sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Mercedes-Benz é marca mais bem-sucedida no Instagram


A Mercedes-Benz celebra um marco único no Instagram: de todas as marcas Top 100 Interbrand, conquistou o primeiro lugar de likes no Instagram. De acordo com um estudo da empresa de análise T4Media, a Mercedes-Benz alcançou um bilião de likes - a primeira das "Melhores marcas globais 2018" entre as nomeadas anualmente pela empresa amerciana de consultoria de marcas, Interbrand. O apoio de fãs e seguidores está a ser homenageado com uma exposição de fotos no Museu da Mercedes-Benz em Estugarda, mostrando destaques das atividades de media social da marca com a estrela.

A marca premium está ativa no Instagram desde 2012. Em média, de acordo com a análise, a Mercedes-Benz obtém 27,6 milhões de likes por mês no canal global Instagram @mercedesbenz. 

Para assinalar este momento, a Mercedes-Benz dedica um especial "Obrigado" aos seus fãs e seguidores – imagens selecionadas em que pessoas de todo o mundo demonstraram a sua afinidade com a marca no Instagram serão exibidas num site especialmente criado: http://mb4.me/one-billion-likes

Os visitantes do Museu da Mercedes-Benz em Estugarda também podem ver os melhores posts, numa exposição que decorre entre 5 e 31 de Janeiro de 2019. 

Conteúdo gerado pelo usuário e narração criativa

Um dos segredos para o sucesso da Mercedes-Benz no Instagram são as histórias quer que a marca conta, quer de influenciadores e fãs. Com o Instagram Stories, a Mercedes-Benz procura o diálogo de forma direcionada em questões futuras, como inteligência artificial e mobilidade elétrica. 

O Instagram da Mercedes-Benz é apoiado por uma rede criativa de fotógrafos e videomakers, que criam conteúdo que vem predominantemente dos fãs da marca: 3/4 dos posts não são originários da Mercedes-Benz.

Em Portugal, a Mercedes-Benz é também uma referência nas redes sociais, sendo a marca automóvel com mais seguidores no Facebook – 502.000 e no Instagram, onde conta já com uma crescente comunidade de 22.000 seguidores.
Mas a presença da marca não se resume apenas a estas duas redes sociais, estando também no LinkedIn, Twitter, Pinterest e Youtube.

Vampiros Emocionais de Christiane Northrup


«Durante as minhas décadas nas linhas da frente da saúde feminina, vi inúmeras mulheres em condições de saúde aparentemente inexplicáveis. Estas mulheres comiam bem. Faziam exercício. Cuidavam bem de si mesmas. Geriam famílias, empregos, lares. Teoricamente, estava tudo ótimo, mas sempre que ia um bocadinho mais fundo nas vidas delas, descobria que existia outra pessoa na raiz dos problemas – uma pessoa que parecia estar literalmente a sugar-lhes o sangue. Eu refiro-me a essas pessoas como os vampiros de energia.» É assim que começa «Vampiros Emocionais», da médica ginecologista-obstetra Christiane Northrup, um livro essencial sobre saúde mental que ensina como perceber e como lidar com pessoas que sugam a energia de outras. 
Northrup, autora de alguns dos maiores bestsellers mundiais sobre saúde feminina, faz uma abordagem inteligente deste tema, fundamentada nos seus estudos metafísicos, procurando ajudar o leitor a alcançar o bem-estar. Através de exemplos e exercícios, explica como identificar os traços de personalidades e táticas de manipulação destes sugadores de energia, bem como os sinais de alerta e danos que se podem experienciar. 

Sobre a Autora

Christiane Northrup é médica ginecologista-obstetra. Formou-se na Dartmouth School of Medicine e fez o seu internato na Tufts New England Medical Center. Fundou o centro de saúde Women to Women em Yarmouth, no Maine, que se tornou num modelo para as clínicas de saúde feminina em todo o país, e foi presidente da American Holistic Medical Association. Foi também Professora Assistente de Ginecologia-Obstetrícia na Faculdade de Medicina da Universidade de Vermont. É autora de alguns dos maiores bestsellers mundiais sobre saúde feminina, espiritualidade e bem-estar e uma presença constante nos media internacionais. 

Ricardo Azevedo apresenta o novo single "Blue Song"


"Blue Song" é uma música que Ricardo Azevedo compôs nos tempos de universidade. A música é simples e honesta, como uma despedida tem que ser. Voz, violino e piano são os ingredientes para uma música que resistiu ao tempo e tem tudo para se tornar intemporal no reportório do artista.
O tema foi incluído como faixa extra no single de “Daisy” em 2002 e foi agora regravado no Reino Unido com a produção de Saul Davies (James).
O vídeo foi gravado em plano sequência, sem cortes, a preto e branco. 


O Poder do Subconsciente de Joseph Murphy


«O Poder do Subconsciente», um dos livros mais marcantes do aclamado autor Joseph Murphy, regressou às livrarias portuguesas, numa edição revista e atualizada. 

Conhecido como o pioneiro do Desenvolvimento Pessoal, o Dr. Murphy desvenda, neste guia, como se pode usar a mente de maneira prática e objetiva para um maior bemestar. Combinando preceitos de sabedoria espiritual tradicional com fundamentos de análise científica, o autor explica a influência que a mente subconsciente exerce na vida de cada pessoa, revelando também como se pode usar esse poder para benefício próprio. 
Acessível e inspirador, este bestseller internacional é uma ferramenta essencial para os leitores que procuram uma nova forma de encarar a vida através do processo de controlo mental e de transformação no subconsciente, permitindo que vivam a sua vida como uma aventura de descoberta e autorrealização – e não como uma experiência de provação e carência.

Sobre o Autor

O Dr. Joseph Murphy foi um dos autores e oradores de maior sucesso no campo do desenvolvimento pessoal. Dirigiu a Igreja da Ciência Divina, em Los Angeles, durante vinte e oito anos, onde semanalmente pregava a audiências de milhares de pessoas. Dedicou a sua vida ao estudo e à disseminação das mensagens espirituais das principais tradições religiosas, tendo um particular interesse pela religião e filosofia orientais, especialmente pelo I Ching. O Dr. Joseph Murphy foi autor de mais de trinta livros, todos eles grandes bestsellers internacionais. Utilizava os seus livros, programas de rádio e palestras para demonstrar como cada um de nós pode melhorar radicalmente a sua vida ao aplicar os princípios e poderes do subconsciente.

É Natal em Beja


A Câmara Municipal de Beja, em articulação com a Associação do Comércio, Serviços e Turismo do Distrito de Beja, lança no dia 1 de Dezembro uma campanha de promoção e dinamização do comércio local que anima a cidade até ao dia de Reis.

‘É Natal em Beja’ assina esta campanha que abrange um conjunto de atividades de animação e incentiva as compras de Natal no comércio tradicional de Beja.

Até 6 de Janeiro estão previstas várias atividades de animação, música, teatro, animação de rua, mercado, oficinas de cozinha e de artesanato, passagem de modelos, sorteio e concursos, entre outras, que convidam à participação de todos.

De 7 a 9 de Dezembro está de regresso o Mercado de Natal. Até às 18h30 de domingo, entre o Jardim do Bacalhau e as Portas de Mértola, incentiva-se a visita ao centro histórico e promovem-se os produtos agroalimentares, artesanato e livros .

A Chegada do Pai Natal, momento alto desta programação, terá lugar no sábado, dia 8, pelas 11 horas e promete momentos mágicos para os mais novos. 

Nos dia 7 e 8, das 10h00 às 22h00, terá lugar a IV Feira de Doçaria Conventual e Regional no Museu Regional Rainha D. Leonor, uma iniciativa promovida pelos alunos do Curso Profissional de Animação em Turismo do Agrupamento de Escolas nº2 de Beja.

O Grupo de Teatro da Sociedade Filarmónica Capricho Bejense apresenta a peça de teatro “O Natal das Bruxas”, na Sala Estúdio do Pax Julia, na sexta-feira, dia 14, pelas 14h30, e no sábado, dia 15, com sessões agendadas para as 15h00 e 16h00.

No dia 22 de Dezembro, temos mais uma edição do Mercado Livre, pela associação ARRUAÇA, junto ao Museu Regional Rainha D. Leonor.

Em Janeiro, a festa chega à Praça da República, com o bolo-rei gigante acompanhado de animação musical, insufláveis e outras atividades, dia 4, pelas 15h00.   No dia 5, pelas 11h00, decorrerá o Cante aos Reis.

As compras realizadas no comércio local durante este período permitem, mediante o preenchimento de um cupão, habilitar os compradores a diversos prémios que estarão a sorteio no dia 5 de Janeiro, pelas 12h30. 

A par destas iniciativas, a Câmara Municipal de Beja investe fortemente na iluminação alusiva à época que decora as principais artérias comerciais com luzes de Natal já a partir de dia  1 Dezembro.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Lucas Lucco pela primeira vez em Portugal.


Um dos maiores fenómenos da música actual do Brasil, Lucas Lucco, vem pela primeira vez a Portugal.

Conhecido pela sua ousadia e irreverência, Lucas Lucco confere uma nova roupagem à música sertaneja, através de arranjos modernos e temas actuais, que tornam o estilo musical mais apelativo aos mais variados ouvintes. 

Artista multifacetado, Lucas Lucco é cantor e compositor (Artista Revelação 2016 "Prémio Multishow de música brasileira"), mas é também actor e modelo (Actor revelação 2016 "Prémio Melhores do ano TV Globo"). 

Actualmente é presença assídua nos media mas foi na Internet que este fenómeno começou - o seu canal de youtube oficial conta actualmente com quatro milhões de subscritores e mais de um bilião de visualizações - e Lucas arrasta esta multidão por onde passa, dentro e fora dos ecrãs. 

Em Portugal, o artista conta já com uma legião de fãs fieis que há muito anseiam a sua presença num grande concerto no nosso país. A oportunidade chegou agora e Lucas Lucco promete trazer na bagagem todos os seus grandes sucessos "P'ra te fazer lembrar"; "Plano B"; "Princesinha"; "Na horizontal"; "Paraíso",”Mozão”, “Briguinha Boa” entre muitos outros. Não poderá faltar, também, o êxito gravado este ano com o artista nacional Mikael Carreira, "Deixa que eu vou". 

O artista, que colabora assiduamente com estrelas como Anitta, Pabllo Vittar, Maluma, Nego do Borel, Mc Kekel, Jorge & Mateus, Wesley Safadão, Kevinho entre muitos outros, trará uma adaptação do espetáculo "A Origem" cujo DVD gravado, ao vivo, na cidade de Goiânia foi lançado em Outubro passado e é já mais um sucesso.

Robert Forster anuncia novo disco


Inferno é o primeiro disco a solo dos últimos 4 anos do aclamado australiano Robert Forster, o segundo disco dos últimos 11 anos. Forster apenas edita quando sente que tem as músicas – em Inferno tem 9 músicas nas quais acredita genuinamente.

Elas vão desde a emocionante pop “Inferno (Brisbane In Summer)”, ao groove de “Life Has Turned A Page”, à “Remain” com inspirações no New York Strut de 1977, para acabar duma forma concisa, brilhante e dramática como só um disco inteligente pode acabar, com o grande épico “One Bird In The Sky”.

Inferno foi gravado em Berlim em 2018, durante o verão mais quente das últimas décadas na Alemanha. Victor Van Vugt (Beth Orton Trailer Park, PJ Harvey Stories From The City, Stories From The Sea) gravou o disco; foi a primeira vez que ele e Forster trabalharam juntos após o disco de estreia a solo de Forster Danger In The Past de 1990.

Este disco é uma mistura perfeita do familiar e do novo. Também a trabalhar de novo com Forster, os multi-instrumentalistas Scott Bromley e Karin Bãumler de Songs To Play (2015), enquanto novas colaborações acontecem com o baterista Earl Havin (Tidersticks, Mary J. Blige) e o teclista Michael Muhlhaus (Blumfeld, Kante). Quatro músicos dos quatro cantos do mundo que, juntamente com a belíssima produção de Victor Van Vugt, soam a uma banda com décadas de trabalho juntos. A liderar a banda, Forster entrega a sua melhor performance vocal de toda a sua carreira.

Nos últimos 4 anos, Forster tem andado ocupado. Trabalhou na histórica edição da Domino Records Anthology Volume 1 1978-1984 da sua antiga banda The Go-Betweens. O livro de memórias Grant & I foi eleito pela Mojo e pela Uncut como Livro do Ano. Ele continua a escrever sobre música, dar concertos e nunca pára de escrever bonitas canções.

Cabo da Boa Esperança dos Galo Cant'Às Duas chega às lojas dia 18 de Janeiro


A pergunta que introduz o primeiro álbum de Galo Cant’Às Duas acaba por definir o tom do que vamos ouvir: “serei eu cantor?”. Prontamente respondem “serei”, e ainda bem. Seguindo o EP Os Anjos Também Cantam, o grupo originário de Viseu, numa abordagem mais directa, sabem agora melhor que histórias têm para contar. De uma banda que aparece de uma frutuosa jam session, este disco revela, talvez paradoxalmente, exploração e direcção. Ao mesmo tempo, há a intenção de conhecer novos timbres e possibilidades dentro da sonoridade com que se identificam, mas também uma vontade de estabelecer uma rota. De se definirem como indefiníveis.

Anteriormente, a guitarra e o baixo – processados por efeitos que cristalizam o espaço sonoro da banda – uniam esforços com a sincopada e frenética bateria. Desta vez, a guitarra ficou em casa.  Além da maior presença da voz, a electrónica dos sintetizadores acompanha os ritmos de Galo, que partem da bateria e de loops de percussão criados pela banda. Neste processo, dá-se um maior ímpeto a este som etéreo e voador. Aqui, os galos também voam. 

Para uma banda que pensava muito no universo, agora reflecte muito em qual é o seu – e o nosso - lugar no mesmo. Dizem-se alinhados com os astros. No meio de tanto foco e reflexão, o grupo concebeu um trabalho coeso, mesmo que explore sem medos e aponte para diferentes ritmos e sons.

A banda, que é composta por Hugo Cardoso e Gonçalo Alegre percorre através da repetição e memória de ritmos, melodias ou frases a acústica do Carmo’81, entre o post-rock, o indie e a electrónica, acompanhados pelos ouvidos, mãos e ideias de Nuxo Espinheira, rodearam-se de apoios e espaços que incentivam as artes de todas as vertentes.

Entre o onírico e o espiritual surge a emocionante e aterradora conquista de “Sobre Um Tanto Medo”. Um single dividido por duas melodias e por dois espíritos: da ânsia de descobrir, ao medo de ser descoberto. Um tema onde a exploração de um beat constante acabou por ditar o desenrolar da narrativa. Frases melódicas surgem e desvanecem com a intenção de criar também toda uma dinâmica à volta desta sonoridade.

Para o respectivo vídeo, interessou a ideia de filmar o lugar onde realizaram a capa do disco. Naturalmente sem acompanhar a cadência da música quiseram provocar a dúvida da sua real existência. De um não-lugar, de um universo que é nosso ou criado por nós. Sentiram assim a necessidade de imortalizar/revitalizar aquele lugar que o vídeo vai mostrando e dando vida.


No dia 28 de Dezembro acontecerá uma festa de pré lançamento que se intitula “Cantar de Galo”. No Carmo’81, em Viseu, os Galo Cant’Às Duas convidam também o percussionista João Pais Filipe, que recentemente lançou o seu disco a solo, para abrir o que será uma noite de celebração cheia de pessoas bonitas que fizeram também parte deste processo de criação.

O longa-duração, editado em nome próprio no dia 18 de Janeiro, afirma que os galos cantam, sim. Mas dançam, gritam, saltam e, pelo caminho, também descobrem outros poisos.

20 atores leem 'Todos os Nomes' em homenagem a Saramago


“Este ano, a Academia atribuiu o Prémio Nobel da Literatura ao escritor português, José Saramago.” Estávamos a 8 de Outubro de 1998 quando esta frase foi proferida. Era assim conhecido o nome do primeiro escritor português a receber a distinção da Academia Sueca pelo conjunto da sua obra. Celebram-se, agora, 20 anos sobre este momento ímpar.

Para o assinalar, 20 atores vão ler a obra Todos os Nomes, de forma ininterrupta. Uma autêntica maratona literária que trará à Sala Garrett, no Teatro Nacional D. Maria II, as palavras de Saramago. Durante cerca de 9 horas, ouvimos as vozes de Ana Brandão, António Fonseca, Beatriz Batarda, Carla Maciel, Carlos Marques, Cirila Bossuet, Isabel Abreu, João Grosso, Lúcia Maria, Márcia Breia, Maria do Céu Guerra, Maria João Luís, Miguel Seabra, Mónica Garnel, Pompeu José, Rita Cabaço, Rui Mendes, Sara Carinhas, Sara Castro e Tiago Rodrigues.

A esta leitura, seguir-se-á uma cerimónia de homenagem ao Nobel, onde terão lugar intervenções de Germano de Almeida, Lídia Jorge, Mia Couto, Nelida Piñon e Ondjaki, autores de língua portuguesa, intercaladas por leituras de felicitações recebidas por José Saramago, a propósito da atribuição do Prémio, e incluídas no livro Um país levantado em alegria.

Estreias de cinema de 29 de Novembro de 2018


Esta semana dentre as várias estreias de cinema nas salas nacionais o "Cultura e não Só" destaca as seguintes:



Ralph vs Internet

Em tempos, Ralph foi o vilão do Fix-It Felix Jr, um jogo de vídeo muito popular, em que o herói reparava um edifício que Ralph tinha de destruir constantemente. Mas, depois de mais de três décadas dedicadas à malevolência, Ralph mudou de vida e tornou-se o "bom da fita". Foi assim que entrou no Sugar Rush, um jogo de corrida feitas de doces e biscoitos, onde conheceu Vanellope von Schweetz, uma menina algo temperamental. Amigos desde então, vêem-se agora numa missão urgente para encontrar uma peça que salvará o Sugar Rush. Para isso, têm de se infiltrar na internet, onde vão conhecer várias personagens, entre elas Yess, o algoritmo responsável pelo BuzzTube, um famoso site que determina as novas tendências.
Dos estúdios Walt Disney, um filme de animação em 3D, realizado por Phil Johnston e Rich Moore, que continua a história iniciada em 2012 por Moore. Na versão original, são John C. Reilly, Sarah Silverman, Gal Gadot, Taraji P. Henson, Alfred Molina, Timothy Simons e Alan Tudyk quem dá voz às personagens.



Yardie

Em Kingston (Jamaica), quando era ainda rapaz, Dennis assistiu ao assassinato do irmão mais velho, pelas mãos de marginais. Dez anos depois, tornou-se ele próprio membro de um gangue ligado ao comércio de estupefacientes. Agora, um conhecido criminoso e produtor musical incumbe-o de uma tarefa arriscada: viajar até Londres e entregar um pacote de cocaína. Quando Dennis percebe que o assassino do seu irmão também se encontra em Inglaterra, decide que é chegado o momento de vingar a sua morte.
Em competição no festival de Cinema de Sundance, "Yardie" marca a estreia na realização em cinema do actor Idris Elba. O argumento, escrito em parceria com Martin Stellman, inspira-se na obra homónima do jamaicano Victor Headley. A interpretação fica a cargo de Aml Ameen, Akin Gazi, Mark Rhino Smith, Fraser James e Naomi Ackie, entre outros. 



Djon Africa

A história de Miguel "Tibars" Moreira, ou Djon África, filho de cabo-verdianos, nascido e criado em Portugal. Educado por uma avó e sem nunca ter conhecido o pai, Tibars viaja até Cabo Verde, onde espera encontrá-lo. Mas essa jornada ao país dos seus ancestrais será, mais do que tudo o resto, um encontro consigo mesmo.
Assinado por Filipa Reis e João Miller Guerra (a dupla responsável por "Orquestra Geração", "O Indispensável Treino da Vagueza", "Fragmentos de Uma Observação Participativa"), um filme sobre autodescoberta que se inspira na verdadeira história de Miguel Moreira, o actor que já trabalhara com os realizadores em 2010 no documentário "Li Ké Terra".

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Amar Amália - 16 de Fevereiro - Altice Arena


Em 2019, passam 20 anos do desaparecimento da Rainha do Fado, Amália Rodrigues. Pretendemos marcar a efeméride juntando num só palco grandes valores da música portuguesa.  Este será um grande espetáculo, com um reportório eternizado pela Amália.  Lembrando, sentindo e renovando o seu espírito.

Dulce Pontes, Simone de Oliveira, Paulo de Carvalho, Amor Electro, Vanessa da Mata e Marco Rodrigues vão proporcionar uma noite de gala, numa singela homenagem a Amália que vive ainda hoje através de cada um de nós.


CATAPLAY até Maio no Algarve


A viagem que a programação cultural do 365 Algarve propõe também se faz através dos sabores da região, e a Cataplana é a inspiração do espetáculo CATAPLAY, uma reflexão sobre as origens deste utensílio misterioso, que se estreia a 9 de Dezembro, em Faro.

Até Maio, CATAPLAY vai percorrer 10 localidades do Algarve levando a todos os maiores de 6 anos a receita de uma boa cataplana: “2 pessoas, 5 dentes de alho, 1 conflito, sonoridades várias e 1 toque pessoal”, que terminam com uma degustação de cataplana confecionada pela Tertúlia Algarvia.

A gastronomia regional e do mundo é também a base para a criação artística proposta pelo programa cultural Lavrar o Mar que convida o público a visitar o Festival da Batata-doce de Aljezur e a participar num Baile Culinário, em que as múltiplas qualidades deste tubérculo brilham em receitas originárias de lugares tão exóticos e distintos como a Eritreia, Moçambique, Norte de África, Marrocos e Índia.

Este Dancing gastronómico propõe fundir sons e sabores num só espaço, em que a comida dança pelas mesas para que o baile comece. O palco acolhe a 29 e 30 de Novembro a estreia da Orquestra Vicentina, um projeto de repertório eclético dirigido pelo co-fundador dos Terrakota, André Duarte aka Junior, e composto por músicos de diferentes nacionalidades - de Israel à América do Sul e Caraíbas – residentes no barlavento algarvio.

Nos dias 1 e 2 de Dezembro é a Orquestra Fogo-Fogo que acompanha o espetáculo. Criado numa Lisboa onde cabe toda a África, o projeto de Francisco Rebelo, João Gomes, Márcio Silva, Danilo Lopes da Silva e David Pessoa vibra ao som do funaná da Ilha de Santiago, em Cabo Verde, e da música de baile de festa africana. 

São estes ritmos irresistíveis que se juntam aos sabores quentes e mestiços da Batata-doce para dar a provar aos sentidos do público uma África diversa, plural e muito próxima do sul de Portugal.

Sobre o 365 Algarve

Até Maio, o 365 Algarve apresenta uma programação cultural dinâmica e de elevada qualidade que promete criar na região algarvia momentos ímpares de alegria, conhecimento e entretenimento.

A Viagem é o tema da edição deste ano. Um conceito que simboliza o que o 365 Algarve se propõe fazer ao longo de oito meses, oferecendo a oportunidade de, simultaneamente, usufruir de um território de características especiais, único na conjugação entre mar e serra, e de um total de 402 espetáculos, entre concertos, teatro, eventos e visitas ao património cultural desta região de Portugal.

O desafio desta Viagem é o da descoberta de outros mundos, palpáveis e, também, imateriais. Percorrendo os vários concelhos algarvios, o 365 Algarve guia este percurso através da música, das artes performativas, do cinema e da literatura, conjugando-os com as tradições e história da região, numa aventura de exploração e descoberta que une as artes e o turismo. A programação completa encontra-se disponível no site www.365algarve.pt

O Mistério de Silver Lake nos cinema a 27 de Dezembro


Da mente brilhante do realizador de " Vai Seguir-te" (It Follows), chega-nos uma nova história recheada de crimes misteriosos, assassínios e desaparecimentos no submundo de Los Angeles. Selecção oficial do Festival de Cannes, este filme esteve nomeado para a Palma de Ouro (David Robert MItchell).

Sam (Andrew Garfield) conhece a misteriosa Sarah (Riley Keough) durante um mergulho noturno na piscina do seu apartamento. Quando, no dia seguinte, ela desaparece sem deixar rasto, Sam embarca numa aventura surreal através da cidade inteira para descodificar o segredo por detrás do desaparecimento súbito de Sarah - uma jornada que o mergulha nos mais inacreditáveis mistérios, escândalos e conspirações da "Cidade dos Anjos”.


Herman José no Coliseu de Lisboa


Dia 12 de Abril o Coliseu de Lisboa vai receber o espetáculo imperdível do criador do “Tal Canal”, Herman José, nesta que será a grande esteia do humorista com um espetáculo em nome próprio na mais emblemática sala de espetáculos do país. 

“Herman de Big Band em Ris-te”, traz o grande espetáculo do criador do “Tal Canal” ao Coliseu de Lisboa. Acompanhado por músicos de exceção, dirigidos pelo seu histórico maestro Pedro Duarte, Herman José leva os fãs numa viagem alucinante pela mão de muitas das suas personagens, desde o “Senhor Feliz” ao “José Estebes”, do “Serafim Saudade” ao “Nelo”, recuperando também a sua vertente de músico e recordando muitos dos temas que serviram de moldura a mais de quatro décadas de carreira ao serviço do entretenimento. Este é um espetáculo imperdível para todas as gerações de “hermaníacos”.


Diamantino nomeado para os European Film Awards


O filme "Diamantino", a primeira longa-metragem realizada por Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, está nomeado para os European Film Awards, na categoria de Melhor Comédia. A cerimónia de entrega de prémios vai realizar-se em Sevilha no próximo dia 15 de Dezembro. 

Até lá, o filme estreia hoje nas salas de cinema francesas com distribuição da UFO Distribution.

Depois do Grande Prémio 57.ª Semana da Crítica, do Festival de Cannes, e da exibição em mais de 60 festivais, como o New York Film Festival, Toronto International Film Festival, London BFI , Viennale Film Festival, Mostra de São Paulo, Festival do Rio e os nacionais Curtas Vila do Conde e Queer Lisboa, Diamantino vai estrear brevemente nas salas de cinema portuguesas.

Sinopse

Diamantino, a maior estrela de futebol do mundo, perde o seu toque especial e a sua carreira acaba em desgraça. À procura de um novo objetivo para a sua vida, o ídolo internacional começa uma odisseia delirante, que mistura neofascismo, a crise dos refugiados, modificação genética e a busca pela origem da genialidade.

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Ainda Tenho Um Sonho Ou Dois - A História Dos Pop Dell'Arte


Um trabalho da autoria de Nuno Duarte e Nuno Galopim, a partir de uma ideia e com produção Antena3.

“Ainda Tenho Um Sonho Ou Dois – A História Dos Pop Dell´Arte” é mais um documentário produzido pela marca "Antena 3docs", que se enquadra na linha de documentários sobre a música portuguesa que a Antena3 tem vindo a desenvolver nos últimos 3 anos para ver amanhã, às 24h35, na RTP2.

Em “Ainda Tenho Um Sonho Ou Dois – A História Dos Pop Dell´Arte” revela-nos uma das bandas mais fascinantes e originais na história da nova musica portuguesa, com uma carreira de mais de 30 anos, mas pouco visível para o grande público. A sua história é marcada por uma forte componente eclética e subversiva, que os levou a incorporar na sua música referências díspares como o cinema, a performance ou a poesia, que, até à criação da banda, nunca tinham sido abordados na música portuguesa.

Um documentário que pretende mostrar um percurso de mais de três décadas de existência deste colectivo lisboeta, desde os seus primeiros passos no mítico Rock Rendez Vous, à criação da editora independente Ama Romanta, passando pela gravação de álbuns históricos como Free Pop ou Sex Symbol, desaguando no presente da banda que mantém a mesma inquietação e curiosidade que fizeram dela um nome incontornável no universo da música portuguesa.

Por tudo isso, é uma história que merece ser contada, sobretudo por ser o espelho de uma geração que acabou por lançar as bases, no final dos anos 80, para a revolução da música pop portuguesa que viria anos mais tarde. 

Veja o trailer de "Ainda Tenho Um Sonho Ou Dois - A História Dos Pop Dell'Arte".


Mercedes-Benz E 300 de


O novo Mercedes-Benz E 300 de, existente na versão limousine e station, tem chegada prevista a Portugal já no final de 2018. Estes novos modelos híbridos plug-in a Diesel, combinam o novo motor OM 654 de quatro cilindros, com a mais recente geração da transmissão híbrida 9G-TRONIC de 9 velocidades, o que promete uma experiência de condução sem emissões locais. 

No E 300 de, o motor elétrico tem agora uma potência de 122cv e um binário de 440 Nm. Quando o motor de combustão de quatro cilindros e o motor elétrico trabalham em conjunto, a transmissão envia um binário eletronicamente limitado de 700Nm para o eixo traseiro. O novo Mercedes-Benz E  300 de faz 5,9 s dos 0 aos 100 km/h, atingindo uma velocidade máxima em modo elétrico de 130 km/h. A sua autonomia em modo elétrico é de aproximadamente 50 km’s tanto na versão limousine como na station.

North Music Festival está de volta


O North Music Festival (NMF) está de volta à Invicta para a sua 3.ª edição. O “festival à beira Douro” que, na sua última edição, recebeu nomes como Prodigy ou Gogol Bordello e a presença de 25 mil espectadores, volta à Alfândega do Porto nos dias 24 e 25 de Maio de 2019 com um nome já confirmado. Franz Ferdinand serão os cabeças-de-cartaz do segundo dia de evento, celebrando assim o seu regresso ao Porto depois de 9 anos.

A banda escocesa que lançou, no passado mês de Fevereiro, o seu 5.º álbum (Always Ascending), já se revelou fã de Portugal e, inclusive, do Porto – cidade que, em maio, vão poder revisitar, presenteando os fãs com mais um concerto incrível onde não faltarão, por certo, temas do seu mais recente trabalho como hits desde “Do You Want To” a “Take Me Out” para que, no fim, se apague “This Fire”.

E porque a bússola aponta para Norte, a Organização do evento também anuncia uma edição limitada de bilhetes para o festival, com preço especial de antecipação. Assim, já é possível adquirir bilhetes diários a 32€ ou passe de dois dias a 55€.

“O NMF não é ‘só’ nem ‘mais um festival’. É um encontro de gerações e de estilos, num local privilegiado entre o Douro e a zona histórica do Porto, onde a música é o mote de união mas onde também há gastronomia, provas de vinho, passeios de barco e muito mais”, refere Jorge Veloso, Diretor do North Music Festival. “Se a segunda edição foi um sucesso, a terceira é para superar expectativas e entregar, a todos os que nos visitarem, momentos únicos e recordações inesquecíveis”, acrescenta.

No recinto do festival haverá espaço para três palcos (o principal, um indoor “fora de horas” e um sunset para aquecer o ambiente logo a partir da abertura de portas), duas zonas de restauração (uma interior e outra exterior, dedicada a propostas street food), wine gardens com provas de vinho e várias outras experiências que a Organização já se encontra a preparar e que, em breve, serão divulgadas.

Ministra da Cultura entrega Prémios da Estoril Sol no Casino Estoril


Em cerimónia solene, agendada para amanhã, a partir das 18 horas, no Auditório do Casino Estoril, a Ministra da Cultura, Graça Fonseca, entrega o Prémio Vasco Graça Moura – Cidadania Cultural a Vitor Aguiar e Silva, bem como os Prémios Literários Fernando Namora e Agustina Bessa-Luis, instituídos pela Estoril Sol, e referentes a 2017, respectivamente, a Ana Cristina Silva e Rui Lage.

Nesta terceira edição do Prémio Vasco Graça Moura – Cidadania Cultural, o Júri deliberou atribuir o galardão a Vitor Aguiar e Silva, escritor e poeta, camoniano reputado, professor catedrático da Universidade de Coimbra e antigo vice-reitor da Universidade do Minho. Lançado pela Estoril Sol, o Prémio, com periodicidade anual e no valor de 40 mil euros, constitui uma homenagem à memória de Vasco Graça Moura.

Da acta do Júri, presidido por Guilherme d`Oliveira Martins, ressalta que Vitor Aguiar e Silva é um “exemplo de cidadania cultural, que liga a dimensão didáctico-cientifica à pedagógica, com um percurso incomum nos domínios da Teoria Literária, instrumento fundamental na formação de gerações, da Literatura Portuguesa e na fixação e estudo de parte relevante da obra camoniana, num brilhante exercício de intervenção pública, quer pelo seu magistério universitário, quer pelas altas missões no campo da política da Língua e da Educação”.

Em relação à 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora, promovido pela Estoril Sol, com o valor pecuniário de 15 mil euros, o Júri distinguiu, por unanimidade, Ana Cristina Silva pelo romance “A noite não é eterna”.

Em acta, o Júri, presidido por Guilherme D ´Oliveira Martins, salientou no romance “A noite não é eterna”, tratar-se de “uma obra que se articula a partir da realidade social, politica e humana das crianças romenas, e das suas famílias, no período da ditadura de Nicolae Ceausescu”.

O Júri foi ainda sensível ao facto do romance vencedor ser “uma belíssima composição narrativa com linguagem sóbria e cuidada, que valoriza em particular a narrativa de um drama pungente, num quadro político sufocante e obsessivo. É uma história construída sobre os labirintos da tirania”.

Por sua vez, no que diz respeito à 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís, com o valor de 10 mil euros, o Júri distinguiu, por unanimidade, Rui Lage com o seu primeiro romance “O Invisível”, que propõe uma abordagem ficcional do lado mais oculto de Fernando Pessoa.

Ao eleger “O Invisível”, o júri considerou tratar-se de “um romance com notável fulgor imaginativo” no qual “a figura histórica de Fernando Pessoa é tornada personagem de romance e colocada no centro de uma trama  de ficção muito original, que cruza criativamente referentes conhecidos da época e Cultura Pessoanas, particularmente a sua vertente ocultista e/ou esotérica”.

O Júri dos Prémios Literários da Estoril Sol, além de Guilherme d`Oliveira Martins, foi ainda constituído por José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores, Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários, Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e, ainda, Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, pela Estoril Sol.

Por sua vez, o Júri que atribuiu o Prémio Vasco Graça Moura – Cidadania Cultural, incluiu, ainda, José Carlos Seabra Pereira.

Joana Marques prova no Grande Porto que o seu coração só tem uma cor


Joana Marques prova no Grande Porto que o seu coração só tem uma cor. Nos dias 1 e 2 de Dezembro, a humorista e autora da Contraponto fará uma tour por 5 livrarias/espaços onde estará a dar sessões de autógrafos no âmbito do livro «O Meu Coração Só Tem Uma Cor».

Veja o mapa (imagem em anexo) com informações sobre quais os locais e respetivos horários.


segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Dois espetáculos de Mohamed El Khatib no D. Maria II


O Teatro Nacional D. Maria II acolhe, esta semana, na Sala Garrett, dois espetáculos de Mohamed El Khatib: C’est la vie e Moi, Corinne Dadat.

C’est la vie, em cena a 28 e 29 de Novembro, apresenta-se como um pequeno guia prático para uso dos vivos. Este espetáculo caminha no deserto daqueles que perderam um filho, os “órfãos ao contrário”. À procura de uma palavra, de uma esperança, dois atores testemunham desta dor indizível.

Moi, Corinne Dadat, em cena a 30 de Novembro e 1 de Dezembro, nasceu do encontro entre El Khatib e Corinne Dadat, empregada doméstica. Este poema cénico abraça a ficção e o documentário, com instantâneos da vida a serem revelados numa história íntima da classe popular. Este é o regresso do dramaturgo francês ao D. Maria II, após aqui ter apresentado, em 2017, Acabar em beleza.

InterContinental Cascais-Estoril celebra Natal e Réveillon com vista para o mar


Com a chegada das festas de fim de ano, o InterContinental Cascais-Estoril preparou pacotes especiais para partilhar com amigos ou com a família. A ceia e almoço de Natal, confecionados com os sabores típicos da época, têm um desconto de 10% em reservas confirmadas até ao dia 15 de Dezembro, e há um pack com alojamento para o Ano Novo.

As festas de fim de ano que se avizinham têm lugar na Avenida Marginal, no Estoril, com uma janela aberta para o Atlântico e para uma experiência de conforto, luxo e modernidade.

Com o tema Copacabana, o InterContinental Cascais-Estoril sugere para o Réveillon um programa completo: jantar no Lobby Lounge, no dia 31 de Dezembro, com estadia mínima de duas noites (entre 28 de Dezembro e 1 de Janeiro), pequeno-almoço e brunch no primeiro dia do ano. Até 15 de Dezembro, o pack tem o custo de 950€ (duas pessoas), sendo que noites extra têm um custo de 150€, com pequeno-almoço incluído. O pacote é válido para estadia nos Deluxe rooms, mas o valor pode ser ajustado, de acordo com suplementos, para quartos superiores. Nas reservas efetuadas após esta data, o pack para duas pessoas tem o custo de 990€.


As festas de Ano Novo na unidade de cinco estrelas, com início no jantar do dia 31 e término no brunch do dia 1 de Janeiro, prometem ser animadas com os ritmos quentes típicos do Brasil, num ambiente agradável, descontraído e, claro, com uma vista inigualável sobre o mar.

Para as reservas da ceia e almoço de Natal, o InterContinental Cascais-Estoril tem previsto um desconto direto de 10% nas reservas confirmadas até ao dia 15 de Dezembro. Para crianças até aos 3 anos as celebrações são gratuitas e para crianças entre os 4 e os 12 anos, há um desconto de 50%, cortesia do hotel.

No âmbito das Comemorações do centenário do nascimento do encenador Miguel Franco, a Gradiva edita peça emblemática O Motim


Miguel Franco nasceu em Leiria em 1918, fez teatro amador na sua cidade, sendo várias vezes premiado como encenador e como actor. 

Peça publicada em 1963 e levada à cena a 5 de Fevereiro de 1965 no Teatro Avenida, pela companhia do Teatro Nacional D. Maria II, este texto histórico tem como tema uma sublevação dos homens do Porto contra a criação da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, que, de insignificante agitação, foi considerada rebelião formal e punida pronta e injustamente por ordem de Sebastião José de Carvalho e Melo pela condenação à morte de 30 cidadãos que alegadamente teriam participado no motim. 

O dramatismo da peça atinge o seu apogeu com o desespero crescente dos acusados, que, depois de um momento de ingénua perplexidade, compreendem com desalento que serão injustamente condenados à morte. A coragem com que um dos acusados, Tomás Pinto, recebe a sentença cruel impõe-se como modelo de dignidade e de resistência, o que explica a proibição de exibição da peça pelo regime salazarista após a sua segunda representação.

Esta é a situação – desenrolada no século XVIII – a partir da qual Miguel Franco constrói uma alegórica vigorosa e admirável peça de teatro. Grito de liberdade, protesto contra todas as tiranias, tocando profundamente o leitor ou o espectador, O Motim é uma obra intemporal.

Editado originalmente pelas Publicações Europa-América na colecção icónica «Os Livros das Três Abelhas», a peça foi então considerada pelo exigente crítico João Gaspar Simões «uma das obras mais importantes da dramaturgia portuguesa moderna».

Miguel Franco foi considerado por Luiz Francisco Rebello, na História do Teatro em Portugal, o representante mais importante da dramaturgia histórica na década de 1970.

Sobre o Autor

Miguel Franco (Leiria, 1918-1988) foi actor, encenador e dramaturgo. Desenvolveu o teatro na sua cidade natal, através da recriação do Grupo de Teatro Miguel Leitão, de que foi director e encenador. A partir de 1950, com a apresentação, por todo o país, da peça Tá-Mar, de Alfredo Cortez, o Grupo de Teatro Miguel Leitão passa a    destacar-se na dinâmica do teatro amador em Portugal, sendo ainda de destacar a divulgação das obras de Gil Vicente, um pouco por todo o país. Depois, ainda com Franco como encenador, o grupo montou a peça de Bernardo Santareno, O Duelo, cuja estreia seria impedida pela censura.

Como dramaturgo, Miguel Franco é considerado o mais importante da década de 1970, na categoria da chamada Dramaturgia Histórica, segundo a História do Teatro em Portugal, de Luiz Francisco Rebello. Da sua obra fazem parte O Motim, A Legenda do Cidadão Miguel Lino, O Capitão de Navios, Visita Muito Breve, tendo deixado várias obras por terminar, de que se destaca Leonor Fonseca Pimentel.
Actor de cinema a partir da década de 1960, participou em cerca de dez películas, nomeadamente Crime de Aldeia Velha (1963), O Trigo e o Joio (1964) e Lotação Esgotada (1972), de Manuel de Guimarães, Domingo à Tarde (1966), de António de Macedo, O Cerco (1970) e Vidas (1984), de António da Cunha Telles, A Fuga (1976), de Luís Filipe Rocha, O Rei das Berlengas (1978), de Artur Semedo, e Manhã Submersa (1980), de Lauro António.

Ainda em Leiria, criou no Ateneu Desportivo de Leiria, de que era igualmente director, um espaço de conferências a que chamou Sexta-feira à Noite, no qual intervieram, entre outros, Bernardo Santareno, Rogério Paulo ou Luiz Francisco Rebello. A edilidade local viria a atribuir o seu nome ao Teatro Miguel Franco, equipamento cultural construído em 2003, nas instalações do velho Mercado de Sant'Ana.

Noite de fado no Casino Estoril


Em noite de fado no Casino Estoril, agendada para a próxima Quarta-Feira, 28 de Novembro, a partir das 22 horas, Diana Vilarinho e Francisco Salvação Barreto sobem ao palco do Lounge D acompanhados por Diogo Lucena Quadros na guitarra, Luís Roquette na viola e Francisco Gaspar na viola baixo. A entrada é livre.

Com um cartaz sempre renovado, as noites de fado continuam a suscitar o interesse dos visitantes do Casino Estoril. Trata-se de mais um espectáculo intimista, a não, perder, no Lounge D.

Diana Vilarinho
Considerada uma das grandes promessas do fado, Diana Vilarinho regressa ao Lounge D do Casino Estoril. A jovem intérprete apresenta uma maturidade musical surpreendente, fruto de uma carreira iniciada aos 10 anos e da muita tarimba adquirida nos inúmeros concursos de fado amador em que participou.

Recorde-se que, Diana Vilarinho venceu, em 2008, a Grande Noite do Fado, realizada no Teatro São Luiz, em Lisboa. Já no mercado discográfico, a fadista estreou-se, aos 12 anos, com “Balada da Neve”. 

Francisco Salvação Barreto
Francisco Salvação Barreto: Nasceu em Lisboa em 1982. Começou a cantar aos 14 anos, entre a família e os amigos. É arquitecto paisagista num atelier em Lisboa. Participou em vários eventos no País e no estrangeiro, a convite de embaixadas por ocasião da Presidência Portuguesa da União Europeia, com o objectivo de promover o Fado como expressão da Cultura Portuguesa e do evento nacional das Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo, nomeadamente no Centro Cultural d’Agdal, em Rabat, e na Cisterna da Citê Portugaise, em El-Jadida, Marrocos. Em 2011, a Rádio Amália considerou-o a “voz revelação” do ano.

Tributo 100 Anos de Samba


Com um programa musical muito diversificado, o Casino Lisboa propõe, de 28 de Novembro a 1 de Dezembro, “Tributo 100 Anos de Samba”. Este grupo de experientes músicos presta homenagem ao Samba, mais concretamente à sua história e aos seus compositores e intérpretes. Estarão em destaque clássicos da canção brasileira. A entrada é gratuita.

O “Tributo 100 Anos de Samba” é uma homenagem à sua história e aos seus compositores e intérpretes. Com Daniela Mendes na voz, André Marques da Silva no violão, João Fião na percussão e Luís Delgado na bateria, este quarteto propõe-se recriar os melhores registos de Noel Rosa, Cartola, Dona Ivone Lara ou Martinho da Vila, entre tantos outros.

Símbolo maior da alegria e da tristeza, do amor e da dor, da festa e da luta, que se sente, canta e dança, mas não se explica, o Samba festeja 100 anos sobre o seu primeiro registo fonográfico, O Telefone.

O Samba nasceu na Baía, cresceu no Rio de Janeiro e contaminou o mundo de paixão e, hoje, é celebrado por músicos que apesar de não serem brasileiros, vivem no seu balanço e no seu cantar. “Eu não nasci no samba, mas o samba nasceu em mim!”

Ciclo de música ao vivo com os “Tributo 100 Anos de Samba”
Quarta-Feira, dia 28 de Novembro: 22h00 às 22h50 e das 23h10 às 00h00
Quinta-Feira, dia 29 de Novembro: 20h30 às 21h20 e das 23h30 às 00h20
Sexta-Feira, dia 30 de Novembro: 20h30 às 21h20 e das 23h40 às 00h30
Sábado, dia 1 de Dezembro: 20h30 às 21h20 e das 23h40 às 00h30

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Semana Europeia do Teste VIH e Hepatites 2018


A Semana Europeia do Teste VIH-Hepatites 2018 celebra-se de 23 a 30 de Novembro de norte a sul do país. Ao longo desta semana, será possível fazer o teste de VIH e hepatites virais em mais de 33 locais, geridos pelas 18 organizações da sociedade civil (consultar imagem no final do texto). Os testes são gratuitos, rápidos e anónimos.

Criada em 2013 pelo HIV in Europe, esta iniciativa, em que participam cerca de 700 organizações de base comunitária e instituições públicas e privadas a nível europeu, faz um apelo à comunidade para que reúna esforços durante uma semana e sensibilize a população sobre as vantagens do rastreio e de se conhecer o estatuto serológico para a infeção pelo VIH e hepatite B e C, tendo por lema Testar. Tratar. Prevenir.

Em Portugal, esta iniciativa é coordenada pela associação GAT – Grupo de Ativistas em Tratamentos – através do projeto Rede de Rastreio Comunitária que, em Julho de 2018, foi selecionada para o primeiro compêndio de boas práticas da Organização Mundial de Saúde da Europa.

Só fazendo o teste é possível conhecer o estatuto serológico para estas infeções. Atualmente, com um tratamento adequado é possível curar a infeção pela hepatite C. De igual modo, através de um tratamento precoce e eficaz para a infeção pelo VIH, é possível atingir carga viral indetetável, tornando assim o vírus intransmissível.

Esta semana permanece uma iniciativa única de trabalho conjunto e uma oportunidade quer de aumentar o número de testes rápidos realizados em contexto comunitário, quer de locais onde decorre o rastreio e a distribuição de preservativos e gel lubrificante.

Quem deve fazer o teste
A semana do teste é direcionada a comunidades em maior vulnerabilidade para o VIH e hepatites virais B e C. Estas populações incluem, mas não estão limitados a: homens que fazem sexo com homens (HSH), migrantes (incluindo pessoas originárias de países com maior prevalência), trabalhadores do sexo, reclusos e utilizadores de drogas injetáveis.

A situação na Europa
Atualmente, pelo menos 25% das 2,5 milhões de pessoas que vivem com VIH na Europa desconhece o seu estatuto serológico positivo para o VIH. Metade das pessoas que vivem com VIH são diagnosticadas tardiamente - o que atrasa o acesso ao tratamento.

As hepatites B e C são comuns entre as pessoas em risco e que vivem com VIH. Na Região Europeia da OMS cerca de 15 milhões de pessoas e 14 milhões de pessoas vivem com hepatite B e C, respetivamente. Como a doença é frequentemente assintomática e não tratada, a hepatite crónica é uma das principais causas de cirrose hepática e cancro do fígado. A maioria das pessoas com hepatite C permanece não diagnosticada e apenas uma pequena minoria na Europa (3,5%) recebe tratamento.

Estas estatísticas sugerem que é necessário fazer muito mais para incentivar os indivíduos que vivem com VIH e/ou hepatite, sem saber, a fazer o teste, para melhor direcionar as pessoas que possam estar em risco.

É importante que as pessoas em risco de VIH e/ou hepatite conheçam o seu estado serológico o mais rapidamente possível. Hoje, os avanços no tratamento do VIH significam que as pessoas que vivem com VIH podem viver saudáveis por um longo tempo se forem diagnosticadas precocemente e as pessoas com hepatite C podem ser curadas.

Todos estes dados permitem perceber que muitas pessoas não estão a fazer o teste antes de terem sintomas. Isto pode acontecer porque existem barreiras para pedir um teste, barreiras para oferecer um teste ou barreiras para a implementação das diretrizes europeias existentes para a realização dos rastreios. Isto apesar de os benefícios do diagnóstico precoce estarem bem documentados. Confirma-se, assim, a importância da realização da Semana Europeia do Teste VIH-Hepatite 2018.


Pai Natal dos Oceanos traz surpresas do fundo do mar


Os programas em família são obrigatórios nos roteiros das férias de Natal. E, entre 1 e 23 de Dezembro, miúdos e graúdos podem assistir ao tradicional mergulho do Pai Natal nas profundezas dos oceanos no SEA LIFE Porto. Este ano, à magia natalícia juntam-se ainda coros infantis, uma surpresa que promete animar os visitantes ao longo do mês de Dezembro.

De partida da Lapónia, o Pai Natal prepara-se para mergulhar no oceano a caminho do SEA LIFE Porto. A longa viagem termina a 1 de Dezembro, dia em que estreia o primeiro mergulho do ano nas águas do aquário portuense. O momento pela qual todas as crianças anseiam acontece às 15h30 no único túnel subaquático do país e repete-se ao longo de todos os fins de semana (sábados e domingos), à mesma hora, até ao Natal.

Além do mergulho do Pai Natal dos Oceanos, o Natal Azul conta também com a presença de coros infantis que vão contagiar a Baía das Raias de magia natalícia. No dia 2 de Dezembro (domingo), às 16h30, o coro Lira dá o mote para um concerto imperdível. Já no dia 8 (sábado), também pelas 16h30, é a vez das Clavezinhas de Sol levarem a música de Natal ao espaço portuense. Para fechar a programação musical, no dia 15 de Dezembro (sábado), as vozes do coral juvenil Arco-íris vão encher o SEA LIFE Porto do espírito de Natal. O espetáculo inicia às 16h30.

O programa de Natal não exige inscrição prévia ou custos adicionais. A entrada está sujeita à compra do bilhete no SEA LIFE Porto ou online.

Ignition Day da Altran Portugal


A Altran, líder mundial em serviços de engenharia e R&D, e que conta com 2 mil colaboradores em Portugal, organiza no próximo dia 29 de Novembro, pelas 17h, o Ignition Day, uma iniciativa que irá juntar nas instalações da multinacional, em Lisboa, recém-licenciados e profissionais de Engenharia Informática e Telecomunicações.

A sessão pretende abrir as portas do laboratório Telco do Network Competence Center e dar a conhecer projetos de referência em Engenharia, Digital e Inovação que a Altran Portugal desenvolve para mais de 20 países em todo o mundo. A esta experiência associaram-se a TESLA, que marcará presença com o mítico automóvel Model S, a Fundação Portuguesa das Comunicações que irá expor a história e evolução das telecomunicações em Portugal e Zé Pedro Cobra, cara bem conhecida dos seguidores do TEDx.

Para Alexandre Ruas, Diretor de Telecom & Media da Altran Portugal, “esta será uma excelente oportunidade de mostrar o que de melhor se faz em engenharia de telecomunicações e informática em Portugal. Pela primeira vez vamos abrir sem filtros as portas do nosso laboratório e centros de competências, mostrar as nossas soluções, projetos e quais os desafios diários de quem trabalha para todo o mundo em tecnologia de ponta. Acreditamos que a fórmula para continuar a contar com os melhores engenheiros é mostrarmos-lhes a essência da nossa organização. O ADN. Por fim, porque queremos fazer diferente, mais atrativo e melhor, sentimos que as parcerias são um bem necessário no ecossistema tecnológico, pelo que agradeço à Tesla, Fundação Portuguesa das Comunicações, Zé Pedro Cobra e à Have a Nice Day todo o seu contributo e espírito construtivo durante o processo de criação do evento.”

Recordar que em 2017 a Altran recrutou mais de 400 profissionais em Portugal, para os seus escritórios no Porto, Lisboa e Fundão. O Ignition Day é uma iniciativa gratuita.

Espetáculo para bebés no Teatro da Trindade


No dia 1 de Dezembro estreia, na Sala Estúdio do Teatro da Trindade e em coprodução com o Coletivo Lagoa, JUNTO, um espetáculo / instalação para bebés dos 0 aos 3 anos, as suas famílias, amigos e escolas. A encenação é de Mariana Lemos que assina também a criação, juntamente com os performers Clara Bevilaqua e Guilherme Calegari.

Entramos num espaço em branco e estão dois corpos juntos. Duas tartarugas que não se largam, passam os dias e as noites sempre juntinhas. O espaço é um lugar quente e aconchegado, como a barriga da mãe. Aqui, neste mundo, cabemos todos: pequenos e grandes. Este espetáculo é um encontro a meio caminho, pede uma proximidade com os atores-bailarinos e convida a entrar e a explorar o palco-cenário. Os corpos juntos, criam e recriam formas de conviver e sentir. Ouvem-se sons e instrumentos que se transformam em brinquedos e gestos, e danças que envolvem e ampliam o imaginário. Quem sabe se esta dança desacelera o tempo ou a música que se ouve atrás dos ouvidos?

O espetáculo estará em cena até 20 de Janeiro. As sessões de quarta e sexta, às 10h30,  são destinadas às escolas (sob marcação); as sessões para famílias realizam-se aos sábados às 16h e aos domingos às 11h.

Claude - 24 de Novembro na RTP2


Claude, uma ópera com música de Thierry Escaich e libreto de Robert Badinter, inspirada no conto "Claude Gueux" de Victor Hugo. Uma obra que se desvia um pouco da história original, uma vez que o seu protagonista existiu na realidade, como se pode comprovar nos arquivos judiciários da cidade de Troyes, na região de Champagne.

Claude é um trabalhador diligente da Croix-Rousse, uma colina de Lyon, e com uma vida feliz ao lado da mulher e da filha. Quando o patrão o despede, a ele e aos colegas, para os substituir por máquinas, Claude recusa-se a aceitar. A questão não era a mudança, mas sim a eliminação das pessoas. Claude e outros trabalhadores pegam em armas e barricam-se na fábrica, mas não são bem sucedidos. Condenado a 7 anos de trabalhos forçados, Claude é enviado para a penitenciária de Clairvaux. O amor pela profissão e o ódio à injustiça fazem dele uma figura carismática entre os detidos e determinam o seu futuro. Para o reprimir, o diretor da prisão separa-o de Albin, o seu maior amigo, o que lhe irá desencadear algumas reações de maior impetuosidade.

Sábado, dia 24 de novembro, às 22h15 na RTP2.

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

A HP acelera a produção de impressão 3D em massa


A HP anunciou na Formnext 2018 mais instalações das suas soluções de impressão 3D HP Jet Fusion, quer em novos clientes quer em projectos anteriores, para responder à crescente procura mundial de produção de peças fabricadas em 3D. A HP anunciou a diversidade de novas aplicações nos setores dos transportes, industrial, da saúde e do retalho, incluindo novas aplicações PA-11 e os primeiros clientes das suas novas e premiadas soluções HP Jet Fusion 3D 300/500. A HP também anunciou um fluxo de trabalho de projeto-para-impressão com a Autodesk para permitir funcionalidades de design generativo em todo o portfólio HP Multi Jet Fusion, e novas funcionalidades on-line para acelerar o projeto para a produção em massa para clientes e revendedores.

“A HP acelera a capacidade de produção em massa em 3D, permitindo uma variedade de aplicações que ajudam os clientes a melhorar os seus negócios à medida que entramos na 4ª Revolução Industrial. Muitas indústrias, como a automóvel, que está a passar pela sua maior transformação dos últimos 100 anos, estão à procura de novas tecnologias e parceiros estratégicos como a HP para ajudá-los a competir melhor neste momento de mudança ”, disse Christoph Schell, Presidente de Impressão 3D e Digital Manufacturing, HP Inc. “Estamos a trabalhar com inovadores em todo o mundo para alterar a maneira como eles projetam e fabricam com a HP Multi Jet Fusion e a nossa nova plataforma Metal Jet, ao desbloquear novas aplicações, mais flexibilidade de fabrico e mais inovação, eficiência e sustentabilidade em todo o ciclo de vida de desenvolvimento de produtos ”.

Facebook lança guia para descobrir Lisboa


Para celebrar Lisboa e as suas comunidades. O Facebook apresentou ontem o guia para descobrir Lisboa através das comunidades do Facebook. O guia junta as melhores recomendações de Lisboetas e traz uma visão diferente da cidade para celebrar a Lisboa premiada como European Leading City Destination pela World Travel Awards em 2018.

O Facebook compilou as recomendações de 25 grupos que utilizam a plataforma para se juntarem em prol de causas e interesses comuns, para se encontrarem pessoalmente ou planearem atividades em grupo. O resultado é um guia que reflete toda a riqueza cultural tradicional de Lisboa e de locais inovadores, onde a cidade prospera, exprimindo uma combinação perfeita de tradições, bem como da inovação cosmopolita e tecnológica.

Desde bairros tradicionais, gastronomia local, cultura tradicional, arte e história na tradicional Lisboa, aos bairros modernos e emergentes, gastronomia cosmopolita, cultura moderna, vida saudável e criatividade como uma das áreas onde a Lisboa trendy está a crescer, todas as recomendações são feitas por comunidades locais no Facebook e podem ser lidas, em Português e em Inglês, aqui: https://cityguides.fb.com/
O guia está também disponível numa versão em PDF online: https://fbnewsroomes.files.wordpress.com/2018/11/guia-lisboa-pt-web.pdf .


Lisboa é uma das cidades mais adoradas pelo seu próprio povo - os Lisboetas - e as comunidades no Facebook são muito ativas na plataforma.

Lisboa é a segunda cidade da Europa em termos de lugares favoritos para visitar, de acordo com o estudo Global Destination Cities Index, elaborado pela Mastercard, com um crescimento médio de turistas de 10,6% entre 2009-2017.

O guia foi apresentado em Lisboa para celebrar as comunidades, acompanhado por uma exposição fotográfica dos membros das comunidades que contribuíram para o guia. Esta exposição fotográfica estará aberta aos visitantes no segundo piso do Lisbon Story Centre, no Terreiro do Paço, até dia 25 de Novembro.

Todos os dias vemos como milhões de pessoas em todo o mundo utilizam a plataforma e se conectam com as comunidades para partilhar interesses e preocupações comuns, encontrar apoio para causas e fazer parte de atividades que têm um impacto realmente positivo nas nossas vidas. Mais de 1,4 mil milhões de pessoas utilizam grupos do Facebook todos os meses em todo o mundo, o que nos inspira e reforça o nosso compromisso para oferecer às pessoas a possibilidade de criar comunidades e aproximar o mundo.

Casino Estoril recebe o Harlem Gospel Choir


Com um assinalável prestigio internacional, o Harlem Gospel Choir actua, no próximo dia 29 de Novembro, às 21h30, no Salão Preto e Prata do Casino Estoril.  O grupo propõe um concerto espiritual, festivo e capaz de unir toda a família em torno de algumas das mais celebradas canções do mundo.

O Harlem Gospel Choir - talvez o mais famoso grupo de gospel do mundo neste momento -, já trouxe a Portugal espectáculos de homenagem a gigantes da música como Michael Jackson, Stevie Wonder ou Whitney Houston, Adele ou Beyoncé. 

Estarão em destaque compositores e interpretes de méritos mais do que reconhecidos que nas experientes vozes deste grupo se tornam, também, autores de hinos universais capazes de capturar o espírito de uma época muito especial.

Desta vez, o Harlem Gospel Choir propõe ao seu fiel público e a quem os queira agora descobrir uma viagem pelos maiores êxitos da sua muito celebrada carreira. Este grupo, que já cantou ao lado de ou para gente tão importante como Nelson Mandela, o Papa João Paulo II, Paul McCartney, Diana Ross, U2 ou Gorillaz, entre tantos outros. Têm quase três décadas de história, percurso relevante que lhes permitiu colecionar muitos sucessos que agora se traduzem num envolvente espectáculo, capaz de elevar os espíritos e de inundar de paz qualquer plateia.

Em noite de concerto no Salão Preto e Prata, o convite é para uma celebração muito especial e dirige-se a toda a família. A banda sonora, essa será de luxo e entregue com o inimitável estilo do Harlem Gospel Choir. 

Casino Lisboa recebe "O Deus da Carnificina"


O Auditório dos Oceanos do Casino Lisboa inicia, a partir do próximo dia 29 de Novembro, às 21h30, um ciclo de representações de “O Deus da Carnificina”, uma comédia de costumes…sem os bons costumes. A peça da dramaturga Yasmina Reza distingue-se pela encenação de Diogo Infante.

Dois casais, adultos e aparentemente civilizados, encontram-se para resolver um incidente protagonizado pelos seus filhos menores. O que é verdadeiramente sedutor neste confronto é a progressão paradoxal do encontro dos casais. Há uma certa sofisticação na forma como o encontro decorre na tentativa de apurar responsabilidades na luta física que ocorreu entre os respetivos filhos, dois jovens de 11 anos.

O que acontece na realidade é a queda progressiva das máscaras a que nos obrigamos no acto social e um estalar do verniz, que deixa a nu a natureza violenta dos relacionamentos humanos. As conversas entre os quatro são constantemente interrompidas pelo telemóvel de Alberto, advogado de uma multinacional farmacêutica, acusada de vender medicamentos para cardíacos que produz efeitos colaterais. A sua mulher Bernardete, é uma mulher com ambições sociais e com uma curta tolerância ao álcool. Verónica, é uma dona de casa, vagamente interessada em arte africana e o seu marido Miguel é um vendedor de electrodomésticos. 

Nada é claro ou linear. Ninguém é normal. As primeiras impressões vão-se contradizendo, negando-se, alterando-se em contacto com as outras. Pouco a pouco vamos sendo levados para o núcleo da nossa natureza primordial, selvagem e violenta. Todos são capazes de pensamentos politicamente correctos, mas também se mostram capazes de usar golpes baixos e letais, quando se trata de defender o interesse próprio ou dos filhos. 

O tema da peça é, necessariamente, a “Hipocrisia”, ou se preferirmos, a dupla moral e de como perspectivas éticas se mostram flexíveis para defenderem certos interesses. O que é curioso é que toda esta dimensão ética e política é colocada neste texto em termos profundamente cómicos. 

“O Deus da Carnificina” é por isso uma comédia, mesmo que o riso tenha como fronteira a dor que sempre sentimos, quando constatamos a nossa fragilidade humana.