terça-feira, 30 de abril de 2019

Noite de rock no Casino Estoril com Russ Balarde e Brian Spence


Com créditos firmados a nível mundial, Russ Ballard e Brian Spence actuam, no próximo dia 25 de Maio, pelas 22 horas, no Casino Estoril. Russ Ballard sobe ao palco do Salão Preto e Prata para recordar grandes êxitos que conquistaram fãs em todo o mundo. Trata-se de um concerto imperdível que terá, ainda, como convidado especial Brian Spence, outra lenda viva do rock que promete recuperar temas que se tornaram intemporais. 

Russ Ballard é um dos mais conceituados compositores do Mundo, escreveu músicas para diversos artistas, entre os quais se destacam Roger Daltrey (The Who), Santana, Kiss, Hot Chocolate, Frida (ABBA), America, Elkie Brooks entre outros. As músicas de Russ Ballard contribuíram para mais de 50 milhões de discos vendidos!

Este regresso exclusivo de Russ Ballard será uma oportunidade única para todos os fãs do rock, estando garantida uma noite memorável e irrepetível com Russ Ballard a garantir o desfile dos seus hits mais conhecidos dos fãs portugueses dos seus álbuns "Russ Ballard" e "The Fire Still Burns". Músicas como "Voices" e "In The Night" (que fizeram parte da banda sonora da famosa serie de televisão "Miami Vice"), "I Can't Hear You No More", "Two Silhouettes", "Dream On", "Woman Like You" e "The Fire Still Burns" também estão garantidas nesta grande noite.

Brian Spence é o convidado especial deste concerto. "Hear It From the Heart" e "Will Never Be My Friend" são dois dos grandes clássicos rock deste cantor que deixou a sua marca nos anos 80. O seu álbum "Brothers" bateu recordes em Portugal tendo sido considerado um dos mais raros entre os colecionadores.

Brian Spence vai tocar temas dos álbuns "Brothers" e "Reputation" que seduziram os fãs portugueses. Reconhecido guitarrista, continua a ser solicitado para as melhores coletâneas de rock. O Salão Preto e Prata do Casino do Estoril será palco de um grandioso e eletrizante espectáculo onde irão desfilar os melhores clássicos do rock que seduziram os fãs portugueses. 

Besushi lança menu veggie



Desde a sua abertura em Junho de 2015, o besushi sempre disponibilizou opções adequadas a vegans e vegetarianos. Além de miso, salada de algas wakame, gyosas, hosomakis, temakis ou pokes, era também possível pedir um menú de degustação, à escolha do chef, por 25€, completamente vegetariano.

"Acreditamos que disponibilizando o BeVeggie na nossa carta, deixamos bem claro a futuros clientes - que ainda não nos conhecem - que sabemos como preparar uma refeição vegan de excelência, tão deliciosa como nutritiva. A melhor parte é a sazonalidade deste menu, que o torna igualmente apetecível para não vegetarianos. Todos os dias muda consoante o que há de mais fresco no mercado. Assim, não há como falhar!” garante Francisco Martins, um dos sócios e Chef no besushi.

Um menu que muda todos os dias

O besushi sempre teve uma atitude pedagógica na maneira como encaminha os clientes para os produtos da época, da costa portuguesa e da dieta mediterrânea, fundidos com a essência do nosso negócio: o sushi e a cozinha asiática.

Por isso, ao desenhar um menu vegetariano, "não queríamos nada muito definido em termos de ingredientes. Nem tudo está bom o ano todo já que muitos dos ingredientes que utilizamos são sazonais", explica o Chef Sebastião Coutinho. 

Combinado (16 ou 32 peças)
10 uramakis, 4 hosomakis e 2 peças de chef (ingredientes variam consoante a sazonalidade)
16 peças- 13,5 euros e meio
24 peças- 24 euros 

Telefone
+351 215 885 051

Horário para encomendar
Terça a Quinta 11:00h - 14:00h / 18:00h - 22:00h 
Sex e Sáb 11:00h - 14:00h / 18:00h - 22:30h 
Domingo 18:00h às 22:00h

Horário restaurante
Terça a Quinta 12:00h - 15:00h / 19:00h - 22:30h 
Sex e Sáb 12:00h - 15:00h / 19:00h - 23:00h 
Domingo 19:00h às 22:30h

Morada Carcavelos
(Restaurante, Home Delivery & Take Away)
Rua de Braga 57A, 2775-727 Carcavelos


Amantes de Buenos Aires



Amantes de Buenos Aires é o novo romance histórico do autor de sucessos como A Escrava de Córdova e O Segredo de Compostela.  

No dia 2 de Maio, a Porto Editora publica Amantes de Buenos Aires, de Alberto S. Santos, livro que marca o regresso de um dos autores portugueses de romances históricos de maior sucesso da actualidade. 

Em 1901, uma história chocava o nosso país vizinho, com a indignação espelhada em primeiras páginas de jornais, revolta popular e perseguição por parte das autoridades. Elisa e Marcela, duas mulheres naturais da pequena vila de Dumbria, na Galiza, tinham enganado a Igreja Católica e obtido o sacramento do casamento. No altar estavam Marcela e Mário, na verdade, Elisa – de cabelo curto, trajes masculinos, história forjada. E é assim que, em 1901, é consagrado o primeiro casamento homossexual na história da Igreja Católica. A felicidade deste momento não haveria de durar muito, com a descoberta e as repercussões sociais do "casamento sem homem". 

Procuradas pela justiça espanhola e em fuga das autoridades, Elisa e Marcela atravessaram a fronteira, em busca de asilo. Encontraram-no na cidade do Porto, tendo sido defendidas tanto pela população como pelas autoridades. Ainda assim, acabaram por ser presas, julgadas e absolvidas. Em 1902, há outro elemento que as coloca, ainda mais, debaixo do escrutínio do povo: "o casal sem homem" acabara de ter uma filha. 

É desta história real que nasce Amantes de Buenos Aires. Numa trama envolvente, Alberto S. Santos cria uma saga familiar que cruza várias gerações e acompanha este amor clandestino de 1901 até aos dias de hoje. 

Ciclo "Reencontros" traz o esplendor veneziano até Sintra


A quinta edição do ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra”, com direção artística de Massimo Mazzeo, tem início no dia 4 de Maio, às 21h30, com um concerto dedicado à música veneziana do séc. XVI. Em estreia neste ciclo, o Ensemble La Fenice, com direção do cornetista Jean Tubéry, propõe-se recriar a cerimónia de coroação dos doges e transmitir o ambiente festivo que esse importante ritual cívico e ato público imprimia à cidade lagunar.

O programa “Giovanni e Andrea Gabrieli – Música Veneziana do séc. XVI”, preenchido com obras de Giovanni (1557?-1612) e Andrea Gabrieli (1532/33-1585), foi especialmente concebido para a Sala dos Cisnes do Palácio Nacional de Sintra, o que implicou uma disposição da plateia diferente da habitual, permitindo que o público vivencie ainda mais de perto o espetáculo.

Na primeira parte deste concerto, evoca-se a cerimónia que tinha lugar na Basílica de São Marcos, com música sacra de caráter cerimonial. Depois da cerimónia, tinha lugar um cortejo pela Praça de São Marcos, após o que o ritual passava para o Palácio Ducal, primeiro ao ar livre, no pátio interior, onde acontecia a coroação propriamente dita – ato também ele público –, e depois na Sala do Senado, em cerimónia de cariz mais privado. É esta etapa da cerimónia que será recuperada na segunda parte do concerto, com música própria de ambientes cortesãos, vocal ou de dança.

O ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. Os “Reencontros” dão continuidade à 5.ª Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que iniciou em março com os “Serões Musicais no Palácio da Pena”, e termina com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, em Outubro e Novembro.

World Food Fest vai encher o Jardim Botânico em Lisboa


O Jardim Botânico do Príncipe Real, em Lisboa, é o palco da segunda edição do festival World Food Fest, que acontece no dia 5 de Maio, das 10h00 às 19h00, com entrada gratuita. Além da gastronomia, haverá também música e workshops para toda a família.

Patrocinado pela Teleperformance, este festival tem como objetivo celebrar a diversidade de experiências e a multiculturalidade que é parte integral da empresa, juntando 11 projetos de street food oriundos de países como Itália, México, Portugal, Tailândia, Argentina e Bélgica.

La Boca, Madame Graufre, Piadina's, Santini, Fiesta Mexicana, Tasca Itinerante, Veggie Food Truck, Taste a story, Frua, Bolas da Praia e Dee Thai Food são as propostas gastronómicas que prometem trazer o melhor da comida e das tradições mundiais para o coração de Lisboa, numa mistura perfeita entre culturas.

A programação inclui workshops abertos a todas as idades, nomeadamente: “Cozinha ao vivo” para fazer perguntas e provar os melhores pratos marroquinos, às 11h30; “Máscaras de Madeira” para construir e brincar, às 15h30; e às 17h00, realiza-se os “Carimbos japoneses”, onde se faz e depois leva-se para casa como recordação de um dia bem passado.

Haverá ainda espaço para a música e dança com os melhores ritmos funk com a Atuação Farra Fanfarra, às 12h30 e às 17h45. O evento conta ainda com uma mostra das Danças Tradicionais Brasileiras acompanhadas por um DJ set ao vivo e bailarinos profissionais, às 14h, e a fechar o dia estará o DJ D'johnz que promete surpreender tudo e todos com os melhores ritmos africanos e latinos, às 18h15.

Casino Lisboa homenageia Timor-Leste



O Casino Lisboa acolhe esta noite a 8ª sessão do ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino”, dedicado, desta vez, a Timor-Leste.

Agendada para o restaurante Beltejo, no 3º piso, esta iniciativa de índole cultural evoca os poetas dos países de língua portuguesa. A entrada é livre.

A 8ª sessão do ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino” presta homenagem a Timor-Leste e, em especial, ao poeta Francisco Borja da Costa. Com a coordenação de José de Figueiredo Costa, o programa inclui apontamentos musicais em flauta transversal de João Sabbo, pintura ao vivo do Mestre Carlos Santos Marques e de uma reportagem fotográfica de José Boldt.

Estará, ainda, em destaque o Quarteto Vozes e Percursão: Filipa Godinho, Natália Sarmento, Andreia Lobato e Nico Lobato.

O programa é o seguinte:
- Abertura: José Figueiredo Costa 
- Momento musical: João Sabbo
- Mesa redonda: com moderação de José Figueiredo Costa. Estará presente Luís Costa (linguista) e Maria Lourdes de Sousa (encarregada de negócios a.i.)
- Um Minuto de Silêncio: Francisco Borja da Costa por José de Figueiredo Costa.
Acompanha João Sabbo.
- Primeira Parte de Poesia: Zé Camarada - O Rasto da Tua Passagem; Elsa Noronha -
Rota - Infância - Fernando Sylvam; Associação Portuguesa de Poetas; O Grito do
Soldado Maubere - Três Diseurs.
- Actuação do quarteto – Kole, Lele, Mae
- Actuação do grupo Thaysarogerju

O ciclo “Tertúlias Poéticas do Casino” resulta de uma parceria do Casino Lisboa com a Associação de Moradores e Empresários do Parque da Nações - AMCPN, a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa – UCCLA e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP.

O ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino” distingue-se por criar um espaço de convívio na Freguesia do Parque das Nações, onde a cultura partilhada se revela como o seu pilar central. A cultura está, habitualmente, em evidência através da Poesia, da Música, da Fotografia e da Pintura.

Esta iniciativa de índole cultural convida o público a ler os poemas e a partilhá-los num ambiente intimista do restaurante Beltejo do Casino Lisboa. É uma oportunidade do público conhecer autores, poetas, músicos, pintores e fotógrafos.

O acesso ao Casino Lisboa é livre, sendo que a partir das 22 horas, é para maiores de 14 anos, e maiores de 10 anos acompanhados pelos pais. Nas áreas de Jogo é para maiores de 18 anos.

Estreia de Pedro Segundo em concerto no CCB com Segundo Stanley Hammond Organ Duo


O baterista e percussionista português mais conhecido mundialmente, Pedro Segundo, estreia-se pela primeira vez a solo no próximo dia 4 de Maio, no Centro Cultural de Belém.

O Segundo Stanley Hammond Organ Duo nasceu em 2015 como resultado de uma noite imprevista no bar Kansas Smittys, em Hackney, Londres. O concerto lotado confirmou a importância de continuar este raro formato que pretende explorar ao máximo as possibilidades entre o órgão hammond e a bateria, repetindo a tradição jazz e introduzindo elementos contemporâneos.

Pedro Segundo e Ross Stanley conheceram-se através do trombonista Dennis Rollins e juntos percorreram milhares de quilómetros pelo Reino Unido e outros países europeus.

Pedro Segundo é  baterista, percussionista e timpaneiro e já tocou com Dennis Rollins, Kansas Smitty’s House Band, Judith Owen e Academy of Saint Martin in the Fields com Murray Perahia, Joshua Bell e, mais recentemente, com o lendário  Sir Neville Marriner.  Em 2015, estreou o seu projeto Solo Segundo, integrado na programação do London Jazz Festival. Ross Stanley, pianista e organista jazz, colaborou com Eddie Gomez, Pino Palladino, Seamus Blake, Will Vinson e participou em digressões com Maceo Parker, Tom Jones, Jamie Cullum, ZIgaboo Modeliste, Steve Ferrone, Hamish Stuart e Steve Howe.

Pedro Segundo nasceu em Lisboa em 1988 e começou a tocar bateria aos oito anos de idade. Estudou no Conservatório de Lisboa e teve professores como os timpaneiros clássicos e percussionistas Carlos Voss e Carlos Girão. A paixão e dedicação de Pedro para a performance da música jazz desenvolveu-se quando visitou Barcelona na prestigiada Escola de Verão Taller de Music, conhecida por nomes como Pablo Posa, Vicens Soler e Riqui Sabates. Decidiu ir estudar para a Escola de Música e Teatro de Guildhall: ensaiava durante o dia e aprendia com os melhores no mitíco clube Ronnie Scott’s todas as noites.
Foi escolhido pelo Ronnie’s em 2010 para ser o baterista da casa com Ronnie Scotts All stars, seguindo os passos do falecido e lendário Chris Dagley.

Mais recentemente atuou com a cantora e pianista de jazz Judith Owen em Portugal, em dois concertos esgotados em Lisboa e Cascais.



Guilherme Geirinhas em “Modo de Voo” no Casino Estoril


Com uma programação diversificada, o Auditório do Casino Estoril acolhe, no próximo dia 15 de Maio, a partir das 22 horas, “Modo de Voo”. Guilherme Geirinhas é o protagonista desta stand-up comedy que promete um serão repleto de gargalhadas e de bom humor.

Pela primeira vez no Auditório do Casino Estoril, Guilherme Geirinhas larga as redes sociais e entra em modo voo para apresentar o seu primeiro espectáculo de stand-up comedy a solo.

“Quem o acompanha online, terá aqui a chance de o ver ao vivo, sem filtros e com máxima resolução de megapíxeis, mas chega de me promover na terceira pessoa como se não tivesse sido eu a escrever isto. Venham daí, não me cortem as asas”.

segunda-feira, 29 de abril de 2019

CascaiShopping vai ser o centro do Ténis


O CascaiShopping vestiu-se a rigor para receber o Ténis. Até 5 de Maio, todos os dias, vai ser transmitido um jogo no míni-court que foi instalado na praça central do CascaiShopping. No dia 4 de Maio, o centro vai receber dois tenistas nacionais que vão jogar uma pequena partida de ténis seguida de uma sessão de autógrafos. 

Paralelamente, o CascaiShopping recolheu materiais usados associados ao ténis e convidou o artista Pedro Versteeg para os reaproveitar numa obra de arte. O CascaiShopping reforça o seu compromisso de apoiar as iniciativas locais, com 9 dias inteiramente dedicados ao Millennium Estoril Open.


3GODS estreia a 9 de Maio no Teatro da Trindade



Há muitos anos quando os homens ainda acreditavam em mitos e a paz estava à mercê de um sacrifício, gregos, romanos e egípcios organizaram o mundo em função dos seus deuses.
Existiam unicórnios, esfinges, minotauros, sereias, dragões, quimeras... e heróis. Até ao dia em que os homens deixaram de acreditar. Os deuses começaram a desaparecer, mas Três deles adivinhando o seu fim, esconderam-se no mais remoto canto da terra: um pequeno apartamento em Odivelas, por cima do café Ulisses.

3GODS é uma criação de Rui Neto, com texto original também de sua autoria. Pretende ser uma reflexão sobre o Efémero, partindo do conceito de finitude e de novos princípios. Esta reflexão encontra âncoras dramatúrgicas na própria origem do Teatro, ligando-se a mitos e à mitologia, e trazendo para cena o conflito de três divindades como personagens centrais.

Com uma escrita mordaz, 3GODS define-se como uma metáfora para os dias de hoje, onde os deuses se tornam refugiados e Portugal parece ser ainda um dos poucos destinos seguros numa Europa em crise, pronta a colapsar. Centra a sua acção nas relações familiares de três divindades, refugiadas em Portugal, tentando sobreviver como uma família de classe média.

Para além da dificuldade de adaptação à nova realidade, sofrem a mesma crise de valores que o mundo à sua volta, vivendo mergulhadas em conflitos, frustrações e mentiras.
3GODS torna-se uma espiral de conflitos e enganos, assente nas linhas de força e tensão entre as personagens. É um espetáculo teatral com uma forte composição sonora na sua textura. A escrita cénica é desenhada, contemplando dois níveis: aquilo que as personagens dizem e aquilo que as personagens pensam. Os espectadores são os únicos com acesso a ambos, como se lhes fosse também concedido o poder divino de escutar para lá do que é dito.

O Herói das Mulheres



Adolfo Bioy Casares (1914–1999) é um dos escritores argentinos mais influentes do século XX. Foi amigo de Jorge Luis Borges, que o considerava «inventor de enredos perfeitos», com quem escreveu várias obras em colaboração. A sua obra, de incontestável importância literária e reconhecimento mundial, está traduzida em mais de vinte idiomas.

A história: Um jornalista perseguido por um regime opressivo, um estudante que foge dos exames por um túnel impossível, um jovem aldeão ansioso por conhecer a cidade ou um empregado de sanatório que descobre que a dor dos pacientes pode ser usada para produzir eletricidade: com a sua escrita elegante e hipnótica, Adolfo Bioy Casares apresenta nestas histórias uma galeria de personagens únicas que parecem partilhar um estranho destino, na fronteira entre o sonho e a realidade.

Mais sobre O Herói das Mulheres, sobre Adolfo Bioy Casares, e primeiros capítulos para leitura em: www.cavalodeferro.pt/livros/o-heroi-das-mulheres_novo

Sinónimos de Nadav Lapid


Yoav, um jovem israelita, vai para Paris, com a ajuda de um simples dicionário hebraico-francês, na esperança de que França e os franceses o salvem da loucura do seu país.
Em Paris, as coisas não começam muito bem para Yoav, mas ele está determinado a livrar-se da sua nacionalidade o mais rápido possível. Para ele, ser israelita é como um tumor que precisa de ser removido cirurgicamente. Um puzzle trágico-cómico que esconde de forma astuta os seus segredos.

Um filme inspirado na vida do seu realizador, Nadav Lapid que tem estreia marcada para o próximo dia 16 de Maio.




Casino Estoril recebe Teresa Salgueiro


Em noite dedicada à música portuguesa, Teresa Salgueiro protagoniza, no próximo dia 17 de Maio, às 21h30, um concerto inédito no Casino Estoril. A intérprete sobe ao palco do Salão Preto e Prata para apresentar “O Horizonte e a Memória”.

“O Horizonte e a Memória” irá decorrer num cenário envolvente e íntimo onde Teresa Salgueiro apresentará um breviário de canções representativas da melhor tradição musical portuguesa.

Tendo como fio condutor o seu próprio repertório desde "O Mistério" ao recém editado "O Horizonte", a autora interpreta também os mais conhecidos temas dos Madredeus, prestando ainda homenagem a Amália Rodrigues, José Afonso, Carlos Paredes, entre outros.

Irá transportar-nos assim a um universo que nos é próximo e simultaneamente surpreendente.

A voz que há três décadas canta Portugal e encanta o mundo, eleva-nos com o seu estilo único e inconfundível, através da poesia e da música, num Espectáculo que é uma reflexão sobre o que é ser humano e onde habilmente se entrelaça o presente, o passado e o futuro.

Teresa Salgueiro refere que “o conceito” que suporta este Espectáculo cristaliza-se na relação estreita e indivisível entre o Horizonte e a Memória que nos impele e simultaneamente nos ampara.

Teresa Salgueiro será acompanhada por Rui Lobato, na bateria, percursão e guitarra; Óscar Torres, no contrabaixo; José Peixoto, na guitarra; e Fábio Palma, no acordeão. 

Este Espectáculo já foi apresentado em Portugal, Espanha (Gijon, Trujillo, Málaga, Tui, Pontevedra), Itália (Agrigento, Pula, Maniago, Roma, Madona di Campiglio, Sorrento), Alemanha, Macedónia, Rússia, Turquia, Brasil (Paraty, Rio de Janeiro e São Paulo), México e Taiwan.

4ª Edição do Jazzy Dance Camp



O maior camp de danças urbanas do país – Jazzy Dance Camp - regressa em Maio para a sua 4ª edição. Organizado pela Jazzy Dance Studios, este evento trás a Portugal alguns dos nomes nacionais e internacionais mais conceituados na área das danças urbanas para três dias de workshops, aulas, música, competições e entretenimento. Mais de 1100 pessoas participaram nas edições anteriores do Jazzy Dance Camp que, este ano, conta com a presença de Blaya, Fábio “Kraize”, Serge Lopes, Salah (França), King Charles (USA), entre outros.

Adriana Silva é um dos rostos do evento que fará a divulgação do Jazzy Dance Camp na sua conta de Instagram -  https://www.instagram.com/adri.silvaaa/ - incluída no top 10 dos canais mais seguidos em Portugal, na categoria de moda, beleza e lifestyle. Adriana é licenciada em Comunicação Empresarial e aluna da Jazzy Dance Studios desde o início deste ano. Contando com mais de 165 mil
seguidores no Instagram, a influenciadora vai desvendar em primeira mão algumas das novidades sobre o evento e sorteará alguns bilhetes na sua página.  Depois de ter dançado ballet e dança contemporânea durante 18 anos, Adriana Silva é agora praticante de dancehall na Jazzy, integrando a turma de Carina Russo, uma das professoras mais conceituadas nesta modalidade e que estará presente no Jazzy Dance Camp.

“Voltamos a apostar este ano no Jazzy Dance Camp porque reconhecemos um interesse crescente pela área das danças urbanas em Portugal. A Jazzy Dance Studios, enquanto a maior escola de dança do país, tem a obrigação de contribuir para a melhor formação nesta área e este evento é uma ótima forma de juntar as melhores referências nacionais e internacionais das danças urbanas e os nossos
alunos, outros praticantes e amantes de dança. Porque é organizado ao fim-de-semana, acreditamos que é também uma boa forma de pessoas de outros pontosdo país terem acesso à qualidade dos eventos Jazzy”, destaca Álvaro Lopes, Diretor da escola Jazzy Dance Studios.

O Jazzy Dance Camp é organizado nos dias 24, 25 e 26 de Maio no Inatel Hotel na Costa da Caparica, com um programa completo para os praticantes e amantes de danças urbanas. Kuduro, Dancehall, Hip Hop, House, Afro House e todos os ritmos urbanos estarão em destaque neste evento de três dias. Entre competições, battles e master classes com alguns dos mais conceituados bailarinos nacionais e internacionais, haverá ainda tempo para animação com música e festas na piscina e
nas praias da Costa da Caparica.

Os bilhetes já estão à venda com várias opções: full pass com diferentes tipos de alojamento para duas noites a partir de 149€, que garante acesso a 12 aulas, todas as refeições, festas e piscina ou passes diários a partir de 40€. Todas as opções de bilhetes e todas as informações sobre o evento estão disponíveis em

Estoril Sol lança 22ª edição do Prémio Literário Fernando Namora


Ao relançar, este ano, o Prémio Literário Fernando Namora, no valor de 15 mil euros, a Estoril Sol reforça a sua aposta na Cultura e procura, com esta iniciativa, dinamizar as Letras portuguesas. Trata-se da 22ª edição deste prestigiado galardão, cujo prazo de candidaturas se prolonga até 31 de Maio. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

Com um espaço único no panorama das Letras portuguesas, o Prémio Literário Fernando Namora destina-se a galardoar uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2018, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores. 

O Prémio Literário Fernando Namora, de periodicidade anual, o consolida uma tradição prestigiada nos meios literários. Recorde-se que foi Carlos Vale Ferraz, com o seu romance “A Última Viúva de África”, o vencedor no ano passado.

Em acta, o Júri evidenciou que na obra “ A Última Viúva de África” a memória “da experiência colonial pode ser aterradora - Congo Belga e Angola constituem neste romance o eixo geopolítico de acções de guerra e desvarios humanos no qual uma mulher (Madame X) emerge, simultaneamente, como figura de ligação da estória do romance e da História dos anos sessenta no início da guerra nacionalista”.

É de registar que o Prémio Literário Fernando Namora, atribuído regularmente desde 1988, teve um Júri presidido, durante vários anos, por Agustina Bessa-Luís, que dá agora o seu nome ao Prémio Literário Revelação, também instituído pela Estoril-Sol.

O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

Note-se, ainda, que, termina a 31 de Maio o prazo de recepção dos romances publicados para a 22ª edição do Prémio Literário Fernando Namora e das obras originais para a 12ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís.

Casino Lisboa presta homenagem a Timor-Leste


Amanhã pelas 21h30 o Casino Lisboa acolhe a 8ª sessão do ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino”, dedicado, desta vez, a Timor-Leste. Agendada para o restaurante Beltejo, no 3º piso, esta iniciativa de índole cultural evoca os poetas dos países de língua portuguesa. A entrada é livre.

A 8ª sessão do ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino” presta homenagem a Timor-Leste e, em especial, ao poeta Francisco Borja da Costa. Com a coordenação de José de Figueiredo Costa, o programa inclui apontamentos musicais em flauta transversal de João Sabbo, pintura ao vivo do Mestre Carlos Santos Marques e de uma reportagem fotográfica de José Boldt.

Estará, ainda, em destaque o Quarteto Vozes e Percursão: Filipa Godinho, Natália Sarmento, Andreia Lobato e Nico Lobato.

O programa é o seguinte:  
- Abertura: José Figueiredo Costa 
- Momento musical: João Sabbo
- Mesa redonda: com moderação de José Figueiredo Costa. Estará presente Luís Costa (linguista) e Maria Lourdes de Sousa (encarregada de negócios a.i.)
- Um Minuto de Silêncio: Francisco Borja da Costa por José de Figueiredo Costa. Acompanha João Sabbo. 
- Primeira Parte de Poesia: Zé Camarada - O Rasto da Tua Passagem; Elsa Noronha - Rota - Infância - Fernando Sylvam; Associação Portuguesa de Poetas; O Grito do Soldado Maubere - Três Diseurs.
- Actuação do quarteto – Kole, Lele, Mae
- Actuação do grupo Thaysarogerju

O ciclo “Tertúlias Poéticas do Casino” resulta de uma parceria do Casino Lisboa com a Associação de Moradores e Empresários do Parque da Nações - AMCPN, a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa – UCCLA e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP.

O ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino” distingue-se por criar um espaço de convívio na Freguesia do Parque das Nações, onde a cultura partilhada se revela como o seu pilar central. A cultura está, habitualmente, em evidência através da Poesia, da Música, da Fotografia e da Pintura.

Esta iniciativa de índole cultural convida o público a ler os poemas e a partilhá-los num ambiente intimista do restaurante Beltejo do Casino Lisboa. É uma oportunidade do público conhecer autores, poetas, músicos, pintores e fotógrafos.

sexta-feira, 26 de abril de 2019

3 GODS no Teatro da Trindade INATEL


No dia 9 de Maio, às 21h30, estreia na Sala Estúdio do Teatro da Trindade INATEL, em coprodução com a LoboMau Produções, 3 GODS, uma criação de Rui Neto, com interpretação de Luís Gaspar, Rodrigo Tomás e São José Correia.

Com uma escrita mordaz, 3 GODS define-se como uma metáfora para os dias de hoje, onde os deuses se tornam refugiados e Portugal parece ser ainda um dos poucos destinos seguros numa Europa em crise, pronta a colapsar.
Centra a sua ação nas relações familiares de três divindades, refugiadas em Portugal, tentando sobreviver como uma família de classe média. Para além da dificuldade de adaptação à nova realidade, sofrem a mesma crise de valores que o mundo à sua volta, vivendo mergulhadas em conflitos, frustrações e mentiras.

Galveias ganha prémio tradução



Traduzido do português por Maho Okazaki Kinoshita, o romance Galveias, de José Luís Peixoto, foi anunciado como vencedor do maior prémio de tradução do Japão (The Best Translation Award), depois de ter sido nomeado como um dos cinco finalistas, ao lado de The Stolen Bicycle (Wu Ming-yi), JR (William Gaddis), The White Book (Han Kang) e The Narrow Road to Deep North (Richard Flanagan). A cerimónia de entrega decorre a 27 de Abril, na Digital Hollywood University, em Tóquio, no Japão. Este é o primeiro livro português a receber esta distinção.

«Sendo o único prémio que distingue o trabalho de tradução, o Prémio da Melhor Tradução é muito estimado entre tradutores literários e amantes de livros. Não sonhava poder ser nomeada como uma das finalistas. Enquanto traduzia Galveias tinha sempre receio de não conseguir transmitir a riqueza que o livro possui. O que me faz a mais feliz é que a nomeação prova que consegui, de certa forma, mostrar aos leitores japoneses a beleza do mundo que José Luís Peixoto criou. A boa tradução não nasce de nada. Tudo se deve à força de Galveias», afirmava Maho Okazaki Kinoshita, aquando da nomeação da edição japonesa de Galveias como finalista.

A tradução de Galveias para japonês chegou às livrarias do Japão em Agosto de 2018, pela mão da editora Sinchosha, incluída na prestigiada colecção Crest Books. Em poucos dias, o livro ocupou o sétimo lugar no top de vendas da livraria Aoyama Book Center, uma das mais conceituadas livrarias de Tóquio, e o primeiro lugar na categoria de «Livros Estrangeiros Traduzidos para Japonês».

Em Queda Livre



Allison Weiss, a protagonista de Em Queda Livre, poderia ser a nossa mãe, uma amiga, uma mulher que conhecemos ou até nós mesmas (caso seja uma mulher que esteja a ler este texto, neste preciso
momento). Allison Weiss tem um marido bem parecido, uma filha adorável, um emprego que adora e uma casa grande nos subúrbios. É a típica mãe trabalhadora que tenta conciliar a família com o trabalho. Tudo parece estar no sítio certo. Mas será que está? O que se esconde por trás daquela vida aparentemente perfeita?

Jennifer Weiner, autora bestseller do New York Times, traça um retrato atual e bem real do que é a vida de muitas mulheres nos dias de hoje. A pressão de conciliar tudo. A exigência da perfeição em todos os domínios. Não há lugar para o falhanço. Há que manter as aparências, mesmo que o fardo seja demasiado. O corpo e a mente sucumbem e aquilo que parecia ser uma poderosa ajuda torna-se num problema ainda maior: a dependência.

«Fiquei sentada ao volante a ver as portas fecharem-se atrás de Dave, Hank e Ellie, sentindo-me vazia para lá da euforia que os comprimidos me ofereciam. Pelo menos, ainda tinha isso – um estímulo garantido ao início do dia e um conforto no final. Com um comprimido ou dois (ou três ou quatro) na minha corrente sanguínea, eu sentia-me calma, energizada, a controlar a situação. Como se fosse capaz de gerir o trabalho, ser uma boa mãe, uma boa filha, manter a casa em funcionamento, o frigorífico recheado e ainda, ocasionalmente, acompanhar uma visita de estudo de Stonefield ao Museu de Arte.» - Pág.105 

Sinopse do livro:
Allison Weiss é a típica mãe trabalhadora que tenta conciliar um negócio, pais idosos, uma filha exigente e um casamento. Porém, quando o website por ela desenvolvido se torna um enorme sucesso, fica completamente esmagada. Enquanto se esforça por manter a vida equilibrada e satisfazer as necessidades dos que a rodeiam, Allison descobre que os analgésicos receitados para uma lesão nas costas a ajudam a lidar com algo mais do que apenas o desconforto físico – fazem com que se sinta calma e capaz de ultrapassar os seus dias cada vez mais agitados.

À medida que as semanas passam, os analgésicos vão desaparecendo a uma velocidade cada vez maior e, naturalmente, a sua preocupação aumenta. Em pouco tempo, vê-se num mundo que nunca imaginara possível: a reabilitação. No longo caminho que Allison se vê obrigada a percorrer, as lições de vida vão-se suceder. 
Numa história rica e absorvente, sempre marcada por um toque de humor e caracterizações realistas e carinhosas, Jennifer Weiner acompanha-nos num percurso emocionante de recuperação e redenção.

Pvp: €17,70

Gama Dacia Bi-Fuel: A opção amiga da carteira


Numa época marcada pela ascensão dos motores a gasolina, há uma alternativa que tem argumentos para conquistar todos aqueles para os quais o custo de utilização é decisivo na compra de um automóvel: o Bi-Fuel.

Uma solução que, em custos de utilização, permite uma poupança de cerca de 50% em relação a um gasolina. E aí quem reina é a Dacia. Em 2018, 67% dos automóveis a GPL vendidos em Portugal foram da marca. Uma tecnologia que passa a estar disponível nos cinco modelos comercializados em Portugal: Sandero, Logan MCV, Dokker, Lodgy e Duster. A gama Dacia Bi-Fuel é, portanto, um verdadeiro símbolo da Dacia: uma escolha inteligente! É que a cada 20.000 mil quilómetros, a poupança em qualquer um dos modelos é na ordem dos 900€.

Não há razões objetivas para que o Bi-Fuel não seja um caso de sucesso: em segurança e fiabilidade, a tecnologia está mais do que comprovada; o discriminatório dístico GPL azul há muito que deixou de ser obrigatório; já é permitido o acesso aos parques de estacionamento subterrâneos; há 370 postos de abastecimento espalhados pelo território Continental; enquanto 100% da Rede de Concessionários Dacia tem pelo menos um técnico certificado para qualquer intervenção de manutenção ou reparação. Para além de tudo isso, há, claro, os imbatíveis custos de utilização, com poupanças de quase 50% em relação a um motor a gasolina e de 15% na comparação com um a diesel. 
Para além do argumento da frieza dos números, é evidente que os estigmas, o ceticismo e as discriminações, definitivamente, fazem parte do passado. Ou seja, a tecnologia Bi-Fuel tem tudo para ser a opção de um cada vez maior número de portugueses. Em 2018, o mercado valeu cerca de 1.900 unidades, 67% das quais da Dacia!
E também nesse subsegmento em particular, a gama Dacia é uma das mais atrativas. Para além dos preços imbatíveis, cada um dos modelos reúne as características que têm feito a história de sucesso da marca: robustez, fiabilidade, sentido prático, agradáveis linhas exteriores, interiores espaçosos e surpreendentes níveis de equipamentos.

A gama Bi-Fuel da Dacia assenta em cinco modelos: Sandero (versão Stepway incluída), Logan MCV (também na versão Stepway), Dokker (versão Stepway incluída), Lodgy (também na versão Stepway) e Duster. Todos diferentes, mas com uma característica que o distingue dos demais: são movidos por dois combustíveis – gasolina e GPL. Ou seja, têm, também, dois depósitos distintos, que asseguram autonomias superiores a 1.000 quilómetros. Mas apesar desta particularidade, sublinhe-se que todos os modelos Dacia Bi-Fuel dispõem exatamente do mesmo espaço para bagagens que as “tradicionais” versões a gasolina ou diesel, uma vez que o depósito GPL está montado na zona do pneu sobressalente.
O comprovado motor TCe 90, equipado com dois sistemas de injeção, está disponível nos modelos Sandero, Sandero Stepway e Logan MCV. Já o Dokker, o Lodgy e o Duster são associados ao motor 1.6 SCe. Os dois primeiros com 110 cavalos e o SUV da Dacia numa versão com mais cinco cavalos de potência.
Tal como acontece nas clássicas versões a gasolina e a diesel, os modelos Dacia Bi-Fuel são uma compra inteligente pelo preço de aquisição – estão entre as mais acessíveis propostas do mercado – mas também pelos reduzidos custos de utilização e são os números que o comprovam: 1 litro de GPL custa cerca de 0.7€, 1 litro de Gasolina de 95 octanas tem um preço superior a 1.5€ e 1 litro de gasóleo simples ronda os cerca de 1.4€. 


Mas apesar de, em condições reais de utilização, qualquer versão Bi-Fuel reivindicar consumos superiores aos equivalentes a gasolina e a diesel, a verdade é que as contas dão (e muito) que pensar. Em apenas 100 quilómetros, a poupança em relação a um automóvel a gasolina cifra-se em mais de quatro euros. Ou seja, quem fizer um pouco mais de 30 quilómetros por dia (1.000 quilómetros por mês), a poupança no final do mês, independentemente do modelo, é sempre superior aos 40€. Isto em relação a uma versão a gasolina, porque mesmo em relação a uma versão a diesel, há lugar a uma poupança na ordem dos 10€.
Com uma projeção mais alargada, os números são, necessariamente, mais impressionantes: ao fim de 10.000 quilómetros, um Sandero Bi-Fuel representa uma poupança de cerca de 450€ em relação a um modelo equivalente a gasolina – e de bem mais de 300€ nos restantes modelos. Ao fim de 20.000 quilómetros, que corresponde à quilometragem média realizada anualmente em Portugal, a poupança (dependente do modelo) varia entre os cerca de 800 e 900 euros.
Ainda nas contas, não deixe de ter em conta que um modelo Dacia Bi-Fuel custa pouco mais que a versão equivalente a gasolina e, saliente-se, sem o discriminatório dístico azul no portão traseiro ou as limitações de estacionamento em parques fechados ou subterrâneos. 
Mas para os céticos em relação ao uso de viaturas GPL ficam também as seguintes ressalvas: em termos de segurança, destaque para o facto do depósito de GPL ser produzido em aço super-resistente com seis vezes mais espessura que um depósito tradicional; o GPL contribuir para uma maior fiabilidade do motor, na medida em que a sua combustão conserva mais o óleo lubrificante; o GPL reduzir as vibrações do motor, o que contribui para um melhor conforto de utilização e, por último; como o GPL não contém benzeno nem enxofre, é muito mais amigo do ambiente, representando uma poupança na ordem dos 13 por cento em emissões de CO2.
No interior, a única coisa que distingue os Dacia Sandero, Logan MCV, Dokker, Lodgy e Duster Bi-Fuel das versões a gasolina ou a diesel é o botão que permite optar, a qualquer instante, pela gasolina ou pelo GPL. 
Com 370 posto de abastecimento GPL espalhados pelo território Continental, a gama Dacia Bi-Fuel assume-se, assim, como uma compra inteligente. 
O Dacia Sandero TCe 90 Bi-Fuel está disponível por 11.877€ (Versão Stepway 14.004€), o Logan MCV TCe 90 Bi-Fuel por 12.896€ (versão Stepway 15.401€), o Dokker SCe 110 Bi-Fuel por 15.965€ (versão Stepway 18.165€), o Lodgy SCe Bi-Fuel por 17.349€ (versão Stepway 19.580€) e o Duster SCe 115 por 18.110€.

Certeza da fiabilidade: 3 anos/100.000 km de garantia
A gama Dacia Bi-Fuel beneficia, tal como os restantes modelos da marca de 3 anos/100.000 km de garantia contratual. Este é mais um elemento que atesta a robustez e fiabilidade da marca, o que aliás tem vindo a ser demonstrado por estudos independentes realizados, até por associações de consumidores, em toda a Europa.

O órgão invisível do corpo humano: a alma


«A alma é mais do que a produção de processos cerebrais e é mais do que uma construção científica. Ela está associada ao cérebro e tem vida própria. É possível explorá-la de forma lógica e, contudo, permanece um grande enigma. Ela é orgânica e, simultaneamente, mística. Sabemos hoje tão mais sobre ela e, porém, não conseguimos explicar tudo», expõe a psicoterpeuta Sabine Wery von Limont, na introdução do livro A Vida Secreta da Alma. 

Com base nas mais recentes descobertas da área da neurociência, da psicoterapia e da epigenética, a autora elucida o leitor sobre os diversos comportamentos da alma – um órgão quase invisível, formado por milhões de neurónios –, que está por detrás de praticamente todas as decisões de uma pessoa, graças à sua capacidade de reação muitíssimo rápida. 
Os vários avanços científicos permitiram comprovar que a alma é uma unidade funcional do sistema nervoso central, «uma substância material que gera o pensamento e os sentimentos materiais», esclarece Limont, revelando como essas mesmas descobertas permitem também perceber o que danifica ou prejudica a alma, órgão que está diretamente ligado a outras partes do organismo, como ao sistema imunitário e ao coração. A Vida Secreta da Alma revela assim como é possível combater doenças e ainda compreender o elemento-chave da felicidade. Nas livrarias a 3 de Maio.

Sobre a Autora
Sabine Wery von Limont é formada em Economia e em Psicologia. Trabalha como psicoterapeuta a nível empresarial, em terapia individual e com casais. Tem clínica privada e é especializada em Psicocardiologia e Traumaterapia. Vive em Hamburgo com a família. 

Festival Bons Sons 2019



O Bons Sons está de volta, de 8 a 11 de Agosto, em Cem Soldos, uma aldeia em manifesto. Quatro dias, dois novos palcos (10 palcos) e mais de cinquenta concertos, num recinto mais alargado. Há mais aldeia e menos pessoas, tendo a lotação diminuído de 40 mil para 35 mil pessoas, nesta edição comemorativa dos 13 anos e das 10 edições.

A comemoração dos 13 anos e das 10 edições materializa-se de várias formas. Após a apresentação do manifesto com 10 pontos que definem a missão e a realidade da aldeia de Cem Soldos e do festival Bons Sons, em Agosto, esta efeméride é assinalada, com três momentos especiais: concerto de abertura, 13 bandas a comemorar 13 anos e 10 edições e festa de encerramento.

No concerto de abertura, a Orquestra Filarmónica Gafanhense irá compor e interpretar 10 temas, um por cada edição do Bons Sons, sendo escolhido um tema de um músico ou de uma banda de cada edição.

A comemoração é realizada também com a actuação de 13 bandas que já estiveram no Bons Sons e fazem parte da história do festival. Uma banda e seis duplas, que se juntam e realizam seis concertos especiais, divididos por três palcos. Especificamente para esta edição comemorativa do Bons Sons, 12 bandas juntaram-se em duplas, algumas pela primeira vez, e vão dar concertos em conjunto, incluindo a apresentação de algumas composições inéditas.

O Bons Sons apresenta Tiago Bettencourt, Júlio Pereira, Luísa Sobral, Helder Moutinho, Budda Power Blues & Maria João, Dino D'Santiago, Pop'Dell Arte, X-Wife, Três Tristes Tigres, Stereossauro, DJ Ride, Fogo Fogo, Scúru Fitchádu, Paraguaii, Baleia Baleia Baleia, Tape Junk, Miramar, Pedro Mafama, Senza, Afonso Cabral, Ricardo Toscano e João Paulo Esteves da Silva, Raquel Ralha & Pedro Renato, Jorge da Rocha, Mano a Mano, Sallim, Galo Cant'Às Duas, Tiago Francisquinho, Gator, The Alligator, Cosmic Mass, Francisco Sale, Rui Souza, Valente Maio, Ricardo Leitão Pedro, DJ Narciso, DJ João Melgueira, Carlos Batista, Vénus Matina, Mil Folhas, Telma, Cal, Adélia, Pequenas Espigas e Vozes Tradicionais Femininas.

No âmbito da parceria de programação entre o Bons Sons e o Festival Materiais Diversos e o Curtas em Flagrante, o Auditório Agostinho da Silva recebe os espectáculos Coexistimos, de Inês Campos, Danza Ricercata, de Tânia Carvalho, Nem a Própria Ruína, de Francisco Pinho, João Dinis Pinho e Dinis Santos e uma selecção de curtas-metragens a anunciar em breve. Ainda no âmbito da programação do auditório, foi estabelecida uma nova parceria entre o festival e o Fumaça, um projecto de jornalismo independente, progressista e dissidente, responsável pela organização de alguns debates e conversas durante o festival

O alinhamento pode ser consultado em www.bonssons.com

Os bilhetes estão à venda por 45€ até final de Julho. É sempre importante ter em conta que os bilhetes de cada fase têm um número de unidades limitado e podem esgotar antes de terminar cada uma das fases. Esgotado o número de bilhetes da fase em curso, passam a vigorar os valores da fase seguinte.

Este livro não pode agradar a ninguém


«Não condenemos os pensamentos de ninguém, antes de os examinar de raiz», escreve Camilo Castelo Branco em O Retrato de Ricardina, o mesmo Camilo Castelo Branco que, sem pudor, atira a deixa desafiadora que dá título a este post em O Perfil do Marquês de Pombal. Frases que merecem o destaque que a Quetzal lhes dá em 1000 Frases de Camilo Castelo Branco, com organização de Luís Naves, um livro que surge na sequência da recolha de frases de Fernando Pessoa e Vergílio Ferreira, e que chega hoje às livrarias. 

Camilo Castelo Branco (1825-1890) é o nosso mais genial e inventivo romancista. Não há romance, novela ou ensaio da sua autoria que não contenha frases memoráveis, personagens trágicas ou cómicas que se exprimem de forma singular, pensamentos ousados, reflexões que apetece repetir. O seu léxico é poderoso e maleável; a sua veia, cómica (tão próxima do cinismo como da melancolia); as suas ideias, controversas. Dessa obra multifacetada e brilhante, Luís Naves recolheu exactamente 1000 frases, que traduzem o temperamento e o génio de Camilo Castelo Branco, passando por temas como o amor, a literatura, a política, entre outros. 

Sobre o organizador
Luís Naves nasceu em Lisboa, em 1961. Foi jornalista no Diário de Notícias, nas áreas de economia e de internacional, tendo assinado reportagens em zonas de conflito, nomeadamente aquando dos distúrbios na Guiné-Bissau, em 1998, ou no Paquistão, após os atentados do 11 de Setembro. Durante vários anos, escreveu no DN sobre assuntos europeus. Além de blogger e cronista, é autor de cinco livros de ficção, três dos quais foram publicados pela desaparecida Campo das Letras: O Silêncio do Vento (1999), Os Reis da Peluda (2002) e Homens no Fio (2006). Dois dos seus romances foram publicados pela Quetzal: Territórios de Caça (2009) e Jardim Botânico (2011). 

British Airways lança primeira cerveja produzida a 40 mil pés de altitude


Com a ajuda da tripulação de cabine da British Airways, os fundadores da BrewDog, Martin Dickie e James Watt, começaram o processo de fermentação a bordo de um Boeing 787 Dreamliner, enquanto cruzavam o Norte da Escócia a 500 milhas por hora. Para iniciar a produção da cerveja artesanal, os especialistas misturaram água, lúpulo e cevada nos recipientes de bordo. Veja o vídeo de todo o processo aqui:

           
As latas personalizadas da cerveja IPA, intituladas Speedbird 100 na sequência do sinal de chamada da companhia, serão exclusivas aos passageiros da British Airways em voos de curto e longo curso, assim como em lounges selecionados, a partir de 1 de Maio. A receita foi elaborada especificamente para o consumo no ar, ao adaptar-se à sensibilidade reduzida do paladar e do olfato em grandes altitudes.

Hamish McVey, Head of Brand and Marketing da British Airways, afirma: “Estamos muito entusiasmados com a parceria criada com a BrewDog, outra marca Britânica que está empenhada em trazer o melhor do Reino Unido ao mundo. A par do programa de investimento de 6,5 mil milhões de libras, queremos colaborar com os líderes da indústria para garantir que viajar com a British Airways será sempre uma experiência inesquecível. Por esse motivo, esta parceria é fantástica”.

Por outro lado, a BrewDog vai abrir o primeiro bar em Nova Iorque no Club lounge da British Airways no Terminal 7 do aeroporto JFK. Os passageiros poderão apreciar, assim, as cervejas mais populares da BrewDog, juntamente com a Speedbird 100. O novo Club lounge da British Airways do aeroporto JFK abre esta primavera, completando o investimento da companhia no Terminal 7.

James Watt, cofundador da BrewDog, salienta que “tem sido uma oportunidade incrível fazer parte desta parceria com a British Airways no ano do seu centenário e criar uma nova cerveja para os seus passageiros”. Martin Dickie, cofundador da BrewDog, acrescenta: “O elemento chave é a amargura e o sabor das frutas que não são afetados pela altitude. Por essa razão, queríamos jogar com estes dois fatores e reforçar o sabor doce. Esperamos que os passageiros da British Airways gostem da Speedbird 100 tal como nós gostamos”.  Os passageiros poderão assistir à produção da Speedbird 100 no sistema de entretenimento a bordo a partir do mês de julho.

A British Airways irá lançar uma série de edições do centenário em parceria com marcas Britânicas durante este ano histórico. A companhia aérea associou-se à relojoaria de luxo britânica Bermont no lançamento do novo relógio de edição limitada, produzido com o metal de um dos mais famosos e icónicos aviões da História – o Concorde.

Como parte do investimento de 6,5 mil milhões de libras direcionado para os clientes, a companhia aérea apresentou recentemente novos lugares de classe executiva e implementou mudanças nas cabines de Primeira Classe, World Traveller e World Traveller Plus, oferecendo um catering de exceção pelo Do&Co. A British Airways também está a alargar o Wi-fi a bordo, a abrir novos lounges pelo mundo e a lançar 15 novas rotas.

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Estreias de cinema de 25 de Abril de 2019


Esta semana dentre as várias estreias de cinema nas salas nacionais o "Cultura e não Só" destaca as seguintes:



Vingadores: Endgame

Depois dos eventos ocorridos no filme "Vingadores: Guerra do Infinito" (2018), em que Thanos, um tirano intergaláctico, dizimou quase metade da população mundial, os super-heróis que sobreviveram a esse ataque procuram reerguer-se. Juntos, tentarão derrotar a ameaça e homenagear todos os que pereceram em combate…
Produzido pela Marvel Studios e distribuído pela Walt Disney Studios Motion Pictures, este é o 20.º segundo filme do universo cinematográfico Marvel e o quarto episódio da saga "Vingadores". A realização fica a cargo dos irmãos Joe e Anthony Russo (a dupla também responsável por "Capitão América: O Soldado do Inverno", "Capitão América: Guerra Civil" e “Vingadores: Guerra do Infinito"). O elenco, de luxo, conta com Robert Downey Jr., Chris Evans, Chris Hemsworth, Brie Larson, Scarlett Johansson, Paul Rudd, Karen Gillan, Dave Bautista, Josh Brolin, Tom Holland, Bradley Cooper, Jon Favreau, Elizabeth Olsen, Jeremy Renner, Michelle Pfeiffer, Katherine Langford, Winston Duke, Mark Ruffalo, Tilda Swinton, Gwyneth Paltrow, Chadwick Boseman e Don Cheadle, entre outros. 



Teen Spirit: Conquista o Sonho

Violet, de 17 anos, tem uma voz doce e poderosa. Mas, apesar do inegável talento, sabe que, para singrar, terá de sair da pequena cidade que a viu nascer e mostrar-se ao mundo. É então que, acompanhada por um cantor de ópera caído no esquecimento, se candidata a uma importante competição para jovens cantores. Mas esse percurso, mesmo com todos a reconhecerem-lhe capacidades para se tornar uma estrela internacional, será muito difícil e doloroso. Violet verá ser colocados à prova não apenas o seu valor artístico, mas também a sua integridade enquanto pessoa.
Com assinatura do actor Max Minghella – que aqui se estreia na realização –, um drama musical sobre concretização de sonhos, protagonizado por Elle Fanning, que interpreta músicas de Ellie Goulding, Annie Lennox, Orbital, Sigrid, Carly Rae Jepsen, Jack Antonoff, Ariana Grande, Katy Perry, Grimes, The Undertones, Aqua, Alice Deejay, Whitfield, Major Lazer ou No Doubt. Agnieszka Grochowska, Archie Madekwe, Zlatko Buric e Millie Brady assumem os papéis secundários.



A Incrível História do Carteiro Cheval

Finais do século XIX. Joseph Ferdinand Cheval é um homem simples que trabalha como carteiro na região de Droma, França. Do seu casamento com Philomène nasce Alice, sua única filha, que ele idolatra desde o momento em que a olhou pela primeira vez. É então que resolve fazer algo megalómano: construir um palácio de pedra em Hauterives, em honra da pequena Alice. Assim, durante os 33 anos seguintes, lutando contra todas as adversidades, vai arrecadando pedras e constrói o edifício, ligando cada pedra com arame, cal e cimento. O que ninguém imaginaria era que aquele lugar o fosse tornar famoso, ao despertar a atenção de André Breton, Pablo Picasso ou Anaïs Nin. Em 1969, André Malraux, na altura Ministro da Cultura francês, instituiu o palácio como património cultural do seu país. Desde essa altura, o monumento é visitado por turistas de todo o mundo.
Com argumento e realização de Nils Tavernier ("Aurore", "Com Todas as Nossas Forças"), um filme biográfico que relata a verdadeira história do Palais Idéal, construído durante mais de três décadas por Ferdinand Cheval (1836-1924). O elenco conta com a participação dos actores Jacques Gamblin, Laetitia Casta, Florence Thomassin, Bernard Le Coq e Natacha Lindinger. 

3ª edição da Bienal Internacional de Arte Gaia



De 24 de Abril a 20 de Julho, a Quinta da Fiação em Lever transforma-se em núcleo cultural para acolher a 3ª edição da Bienal Internacional de Arte Gaia que, este ano, reúne mais de 500 artistas de 14 nacionalidades para viver a arte em Vila Nova de Gaia e em oito outros pólos espalhados pelo País e além-fronteiras.

Com direcção a cargo de Agostinho Santos, a Bienal de Artes de Gaia revela-se ao longo de 2.600m2 de área de exposição, correspondentes a dois pavilhões da antiga Companhia de Fiação de Crestuma, assumindo a descentralização num plano de recuperação de áreas industriais que são típicas do Concelho e que agora acolhem artistas e visitantes para “agitar consciências”.

Com trabalhos assinados por consagrados artistas nacionais e estrangeiros, a Bienal estende-se também à Casa Museu Teixeira Lopes - Galerias Diogo de Macedo e ao Mosteiro de São Salvador de Grijó, que acolhe, a partir de 12 de Julho, a exposição “Missio/Missão” com curadoria do Cónego António Coelho e Bruno Marques, a qual integra mais de 50 artistas. Vila Nova de Gaia envolve a comunidade numa aproximação a diferentes conceitos e a uma nova abordagem dos assuntos contemporâneos, homenageando ainda Zulmiro de Carvalho numa exposição antológica com curadoria de Helena Fortunato.

Temas como “Mulheres e Cidadania” (curadoria de Manuela Aguiar e Luísa Prior), “Paz e refugiados” (curadoria de Ilda Figueiredo e Mirene), “Territórios do Vinho” (curadoria de Manuel Novaes Cabral) ou “Livre Mente” (curadoria de Sérgio Almeida) desafiam ao debate na esfera comum em exposições que se juntam a “Artistas Convidados”, na qual Agostinho Santos reúne obras de cerca de 70 autores, da mostra “Mecenato = 1 Colecção = 2 Artistas”, em que José Rosinhas agrega obras de vários colecionadores, “Pares – com curadoria de Norberto Rego e Rui Ferro para apresentar pares de artistas -, “Na sombra do Infinito” (curadoria de Albuquerque Mendes), “Mínimo, Máximo e Assim assim” (curadoria de Fátima Lambert), “Sub(Missão) (curadoria de Filipe Rodrigues) ou “Museu de Causas – Colecções Agostinho Santos” (curadoria de Humberto Nelson).

A Bienal apresenta ainda uma exposição individual de pintura – “Desempacotar a Cultura”, na qual Do Carmo Vieira esboça rostos da literatura portuguesa a partir de pacotes de leite vazios como obra-prima da criação. Paralelamente, somam-se outras iniciativas como rótulos artísticos em garrafas de vinho (Colecção Especial Santa Marta) ou em garrafas de água (Colecção Especial Águas de Gaia) que levam até à comunidade a arte criada pela e para a cidade.

A corrente cultural criada pelos Artistas de Gaia – Cooperativa Cultural estende-se a oito pólos situados em várias cidades como Braga, Estremoz, Gondomar, Monção, Seia e Viana do Castelo chegando, pela primeira vez a Espanha, e envolvendo Vigo na dinâmica criativa que se mostra ao longo de três meses de exposição, dando voz à arte local que celebra artistas consagrados e talentos emergentes.

Com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, a terceira edição da Bienal Internacional de Arte Gaia integra ainda a exposição decorrente do Concurso Internacional que contou com 222 artistas de 13 nacionalidades, dos quais foram seleccionados 89 candidatos ao Grande Prémio da Bienal, ao Prémio de Escultura Zulmiro de Carvalho e ao Prémio Águas de Gaia.

Contador de histórias de Jeffrey Archer



Considerado um dos maiores escritores dos nossos dias – sendo o único autor que foi número 1 em ficção (15 vezes), contos (quatro vezes) e não ficção (Os Diários da Prisão) –, Jeffrey Archer estará pela primeira vez na Feira do Livro de Lisboa, no âmbito da promoção do seu novo livro, Contador de Histórias, que acaba de chegar às livrarias.

No dia 2 de Junho, entre as 15h00 e as 18h00, o autor estará na Feira do Livro de Lisboa, mais concretamente no espaço Autores Que Nos Unem do Grupo Porto Editora, em que se insere o Grupo BertrandCírculo, para uma sessão de autógrafos. Seguir-se-á uma conversa com o autor sobre a sua
obra pelas 18h30.

Com este novo livro, Jeffrey Archer apresenta um livro de contos repleto de textos emocionantes e, às vezes comoventes, escritos ao longo dos últimos dez anos.

Sinopse do livro:
Jeffrey Archer, o autor da saga dos Clifton, regressa com um novo livro de contos há muito aguardado pelos leitores, repleto de textos emocionantes e, às vezes, comoventes, escritos nos últimos dez anos.
Descubra o que aconteceu ao jovem detetive napolitano que, para resolver um assassínio, é arrastado para uma pequena cidade. Veja o que muda na vida de um jovem à medida que este descobre as origens da fortuna do seu pai.
Siga as histórias de uma mulher que, na década de 1930, se atreve a desafiar homens poderosos, e a de uma outra, jovem, que apanha boleia e tem o encontro da sua vida.

A vinda do autor à Feira do Livro de Lisboa é um momento muito aguardado pelos seus leitores, que terão oportunidade de conhecer uma das grandes referências da literatura inglesa contemporânea. É de realçar que tem mais de 250 milhões de exemplares vendidos em 97 países, estando traduzido em 37 línguas, tratando-se de um dos escritores mais acarinhados pelo público português, que nos últimos anos pôde acompanhar a Saga dos Clifton, uma série de sete volumes marcada pela intriga política e grandes negócios empresariais, aliada, ainda, a uma carga dramática familiar repleta de segredos e traições.

PVP: €16,60

S.Hotels antecipa férias com condições especiais para feriados


Com a aproximação dos feriados pré-ferias, a S.Hotels Collection apresenta condições especiais para reservas directas no site www.shotelscollection.com até 13 de Junho nas unidades de Norte a Sul: do Porto a Lagos passando por Tróia, os meses de Abril, Maio e Junho são para aproveitar com dias de descanso que servem de convite a umas férias de Verão antecipadas.

Em plena Avenida da Boavista, o Porto Palácio Hotel convida a desfrutar de alojamento premium em quarto duplo executivo para dois adultos, enquanto o The Artist Porto Hotel desafia os viajantes a conhecer a Baixa da cidade e a descobrir o conforto de um quarto twin. Rumo ao Rio Douro, no coração da Ribeira, o The House Porto Ribeira Hotel reserva quarto duplo e várias experiências para descobrir à distância de um passeio a pé.

Para quem quer sair da azáfama citadina e ficar por perto num refúgio natural, o Aqualuz Troia Mar & Rio propõe alojamento em estúdio para dois adultos e uma criança atá aos 12 anos, com pequeno-almoço buffet incluído. No Troia Residence, os apartamentos Ácala T1 permitem o aconchego de uma casa junto à praia.

O Aqualuz Lagos antecipa o espírito de férias a Sul do País com alojamento em estúdio para dois adultos e a garantia de dias de sol, idas à praia e a vivência do Algarve que qualquer pausa merece.

Noite de fado no Casino Estoril


Hoje pelas 22 horas António Pinto Basto e Linda Leonardo regressam ao palco do Lounge D para protagonizar mais uma noite de fado no Casino Estoril. Com um registo intimista, os fadistas serão acompanhados por Diogo Lucena Quadros na guitarra, Luís Roquette na viola e Francisco Gaspar na viola baixo. A entrada é livre.

António Pinto Basto
A carreira de António Pinto Basto assumiu um cariz profissional no início dos anos setenta, período em que efectuou numerosas actuações pelo País. Mas foi, apenas, em 1988 que editou o seu primeiro disco, intitulado “Rosa Branca”. No ano seguinte, lançou “Maria”, repetindo o sucesso de vendas. Seguiram-se “Confidências à Guitarra”, em 1991, e “Os Grandes Sucessos de António Pinto Basto”, em 1993. 

Em 1996, o artista gravou “Desde o Berço”. A convite de João Braga, em 2000, integrou o grupo “Land of Fado”. O meio televisivo também faz parte do seu percurso profissional. Em Outubro de 2000, a convite de João Braga, assumiu as funções de apresentador do programa televisivo “Fados de Portugal”, na RTP.

Posteriormente, António Pinto Basto lançou o projecto “Quatro Cantos” ao lado de Maria Armanda, Teresa Tapadas e José da Câmara. Com um perfil revivalista, o grupo distinguiu-se, desde logo, pela interpretação de grandes êxitos da história do Fado, os quais foram já registados nos CDs e DVDs: “5 Décadas de Fado” e “Do Presente ao Passado no Fado”.

Linda Leonardo
Linda Leonardo pertence a um núcleo de fadistas que, embora não sendo suficientemente conhecido pelo grande público, possui uma invulgar capacidade para servir o Fado, nomeadamente através da qualidade da sua voz.

Dedicada artisticamente ao fado, Linda Leonardo tem sido presença assídua nas principais casas de Fado e vários palcos a nível nacional. É também, o que se pode considerar justamente como uma fadista de Cascais, onde reside há muitos anos.

Pastéis de Nata Grátis na Pastelaria Batalha



No dia 25 de Abril vai haver Pastéis de Nata GRÁTIS para todos os que visitem qualquer uma das 3 lojas da Pastelaria Batalha: em Lisboa, na Venda do Pinheiro e na Charneca.

A Equipa da Pastelaria Batalha quer festejar com todos os seus habituais e novos clientes este doce momento da história de Portugal, partilhando aquilo que sabe fazer melhor: pastelaria tradicional Portuguesa!

Todas as pessoas que visitem qualquer uma das 3 lojas da Pastelaria Batalha, entre as 15h e as 19h do dia 25 de Abril de 2019, poderão desfrutar de um Pastel de Nata acabado de fazer. Sem qualquer obrigatoriedade de compra adicional. Limitado a uma unidade por pessoa, para que todos possam desfrutar.


Promoção válida em:

Pastelaria Batalha Lisboa
Rua Horta Seca 1, Largo do Camões, Lisboa

Pastelaria Batalha Venda do Pinheiro
Largo de Santo António 1, Venda do Pinheiro

Pastelaria Batalha Charneca
Rua Inspector Ricardo Rosa e Alberty 9, Venda do Pinheiro


Página do Evento no Facebook:
(com mais de 500 interessados em menos de 24 horas!)


A Pastelaria Batalha, da zona saloia, é conhecida pelas diversas medalhas nacionais e internacionais que reconhecem a qualidade da sua pastelaria e do seu Pão de Mafra.

Desde o Verão de 2018, que a Pastelaria Batalha deixou de ser uma referência apenas dos Portugueses, passando a estar na boca dos turistas que procuram a loja de Lisboa pelo seu conhecido Workshop de Pastel de Nata, que acontece dentro da própria fábrica da pastelaria. Esta é uma das actividades culinárias mais procuradas por viajantes na capital, e que tem como objectivo partilhar a receita do doce mais conhecido de Lisboa, e assim dar a conhecer e valorizar o nosso património gastronómico além fronteiras. 

Neste 25 de Abril, a família Batalha propõe um convívio alegre e bem doce, para festejar o dia da liberdade.