndio, um donativo de 25 mil euros e, posteriormente, no início de Julho, outro donativo de 35 mil euros. Com os 31 mil euros, entregues, o valor global atingiu os 91 mil euros.

Choi Man Hin foi o mentor desta bem-sucedida iniciativa solidária, à qual se associaram, logo de seguida, numerosas entidades que contribuíram para aumentar o valor angariado para os 180 mil euros. De facto, o relevante gesto solidário da diáspora chinesa em Portugal contou, também, com os importantes apoios da Associação dos Comerciantes e Industriais Luso-Chineses; de grupos de investidores e de comércio situados nos mais diversos locais do Pais; da Igreja Evangélica Portuguesa, da União Budista Portuguesa, e centenas de investidores chineses detentores de Vistos Gold, alguns que vivem em Portugal e outros na China.

Em reunião realizada no Casino Estoril, Choi Man Hin manifestou o seu “profundo pesar” pela tragédia ocorrida, há quatro meses, desejando que toda a região de Pedrógão Grande recupere o mais rapidamente possível. “Para a Comunidade chinesa é uma honra ajudar as vítimas de Pedrógão Grande”.

Por sua vez, o autarca Valdemar Alves revelou-se muito sensibilizado por esta iniciativa solidária da Comunidade Chinesa. “Fico muito agradecido com este genuíno apoio que permite colmatar algumas necessidades imediatas”.

“Tenho grandes amigos na comunidade chinesa. Tenho uma relação especial, há muitos anos, com vários chineses, não só residentes em Macau, mas também com outros residentes em várias cidades vizinhas. Aliás, os portugueses sempre tiverem excelentes relações com o povo chinês. É reconhecidamente um povo muito trabalhador, humilde e que se integra facilmente na sociedade portuguesa”.

No intuito de recuperar a região, Valdemar Alves, lançou um apelo à comunidade chinesa para investir em Pedrógão Grande. “Dirijo este pedido quer à Associação de Comerciantes e Industriais Luso-Chinesa quer aos empresários em geral. Serão muito bem-vindos. A vossa experiência é muito importante para nós e uma mais-valia para nos ajudar a reconstruir Pedrógão Grande”, concluiu.

Recorde-se que, a comunidade chinesa revelou, desde a primeira hora, uma expressiva solidariedade, unindo esforços para angariar donativos que têm sido entregues, através dos canais oficiais, para ajudar os bombeiros, os familiares das vítimas e os desalojados pelo incêndio.

O incêndio de Pedrógão Grande foi um dos mais devastadores que ocorreu em Portugal, tendo provocado 64 vítimas mortais. Em mais de 50 mil hectares de área ardida, foram destruídas inúmeras empresas, deixando mais de 200 pessoas no desemprego.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Palmarés Cine'Eco 2017


O filme italiano ‘Coros do Anoitecer’, de Nika Saravanja e Alessandro D’Emilia, sobre as experiências do compositor eco-acústico David Monarch, na sua busca para registar uma paisagem sonora pura e contínua em 3D, no mundo distante e esquecido das florestas tropicais é o vencedor do CineEco 2017.

O CineEco 2017, é organizado como habitualmente pelo município de Seia sendo este ano reforçado pela valorização dos recursos naturais preconizada pelo Festival iNATURE Serra da Estrela e que estará bem patente as atividades paralelas do Festival, como nas comemorações que antecedem a semana do CineEco.

O CineEco é um dos mais antigos festivais de cinema de ambiente do mundo e integra a Green Film Network, uma plataforma de 40 festivais, da qual é igualmente membro fundador.

HP lança novas experiências de PC para Trabalhar, Viver e Colaborar


No HP Reinvent, a maior conferência mundial de parceiros, a HP  apresentou a sua visão de conceber soluções para melhorar a forma como as pessoas trabalham e vivem, com a introdução de novos portáteis profissionais premium e All-in-one, e de monitores e acessórios inovadores. Tal como muda o lugar e a forma como as pessoas trabalham, as novas soluções de colaboração e a Série HP Elite 1000 foram concebidas para permitir maior produtividade, inspiração e troca de ideias, para além das tradicionais quatro paredes do escritório.

O conceito de como e onde o trabalho acontece está a evoluir rapidamente, com 54% do trabalho a ser feito fora do escritório1. As horas de trabalho realizado em casa devem aumentar 150% em dois anos. Esta evolução é impulsionada por uma força de trabalho cada vez mais composta por millenials, com 88 por cento desse grupo a esperar a integração da tecnologia na sua vida e trabalho. Este mesmo grupo espera que a tecnologia melhore a sua produtividade e processos - mas certas áreas, como a colaboração, não estão à altura das expectativas, com 59% dos millennials insatisfeitos com as soluções atuais. E com esse acréscimo  no uso da tecnologia, aumentam as preocupações de segurança: os ataques mais do que duplicaram nos últimos seis anos . Com essas ideias em mente, a HP está empenhada em permitir que a próxima geração de colaboradores seja produtiva, colaborativa  e segura - não importa onde estejam ao longo do dia.

"À medida que as fronteiras tradicionais entre o trabalho e a vida pessoal desaparecem, a HP está focada no desenho de experiências que permitam aos utilizadores a transição perfeita entre os dois", afirma Benoit Bonnafy, vice-presidente, Business Personal Systems EMEA, HP Inc. "Com as novas soluções de colaboração e a mais recente série Elite 1000, os dispositivos são concebidos para apresentarem um design inovador e fino, o melhor desempenho da sua classe, segurança e capacidade de gestão líderes do setor, e experiências para uma melhor colaboração que se adapta ao estilo de trabalho e ao estilo de vida de cada utilizador ".

Reconhecendo que o trabalho ocorre cada vez mais fora do escritório tradicional, a série HP Elite 1000 é projetada para trabalhar e entreter, com um design fino e leve, um excelente desempenho, inclui os melhores ecrãs da indústria e foi projetada para passar no teste MIL-STD para os ambientes mas agressivos. A série Elite 1000 está otimizada para a colaboração e conectividade com: chaves de colaboração integradas, para gerir facilmente chamadas com o toque de um botão, certificações Skype para empresas, áudio da Bang & Olufsen, HP Audio Boost e cancelamento de ruído HP para otimizar o áudio e chamadas de vídeo. Além disso, a Série Elite 1000 virá com o HP PhoneWise, a única solução Windows® do mundo para texto e chamadas do PC em dispositivos iOS e Android™ para transições mais fáceis entre dispositivos. Como parte da família dos PCs mais seguros e geríveis da HP, estes dispositivos possuem o HP Sure View – o único ecrã de privacidade integrada do setor - juntamente com o HP Sure Start, o HP Sure Click, o Windows Hello e o HP Multi-Factor Authenticate com Autenticação Intel®.

Casino Estoril recebe Rouxinol Faduncho


A partir de hoje o Auditório do Casino Estoril estreia um ciclo de representações do espectáculo “Mais do Mesmo”. Com a sua habitual irreverência, o actor Marco Horácio interpreta o famoso personagem Rouxinol Faduncho. Todos os dias, até 31 de Outubro.

Criado e interpretado pelo actor e humorista Marco Horácio, Rouxinol Faduncho instalou-se no panorama musical e humorístico nacional ao longo destes 12 anos, como um personagem único, que ganhou vida própria e conquistou milhares de portugueses. 

Rodeado dos melhores músicos, Rouxinol Faduncho propõe uma sonoridade única em que o fado predomina mas onde o jazz a bossa nova e até o rock co-habitam em harmonia.

E como, "em equipa que ganha não se mexe", o novo espectáculo trás "Mais do Mesmo": mais cães de loiça, mais boa-disposição, mais das mesmas e melhores versões musicais, mais da mesma dedicação e parvoíce com a mesma equipa que fará tudo para continuar a divertir o mesmo e mais público português durante uma hora e tal de alegrias e sorrisos. 

“Mais do Mesmo” é um espectáculo musical único, em Portugal, mobilizando-se por uma causa que continua nobre e singular: Ajudar os Cães de Loiça.

Casino Lisboa inaugura ciclo de concertos Arena Live a 30 de Outubro


Com um cartaz de luxo, o Casino Lisboa inaugura, já no próximo dia 30 de Outubro, às 22h00, o ciclo de “Concertos “Arena Live 2017”. O ambiente de festa está garantido, até ao final do ano, por um notável elenco de intérpretes. Trata-se de uma série de 10 concertos agendada para o palco central do Arena Lounge, às Segundas-Feiras, e que culmina com mais uma aguardada noite de Réveillon. A entrada é livre.

“Porto Sentido”, “Não Há Estrelas no Céu”, “Sei de Uma Camponesa”, “O Prometido é Devido”, “Porto Covo” ou “Lado Lunar” são, apenas, algumas das composições incontornáveis do repertório de Rui Veloso que abre, a 30 de Outubro, o ciclo de “Concertos Arena Live 2017”.

Referência no panorama da música nacional, o artista portuense regressa, assim, ao Arena Lounge para apresentar, num formato intimista, alguns dos seus principais sucessos discográficos que marcam diferentes épocas da sua extensa carreira.

Em concerto inédito no Casino Lisboa, Gisela João actua, a 6 de Novembro, privilegiando as melhores composições do álbum “Nua”. O novo registo discográfico dá voz às palavras de alguns poetas da actualidade, visita temas clássicos e tradicionais e surpreende o público, mostrando que, vinda de onde vier, e vem de muitos sítios, a música que passa pela voz de Gisela João é fado. É esse o seu fado.

Considerada uma das vozes arrebatadoras do panorama do fado, Gisela João é já uma das mais importantes intérpretes da música portuguesa, tendo recebido inúmeros galardões, entre os quais se destacam, por exemplo, os Prémios Blitz, Time Out, Expresso e o Globo de Ouro para Melhor Intérprete Nacional.

Após ter esgotado, em 2016, o Arena Lounge, Carlão regressa, a 13 de Novembro, ao Casino Lisboa, privilegiando as melhores composições do álbum “Quarenta”. O artista identifica-se facilmente com o público e com ele estabelece uma ligação quase imediata, tornando-o seu cúmplice nas aventuras e desventuras que partilha dentro e fora das músicas nas suas actuações ao vivo.

Trazendo na bagagem o álbum “Quarenta” (que teve como primeiro single o estrondoso sucesso “Os Tais”), o EP “Na Batalha” e os singles de 2017 “Agulha No Palheiro” e “Viver Pra Sempre”, os primeiros avanços do álbum a ser editado ainda este ano, o ex-vocalista dos Da Weasel é acompanhado ao vivo por Dj Glue, Bruno Ribeiro (Voz),  Nuno Espírito Santo (Baixo) e Gil Pulido (Guitarra e Teclados).

Em noite de celebração da música portuguesa, os GNR actuam, a 20 de Novembro, no Casino Lisboa. Rui Reininho, Toli César Machado e Jorge Romão construíram um sólido percurso no meio artístico nacional, coleccionando numerosos êxitos que foram, consequentemente, distinguidos com prestigiantes prémios. 
Em 2016, os GNR comemoraram 35 anos de carreira numa digressão que culminou, já este ano, com um memorável concerto que esgotou o Salão Preto e Prata do Casino Estoril. A banda portuense apresenta-se, desta vez, no Casino Lisboa, prometendo uma hora e meia repleta de êxitos como, por exemplo, “Dunas”, “Bellevue”, “Efectivamente”, “Video Maria”, “Morte ao Sol”, “Sub-16”, “Sangue Oculto”, Ana Lee”, “Pronúncia do Norte”, “Popless” ou “Mais Vale Nunca”.

Slow J estreia-se, a 27 de Novembro, no ciclo de “Concertos Arena Live” do Casino Lisboa. O artista é um caso sério da nova música feita em Portugal e o seu álbum “The Art of Slowing Down” confirma-o. É um disco que se ouve da primeira à última faixa, porque o som e as palavras conquistam a atenção das pessoas.

Slow J apresenta um novo espectáculo, baseado nos temas deste disco, mas nunca esquece a sua origem, recordando também verdadeiros hinos, como “Cristalina”. É uma experiência “live” sem precedentes cujo lema é “casa em todo o lado, pode entrar quem quer”. Em palco, com Fred na percussão e Francis Dale nas teclas e guitarra, as palavras das suas canções ganham uma dimensão ainda maior que, junto com a luz e o vídeo (conteúdo a cargo de Made in Lx), criam uma energia contagiante.

Para a noite de 4 de Dezembro, o Casino Lisboa propõe Branko e Convidados. Tendo como ponto central toda a sua obra enquanto produtor (seja em nome próprio ou em colaborações em discos de outros), João Barbosa (aka Branko) propõe um roteiro especial com foco em pontos como a global club music, bem como visões mais afro ou tropicais de uma música electrónica cada vez mais presente no quotidiano. 

Os Convidados são parte essencial desta noite, dado que são cunho e alavanca da reafirmação duma linguagem musical, que não conhece fronteiras e de que Branko tem sido porta-estandarte.

Em noite de “Concerto Arena Live”, David Carreira estreia-se, a 11 de Dezembro, no Casino Lisboa. O mediático intérprete sobe ao palco para apresentar “3 World Tour”, assegurando uma actuação muito interactiva com o público. 

Com uma agenda muito preenchida, David Carreira protagoniza, ao vivo, um concerto renovado que tem merecido os aplausos do público, tanto em Portugal como no estrangeiro. “3 World Tour”, alargou o conceito de “3 Tour”, (digressão de 2016), inserindo alguns temas originais, nomeadamente o grande sucesso francês “Domino”, a par com os inúmeros êxitos da sua carreira e com o novo single “Ficamos Por Aqui”, editado no passado mês de Junho.

Noutra aguardada estreia, Agir apresenta-se, a 18 de Dezembro, no Casino Lisboa para interpretar os seus principais êxitos discográficos, bem como alguns temas inéditos que integram o seu próximo álbum, cujo lançamento está previsto para 2018.

Com um percurso consolidado por várias experiências no panorama musical, Agir editou, em 2015, “Leva-me a Sério”. O álbum integra 19 canções, escritas e produzidas pelo próprio, que demonstram o imenso talento de um dos principais cantores da nova música portuguesa de expressão urbana.

Num concerto especial, os Gospel Collective actuam em plena noite do Dia de Natal no Casino Lisboa. Dirigido pela cantora e maestrina Anastácia Carvalho o grupo é formado por  cantores profissionais de diversas áreas musicais e nacionalidades lusófonas, que encontram neste conjunto um lugar de comunhão única e singular, apresentando um repertório que visita não só os tradicionais espirituais negros, como o new-urban gospel ou afrogospel.

É com este coração de espalhar a Palavra de modo cantado que o Gospel Collective tem feito inúmeros concertos em nome próprio e se encontra já em estúdio a preparar o seu 1º álbum, apresentando repertório novo e em parte original. Reunidos desde 2010, os quase 30 membros do Gospel Collective são herdeiros de um percurso no circuito da música gospel em Portugal que começou em 1999 com o grupo D'Vine, passou pelo grupo 100 Vozes Gospel e mais tarde pelo Faith Gospel Choir.

Em plena noite de Réveillon, Ana Moura encerra o ciclo de “Concertos Arena Live 2017”. A artista sobe ao palco para interpretar as melhores composições do mais recente álbum intitulado “Moura”, bem como outros sucessos do seu percurso musical. 

Depois de “Desfado” se ter tornado o álbum mais vendido de um artista português nos últimos dez anos, Ana Moura lançou “Moura”, disco que deu continuidade à sua parceria com o reputado produtor norte-americano Larry Klein. Em palco, Ana Moura continua a contar com o mesmo excelente naipe de músicos que a tem acompanhado nos últimos anos: Ângelo Freire na guitarra portuguesa, Pedro Soares na viola de fado, André Moreira no baixo, João Gomes no teclado, e Mário Costa na bateria e percussão. 

Ciclo de “Concertos Arena Live 2017”
- 30 de Outubro: Rui Veloso
- 06 de Novembro: Gisela João
- 13 de Novembro: Carlão
- 20 de Novembro: GNR
- 27 de Novembro: Slow J
- 04 de Dezembro: Branko e Convidados
- 11 de Dezembro: David Carreira
- 18 de Dezembro: Agir
- 25 de Dezembro: Gospel Collective (Dia de Natal)
- 31 de Dezembro: Ana Moura (Réveillon)

O Arena Lounge do Casino Lisboa acolhe, a partir do dia 30 de Outubro, o ciclo de “Concertos Arena Live 2017”. O programa decorre às Segundas-Feiras, pelas 22h00, excepto na noite de Reveillon. A entrada é livre.