quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Celebre o São Valentim com Cinema VIP


A paixão e o amor são parceiros inequívocos do cinema e por isso, não há como resistir a celebrar a noite de São Valentim com uma sessão cinematográfica muito especial. A noite de 14 de Fevereiro é por excelência a noite mais romântica e uma das mais concorridas. Este ano, deixe os preparativos nas mãos do Alegro Alfragide e Alegro Setúbal e prepare-se para se surpreender.

Aproveite a Campanha do Dia dos Namorados a decorrer em ambos os centros comerciais (entre os dias 09 e 14 de Fevereiro, no Alegro Alfragide, e entre os dias 11 e 14 de Fevereiro, no Alegro Setúbal) e troque os seus talões de compras no valor igual ou superior a 60€ efetuadas nas lojas aderentes por um bilhete duplo de cinema VIP 2D, um exclusivo Cinema City Alegro Alfragide e Alegro Setúbal.

Buffet com hambúrgueres, cachorros, pizzas, doces, etc., bebidas (com refill incluído no intervalo) e pipocas no VIP Lounge seguido de um filme romântico. O programa perfeito que se eleva com a experiência na área VIP das salas, onde pode assistir à sessão escolhida com uma vista privilegiada para o ecrã e confortavelmente sentado nas poltronas em pele almofadadas e reclináveis.

As opções dos filmes em cartaz são muitas e há certamente uma para cada casal que venha às salas do Cinema City Alegro Alfragide e Alegro Setúbal.

Casino Estoril recebe a "Gala Sem Preconceito"


O Salão Preto e Prata recebe, no próximo Sábado, dia 2 de Fevereiro, pelas 20h30, a 4ª edição da Gala Sem Preconceito. Após o êxito registado nos anos anteriores, o Casino Estoril associa-se, uma vez mais a este importante evento solidário. 

A Gala sem Preconceito, visa ajudar o Projecto Amélia que auxilia crianças no Myanmar a chegarem aos hospitais de forma humana e sem sofrimento, para receberem os seus tratamentos de quimioterapia. 

Muitos foram os artistas que aceitaram, de imediato, fazer parte deste grande espectáculo. Subirão ao palco do Salão Preto e Prata: Raquel Tavares, João Pedro Pais, Anjos, Atoa, Virgul, Valas, Diana Castro, Soraia Tavares, Fada Juju, Mikas, André Viamonte, Rui Drummond e muitos outros. 

Em noite de Gala, estará, também, em destaque, um elenco de notáveis apresentadores e Padrinhos deste projecto: Ricardo Carriço, Isabel Guerreiro, Sofia Nicholson e Pedro Crispim que terá a seu cargo o desfile das Mulheres do Calendário 2019. 

Recorde-se que, todos os anos é produzido um calendário com 12 Mulheres que conhecem o cancro na primeira pessoa. Este ano uma das fotografadas é Alice Vieira, escritora e jornalista, que representa o mês de Março. A divulgação do projecto culmina com a Gala no Casino Estoril. Esta produção é extremamente cuidada e elaborada com uma magnífica produção de moda. O nosso principal objectivo é que estas mulheres se sintam bonitas e com uma elevada auto estima, mesmo com as condicionantes físicas que esta doença lhes traz.

Este projecto é dirigido às crianças, pelo que haverá ainda lugar durante a Gala à entrega de 3 prémios de mérito na área do desporto e do espectáculo a três crianças que se destacaram pela sua performance no ano de 2018.

Em simultâneo com a Gala, será apresentado no Foyer do Casino, o Mundo Encantado da Alice no Mundo das Maravilhas com Apoio PMP produções, com muitos personagens, muita alegria e muita cor. 

A República Possível


A República Possível (1910-1926) é um estudo enriquecedor que procura explicar um período complexo da história do país à luz de uma metodologia sociológico-histórica da autoria de Fernando Pereira Marques, um autor com ampla reflexão e actividade enquanto investigador no domínio da História recente.
A situação em Portugal entre 1910 e 1926 não foi muito diferente da generalidade de situações coetâneas noutras sociedades europeias, do ponto de vista da radicalização da conflitualidade social e da instabilidade política. É, pois, redutor atribuir a queda da I República a «erros», a «faltas», a «desvios» – segundo as versões benignas de tipo historicista –, ou à perversidade «jacobina», «anticlerical», ou até «autoritária» dos políticos republicanos, segundo as versões de outros historiadores.
Em termos mais simples, não foi a balbúrdia de que falam alguns textos referindo-se a esse período, o caos ou a catástrofe que a propaganda salazarista descrevia ou que ainda vários sustentam, nem foi uma «Cousa Santa» traída por militares e por um ditador perverso.
Foi a «República possível» no contexto da sociedade portuguesa com as suas características e problemáticas específicas, um processo complexo mas modernizador que a ditadura militar e o salazarismo travaram eficazmente.

Sobre o Autor

Fernando Pereira Marques nasceu em 1948. É Diplomado pela École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) de Paris e Doutor de Estado em Sociologia pela Universidade de Amiens (França). Foi Professor Catedrático convidado na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (Lisboa), onde dirigiu o 2.º Ciclo de Ciência Política, e é investigador integrado no Instituto de História Contemporânea da UNL.
Entre outros cargos, foi deputado à Assembleia da República, dirigente nacional do Partido Socialista, presidente da Subcomissão Parlamentar de Cultura e membro da delegação portuguesa na União da Europa Ocidental (UEO) e na Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa. É autor de várias obras nas áreas do ensaísmo e da investigação, colaborador em publicações periódicas e director-adjunto da revista Finisterra.

Casino Estoril estreia "Vidas Privadas"


O Auditório do Casino Estoril estreia, no próximo Sábado, 2 de Fevereiro, a partir das 21h30, o espectáculo “Vidas Privadas”. Trata-se de uma peça sobre o amor nas suas mais quentes, e mais frias, expressões.

Amanda e Elyot, divorciados há cinco anos reencontram-se por acaso, com novos esposos, em segunda lua-de-mel num hotel em Deauville. Quando a chama entre eles se reacende, fogem juntos para Paris, onde... uns dias mais tarde os novos esposos os vêm procurar. Uma comédia de costumes duradoura e especiosa.

Estreias de cinema de 31 de Janeiro de 2019


Esta semana dentre as várias estreias de cinema nas salas nacionais o "Cultura e não Só" destaca as seguintes:


Novos Amigos Improváveis

Na sequência de um acidente que o deixou tetraplégico, Phillip Lacasse (Bryan Cranston), um milionário de meia-idade, resolve contratar alguém que o assista nas rotinas do dia-a-dia. É então que Yvonne (Nicole Kidman), a sua assistente, entrevista Dell Scott (Kevin Hart), um jovem negro recentemente saído da prisão, que precisa urgentemente de emprego. Dell é, segundo todas as aparências, alguém totalmente inadequado à função. Mas Philip, estabelecendo com ele um vínculo imediato, contrata-o. Com o passar dos dias, aqueles dois homens com vidas tão distintas vão encontrar pontos em comum que ninguém imaginaria possíveis, fazendo nascer uma amizade que, apesar de improvável, se torna mais profunda a cada dia.
Realizado por Neil Burger ("O Ilusionista", "Sem Limites", "Divergente"), este é o "remake" americano do filme "Amigos Improváveis" (2011), a comédia dramática assinada pelos franceses Olivier Nakache e Eric Toledano, e interpretada por Omar Sy e François Cluzet, que comoveu plateias em todo o mundo. Com argumento de Jon Hartmere, a história é, tal como na versão francesa, baseada no livro autobiográfico "Le Second Soufflé", escrito por Philippe Pozzo di Borgo.


Correio de Droga

Afundado numa grave crise financeira, Earl Stone, um veterano da Guerra da Coreia que hoje vive da agricultura, aceita atravessar estado do Michigan a mando de um perigoso grupo de narcotraficantes, com o equivalente a três milhões de dólares em cocaína. Apesar do risco, o facto de ter 90 anos, aliado a um registo criminal imaculado, torna-o quase insuspeito aos olhos das autoridades. Mas tudo se complica quando ele se vê na mira de Colin Bates, um detective da DEA, a agência norte-americana antinarcóticos.
Produzido, realizado e protagonizado por Clint Eastwood ("Cartas de Iwo Jima", "Gran Torino", "Invictus", "Sniper Americano", "Milagre no Rio Hudson"), um filme dramático com argumento de Nick Schenk, que tem por base uma história verídica relatada no artigo "The Sinaloa Cartel's 90-Year-Old Drug Mule", da autoria de Sam Dolnick, que foi publicado no "The New York Times". Para além de Eastwood como protagonista, no elenco encontramos Bradley Cooper, Laurence Fishburne, Michael Peña, Dianne Wiest e Andy García.


Destroyer: Ajuste de Contas

Há uns anos, Erin Bell, detective polícia de Los Angeles, aceitou participar como infiltrada numa investigação a um perigoso grupo de assaltantes. Apesar dos seus esforços, a missão foi mal-sucedida e deu origem a uma tragédia pessoal. Profundamente abalada pelo que acontecera, ela viu-se a ceder à depressão e ao alcoolismo. Agora, ao deparar-se com um assassinato que aparenta ter sido cometido pelo mesmo grupo, decide perseguir os criminosos e encontrar as provas que lhe faltavam. Contudo, forçada a encarar os responsáveis pela destruição da sua vida, debate-se com dificuldades em manter a imparcialidade necessária à investigação.
Com Nicole Kidman (nomeada para o Globo de Ouro de Melhor Actriz por este papel), Toby Kebbell, Tatiana Maslany, Scoot McNairy, Bradley Whitford nos papéis principais, e argumento de Phil Hay e Matt Manfredi, o filme é realizado por Karyn Kusama ("Aeon Flux", "O Corpo de Jennifer"). 

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

The Gift no NOS Alive’19


Os The Gift são a mais recente confirmação para o Palco NOS, no dia 13 de Julho, dia que encerra a 13.ª edição do festival. A banda de Alcobaça, que em 2018 levou ao Palco NOS Clubbing o disco “Altar” com um concerto absolutamente extraordinário, apresenta este ano o novo trabalho de estúdio, com data de lançamento prevista para o primeiro semestre de 2019.

“Verão” é o novo álbum do grupo e segundo os próprios poderá ser ou não a continuidade óbvia da Primavera. Certo é que a curiosidade já ficou no ar e também a confirmação de que este trabalho vai ser apresentado dia 13 de Julho no NOS Alive’19.

“Este Verão não é das praias e da pele salgada. Não é dos olhos que parecem ser verde esmeralda. Não é das paixões que acabam por carta. Não é das viagens com vidros abertos. Não é do mar. Não é o verão das cores vivas ao sol". 


Sumol Summer Fest 2019


Há tradições que são para manter. E o arranque das férias de verão com o Sumol Summer Fest já é uma tradição. Nos dias 5 e 6 de Julho, no Ericeira Camping, o lema é aquecer os motores para um verão que se espera inesquecível, com os melhores amigos, a praia ali ao lado e a melhor música do momento – no fundo, tudo o que se precisa para viver o espírito Wild e dar corpo à hashtag #estátudoàsolta. Depois de Young Thug, há mais uma confirmação de peso. São muitos e, neste caso, são bons: os Brockhampton.

Pode parecer estranho que, chegados a 2019, ainda haja um grupo de jovens, interessado em fazer música, a denominar-se a si próprio como uma “boy band”. O termo entrou em desuso e hoje pode até ser olhado com alguma desconfiança, mas quando os Brockhampton se assumem como tal, o objectivo é precisamente desafiar esse conceito e todos os preconceitos que ficaram da década de 90. Sendo assim, pode dizer-se que os Brockhampton são a “boy band” de Kevin Abstract, o líder de uma formação que tem de tudo um pouco – uma diversidade que, naturalmente, também se reflete nos ritmos, nas letras e na mensagem que se quer passar. A equipa toda chegava para formar uma equipa de futebol e ainda iria sobrar gente: Kevin Abstract, Matt Champion, Merlyn Wood, Dom McLennon, Joba, Bearface, Romil Hemmani, Jabali Manwa, Kiko Merley e ainda os designers Henock “HK” Sileshi e Roberto Ontenient, o fotógrafo Ashlan Grey e o agente Jon Nunes. É preciso recuperar o fôlego depois desta enumeração, até porque é mesmo preciso ter fôlego para acompanhar a energia contagiante dos Brockhampton… Esta aventura começou quando Kevin Abstract fez um post no fórum KanyeLive (um fórum de fãs de Kanye West). Ele queria formar uma banda. Recebeu 30 respostas de candidatos e, passados três anos, essa banda já estava a editar o primeiro EP. Na altura assinavam AliveSinceForever e só depois chegariam ao nome Brockhampton. Singles como “Bet I”, “Hero” ou “Dirt” foram responsáveis pelo primeiro burburinho, mas nada faria prever o que viria aí. O ano de 2017 trouxe o disco de estreia, “Saturation”, que se viria a revelar uma trilogia. A produtividade impressionou e a música também, com temas como “Gold”, “Sweet” ou “Boggie” a conquistar o coração dos fãs. Aqui há r&b, rap e até rock alternativo, além de uma grande vontade de dar voz a uma geração. E esses três discos de uma assentada, num só ano, não fizeram com que os Brockhampton abrandassem – 2018 trouxe “Iridescence” e a mesma energia de sempre, sem medo de ser alternativo, ao mesmo tempo que se conquista o mundo. O futuro do hip-hop está aqui e vai passar pela Ericeira, dia 6 de Julho, no Palco Sumol da próxima edição do Sumol Summer Fest.

Fornova Melhores do Ano da Rádio Nova Era



A Rádio Nova Era volta a levar ao palco da Exponor – Feira Internacional do Porto, os nomes que mais deram nas vistas em 2018, na música nacional e internacional. O cartaz para este ano está cada vez mais, e prova disso são as novas confirmações nacionais. São quatro nomes de peso da música nacional, que no dia 27 de Abril vão atuar na única entrega anual de prémios de música do país, os Fornova Melhores do Ano: Bispo, David Carreira, Diogo Piçarra e Fernando Daniel.

O rapper Bispo é um dos principais representantes da nova escola da Linha de Sintra. No final de 2015, lançou o seu primeiro álbum, “Desde a Origem”, que sucedeu ao EP “Bispoterapia”. O 1º single foi “Olho Gordo”, que contou com a produção de Spliff. “Desde a Origem” contou a participação de vários produtores reconhecidos da nova escola, como Sam The Kid, Holly, Spliff, Fumaxa e Last Hope. Em 2018, Bispo lançou o novo single “Nós 2” (feat. Deezy) que atingiu a marca de Ouro e já ultrapassou 11 milhões de visualizações no YouTube. O single fará parte do novo trabalho do rapper, a ser editado brevemente.  2018 foi o ano de estreia de Bispo nos Fornova Melhores do Ano da Nova Era, evento ao qual regressa agora em 2019.

Considerado um dos melhores talentos da sua geração, David Carreira lançou no final de 2018 o seu mais recente álbum de originais, intitulado “7”, e que chegou à liderança do top nacional de vendas. Este álbum inclui muitas colaborações, como Deejay Télio, Inês Herédia e a irmã de David, Sara C., numa estreia em dueto. É apresentado pelo single “Cuido de Você (feat. Kell Smith). David Carreira tem-se também destacado nos palcos. Exemplo disso foi a "3 Tour", em 2016 – ano em que foi eleito pela MTV como como Best Portuguese Act – e a digressão que se lhe seguiu, a "3 World Tour", em 2017, merecendo os aplausos do público, tanto em Portugal como no estrangeiro. O cantor possui dupla carreira, em Portugal e França, onde os seus vídeos batem recordes de visualizações. É o caso do videoclip de “O Problema É Que Ela É Linda (ft. Deejay Télio, Mc Zuka)”, um dos temas do novo álbum, que já ultrapassou 11 milhões de visualizações. Em 2019, David Carreira estreia-se no palco dos Fornova Melhores do Ano da Nova Era. 

Considerado um dos melhores talentos da sua geração, David Carreira lançou no final de 2018 o seu mais recente álbum de originais, intitulado “7”, e que chegou à liderança do top nacional de vendas. Este álbum inclui muitas colaborações, como Deejay Télio, Inês Herédia e a irmã de David, Sara C., numa estreia em dueto. É apresentado pelo single “Cuido de Você (feat. Kell Smith). David Carreira tem-se também destacado nos palcos. Exemplo disso foi a "3 Tour", em 2016 – ano em que foi eleito pela MTV como como Best Portuguese Act – e a digressão que se lhe seguiu, a "3 World Tour", em 2017, merecendo os aplausos do público, tanto em Portugal como no estrangeiro. O cantor possui dupla carreira, em Portugal e França, onde os seus vídeos batem recordes de visualizações. É o caso do videoclip de “O Problema É Que Ela É Linda (ft. Deejay Télio, Mc Zuka)”, um dos temas do novo álbum, que já ultrapassou 11 milhões de visualizações. Em 2019, David Carreira estreia-se no palco dos Fornova Melhores do Ano da Nova Era. 

Diogo Piçarra é, atualmente, um dos nomes maiores da música portuguesa. Em 2018, prosseguiu com a sua muito bem sucedida digressão de “do=s”, de promoção do seu segundo álbum, que somou mais de 140 concertos, pisando pela primeira vez os palcos dos Coliseus do Porto e Lisboa, em dois concertos esgotados, e o palco principal do MEO Sudoeste. Também em 2018, lançou de surpresa o EP “Abrigo”. Pela primeira vez, Diogo Piçarra foi inteiramente responsável por uma edição, tendo produzido na íntegra todos os temas que compõem este EP, “Abrigo”.
Diogo Piçarra editou ainda a Revista/DVD “Coliseus”, que se manteve no 1º lugar do top nacional de vendas durante três semanas consecutivas. “Coliseus” reúne, numa revista de 100 páginas, fotografias inéditas, o DVD do concerto histórico gravado no Coliseu de Lisboa, em Outubro de 2017; o EP “Abrigo”, editado pela primeira vez em CD; e dois vídeos inéditos, gravados para a MTV Portugal, a propósito da nomeação para os MTV Awards 2018, que Diogo Piçarra venceu na categoria “Best Portuguese Act”.

Fernando Daniel tornou-se conhecido do grande público ao vencer a 4ª edição do “The Voice Portugal” em 2016. Em 2017 chegou à final do Festival RTP da Canção, onde alcançou o 5º lugar com o tema "Poema a Dois", composto por Henrique Feist. Também em 2017, o cantor lançou o seu primeiro single, “Espera”, e apresentou o seu primeiro álbum, “Salto”, editado em 2018. O videoclip de “Espera” já ultrapassou 19 milhões de visualizações no Vevo. Seguiram-se os singles “Nada Mais” e “Mágoa”. “Voltas”, o seu mais recente single, foi lançado no final de 2018 e conta com mais de 6 milhões de views. Fernando Daniel é um dos nomes em estreia na edição 2019 dos Fornova Melhores do Ano da Nova Era.

Cat Power no 25º Super Bock Super Rock


Nos dias 18, 19 e 20 de Julho, o Festival da música autêntica regressa a Sesimbra e ao Meco. Com a praia ali ao lado e um ambiente ainda mais informal, há uma coisa que continua a ser levada muito a sério: a música. E a prova disso é o forte poder feminino que marca o cartaz da 25ª edição do Super Bock Super Rock. Depois das confirmações de Lana Del Rey e Charlotte Gainsbourg, há mais uma senhora que promete conquistar (ainda mais) o público português: a norte-americana Cat Power. 

Charlyn Marie Marshall é Cat Power para o mundo da música – um mundo que não fica indiferente às suas canções já há mais de 20 anos. O pai era um pianista focado no blues e o padrasto tinha uma coleção de discos invejável, cheia de soul e rock. Estas influências fizeram com que a jovem Marshall começasse a escrever as suas canções bem cedo, contra as indicações dos pais – os verdadeiros amantes da música conhecem os perigos da sua paixão... E a primeira apresentação pública mais a sério deu-se num pub em Brooklyn, algures entre 1992 e 1993, já sob o nome de Cat Power. A partir daí, começa a desenhar-se um dos percursos mais interessantes dos últimos trinta anos de música indie. Nesses primeiros anos, conheceu referências como Liz Phair, Steve Shelley (Sonic Youth) e Tim Foljahn (Two Dollar Guitar), nomes que logo a encorajaram a gravar as primeiras canções e, consequentemente, também os primeiros discos. "Dear Sir" (1995) e "Myra Lee" (1996), gravados num só dia, em Nova Iorque, já nos diziam muita da personalidade artística de Cat Power. 

O talento era mais do que evidente e surgiu o convite para assinar com a editora Matador e gravar aquele que seria o seu terceiro disco: "What Would the Community Think". A ansiedade de Cat Power fez com que se mudasse para a Carolina do Sul e desse um tempo à música. E esse hiato só foi interrompido à conta de um pesadelo, um sonho inquietante que foi também uma espécie de visão do seu disco seguinte. “Moon Pix”, editado em 1998, apareceu-lhe em sonhos e foi impossível dizer que não a esse chamamento. Cat Power estava de regresso e esse registo parecia mais adulto e polido do que os anteriores, uma tendência que veio a confirmar-se nos discos seguintes, "You Are Free", com as participações de Eddie Vedder e Dave Grohl, e "The Greatest", provavelmente o disco mais bem sucedido até então. A ansiedade e a depressão foram fantasmas que continuaram a pairar sobre a vida de Cat Power e, por isso, também sobre as suas canções, pelo menos até “Sun”, editado em 2012, aquele que é o disco mais luminoso da carreira da cantora. E seis anos depois, Cat Power regressou aos discos como com “Wanderer”. Editado em 2018, este disco é uma espécie de síntese de todos os anteriores, voltando a fórmulas que conhece bem, ao mesmo tempo que entra em diálogo com aquilo que de melhor se vai fazendo no presente. “Woman”, com Lana Del Rey, é uma das faixas obrigatórias. E, curiosamente, as duas vão passar pela próxima edição do Super Bock Super Rock, dia 18 de Julho, no Palco Super Bock. Cat Power também vai estar no Meco para dar o seu testemunho de música autêntica. 


HONNE no Palco Sagres do NOS Alive’19


HONNE, o duo londrino composto por James Hatcher e Andy Clutterbuck, que angariou o nome da expressão japonesa “True Feelings” é a mais recente confirmação para o Palco Sagres do NOS Alive’19. A dupla leva ao Passeio Marítimo de Algés, dia 11 de Julho, os dois primeiros registos de originais “Warm on a Cold Night” (2016) e “Love Me / Love Me Not” (2018).

​O novo álbum de HONNE, editado no passado mês de Agosto, captura a dualidade e os altos e baixos do dia a dia e o ato de balançar entre dois estados de espírito. A combinação de soul com sintetizadores, consegue transmitir a visão de intimidade musical dos dois produtores, garantiu-lhes uma forte legião de seguidores um pouco por todo o mundo.

O par de produtores conheceram-se na faculdade e começaram a trabalhar desde então. Com fortes influências de Al Green e Bill Withers, o seu som eletrónico quente sugere ainda sonoridades de Quincy Jones. Um nome muito requisitado pelos fãs do NOS Alive com  atuação confirmada para o primeiro dia do festival, no Palco Sagres. 


terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Paulo Gonzo nos Coliseus em Março


Paulo Gonzo, acaba de anunciar dois concertos nos Coliseus, dia 22 de Março no Coliseu de Lisboa e dia 24 de Março no Coliseu de Porto. O talentoso cantor, compositor e uma das grandes vozes da música nacional comemora em concerto clássicos de uma carreira recheada de sucesso. 

Os mais de 40 anos de carreira tornam-no um ícone da música portuguesa, não apenas para toda uma geração que cresceu a ouvi-lo mas também para uma nova vaga de fãs e artistas que nele se inspiram e escutam com admiração. Paulo Gonzo, coleciona êxitos e nunca abdicou de mostrar como é um devoto incondicional da música soul e blues, o seu talento e sucesso, com mais de 500.000 álbuns vendidos, tornam-no um dos mais conceituados artistas portugueses. 

Esta vai ser a oportunidade para ver e ouvir décadas de sucessos, com passagem obrigatória por discos como “My Desire”, “Jardins Proibidos”, “Quase Tudo” ou mesmo o seu mais recente “Diz-me”, entre outros.  

Na viagem musical de Paulo Gonzo houve sempre margem para colaborações inesperadas e encontros muito aguardados com conceituados artistas nacionais e internacionais. Também para os Coliseus de Lisboa e Porto aguardam-se convidados a revelar brevemente. 


Pat Garrett & Billy The Kid no CCB


O CCB continua o ciclo Belém Cinema, em parceria com a Midas Filmes, com Pat Garrett & Billy The Kid, de Sam Peckinpah, no dia 17 de Fevereiro, no Grande Auditório, às 16h00. O filme será exibido numa versão digital restaurada.

Pat Garrett, um antigo fora-da-lei, é agora um obediente xerife contratado por um grupo de barões da droga do Novo México, para liquidar o lendário criminoso e seu amigo de infância, Billy the Kid. Condenado à forca, Billy consegue escapar iniciando-se uma empoeirada caça ao homem, que culmina com um mítico duelo em New West.

Custódia Partilhada é o grande favorito dos prémios César


Custódia Partilhada de Xavier Legrand é o grande favorito dos prémios César, os mais importantes galardões franceses. 

O filme foi nomeado em 10 categorias: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Actriz, Melhor Actor, Melhor Argumento Original, Melhor Primeiro Filme, Melhor Actor Revelação, Melhor Fotografia, Melhor Montagem e Melhor Som. Custódia Partilhada já está disponível em DVD e nas plataformas VOD dos operadores de televisão e na FILMIN. 

O casal Besson divorciou-se. Para proteger o filho do pai que acusa de violência doméstica, Miriam pede a custódia total. Mas a juíza concede ao pai direito de visita. Refém entre os pais, Julien vai fazer tudo para evitar que o pior aconteça.

Cold War – Guerra Fria recebeu 3 nomeações aos Oscar


Cold War – Guerra Fria recebeu 3 nomeações aos Oscar. O filme foi nomeado nas categorias de Melhor Filme Estrangeiro, Pawel Pawlikowski foi nomeado para o Oscar de Melhor Realizador e o filme foi também nomeado para o Oscar de Melhor Fotografia.

Cold War - Guerra Fria de Pawel Pawlikowski, que foi distinguido com o Prémio de Melhor Realizador em Cannes, foi o grande vencedor dos Prémios do Cinema Europeu, conquistando os de Melhor Filme, Actriz, Realizador, Argumento e Montagem. 

O filme está também nomeado aos prémios Bafta, os mais importantes galardões britânicos, nas categorias de: Melhor Filme em Língua não Inglesa, Melhor Realizador, Melhor Argumento e Melhor Fotografia. E foi nomeado ao César de Melhor Filme Estrangeiro. 

Cold War – Guerra Fria está há mais de três meses em exibição em Lisboa, no UCI El Corte Inglés, e enquanto circula por todo o país, foi também já editado em DVD e está disponível nas plataformas de vod dos operadores de televisão e na FILMIN. 

Galp Beach Party


A maior Beach Party da Europa regressa à Praia do Aterro Norte, em Matosinhos, nos dias 28 e 29 de Junho. Durante estes dias, a maior pista de dança nacional, vai receber os mais destacados representantes da dance scene mundial, em 24 horas de música sem parar. A mais recente confirmação para a super produção, que a Rádio Nova Era está a preparar, é a dupla norueguesa Da Tweekaz, que no 28 de Junho se estreia em Portugal, na Galp Beach Party.

Da Tweekaz é uma dupla norueguesa composta por Kenth Kvien e Marcus Nordli, que desde a sua génese tentou criar estilos diferentes e mais complexos de dance music e daí se terem rendido à produção de Hardstyle e Hard Dance.

As suas atuações são um explosão de energia com óculos de sol, sorrisos de orelha a orelha e até patinhos de borracha. O seu álbum de estreia,  "Time 2 Shine", atingiu os tops de hard dance um pouco por todo o mundo, posicionando-os como um dos projetos mais requisitados neste estilo musical. Baseados na Bélgica, um país que os recebeu de braços abertos e onde tocam com frequência nos mais diversos festivais, incluindo no Tomorrowland. Assinaram com a reconhecida label Dirty Workz, onde lançam os temas que fazem os seu fãs delirar.



segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

HP lança soluções de retalho inovadoras para pequenas empresas


A HP acaba de anunciar novas soluções inovadoras criadas para atender às necessidades exclusivas dos retalhistas de pequena e média dimensão e operadores de hotelaria. O novo HP Engage One Prime é uma expansão do portfólio de sistemas de ponto de venda da HP com uma solução completa otimizada para empresas de retalho e hotelaria de pequenas e médias empresas.

Os pequenos retalhistas querem sistemas acessíveis, altamente fiáveis ​​e fáceis de gerir, com o mesmo design elegante utilizado por lojas maiores. Além disso, o espaço de bancada é precioso e por isso estas empresas necessitam de sistemas de ponto de venda que sejam compactos e incluam periféricos essenciais que deixem os seus balcões livres de desordem.

"Para competir de forma eficaz no mercado atual, os retalhistas de pequena e média dimensão e os operadores de hotelaria precisam de mais do que uma caixa registradora e uma vitrine", afirma Natasja Andringa, EMEA Business Unit & Sales Manager, Retail Solutions, HP Inc."Os retalhistas mais pequenos querem soluções que permitam melhorar as experiências dos clientes nos seus ambientes de loja e hotelaria, e o HP Engage One Prime foi desenvolvido para responder às suas necessidades".

Design premium e acessibilidade

O HP Engage One Prime é uma solução de ponto de venda tudo em um, elegante e acessível, concebida para responder às necessidades de empresas de menor dimensão. O HP Engage One Prime está pronto para ser implementado rapidamente, integra-se perfeitamente com as aplicações mais comuns de software e pagamento e tem a fiabilidade e a segurança de que as empresas de retalho necessitam.

A HP irá trabalhar com outros parceiros de serviços de pagamento selecionados globalmente e com fornecedores independentes de software (ISVs) para agregar soluções de software de ponto de venda com o HP Engage One Prime.

Espera-se que o HP Engage One Prime esteja disponível em Março de 2019 na rede global de parceiros de pontos de venda autorizados. Além disso, os ISVs de retalho, incluindo Talech, Wynd, Systopia, Extenda Retail e Protel, planeiam dar suporte à solução.

Cervejas, petiscos e vinil: o trio perfeito com assinatura Super Bock


Às sextas-feiras, o bar do SOMOS Restaurant & Lounge, na Invicta, passa a disponibilizar cervejas artesanais, em parceria com a Super Bock, e os petiscos tradicionais portugueses que melhor combinam. O DJ Francisco Coelho vai ainda passar vinil, entre as 21h e a 00h.

Para terminar a semana da melhor forma, o SOMOS Restaurant & Lounge, situado na Avenida da Boavista, no Porto, acaba de divulgar um novo programa: “Super Records, Super Nights!”.

Às sextas-feiras ao final do dia é possível deliciar-se com uma combinação de quatro cervejas artesanais (Super Bock gama Selecção 1927, 10cl cada) com quatro petiscos tradicionais portugueses por 12,00€. A combinação do “sabor autêntico” da cerveja com os pratos que melhor condizem e que poderá usufruir sozinho ou partilhar com os amigos.

Para animar o programa, estará ainda presente o DJ Francisco Coelho, com direito a dois gira-discos profissionais e uma mesa de mistura, que se vai dedicar à música Jazz, Soul, Disco, Library e Downbeat. Uma verdadeira viagem no tempo, apenas com vinil, e que promete tornar os finais da semana inesquecíveis.

Com uma tábua de sabores, cerveja a acompanhar e a melhor música no ouvido, o programa do SOMOS Restaurant & Lounge vai agitar a Avenida da Boavista, roubar sorrisos e ajudar os apaixonados por cerveja a entrar no fim de semana com o pé direito.

Noite de fado no Casino Estoril com Carmo Moniz Pereira e Gustavo


É já na próxima Quarta-Feira, 30 de Janeiro, pelas 22 horas, que Carmo Moniz Pereira e Gustavo se apresentam no Lounge D do Casino Estoril. Com estilos muito próprios, os fadistas serão acompanhados por Diogo Lucena Quadros na guitarra, Luís Roquette na viola e Francisco Gaspar na viola baixo. A entrada é livre.

Carmo Moniz Pereira
Carmo Moniz Pereira nasceu numa família amante da música e em especial de fado, tendo descoberto, muito jovem, o gosto pelo canto. Aos 15 anos foi convidada para cantar fado numa festa de beneficência, a partir da qual começaram a surgir convites para participar noutros eventos. Cantou em regime fixo em dois restaurantes com fados: o “Damas” e o restaurante do “Jockey”.

Ganhou, em 2010, o 1º Prémio Maria Severa do Concurso “Há Fado na Mouraria”, concurso que teve lugar no Teatro Trindade e cujo júri contou com os especialistas de fado José Pracana, José Manuel Osório e Helder Moutinho. Fundou, posteriormente, com os fadistas Francisco Salvação Barreto e Matilde Cid o projecto Fado Rezado, tendo como objectivo levar o fado tradicional às celebrações cristãs, como forma de oração.

Gustavo
Nascido em Lisboa, em 1990, Gustavo começou a despertar interesse pela música desde muito jovem. Com, apenas, 7 anos de idade, iniciou aulas de piano e aos 9 anos, foi convidado para representar o Colégio Príncipe Carlos e Princesa Ana num CD alusivo aos 50 anos da instituição. Com a sua entrada no Colégio Militar aos 10 anos, integrou o Orfeão de Alunos de onde surgiram inúmeros espectáculos em que participou tocando piano, órgão, guitarra clássica e cantando. 

Gustavo revelou-se fadista, seguindo as pisadas de seu pai, António Pinto Basto, actuando pela primeira vez em público aos 15 anos numa casa de fados em Lisboa. Desde então, participou em inúmeros espectáculos com grandes vozes do fado como, por exemplo, Rodrigo, Vicente da Câmara, José da Câmara, Maria João Quadros, Teresa Tapadas e, claro, o seu próprio pai. A sua paixão e devoção é o fado, onde se espera que se revele como mais uma grande voz da canção nacional.

Ciclo de Tertúlia Poética no Casino Lisboa presta homenagem a São Tomé e Príncipe


O Casino Lisboa prossegue, amanhã, dia 29 de Janeiro, às 21h30, o ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino”, dedicado, desta vez, a São Tomé e Príncipe. Agendada para o restaurante Beltejo, no 3º piso, esta iniciativa de índole cultural evoca os poetas dos países de língua portuguesa. 

A 5ª sessão do ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino” presta homenagem a São Tomé e Príncipe e, em especial, à poetisa Alda Espírito Santo. 

Com a coordenação de José de Figueiredo Costa, o programa é o seguinte:  
- 21h30: Pormenor musical pelos músicos residentes
- 21h45: Apresentação a cargo de José Figueiredo Costa 
- 22h00 - Mesa redonda, na qual estará presente o Embaixador de São Tomé e Príncipe, em Portugal, Damioo Vaz De Almeida que fará a apresentação da Poetisa Alda Espírito Santo.
   Poemas declamados pela escritora e estilista Goretti Pina.

- Pormenor musical pelos músicos residentes
- Tertulianos da Margem Sul - 2 poemas cada
- Animação por Tonecas Prazeres
- Declamação de Elsa Noronha
- Poemas do público
- Tertulianos da Margem Sul - 1 poemas cada
- Pormenor musical pelos músicos residentes

O ciclo “Tertúlias Poéticas do Casino” resulta de uma parceria do Casino Lisboa com a Associação de Moradores e Empresários do Parque da Nações - AMCPN, a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa – UCCLA e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP.

O ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino” distingue-se por criar um espaço de convívio na Freguesia do Parque das Nações, onde a cultura partilhada se revela como o seu pilar central. A cultura está, habitualmente, em evidência através da Poesia, da Música, da Fotografia e da Pintura.

Esta iniciativa de índole cultural convida o público a ler os poemas e a partilhá-los num ambiente intimista do restaurante Beltejo do Casino Lisboa. É uma oportunidade do público conhecer autores, poetas, músicos, pintores e fotógrafos.

Casino Estoril inaugurou “Poesia Silenciosa - 6 Pintores I 6 Escultores”


A Galeria de Arte do Casino Estoril inaugurou a programação do corrente ano com a colectiva de Pintura e Escultura “Poesia Silenciosa – 6 Pintores I 6 Escultores”.

Estão em evidência obras dos seguintes artistas: Augusto Patrão, Branislav Mihajlovic, Irene Gomes, Kaiko, Paulo Pina e Rui Carruço, em Pintura, e Carlos Ramos, Filipe Curado, Gustavo Fernandes, Jorge Pé-Curto, Marius Moraru e Rogério Timóteo, em Escultura.

“Há uma exigência importante na organização deste tipo de exposições, que esta Galeria sempre procura observar: a qualidade dos participantes e dos seus trabalhos”, sublinha Nuno Lima de Carvalho, Director da Galeria de Arte. A exposição colectiva “Poesia Silenciosa – 6 Pintores I 6 Escultores” fica patente ao público, todos os dias, das 15 às 24 horas, até 25 de Fevereiro. A entrada é livre.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

“Festival Flamenco Casino Estoril” de 7 a 28 de Fevereiro


Com um assinalável êxito registado em anteriores edições, o “Festival Flamenco Casino Estoril” regressa, em Fevereiro, ao Lounge D. Trata-se de um ciclo de espectáculos que será protagonizado por exímios intérpretes de flamenco. Com entrada livre, a não perder, às Quintas-Feiras, nos próximos dias 7, 14, 21 e 28, a partir das 22h30.

Saray de los Reyes e Juan de los Reyes serão os protagonistas da Gala de abertura “Festival Flamenco Casino Estoril”, agendada para 7 de Fevereiro. Em noite festiva, filha e pai partilham o palco com o cantor Jesus Corbacho e o guitarrista Jordi Flores. 

Saray de los Reyes nasceu em Sevilha em 1989. É filha do mestre cigano da dança Juan de los Reyes, com o qual começou a estudar flamenco com 5 anos. Em 2006, ganhou o prestigiado prémio de baile "Carmen Ledesma" no concurso Peña Torres-Macarena. Actualmente, protagoniza espectáculos de excelência e é professora de aulas de técnica e coreografia de dança na escola “De los Reyes”.

Juan de los Reyes nasceu em Sevilha, em 1965, tendo experimentado o flamenco em criança e aprendidos os primeiros passos com o mestre Pepe Ríos. Trabalhou ao longo da sua carreira nos tablaos mais importantes de Sevilha e Barcelona. Foi dançarino na companhia de Mario Maya, participando em actuações como “Ay Jondo !”, "El Amargo" ou "El Réquiem". É considerado um dos grandes mestres da dança flamenca cigana e dedica-se ao ensino em sua academia, o estúdio flamenco “De los Reyes”.

Em noite de Tablao Flamenco, o Lounge D acolhe, a 14 de Fevereiro, Fernando Jiménez e Angel Fariña. Estarão, ainda, em destaque o cantor David Bastidas e o guitarrista Alberto López.

Fernando Jiménez é um conceituado dançarino sevilhano com formação profissional no Conservatório Nacional de Sevilha. Integrou prestigiadas companhias como a de Mario Maya, o Ballet Flamenco de Andalucia e Rocío Molina, na qual se converteu em solista. Em 2017, ganhou o “Prémio Desplante” do Concurso Flamenco Cante de las Minas de la Unión, o prémio flamenco mais importante, o que lançou a sua carreira como solista. 

Angel Fariña nasceu em Sevilha, em 1978, e iniciou, aos cinco anos, a sua formação na dança flamenca Formou-se em dança espanhola no Conservatório de Dança de Sevilha. Fez parte do grupo de dança Ciudad de Sevilla (95 e 96) realizado e coreografado por Javier Latorre, Manolo Marín e La Tona. Durante vários anos fez parte das companhias de Eva Yerbabuena e Maria Pagés. Participou do filme “Flamenco” de Carlos Saura.

Para a noite de 21 de Fevereiro está agendado outro genuíno espectáculo de Tablao Flamenco com Jesus Herrera e de David Moñiz. Estarão também em evidência, o cantor Tremendito Hijo e o guitarrista Ruben Martínez.
Nascido em San Sebastian, em 1981, Jesus Herrera mudou-se para Sevilha, iniciando em criança o estudo da dança flamenca. Integoru as Companhias Andaluza de Dança, Antonio Gades e Cristina Hoyos. Em 2005, ganhou o prémio por alegrias no Concurso Nacional de Baile La Perla de Cádis e, nos dois anos seguintes, foi finalista no concurso internacional Cante de las Minas de la Unión. Em 2016, apresentou o seu próprio espectáculo, realizando tournées internacionais.

Violinista Sevilhano, David Moñiz formou-se no Conservatório Superior de Música “Rafael Orozco” de Córdoba e no Conservatório Superior “Manuel Castillo” de Sevilha, onde é professor. Músico com grande interesse na inovação da forma de entender o violino, fez parte da Orquestra Jovem de Andalucia e da companhia da mestre Maria Pagés, com a qual ganhou o Prémio da Crítica ao Melhor Espectáculo da Bienal de Flamenco de Sevilha.


A Gala de Encerramento do “Festival Flamenco Casino Estoril” está reservada para 28 de Fevereiro. Juan Carlos Cardoso e Marta Arias que serão acompanhados pelo cantor David Bastidas e o guitarrista Alberto López.

Juan Carlos Cardoso nasceu em Sevilha, em 1977. Iniciou-se no flamenco aos 5 anos, tendo começado, aos 12 anos, a sua formação em dança espanhola com Lola Triana e, mais tarde, ingressou no Conservatório de Dança de Sevilha. Em 1997 começou a sua carreira profissional na companhia de Yoko Komatsubara, realizando uma tournée pelos teatros mais importantes de Japão. Entre 1998 e 2006 integrou as companhias das mestres Maria Pagés e Eva Yerbabuena. Em 2007, apresentou junto a Marta Arias o seu espectáculo “Paso a Paso”, na Irlanda. 

Marta Arias nasceu em Sevilha, em 1979. Formou-se em Dança Espanhola no Conservatório de Dança de Sevilha. Integrou o grupo de dança da Cidade, tendo realizado coreografias de Javier Latorre, Manolo Marín e La Toná. Aos 14 anos, ganhou o 2º prémio no VI Festival Andaluz de Jovens Amadores de Flamenco. 

Angélica Liddell traz The Scarlet Letter ao D. Maria II


O mais recente espetáculo da controversa criadora espanhola, Angélica Liddell, chega agora ao Teatro Nacional D. Maria II. Depois da sua estreia mundial em Orléans, em Dezembro passado, The Scarlet Letter vai estar em cena na Sala Garrett nos dias 1 e 2 de Fevereiro.

Partindo do clássico de Nathaniel Hawthorne com o mesmo nome, a dramaturga, encenadora e atriz espanhola propõe-se a trabalhar temas como a escuridão da condição humana e a hipocrisia em tempos de puritanismo. The Scarlet Letter assume-se como uma crítica à hipocrisia moral da atualidade, que esconde a origem genital da conceção e do nascimento, negando que o amor possa proceder do desejo, da sexualidade e de uma paixão violenta.

“Com The Scarlet Letter, submergimo-nos nos pesadelos que nos dão forma, na necessidade da culpa e na incapacidade de fuga, como uma rebelião contra a saúde e a ordem”, menciona Angélica Liddell.

Uma criação de Angélica Liddell a partir do livro de Nathaniel Hawthorne, The Scarlet Letter é um espetáculo falado em espanhol e italiano, com legendas em português.

Casino Lisboa recebe Lusitânia Comedy Club


Com um delirante registo de bom humor, “Lusitânia Comedy Club” apresenta “O Porquê da Coisa” no Casino Lisboa. Trata-se de um divertido ciclo de representações que propõe aos espectadores “Uma reflexão perfeitamente inútil sobre a magnífica História de Portugal”. A não perder, de 1 a 10 de Fevereiro, no Auditório dos Oceanos.

Lusitânia Comedy Club é um colectivo e um espírito. Estreia uma peça chamada “O Porquê da Coisa”, escrita por Nuno Markl (O Homem Que Mordeu o Cão), Francisco Martiniano Palma (5 Para a Meia-Noite) e Frederico Pombares (O Último a Sair), com canções originais de JJ Galvão e interpretada por Mafalda Santos, Ana Freitas, Hugo Simões, Luís Sousa, Luís Oliveira e Frederico Amaral. 

Mercedes-Benz celebra aniversário do Museu da Porsche


O que faz um Porsche 550 Spyder no Museu da Mercedes-Benz? Esta fotomontagem do primeiro automóvel de corrida da casa de Zuffenhausen, cercado por Mercedes Silver Arrows, é um gesto de celebração do 10º aniversário ao Museu da Porsche. A Mercedes-Benz, para esta comemoração, oferece ainda o acesso gratuito ao Museu da Mercedes-Benz aos funcionários da Porsche até 10 de Fevereiro de 2019. Desde 2016, os dois museus têm colaborado, promovendo descontos entre si nos bilhetes de acesso.

O Museu da Mercedes-Benz convida todos os funcionários da Porsche para uma visita, agora que o Museu da Porsche celebra 10 anos: ao longo de dez dias úteis, entre 31 de Janeiro a 10 de Fevereiro de 2019, o acesso ao Museu da Mercedes-Benz por todos os funcionários da Porsche que se identifiquem é gratuito. Os museus sediados em Estugarda têm colaborado entre si e promovido descontos de 25% a todos os visitantes que apresentem bilhete do Museu da Mercedes-Benz ou da Porsche.

Esta parceria conta com vários anos de existência - em 1906, Ferdinand Porsche, foi Diretor Técnico da Daimler-Motoren-Gesellschaft austríaca (DMG), tendo depois assumido o cargo de Diretor-Geral em 1917. Em 1923, tornou-se Diretor Técnico e Membro do Conselho Executivo da DMG em Untertürkheim. Após a fusão com a Benz & Cie na criação da Daimler-Benz AG, a Porsche foi nomeada membro do Conselho Executivo da empresa em 1926 e assumiu a responsabilidade geral conjunta pelo desenvolvimento de veículos com Hans Nibel da Benz & Cie.

Desde o lançamento no mercado como fabricante de automóveis após a Segunda Guerra Mundial, a Porsche tornou-se igualmente num ícone da indústria automóvel. Ambas as marcas continuam a ter muito sucesso em vários eventos e também competem diretamente entre si pelo primeiro lugar. Por exemplo, no passado, o Porsche 550 Spyder competiu contra o Mercedes-Benz 300 SLR em Mille Miglia 1955. 

«Factfulness» um dos livros mais importantes que Bill Gates já leu


Apenas os factos contam a verdadeira história e o mundo que temos é muito melhor do que aquilo que pensamos. Estas são duas ideias chave do livro Factfulness (palavra que se pode traduzir, em português, para factualidade), da autoria do já falecido médico, estatístico e académico Hans Rosling, com a colaboração do seu filho e nora, Ola Rosling e Anna Rosling Rönnlund respetivamente. 

O livro, que chegará às livrarias portuguesas no dia 1 de Fevereiro, foi oferecido por Bill Gates a todos os alunos finalistas de liceu ou faculdade no ano de 2018. Para Gates, este é um dos livros mais importantes que já leu e trata-se de “um guia indispensável para pensar claramente acerca do mundo», veja aqui o vídeo que fez sobre o livro. 


Quando fazemos perguntas simples acerca de tendências globais – qual a percentagem da população mundial que vive na pobreza; qual a razão pela qual a população mundial está a aumentar – obtemos respostas sistematicamente erradas. Tão erradas que um chimpanzé que escolhesse as respostas ao acaso faria melhor do que professores, jornalistas, investigadores e laureados com o Prémio Nobel. Hans Rosling propõe uma nova explicação radical da razão pela qual aquilo acontece. Revela os dez instintos que distorcem a nossa perspetiva até à forma como consumimos os média (onde domina o medo) e como percecionamos o progresso (acreditando que a maior parte das coisas está a piorar). Factfulness é um livro urgente e essencial, que mudará a forma como vemos o mundo e que nos permitirá responder às crises e oportunidades do futuro. 

Sobre Hans Rosling

Hans Rosling foi médico, professor de Saúde Internacional e educador público de nomeada. Foi conselheiro da Organização Mundial de Saúde e da UNICEF e cofundador dos Médécins Sans Frontières e da Gapminder Foundation. As suas conferências TED foram vistas mais de 35 milhões de vezes e fez parte da lista da Times das cem pessoas mais influentes do mundo. Hans morreu em 2017, tendo dedicado os últimos anos de vida à escrita deste livro. 

Sobre Ola Rosling e Anna Rosling Rönnlund

Ola Rosling e Anna Rosling Rönnlund, filho e nora de Hans, são cofundadores da Gapminder e Ola foi seu diretor de 2005 a 2007 e de 2010 até hoje. Depois de a Google ter adquirido a Trendalyzer, a ferramenta de gráficos de bolhas inventada e desenhada por Anna e Ola, este tornou-se diretor da Google’s Public Data Team e Anna a designer da equipa sénior de experiência do utilizador (UX). Ambos receberam prémios internacionais pelo seu trabalho.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Todos, Alguém, Qualquer Um, Ninguém


Em 2019, a Companhia Paulo Ribeiro, companhia residente desde 1999, apresenta duas estreias absolutas na programação dos 20 anos do Teatro Viriato. A primeira já a 25 e 26 de Janeiro é assinada por Luiz Antunes e a segunda será uma coreografia de António Cabrita e São Castro com data de apresentação marcada para a rentrée em Setembro.

No ano em que acontecem os 20 anos do Teatro Viriato, Luiz Antunes – a convite da Companhia Paulo Ribeiro e, em colaboração com António Cabrita e São Castro – apresenta, em estreia absoluta, a 25 e 26 de Janeiro, às 21h30, Todos, Alguém, Qualquer Um, Ninguém, uma peça sobre o acontecimento, enquanto ação contínua com diferentes intenções e velocidades, que se reflete na vida de cada um e é interpretado distintivamente.

No palco, a interpretação é de Ana Moreno, Guilherme Leal, Joana Lopes, Małgorzata Suś, Rafael Oliveira e Ricardo Machado. Seis figuras em cena que, entre o lento e a explosão, geradora do que é acontecer, viajam por momentos de solidão, de raiva, de julgamentos sumariamente físicos, brutos carregados de novos dogmas, de novas formas de moralismos, cenas que por acontecerem estão a ser reais, são garantia da realização inevitável de algo. Subtis olhares que marcam o início de novo caos e que produzem sensações. Figuras que fazem tudo e, contudo, nada conseguem. Gritam em silêncio, o mudo silêncio do corpo.

Todos, Alguém, Qualquer Um, Ninguém resulta de uma encomenda do Teatro Viriato à Companhia Paulo Ribeiro, companhia residente desde 1999, para a criação de um espetáculo que retratasse os acontecimentos marcantes das últimas duas décadas. Já o convite da direção artística da Companhia Paulo Ribeiro, António Cabrita e São Castro a Luiz Antunes enquadra-se num dos eixos de ação da própria Companhia de diversificação da sua identidade e linguagem criativa e artística. Na resposta ao desafio, Luiz Antunes reflete sobre o acontecimento, sobre o fazer acontecer, tornar real o que aconteceu, o que se consegue ver, e não o que dizem os escritos sobre a forma como aconteceu, porque nos escritos não há sentimento efetivo. 

Esta será uma das duas estreias que a Companhia Paulo Ribeiro apresentará na programação para 2019 do Teatro Viriato. Na rentrée em setembro (19 e 20), será a vez dos coreógrafos e diretores artísticos da Companhia Paulo Ribeiro, António Cabrita e São Castro estrearem “Last”, uma coreografia para uma partitura de Beethoven, com a participação ao vivo do Quarteto de Cordas de Matosinhos. Presença reforçada dado que os 20 anos do Teatro Viriato são indissociáveis dos da companhia residente, Companhia Paulo Ribeiro, que esteve na génese da criação do projeto artístico do Teatro Viriato. Uma relação pautada pela distinção das missões, dinâmicas e eixos de ação das duas entidades, mas também pela articulação de objetivos comuns no que diz respeito à intervenção na formação e no desenvolvimento de públicos.

Exposição ‘Quatro ao Quadrado’


A Fundação AFID Diferença, que apoia jovens com deficiência, crianças e idosos no concelho da Amadora, inaugura no próximo sábado, dia 26 de Janeiro, a primeira exposição artística do ano. A exposição ‘Quatro ao Quadrado’ é uma partilha de experiências em conjunto com as associações Amorama, Cerciama e Recomeço, que ficará patente na galeria Artur Bual na Amadora, até 24 de Fevereiro. 

À semelhança do que aconteceu no ano passado, a Fundação AFID Diferença inaugura no próximo dia 26 de Janeiro, na Galeria Artur Bual, a primeira mostra artística de 2019, uma exposição partilhada com as instituições de solidariedade social do concelho da Amadora a Amorama, Cerciama e Recomeço.

As instituições juntam-se numa só exposição que procura mostrar a aposta na expressão artística como forma de beneficiar o bem-estar das pessoas com doença ou deficiência mental e de as ajudar por forma a conhecer a sua verdadeira identidade, estabelecendo um território de igualdade nas obras que resultam desta prática

“Não é preciso saber resolver equações para pintar um quadro, mas a verdade é que pode dar muito jeito. A matemática está presente em qualquer ato criativo, por mais livre e caprichoso que ele aparente ser. E é por entendermos isto que sorrimos ao depararmo-nos com o título desta mostra: Quatro ao Quadrado (42) é uma conta simples, mas complexa”, explica o monitor do Atelier de Pintura da Fundação AFID Diferença, Nuno Lacerda.

“Quatro ao quadrado (42) não é uma soma, é uma multiplicação, uma combinação exponencial de vontade e talento. E se o cálculo parece evidente a quem domina o campo das ciências exatas, deixemo-nos a desfrutar o momento em que não sabemos ainda o que esperar, ou quantas histórias e vidas se escondem sob a frieza nua dos números”, acrescenta.

A par de quatro eventos que terão lugar durante a exposição ao longo do mês de fevereiro, reuniram-se ainda as condições para concretizar uma ideia nascida do primeiro encontro: a elaboração de um painel coletivo com autores das diferentes casas. Esta será também a primeira participação do Atelier de Costura da Fundação AFID Diferença. 
  
Esta exposição é o arranhar da superfície num mundo de sonhos que quer brotar de cada artista. Cabendo ao espetador o gesto de se debruçar e alegrar com cada um. A exposição coletiva será inaugurada a 26 de Janeiro, sábado, e ficará patente até 24 de Fevereiro na Galeria Artual Bual, na Amadora.

Sobre a Fundação AFID Diferença

A AFID – Associação Nacional de Famílias para a Integração da Pessoa com Deficiência celebrou em 2018 33 anos de existência. Ao longo do seu vasto percurso criou também a Fundação AFID Diferença, que por sua vez comemorou 11 anos, uma instituição particular de solidariedade social que se dedica a iniciativas de reabilitação, educação, formação e inserção socioprofissional de pessoas com deficiência. Desenvolve igualmente um conjunto de atividades de apoio à comunidade e serviços de proximidade nos domínios da assistência e solidariedade social, apoio à infância e à terceira idade. É a primeira Instituição da área social, em Portugal, certificada pelas Normas ISO 9001:2008, pela Marca ISS, Nível A e pelo EQUASS Excellence.   

Atualmente, a AFID, na sua globalidade, atende perto de 1500 pessoas – Infância (AFIDKIDS), Pessoas com Deficiência (AFIDREAB) e Pessoas Idosas (AFIDSÉNIOR) - e para as quais trabalham diariamente 211 colaboradores. Trata-se de uma das principais instituições sociais do país – pela dimensão, abrangência e complementaridade dos seus serviços e, sobretudo, pela qualidade impressa na gestão e intervenção técnica. A AFID enquanto associação de famílias mantém o seu objetivo ao nível da representação dos direitos das famílias e das pessoas com deficiência.   

Casais de namorados beneficiam de campanha na compra de Tour FC Porto para celebrar o São Valentim


O Coração do Porto derrete-se no Dia dos Namorados. Uma exposição temporária no Espaço Art La Vie, na Baixa da Invicta, os Best Youth no ‘Dar Letra à Música’ e mais programação e atividades para famílias.

No mês em que se celebra o amor entre namorados, há muitos outros dias apaixonantes para viver com o Museu FC Porto. Duas exposições temporárias abrem portas em Fevereiro, uma delas no Espaço Art La Vie, em plena Baixa da cidade, e os Best Youth sobem ao palco do ‘Dar Letra à Música’. Para as famílias, e a pensar nos mais novos, a agenda começa na ‘Música com Dragõezinhos’, inclui teatro de marionetas, a história do “Chincas, um Campeão do Mundo!” e uma oficina criativa e… carnavalesca na Terra do Dragão. 

O dia 14 de Fevereiro só faz bem aos corações românticos e os casais de namorados têm uma razão forte para celebrarem o São Valentim no Museu FC Porto. O ambiente de charme não vai ser tudo, porque, neste dia, cada casal de namorados só paga um bilhete Tour FC Porto para descobrir a história azul e branca e conhecer os segredos, as curiosidades e a arte do Estádio do Dragão. É mais uma promoção imperdível no Coração do Porto, derretido de amores nesta efeméride, que deve ser sempre bonita e inesquecível.

A história do FC Porto também é feita de momentos de paixão eterna, muitos deles vividos com a cidade. Através da área temática 28., conceito expositivo que divulga ainda mais o património do clube dentro ou fora do Museu, a exposição temporária ‘Fotolegendas’ é inaugurada a 9 de Fevereiro, no Espaço Art La Vie – La Vie Porto Baixa Shopping Center. Esta é mais uma iniciativa descentralizada do Museu FC Porto e vai levar ao coração histórico da Invicta uma seleção de imagens de Bruno Neves, Gaspar de Jesus, Malacó, Manuel Lopes e Ricardo Pereira, cinco repórteres-fotográficos que captaram a vida portista e portuense nas últimas décadas do século XX. Com entrada livre, o evento prolonga-se até ao próximo dia 31 de Março.

Já dentro de portas, a partir de 15 de Fevereiro, a Sala Multiusos recebe a exposição temporária ‘Objeto do Mês: Ano 2018’. Esta é a terceira edição de uma coletiva de todas as mostras singulares que, ao longo de 12 meses (Janeiro a Dezembro) e alimentadas pela riqueza das coleções do FC Porto, dão as boas-vindas a todos os visitantes no Hall do Museu. A retrospetiva de 2018 pode ser vista todos os dias, com entrada livre, também até ao final de Março. 

As noites de canções e humor do ‘Dar Letra à Música’ destacam-se sempre na programação do Museu. No serão de 21 de Fevereiro, será vez dos portuenses Best Youth oferecerem réplica às perguntas e provocações da habitual dupla de apresentadores. O som indie pop da banda é um dado de qualidade garantido, mas a sessão vai ainda revelar a boa disposição de Catarina Salinas e Ed Rocha Gonçalves, entre umas quantas estórias animadas e outras curiosidades. 

‘Música com Dragõezinhos’ (dia 3) e o teatro de marionetas ‘O Porto É Uma Lição’ (dia 16) são outras propostas a pensar nas famílias. Fevereiro convida ainda a estar atento à Terra do Dragão, espaço do Serviço Educativo, onde, com artes mágicas e requintes de animação, Rui Ramos conta a história do “Chincas, um Campeão do Mundo!” (dia 23), antes da oficina criativa ‘Dragão Brincalhão Traz a Cauda Sempre à Mão’ (dia 24) dar lugar à imaginação de crianças e adultos, Carnaval de forma pedagógica e muito divertida. 

Teorias da Conspiração na RTP1



Na próxima sexta-feira, dia 25, chega à RTP1 “Teorias da Conspiração”. Uma série que podia ser verdade, mas é tudo ficção. Veja o trailer e descubra porque não perder:



Os protagonistas são o poder e o dinheiro versus a investigação criminal e a investigação jornalística. 
Maria Amado, uma jornalista de investigação, e José Madeira, um inspetor da PJ, unem-se no combate ao crime. As investigações de Maria Amado nem sempre contam com o apoio da direção do jornal, e as investigações do inspetor da PJ, muitas das vezes saem fora das regras da instituição.

Se estas personagens perseguem o crime, têm do lado oposto Pedro Soares Teixeira, um advogado influente, que manobra na sombra para iludir as investigações. E há ainda um o primeiro-ministro e os jogos de bastidores, e um procurador-geral da República reformado que, num blogue, denuncia anonimamente casos de corrupção. A precipitar o antagonismo das estratégias de Pedro Soares Teixeira, contra Maria Amado e José Madeira, desenrola-se uma sucessão de casos que abalam a estrutura política e económica do país.

Todos os meios convencionais se tornam insuficientes para explicar o que se passa: da falência de um banco às jogadas políticas para encobrir a corrupção. Em “Teorias da Conspiração” não importa a verdade ou a mentira, - podia ter acontecido, mas é tudo ficção.


No episódio de estreia
Um homem, uma bala e um atropelamento involuntário de uma criança. Assim se inicia a série “Teorias da Conspiração”. O homem é Pedro Soares Teixeira, um advogado influente que se move tão à vontade nos gabinetes do poder como no submundo do crime. A bala é enviada num envelope ao Presidente do Conselho de Administração de um banco, a criança é deixada ferida entre os arbustos. E estão lançados os dados para várias investigações que irão decorrer em paralelo: Maria Amado, jornalista de investigação, e José Madeira da Polícia Judiciária. A situação da luta pelo poder nesse banco está a chegar ao fim e desde espionagem a contactos com o governo vale tudo.

Estreias de cinema de 24 de Janeiro de 2019


Esta semana dentre as várias estreias de cinema nas salas nacionais o "Cultura e não Só" destaca as seguintes:



Serenidade

Baker Dill, comandante de um pequeno barco de pesca, leva uma existência tranquila numa ilha das Caraíbas. A sua vida é abalada quando a ex-mulher lhe faz uma visita inesperada e lhe pede ajuda para se livrar do actual marido, que afirma ser um homem perigoso e violento com ela e com o filho de ambos. A partir desse momento, as memórias que durante anos Baker se esforçou por manter longe de si regressam para o assombrar. Tudo isso o vai fazer questionar o que é certo e errado, o que é real ou fantasia.
Com assinatura de Steven Knight ("Redenção", "Locke"), um drama "negro" com interpretação de Matthew McConaughey, Anne Hathaway, Diane Lane, Jason Clarke, Djimon Hounsou e Jeremy Strong. 



All the Devil's Men - Homens do Diabo

Jack Collins é um ex-oficial da Marinha norte-americana que agora se dedica a executar trabalhos que, devido à sua ambiguidade legal ou moral, a CIA não quer assumir. Debatendo-se com graves traumas de guerra que nunca conseguiu superar, não foi capaz de regressar à vida que deixou antes de se tornar soldado. Um dia, é enviado a Londres num trabalho que envolve um antigo companheiro de armas que se deixou converter pelo ISIS (Estado Islâmico do Iraque e do Levante) e que hoje é visto como um alvo a abater.
Com participação de William Fichtner, Sylvia Hoeks, Milo Gibson e Gbenga Akinnagbe, um filme de acção escrito e realizado por Matthew Hope ("Guerreiro Solitário", "O Veterano").



Família Instantânea

Apesar de felizes e apaixonados, Pete e Ellie Wagner sentem que precisam de acrescentar algo ao seu casamento. É então que, preparados para assumir o papel de pais, visitam um centro de adopção. Guiados por Karen e Sharon, duas assistentes sociais determinadas a ajudar crianças a escapar ao sistema, o casal conhece Lizzie, uma adolescente carismática e cheia de personalidade. Do que eles não estavam à espera era que, juntamente com ela, viessem também Juan e Lita, os seus dois irmãos mais novos. Crentes de que o destino os levou ali por um motivo especial, Pete e Ellie concordam em levá-los consigo e assim começar a família com que sempre sonharam. O que descobrem rapidamente é que era bastante mais fácil lidar com a monotonia das suas existências do que com três diabretes decididos a virar-lhes a vida do avesso.
Uma comédia dramática realizada por Sean Anders ("Chefes Intragáveis 2", "Pai Há Só Um!", "Pai Há Só Um... Ou Dois") que, inspirado na sua própria vida, escreveu o argumento em parceria com John Morris, com quem já trabalhara nos seus outros filmes. A encarnar as personagens principais estão Mark Wahlberg, Rose Byrne Isabela Moner, Gustavo Quiroz, Julianna Gamiz, Margo Martindale, Julie Hagerty, Tig Notaro e Octavia Spencer. 

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Mercedes-Benz Cars com novo recorde de vendas em Portugal


2018 foi o melhor ano de sempre para a Mercedes-Benz em Portugal. A Marca da estrela comercializou 16.464 automóveis no ano passado, registando um crescimento de 1,2% face a 2017, tornando-se, assim, um recorde absoluto no mercado nacional. Foi igualmente alcançada uma quota de mercado assinalável de 7,2%, uma das maiores a nível Europeu. Em Portugal, a Mercedes-Benz foi, em 2018 a 3ª marca mais comercializada em Portugal. 

Também a smart, outra Marca do Grupo Daimler, atingiu resultados extremamente positivos em Portugal, em 2018, com um crescimento de 2,5% face a 2017, assinalando o segundo melhor registo da marca. No total, foram comercializadas 3.205 unidades smart, o que corresponde a 1,4% de quota de mercado. De referir ainda o crescimento do mercado de veículos elétricos em Portugal, que representa nesta altura 11% das vendas totais da smart (347 smart EQ matriculados em 2018), e um crescimento de 155% face a 2017.

Entre os modelos Mercedes-Benz mais procurados a nível nacional destaque para o novo Classe A, cuja estreia decorreu em Maio de 2018, com 5.682 unidades comercializadas –um aumento de cerca de 21% face a 2017. Destaque especial para o facelift do Classe C, com 2.328 unidades comercializadas. O segmento compacto da Mercedes-Benz vendeu 8.920 unidades em 2018.

A família Classe E igualmente apresentou bons resultados, com um volume de vendas nesta gama (que inclui CLS e GLE) que atingiu as 2.079 unidades.

Ainda no segmento executivo, destaque para o Classe S, que comercializou 159 unidades, entre as quais 15 unidades do SUV GLS. 

A Mercedes-AMG continuou a sua forte ofensiva em 2018 com a chegada da motorização 53, com 435cv de potência, nos modelos CLS, Classe E Coupé e Classe E Cabriolet. No total, até Dezembro de 2018 foram comercializados 205 modelos AMG, o maior volume de sempre em Portugal e um crescimento de 36,7% face ao ano anterior. Nos modelos mais procurados destaque para o AMG GT, com 34 unidades vendidas, para o GLC 43, com 30 veículos comercialiazados, seguido do E 53, com 26 unidades vendidas, em particular as versões coupé e cabriolet. A oferta será ainda maior para 2019 – esta semana decorre a apresentação em Portugal do novo Mercedes-AMG GT 4 portas, seguindo-se depois o modelo A 35, ambos exibidos mundialmente em 2018. Ao longo deste ano, serão ainda apresentados os modelos A 45 e A 45s, o Facelift do AMG GT e os novos modelos CLA 35 e 45, nas versões coupé e shooting break.