sábado, 22 de dezembro de 2018

Boas Festas


O "Cultura e Não Só" deseja a todos os amigos, leitores e colaboradores um Santo Natal com muita saúde, paz e muita música, cinema e cultura e que 2019 seja um ano cheio de "Cultura e Não Só".

Estamos de volta dia 7 de Janeiro.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Laranjinha inaugura loja em Braga


A marca de moda infantil 100% portuguesa abriu as portas de mais uma loja em Portugal esta sexta-feira, desta vez em Braga. É a poucos dias do Natal que a Laranjinha, marca de referência na moda dos mais pequenos, dá início à sua jornada na cidade bracarense.

“Este é um passo importante na consolidação da marca”, refere Marta Figueiredo, Retail Manager da Laranjinha. “Sabemos que há muitas pessoas que têm um carinho especial pela Laranjinha nesta zona do país e, por isso, acreditámos que seria uma boa aposta. Estamos muito orgulhosos e confiantes neste projeto”, acrescenta.

Com 37 anos de história e com um percurso familiar, a Laranjinha caracteriza-se pelos elevados padrões de qualidade, aliando ao design clássico um toque contemporâneo. Também as matérias-primas utilizadas são criteriosamente selecionadas, tendo em conta a pele sensível dos bebés e das crianças.

Hoje, as coleções da Laranjinha podem ser encontradas, em Portugal, em cinco lojas próprias: Braga; Foz; NorteShopping; Viseu e Centro Comercial Colombo; assim como nos corners do El Corte Inglês de Gaia e Lisboa, e em cerca de 100 lojas multimarca espalhadas por todo o país. Lá fora, a Laranjinha abriu em 2012 em Madrid (Espanha) um corner no El Corte Inglés de Castellana. Além disso, a marca portuense lançou em 2014 a sua loja online.

A Laranjinha Braga abriu portas ao público com surpresas e descontos para celebrar a época mais mágica do ano. O espaço situa-se no centro da cidade, na Rua Dr. Justino da Cruz, nº107, junto ao Jardim de Santa Bárbara.

Impossível ao vivo no Teatro Tivoli BBVA


Depois do sucesso da estreia e com todas as plateias a aplaudir de pé, Luis de Matos anuncia 3 sessões extra do "Impossível ao vivo", no Teatro Tivoli BBVA. Estas sessões serão no dia 28 de Dezembro (Sexta-feira) às 17h, dia 29 de Dezembro (Sábado) às 17h e dia 30 de Dezembro (Domingo) às 11h. Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais. 
Luis de Matos, o mais premiado mágico português, distinguido três vezes pela Academia de Artes Mágicas de Hollywood e o mais jovem mágico a receber o Devant Award, do The Magic Circle, volta a surpreender com uma viagem fantástica pelo maravilhoso mundo da ilusão onde o impossível se converte em realidade e os limites da imaginação são desafiados por completo.
O mágico está acompanhado pelo sul-coreano Yu Hojin, campeão do mundo na modalidade de manipulação, pelo belga Aaron Crow, o “Mentalista Silencioso”  e pelos portugueses Tá na Manga e Momentum Crew, premiados internacionalmente. 

Impossível ao vivo, em estreia absoluta em Portugal, é um espectáculo que vai querer ver com família e amigos e que o vai surpreender.

A alegria do circo celebra o Ano Novo em Monchique


O circo é, por excelência, sinónimo de festa e, para celebrar a chegada do Ano Novo, a 3.ª edição do 365 Algarve apresenta um espetáculo que viaja entre os mundos equestre, acrobático e musical, Saison de Cirque, da companhia francesa Cirque Aïtal.

Entre 28 de Dezembro e 1 de Janeiro, no heliporto de Monchique, convocam-se o malabarismo, o volteio equestre e muitas outras artes circenses para contar as histórias dos artistas de circo, desde a escolha desta profissão dura e extraordinária, à energia dos encontros e de tudo o que acontece nos bastidores de uma temporada.

Um espetáculo para ver em família, com magia e boa disposição, em que uma orquestra acompanha as múltiplas e ousadas disciplinas deste novo circo, apresentado no âmbito do programa Lavrar o Mar.

Em Janeiro o 365 Algarve continua, com destaque para o primeiro concerto do 3.ª Festival Internacional do Algarve, que trará o solista Xi Zhai (China) ao TEMPO – Teatro Municipal de Portimão, para interpretar o Concerto para Orquestra e Piano de Tchaikovsky, a 19 de Janeiro, às 21h30.

MEO Sudoeste vence Prémio Cinco Estrelas pela terceira vez consecutiva


O MEO Sudoeste foi distinguido pela terceira vez consecutiva com o Prémio Cinco Estrelas, na categoria Festivais, tendo inclusive aumentado a sua classificação final em 2,9%, atingindo uma pontuação global de 7,60 em 10 pontos possíveis. Esta distinção é o resultado da classificação atribuída pelos consumidores através de testes e estudos de mercado realizados no âmbito do Prémio Cinco Estrelas 2019.

Comparativamente com o galardão recebido em 2018, o MEO Sudoeste aumentou também a sua classificação em 8,2% na vertente Satisfação-Experimentação, 9,7% na Intenção de Recomendação e 1,5% na relação Preço-Qualidade.

Para Alexandre Fonseca, presidente executivo da Altice Portugal, «conquistar pelo terceiro ano consecutivo o Prémio Cinco Estrelas na categoria Festivais, vem demonstrar de forma inequívoca que o MEO Sudoeste é o verdadeiro festival de verão em Portugal, um evento que, ano após ano, supera as expetativas da Altice Portugal., A Música é um dos nossos eixos de atuação, a par com o Desporto e a Cultura e galardões como este são o espelho do sucesso de uma estratégia que visa aproximar as pessoas, mudar mentalidades e celebrar a vida».

Luís Montez, da Música no Coração, a promotora do MEO Sudoeste, assume que «o terceiro Prémio Cinco Estrelas é algo que nos enche de orgulho. São 3 anos consecutivos a ser premiados por um festival que já leva 21 anos, 14 deles de mãos dadas com as marcas da Altice Portugal. Todos os anos fazemos um esforço adicional para melhorar ainda mais as infraestruturas e o conforto de quem nos visita e este galardão reconhece esse trabalho».

O MEO Sudoeste, que em 2019 comemora 22 anos, diferencia-se pela sua diversidade musical e posiciona-se como um dos mais importantes festivais de verão em Portugal, um festival comunitário que concentra um vasto cartaz de artistas de renome de vários estilos musicais. É também reconhecido como um evento de referência que proporciona aos jovens as suas primeiras férias fora de casa, entre amigos, sendo normalmente considerado como a melhor semana de férias pelos festivaleiros que visitam a Herdade da Casa Branca.

Através de marcas no top da recordação espontânea dos portugueses, a Altice Portugal está presente no MEO Sudoeste desde 2004 e, desde 2013 com o MEO, tendo a música como um dos principais eixos estratégicos e elemento agregador de laços e partilhas, impulsionador de uma grande comunidade: a tribo MEO Sudoeste.

Líder no mercado das comunicações em Portugal, o MEO, marca da Altice Portugal, e naming sponsor do festival da Zambujeira do Mar, marca posição através da sua tecnologia: com Wi-Fi gratuito em todo o recinto e a app MSW, entre outras iniciativas que reforçam o caráter único e marcante da experiência MEO Sudoeste.

Durante a edição do MEO Sudoeste 2018, a rede MEO Wi-Fi permitiu partilhar 11 Terabytes de conteúdos dentro e fora do recinto, um recorde absoluto resultado das 2,6 milhões de sessões únicas registadas. Quanto aos dados móveis partilhados durante o festival, estes alcançaram os 9089 Gigabytes. Ainda durante o festival, foram realizadas mais de 428 mil chamadas e enviadas mais de 265 mil SMS.

Com a atribuição do Prémio Cinco Estrelas 2019, o MEO Sudoeste volta a afirmar-se entre as marcas portuguesas que se destacam pela sua excelência na satisfação, na relação de confiança e no caráter inovador que têm junto dos frequentadores de festivais em Portugal.

A 23ª edição do MEO Sudoeste está de volta à Zambujeira do Mar entre os dias 6 a 10 de Agosto de 2019 e o MEO preparou um pack exclusivo, em número limitado, para os maiores fãs do festival, com benefícios únicos e que pode ser já adquirido em meo.pt.

O Pack MSW exclusivo MEO inclui:
1 passe geral que dá acesso ao festival, com campismo incluído (de 3 a 11 de Agosto);
1 bebida no MSW;
Voucher de desconto de 50% numa refeição Milaneza no MSW;
Voucher com €20 de desconto na compra de equipamentos MEO com PVP acima de €150;
Oferta de 1 passe para a área VIP (incluídos aleatoriamente em apenas 20 packs). 

25º Super Bock Super Rock


O Super Bock Super Rock está de regresso ao Meco para três dias onde a música é quem mais ordena. De 18 a 20 de Julho, há música para várias sensibilidades e muitas dessas propostas prometem surpreender o público português. FKJ e Superorganism são dois bons exemplos da onda de criatividade que vai invadir o Meco em Julho do próximo ano.

Há sons claramente ligados a um lugar – o jazz dos clubes nova-iorquinos ou as vozes fadistas dos bairros de Lisboa –, mas há outro tipo de som que parece vir de uma série de lugares ao mesmo tempo; são músicas com um apelo universal e que vivem sem uma associação direta a um sítio ou a um determinado período histórico. Um bom exemplo deste segundo caso é a arte de FKJ (aka French Kiwi Juice). Vincent Fenton, multi-instrumentista francês, parece ter a banda sonora para vários tipos de situações: uma festa house, Hong Kong, uma roadtrip pela Austrália, um passeio noturno pelas ruas da europa… A música de FKJ não parece estranha em nenhum destes lugares. Tudo começou na adolescência, quando o seu quarto servia de palco para o crescimento de uma personalidade artística realmente cativante. FKJ trabalhou em cinema, cresceu com todas essas experiências e hoje é um dos músicos mais promissores do continente europeu. Em 2012, editou o EP “Time For a Change”, revelando um artista empenhado em fazer uma pop cinematográfica e sofisticada. E a verdade é que é mesmo isso que podemos encontrar no álbum de estreia de FKJ, um registo homónimo editado em 2017. Eletrónica, blues, soul, pop são alguns dos ingredientes que fizeram com que este disco fosse um sucesso em todo o mundo, alcançando milhões de audições no Spotify. Um dos mantras para o seu trabalho é a pergunta: “Porque existem fronteiras?” Para já, há uma fronteira que dá uma boa resposta a FKJ: a fronteira portuguesa abre-se para a sua vinda ao Super Bock Super Rock, dia 19 de Julho no Palco EDP.


Os Superorganism são um belo exemplo de uma banda que traz consigo o espírito de uma época – a nossa época. Trata-se de um projeto que reúne membros de vários países, do Reino Unido à Austrália, passando pelos Estados Unidos. Este encontro entre talentos deu-se através de fóruns de música na internet, o que diz muito da dinâmica dos Superorganism. Apesar das diferentes origens, o epicentro foi a cidade de Londres, com a sua multiculturalidade e efervescência criativa. Mark Turner (Emily), Christopher Young (Harry), Timothy "Tim" Shann (Tucan) e Blair Everson (Robert Strange) já tinham uma história em conjunto com a banda indie Eversons, e numa viagem ao Japão conheceram Orono Noguchi, que veio acrescentar mais mundo a este projeto. A partir da sua voz e das suas palavras nasceu "Something For Your M.I.N.D.", o primeiro single de sucesso da banda, incluído na banda sonora do jogo FIFA 2018. Entretanto, Ruby e B, cantoras da Nova Zelândia, e Seoul, vocalista sul-coreano, também se juntaram a este super grupo com oito elementos – e já moraram todos na mesma casa, entretanto transformada em estúdio de música, na East End de Londres. As influências passam por nomes como Pavement, Katy Perry, Weezer, Daft Punk ou Kanye West. A música dos Superorganism é feita destas diferentes sensibilidades e de uma paixão em comum pela cultura pop. Deste caldeirão nasce um som de todas as cores, com um toque de psicadelismo e muitos ecos que extravasam a música, deixando espaço para o diálogo com outras expressões artísticas – s m nunca deixar de ser pop, mesmo quando é estranhamente pop. O álbum de estreia, homónimo, saiu em março de 2018 e confirmou as melhores expectativas do público e da crítica, com temas tão fortes como "It's All Good" ou "Everybody Wants to Be Famous". O público português espera-os a 20 de Julho do próximo ano, no Palco EDP do Super Bock Super Rock.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Fornova Melhores do Ano da Rádio Nova Era


A Rádio Nova Era volta a levar ao palco da Exponor – Feira Internacional do Porto, os nomes que mais deram nas vistas em 2018, na música nacional e internacional. A única entrega anual de prémios de música do país está marcada para 27 de Abril e está confirmada a primeira atuação internacional: a dupla holandesa Blasterjaxx.

Os Blasterjaxx são uma dupla holandesa de DJs formada por Thom Jongkind e Idir Makhlaf. Desde 2013 que integram o Top 100 DJs da DJ Mag. Em 2018 ficaram na 37.ª posição. Têm sido presença habitual nos maiores palcos mundiais, de festivais como Tomorrowland e Mysteryland, com sets enérgicos e que prendem o público desde o primeiro momento. Em 2016, os Blasterjaxx estiveram em Portugal pela mão da Nova Era, na maior Beach Party da Europa.

Na produção, os Blasterjaxx têm lançado vários singles de sucesso, através da sua própria editora, Maxximize Records. Em 2018 lançaram também uma colaboração com Hardwell, no single ‘Bigroom Never Dies’, lançado pela Revealed Recordings. Em 2019, deverão lançar o seu primeiro álbum, ano em que farão a sua estreia nos Fornova Melhores do Ano da Nova Era.

O Fã Pack FNAC de Natal Nova Era já está à venda pelo preço imbatível de 40€, e inclui:

· Bilhete para os prémios Fornova Melhores do Ano
· Passe para os dois dias da Galp Beach Party
· T-shirt Salsa
· Possibilidade de ganhar 1 dos 10 Gold Tickets com oferta de upgrade VIP


Vetusta Morla a mais recente confirmação do NOS Alive’19


Os Vetusta Morla são a mais recente confirmação do NOS Alive’19. A banda do milénio em Espanha regressa a Portugal para apresentar, dia 13 de Julho no Palco NOS, o mais recente disco “Mismo Sítio, Distinto Lugar”. Nomeado para três Grammy Latinos – Melhor Álbum de Música Alternativa, Melhor Canção “Consejos de Sabios" e Melhor Design – o quarto álbum dos Vetusta Morla é Disco de Ouro em Espanha e um estrondoso e incomparável sucesso ao vivo.

Oriundos de Tres Cantos, a norte de Madrid, os Vetusta Morla - Pucho (voz), David "el Indio" (bateria), Álvaro B. Baglietto (baixo), Jorge González (percussão), Guillermo Galván (guitarra e teclados) e Juanma Latorre (guitarra e teclados) - juntaram-se no final dos anos 90, mas só editaram o primeiro disco em 2008. “Un Día En El Mundo” – que saiu em edição de autor - foi Disco de Platina por vendas superiores a 40 mil exemplares, conquistando não só o público, mas também a crítica especializada.

Em 2011 lançaram “Mapas”, trabalho que veio confirmar o talento do sexteto. O Disco de Ouro, valeu-lhes o prémio da Rolling Stone para melhor digressão em 2012, ano em que deram mais de 100 concertos. Em 2014 saiu “La Deriva” que entrou diretamente para o primeiro lugar dos discos mais vendidos e contou com lotações esgotadas nas apresentações ao vivo em Espanha mas também no México, Argentina e Colômbia.

Vencedores de sete prémios da Música Independente em 2015 – melhor artista, álbum, canção “Fuego”, melhores ao vivo, melhor produção, fotografia e design –, os Vetusta Morla, foram ainda distinguidos com dois prémios pela revista Rolling Stone - “Melhor Disco do Ano” e “Grupo do Milénio”, um galardão comemorativo do 15.º aniversário da revista.

Em 2016, acumularam mais três distinções nos Prémios MIN da Música Independente: Melhor Artista, Melhor Banda ao Vivo e Melhor Videoclip ("Cuarteles de Invierno"). Mas foi com "La Deriva" que os Vetusta Morla se estrearam em Portugal, em 2015, esgotando a Casa da Música no Porto.


No final de 2018 saiu o quarto álbum de originais, “Mismo Sitio, Distinto Lugar. Em Portugal, foi editado em Março de 2018 e apresentado ao vivo em maio no Hard Club, com lotação esgotada, e no Coliseu de Lisboa. Além de Portugal e de Espanha - onde se destaca o concerto que deram dia 23 de Junho na Caja Magica, considerado o Melhor Concerto de 2018 no Prémio Ondas Nacional de Música -, os Vetusta Morla passaram pela América Latina (Argentina, Chile, Colômbia, México, Perú e Uruguai), regressando para uma digressão na Europa (Suíça, Áustria, Holanda, Bruxelas e Alemanha). O ano dos Vetusta Morla termina com mais uma sala esgotada, em Madrid, no WiZink Center, a 30 de Dezembro, onde a banda vai celebrar o 10.º aniversário do álbum de estreia "Un Dia en El Mundo" e o 20.º aniversário do primeiro concerto.

Grand Sun encerram ano com videoclip para "Little Mouse"


A Little Mouse é o segundo teledisco deste primeiro EP de Grand Sun e marca também o fim da Tour de apresentação do mesmo que viajou pelo país em cidades como Lisboa, Porto, Aveiro, Freamunde, Coimbra e Torres Vedras. Fazem-se mostrar ao vivo já com um alinhamento de ideias e maneiras a atirar para o novo ano enquanto relembram o EP e acompanham bandas estrangeiras como os Triptides e The Bongo Club.

No intervalo dos concertos gravam este teledisco num cenário singular, imaginado e realizado por Luís Judícibus, Afonso Vieira, Leonor Basílio e Carolina Ferreira / Departamento de Cinema e Artes dos Media, da ULHT. Mas é mais que um mero teledisco. Nele vemos presente a instalação (que nos remete para a capa do disco pensada pela artista MURTA) e a destruição da mesma fruto deste fecho de ciclo. Avizinha-se um 2019 com novo disco e vários singles - algumas das canções novas que vêm cantando ao vivo, já tão diferentes deste universo de pessoas plásticas.

Datas 2019
22.02.2019 - Portalegre - Quina das Beatas (c/ Hickeys)
23.02.2019 - Évora - SHE (c/ Hickeys)



Após lançarem um single pela Xita Records (Apolo, 2016) partilham palcos e copos com os amigos novos e os de sempre. É no festival Indieota que decidem começar a compor o seu primeiro registo.
Já em 2017, no interlúdio dos concertos e ensaios, mostram-se no programa E2 (RTP2) em processo de composição do disco 'The Plastic People of the Universe', captado e produzido no Blacksheep Studios pelo Guilherme Gonçalves e pelo Bruno Plattier. E deste disco saem malhas que nos falam de personagens peculiares. Todos somos retratados, de certa forma. É um reflexo, claro, não só desses meses anteriores, mas também dessas amizades, dos desamores, da contemplação, dos concertos que partilhámos e da consequente boémia.
O mantra colorido da 'Flowers' a meio do disco une o seu inicio - 'Go Home' e 'Little Mouse' são swings de fita magnética - e o seu final - 'The Clown' e 'Round and Round' são passeios por esse mesmo jardim contemplativo, onde nada mais interessa senão observar e cantar o que os rodeia.

Sugestões para um Natal cultural e solidário


O Natal está aí e a Imprensa Nacional - Casa da Moeda (INCM) apresenta as suas sugestões para uma quadra com mais cultura, inclusiva e solidária.

Dos livros, às moedas comemorativas e solidárias, até às cartas para jogar do tempo dos reis, são muitas as propostas para todas as gerações, das crianças aos adultos, gostos e personalidades, com a particularidade de contribuem para causas sociais e ambientais, fomentando o verdadeiro espírito natalício.

“Livres e Iguais: Os Direitos Humanos na Escola”
No ano em que se celebram os 70 anos da Declaração dos Direitos Humanos e dos 40 anos da adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos Humanos, a INCM edita um livro que pretende dar a conhecer aos mais novos os seus direitos e identificar situações que configurem um atentado à sua liberdade e bem-estar, como agressões, assédio e bullying, muitas vezes praticados em contexto escolar.
Com textos de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, e ilustrações de Ana Seixas, o livro “Livres e Iguais: Os Direitos Humanos na Escola” está disponível a um PVP de € 10.

“Retábulo das Matérias (1956-2013)”
Ideal para todos os amantes das letras e da estética poética, a INCM sugere uma compilação da poesia de Pedro Tamen, iniciada em 1956 com O Poema para todos os dias. Traduzida e publicada em catorze línguas, Retábulo das Matérias (1956-2013) é uma obra obrigatória na biblioteca de todos os que apreciam poesia.
A obra está integrada na coleção Plural, criada por Vasco Graça Moura, na qual podem ainda ser encontrados outros nomes como Rui Lage, Mário Dionísio e António Carlos Secchin, entre outros. Disponível a um PVP de € 40.


Moedas Comemorativas – Espécies Ameaçadas
A águia-imperial-ibérica e o trevo-de-quatro-folhas são as duas espécies ameaçadas celebradas e imortalizadas pela INCM em duas moedas de coleção comemorativas, desenhadas por André Carrilho e Catarina Sobral, que pretendem sensibilizar para a necessidade da sua preservação. Parte da sua receita reverte para o fundo ambiental de proteção das espécies em risco. As moedas contam com emissões em prata e cuproníquel e possuem o valor facial de 5 euros.
Para além das moedas, a INCM lançou ainda o livro infantojuvenil Rainha dos Ares, A Águia-Imperial-Ibérica, uma obra que também contribui para o mesmo fundo ambiental, com texto de Carla Maia de Almeida e ilustrações de Susa Monteiro. Disponível a um PVP de € 10.

Réplicas de baralhos da Real Fábrica de cartas de jogar
Um presente que conjuga o carácter lúdico com o lado histórico e artístico. Recriadas com base no Arquivo Histórico da Imprensa Nacional, que celebra 250 anos de atividade no dia 24 de dezembro, as cartas foram refeitas e coloridas de acordo com as tonalidades usadas na época. Existem réplicas de cinco baralhos: “Cartas Portuguesas” (1770), “Cartas Constitucionais” (1821-1826), “Cartas das Quatro Partes do Mundo” (1822), “Cartas Constitucionais de Duas Cabeças” (1836), e as “Cartas Tipo Alemão” (século XIX).
Numa edição orientada por Fernanda Frazão estas réplicas dos baralhos da Real Fábrica podem ser encontradas nas lojas INCM a partir de € 15,25.

Há muito mais para descobrir nas lojas da INCM. Todos os produtos podem ser consultados na sua loja online. Para compras efetuadas nas suas lojas físicas, a INCM tem uma campanha a decorrer até ao final do ano com descontos entre os 10% e os 50% em todos os seus produtos.

Estreias de cinema de 20 de Dezembro de 2018


Esta semana dentre as várias estreias de cinema nas salas nacionais o "Cultura e não Só" destaca as seguintes:



O Regresso de Mary Poppins

Londres, década de 1930. Passados 20 anos, Mary Poppins, a ama com poderes mágicos criada por P.L. Travers, volta para ajudar a família Banks, que está a tentar ultrapassar uma tragédia. Michael e Jane, as crianças da história original, são agora crescidas e, no caso de Michael, já têm os seus próprios filhos, mas precisam da ama mais do que nunca. Para assisti-la, Jack, que trata dos postes de iluminação pública e era aprendiz de Bert, o limpa-chaminés/faz-tudo do original.

Assinada por Rob Marshall, o ex-dançarino transformado em realizador de filmes como "Chicago" ou "Caminhos da Floresta", esta sequela chega 54 anos após "Mary Poppins", o filme de Robert Stevenson. No elenco, Emily Blunt como Poppins, Lin-Manuel Miranda como Jack, Ben Wishaw como Michael e Emily Mortimer como Jane. Além deles, participam também Julie Walters, Colin Firth, Angela Lansbury e Meryl Streep. Dick Van Dyke é o único actor do original que regressa. 



Bumblebee

Os robôs humanóides autobots têm de abandonar Cybertron, o seu planeta natal, e rumar à terra. Só que, no caminho, são parados pelos decepticons, os seus inimigos, acabando por ir para vários lados do universo em vez do seu destino final. Um autobot, B-127, que se transforma num Volskwagen Carocha, chega ao nosso planeta em 1987, e é logo visto como uma ameaça. Na Califórnia, faz uma amiga, uma adolescente solitária cujo pai morreu, que o vai ajudar a fugir do exército e dos decepticons.

Com Hailee Steinfeld, que também é cantora e foi nomeada para um Óscar por "Indomável" em 2011, e o "wrestler" transformado em "rapper" e depois actor John Cena, este é o sexto filme da saga "Transformers" e o primeiro que não é realizado por Michael Bay. É uma prequela, com a acção a decorrer antes daquilo que é mostrado no primeiro filme da série, "Transformers", de 2007. Atrás das câmaras está Travis Knight, que se estreou na realização em 2016 com o filme de animação do estúdio Laika "Kubo e as Duas Cordas", nomeado para dois Óscares. 



A-X-L: Uma Amizade Extraordinária

Miles, um jovem californiano que pratica motocrosse, encontra um cão robótico futurista no deserto. O cão, desenvolvido em segredo por uma empresa de equipamento militar para ajudar soldados nas suas tarefas, é um valioso protótipo com inteligência artificial e escondeu-se depois de um teste que não foi bem-sucedido. Miles cria uma ligação ao robô, que se chama A-X-L, tornando-se o seu melhor amigo. Só que os criadores do cão vão fazer tudo para o ter de volta. Com a ajuda de Sara, uma amiga, Miles terá de impedir que o robô o abandone.

Esta aventura de ficção científica marca a estreia na realização de longas metragens de Oliver Daly, que expande assim a curta metragem que assinou em 2015, "Miles", financiada através de "crowdfunding". Tal como nesse filme anterior, a ideia é explorar "as fronteiras entre a humanidade e a tecnologia" no mundo do motocrosse na Califórnia.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Liga Allianz Running by Record realiza prova em Vila Real


A Liga Allianz Runnig by Record está a aproximar-se da meta final e a última corrida do ano está marcada para Vila Real. A “XIII Corrida de São Silvestre” realiza-se no sábado, dia 29 de Dezembro, pelas 18h, na capital de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Organizada pela Câmara Municipal de Vila Real, Regimento de Infantaria 13, Associação de Atletismo de Vila Real, Fundação Inatel, Policia Segurança Pública e Junta de Freguesia de Vila Real, a corrida tem partida agendada na Praça 25 de Abril e chegada na Praça do Município. Com uma distância total de 10 Kms, para atletas de nacionalidade portuguesa, federados e não federados, a corrida integra ainda uma caminhada solidária com 5 Kms, destinada a todas as classes etárias.

A equipa Allianz estará, mais uma vez, a representar a Companhia.  José Francisco Neves, Membro do Comité de Direção e Diretor de Market Management e de Produto P&C da Allianz Portugal, refere: “É um orgulho para a Allianz Portugal continuar a apoiar mais esta corrida da Liga Allianz Running by Record, uma iniciativa enquadrada na estratégia da seguradora em estar mais próxima dos portugueses, promovendo a prática de atividade física, o bem-estar e a competição saudável. Através da Liga Allianz Running by Record, a Allianz Portugal está presente nas cidades de norte a sul de Portugal para incentivar as pessoas a correrem e a superarem os seus objetivos. Estamos certos de que serão momentos de forte convívio e interação com o público em geral, parceiros e clientes.”

Mais informações disponíveis na plataforma online oficial www.ligarunning.pt, um espaço aglutinador de conteúdos com o calendário das provas e informação detalhada sobre a Liga Allianz Running Record, com informações técnicas para treino, saúde, alimentação e equipamentos, além de notícias da atualidade sobre Running.

A primeira prova realizou-se em Tondela, passou por Aveiro, Castelo Branco, Bragança, Porto, Portalegre, Santarém, Viana do Castelo, Beja, Leiria, Évora, Coimbra, Lisboa, Braga, Setúbal, Faro, Guarda e ruma agora para Vila Real.  Entre com o pé direito em 2019 com a Liga Allianz Running by Record.


Ciclo Música no Feminino - 23 a 28 de Janeiro na Gulbenkian


Entre 23 e 28 de Janeiro, o ciclo temático Música no Feminino apresenta sete concertos com mulheres artistas de diferentes culturas e expressões musicais. Do Mali à China, passando pelo Irão, Alemanha e Portugal, o Grande Auditório acolhe sonoridades tão distintas como a música mandinga de tradição oral, o canto tradicional persa, a música erudita, o fado ou a música eletrónica.

No dia 23, pelas 21h00, Rokia Traoré, que tem discursado pela rejeição do papel tradicional da mulher na sociedade maliana e usa as suas canções para apelar a uma participação cada vez mais plena na vida do Mali, centra-se na tradição oral griot de contar histórias e intercala o relato do império mandinga com canções clássicas que retratam a história épica do povo de Rokia.

No dia seguinte, à mesma hora, as irmãs iranianas Mahsa e Marjan Vahdat dão a conhecer o reportório de música tradicional persa a que se têm dedicado nos últimos 20 anos. Impedidas de cantar a solo no Irão, também elas lutam pelo reconhecimento do lugar capital que as mulheres ocupam na música e na sociedade iranianas.

A 25 de Janeiro, pelas 21h00, a noite é de Aldina Duarte, cujo fado é, também ele, atravessado por reflexões em torno do lugar da mulher, das expectativas em relação ao seu papel social, à sua beleza, à sua juventude e à sua dependência. Acompanham a fadista neste concerto único e imperdível, Carlão, ex-vocalista e letrista dos Da Weasel, e o pianista Filipe Raposo.

O concerto de 27 de Janeiro, às 12h00 e às 17h00, conta com a violinista alemã Carolin Widmann, que em 2013 foi eleita Músico do Ano nos International Classical Music Awards, como solista, e a direção da Orquestra Gulbenkian fica a cargo de Tianyi Lu, uma jovem artista que tem vindo a afirmar-se em todos os continentes, nomeadamente como maestrina assistente da Sinfónica de Melbourne. O programa inclui obras de Mendelssohn e o Concerto para Piano em Sol Maior, de Ravel, com a pianista Varvara.

Para terminar, a 28 de Janeiro, jornada dupla da pianista Joana Gama. Às 19h00, com um recital dedicado ao compositor catalão Federico Mompou, e às 21h30, acompanhada de Luís Fernandes e músicos da Orquestra Metropolitana de Lisboa, com o projeto at the still point of the turning world, título emprestado pelo poema de T. S. Eliot, Burnt Norton, que cruza piano, eletrónica e música orquestral.

Novo Mercedes-Benz Classe B


O novo Classe B, modelo com chegada prevista a Portugal para Fevereiro de 2019, está agora com uma aparência mais dinâmica e com maior agilidade em estrada. Equipado com o sistema de inteligência artificial MBUX que estreou recentemente no novo Classe A, a nova geração do Classe B herdou também inúmeras funções do Classe S, como é o caso da condução semiautónoma, do Assistente Ativo de Controlo da Distância DISTRONIC, ou do Assistente Ativo de Travagens de Emergência. No B 180 d, motorização mais comercializada em Portugal, o motor tem agora uma potência de 116cv, enquanto os modelos B 200 d e B 220 d com 150 cv e 190 cv respetivamente, estreiam o novo motor a Diesel OM 654 de dois litros.

Bush no North Music Festival


Já é conhecido o segundo nome do cartaz do North Music Festival. Os britânicos Bush são a segunda confirmação do “festival à beira Douro” e sobem ao palco no dia 24 de maio – o primeiro de dois dias de festival.

Liderada por Gavin Rossdale, os Bush são uma das bandas que marcaram a década de 90 mais acarinhada em Portugal. No próximo mês de maio, prometem um reencontro efervescente com os fãs, levando à Alfândega do Porto um concerto que, além dos mais recentes temas, incluirá certamente uma visita aos clássicos, desde “Everything Zen” (do álbum de estreia, Sixteen Stone), ao hino “The Chemicals Between Us”, passando talvez por “Glycerine” até chegar aquela que continua a ser uma das mais aguardadas – “Swallowed”.

Os bilhetes para o North Music Festival já se encontram à venda, nos locais habituais, e ainda é possível adquirir a edição limitada, com preço especial de antecipação (com o bilhete diário a custar 32€ e o passe de dois dias a 55€).

Recorde-se que além dos concertos no Palco Principal (para o qual já estão confirmados, além de Bush, os Franz Ferdinand), no recinto haverá também um palco indoor “fora de horas” e um palco sunset para aquecer o ambiente logo a partir da abertura de portas, além de duas zonas de restauração (uma interior e outra exterior, dedicada a propostas street food), wine gardens com provas de vinho e outras experiências que a Organização já se encontra a preparar.

Boney M e Imagination no Réveillon do Casino Estoril


Com um duplo programa de Réveillon, o Casino Estoril aposta nos carismáticos Boney M e Imagination para celebrar a chegada do Ano Novo. Boney M featuring Maizie Williams são os protagonistas no Salão Preto e Prata, enquanto os Imagination featuring Leee John constituem a grande atracção no Lounge D. O ambiente festivo de Passagem de Ano prolonga-se, assim, até de madrugada, nos dois espaços do Casino Estoril.

Réveillon no Salão Preto e Prata
Em concerto, exclusivo, os Boney M celebram o Ano Novo no Salão Preto e Prata. “Rivers Of Babylon”, “Rasputin” ou “Daddy Cool”, são apenas alguns dos temas que Mazie Williams promete interpretar já em 2019. 

Do reportório vão fazer também parte os hits “Brown Girl in The Ring”, “Ma Baker”, “Sunny”, “Belfast”, “Mary’s Boy Child”, “Painter Man” e “Hooray Hooray it’s a Holi-holiday”.

Pela mão dos Boney M, os grandes êxitos da era de ouro do pop estarão em destaque no Salão Preto e Prata. Ao atingir os primeiros lugares dos TOPs, nas décadas de 1970 e 1980, os Boney M transformaram-se numa das mais famosas bandas da música de dança, continuando os seus hinos a passar de geração em geração.

A banda de sucesso, que conquistou 18 discos de platina, 15 discos de ouro e cerca de 150 milhões de unidades vendidas pelo mundo, que vai animar a noite e fazer a festa de Réveillon no Salão Preto e Prata. 

Sobre os Boney M
Com o número de vendas e discos de platina conquistados, está mais do que provada a magia de Boney M. Todos os conhecem pelo nome ou pelas músicas. Agora o convite é que conheçam Boney M featuring Maizie Williams. Maizie, cantora da original banda Boney M, é, actualmente, acompanhada por três dinâmicos cantores que celebram o sucesso do segundo albúm “The Greatest Hits of Boney M”. O álbum inclui 14 faixas dos melhores hits da banda. 

O programa de animação inicia-se, logo às 21h30, com as actuações das bandas Plug Off e Quinteto Boémio. Com um registo versátil, a Companhia Feist protagoniza, ainda em 2018, um espectáculo pleno de animação. Trata-se de uma actuação especial que culmina, precisamente, com a celebração da meia-noite. Já em 2019, a Companhia Feist apresenta surpreendentes momentos musicais. Após o concerto dos Boney M, será a vez das bandas Plug Off e Quinteto Boémio regressarem ao palco para prolongar a animação pela madrugada dentro.

Réveillon no Salão Preto e Prata
21h30 - Animação musical com os Plug Off e Quinteto Boémio
23h30 - Espectáculo especial e celebração da meia-noite com Companhia Feist
00h30 - Concerto dos Boney M
02h00 - Animação musical com os Plug Off e Quinteto Boémio

O programa inicia-se, às 20h30, com o Welcome Drink, seguindo-se, a partir das 21 horas, o Jantar no Salão Preto e Prata. À meia-noite, a chegada de 2019 será comemorada com champanhe e “Passas de Bom Ano”. Pelas duas horas, será servida a ceia e, às quatro da madrugada, será a vez do tradicional Bolo de São Silvestre acompanhado de chocolate quente. O traje recomendado para esta noite é o smoking. O preço é de 350 € por pessoa.


Réveillon no Lounge D
Em plena noite de Réveillon, o Casino Estoril convida os seus visitantes a celebrar a chegada de 2019, com um concerto especial dos Imagination. Com um genuíno ambiente festivo, Leee John comemora a chegada do Ano Novo, percorrendo os melhores momentos da carreira da banda britânica.

A animação musical será assegurada, ainda, pelas bandas Plug Off e Quinteto Boémio. A entrada é livre. Mas, para os que desejarem, também, existe a alternativa de concerto com jantar, mediante reserva.

Com um enquadramento revivalista, Imagination featuring Leee John recorda numerosos êxitos que marcaram o panorama da música internacional na década de oitenta. Estarão em destaque vários sucessos que se tornaram intemporais como, por exemplo, “Body Talk”, "Flashback", "So Good, So Right" ou “Just an Illusion”.

A banda que fez dançar milhões de pessoas, nos anos 80, assegura uma noite festiva no Casino Estoril. São momentos únicos e recordações várias para todos os que dançaram ao som das suas músicas, com a magia, a envolvência e a estética épico-espacial com que a soul e dance reinou nos festivais e discotecas há pouco mais de 30 anos.

Criada por Leee John, os Imagination estiveram no topo das tabelas de sucessos em 28 países, arrecadando 4 discos de platina, 9 de ouro e mais de uma dúzia de discos de prata.

O Lounge D do Casino Estoril convida o público a reviver uma época memorável, recordando os numerosos êxitos deste conceituado trio britânico de soul e dance. Este é, sem dúvida, um espectáculo para todos.

O programa no Lounge D começa, logo às 21h30, com as actuações ao vivo das bandas Plug Off e Quinteto Boémio. Após o aguardado concerto dos Imagination, estes grupos musicais regressam, ao palco, para assegurar a festa pela noite dentro. 

Programa de Réveillon no Lounge D
- 21h30 - Animação musical com os Plug Off e Quinteto Boémio
- 00h00 - Celebração do Ano Novo
- 00h30 - Concerto de Imagination
- 02h00 - Animação musical com os Plug Off e Quinteto Boémio

O Casino Estoril propõe, ainda, um programa mais completo no Lounge D, que inclui Jantar e assistência à animação musical que terá como ponto alto o concerto dos Imagination. O traje recomendado é de passeio. O preço é de 140 € por pessoa.

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Alice no País das Maravilhas


Para encerrar o ano em nonsense, o Teatro Nacional D. Maria II propõe Alice no País das Maravilhas, numa encenação conjunta de Maria João Luís e Ricardo Neves-Neves, a partir do conto Lewis Carroll. O espetáculo, destinado a toda a família, estreia a 27 de Dezembro e estará em cena até dia 6 de Janeiro de 2019, na Sala Garrett.

A obra mais conhecida de Charles Lutwidge Dodgson, publicada sob o pseudónimo de Lewis Carroll, em 1865, Alice no País das Maravilhas é um retrato crítico da Inglaterra Victoriana, sob a aparente inocência de uma história para crianças e escrita numa constante fuga e crítica ao racionalismo.

Nesta criação do Teatro do Eléctrico e do Teatro da Terra, baseada no conto do século XIX, Alice é transportada para um lugar fantástico, povoado por criaturas muito particulares, onde impera uma lógica absurda e paralela à do nosso quotidiano.

Última oportunidade para conhecer a exposição de Pedro Calapez na Casa-Museu Medeiros e Almeida


A Casa-Museu Medeiros e Almeida recebe, até 21 de Dezembro, a exposição “Olhos nos Olhos: um poema elementar”, de Pedro Calapez. Neste trabalho, patente desde 6 de Novembro, o artista apresenta 30 peças inéditas explorando diversos suportes, como pinturas, esculturas e obras sobre papel, dispersas pelos diversos espaços da Casa-Museu.

Este confronto entre as obras de Pedro Calapez, pensadas para as várias salas da Casa-Museu Medeiros e Almeida, e os objetos e o mobiliário que habitam este espaço convidam a uma nova forma de visitá-lo e a um novo olhar. Um olhar que remete o artista para a pintura de Matthias Grünewald (1470-1528), expressiva e teatral, com uma extensa paleta de cores. As telas de Grünewald não atingem diretamente o espetador, mas colocam-no como um elemento da imagem, gerando outros olhares, “olhos nos olhos”.

Pedro Calapez recorda ainda o livro “Do Natural, um poema elementar”, do escritor alemão W. G. Sebald, que aborda a vida e a obra de Grünewald. Todos os títulos das peças em exposição são retirados de excertos deste livro, prática habitual do artista, e que têm que ver com a natureza e com a forma como nos relacionamos com o mundo. Assim, encontramos títulos como “germinar, perdurar, propagar-se”, “o grito, o gemido e o gorgolejo” e “a dor passou para os quadros”.

“Esta casa foi habitada, mãos afagaram mesas e cadeiras, corpos se tocaram, livros foram abertos. A constatação dum espaço vivido, transformado posteriormente em espaço de exposição, levou-me a criar uma série de obras, num discurso autónomo. A sua colocação neste espaço confronta os possíveis percursos e as salas onde se encontram. O deambular do visitante vacila entre a impertinência dos objetos intrusos e a estabilidade dos consagrados. Num processo de comunhão interferente com a estabilidade da demonstração museológica manifesta-se assim um diálogo dependente intimamente do nosso olhar”, sublinha Pedro Calapez.

Diga olá à nova geração da HP Sprocket


A HP Sprocket Nova Edição é uma impressora fotográfica portátil que cabe no seu bolso e acaba de ficar mais impressionante e mais social. Preparada para qualquer evento, numa nova panóplia de cores, para que todos possam tirar fotografias, imprimir instantaneamente através dum dispositivo móvel e partilhar. 

Mercedes-Benz apresenta novo CLA na Consumer Electronics Show 2019


A Consumer Electronics Show (CES), uma feira dedicada ao futuro da mobilidade, vai decorrer em Las Vegas, entre 8 e 11 de Janeiro de 2019. Os destaques incluem a estreia mundial do novo Mercedes-Benz CLA, estreias americanas do Mercedes-Benz EQC (consumo de energia combinado: 22,2 kWh / 100 km; emissões combinadas de CO2: 0 g / km, valores provisórios), bem como o revolucionário conceito de mobilidade Vision URBANETIC. 

O novo Mercedes-Benz CLA, será exibido pela primeira vez durante esta feira. Este modelo integra já o sistema de inteligência artificial MBUX, a realidade aumentada para navegação e a capacidade de entender comandos de voz indiretos, bem como engenharia COACH, função que apresenta recomendações individuais de fitness.

O primeiro modelo de produção puramente elétrico, o Mercedes-Benz EQC, vai celebrar também a sua estreia nos EUA. Visualmente, este SUV é um pioneiro da estética elétrica de vanguarda, representando uma combinação impressionante de qualidade e adaptação ao dia a dia. O EQC apresenta um desempenho dinâmico graças a dois motores elétricos nos eixos dianteiro e traseiro com uma potência combinada de 300 kW. Graças a uma estratégia operacional sofisticada, o EQC oferece uma autonomia elétrica de mais de 450 km de acordo com o NEDC (dados provisórios).

Exposição “Realidades sensoriais” - Galeria Beltrão Coelho


A Galeria Beltrão Coelho inaugurou, no passado dia 13 de Dezembro, a exposição “Realidades sensoriais”, com obras de pintura e de escultura dos artistas Vieira Rodrigues e Vítor Moinhos.

A exposição oferece diferentes viagens para novos mundos desafiadores. Entre pinturas, obras de arte mista, esculturas, há explorações estimulantes da paisagem, narrativa e abstração.

Vieira Rodrigues é formado em Engenharia Eletrotécnica, estudou arte e teve como mestre a artista plástica Estrela Faria. Marcantemente abstracionista e com influência pós-moderna, expressa-se através da pintura e, mais recentemente, da escultura, numa soma de elementos de vidro acrílico que aumenta os reflexos, as vibrações de luz, transparências e fluidez, criando uma percepção espacial em constante mudança. Nas suas esculturas, mistura materiais diferentes para prolongar a busca de texturas, como o aço, a resina, a fibra de carbono, a grafite e o vidro.

Já Vítor Moinhos é um artista autoditada, fez vários cursos de pintura e conta já com mais de uma centena de exposições individuais e coletivas no país e no estrangeiro. Nesta exposição, mostra, através das duas obras de pintura, a similaridade do ser humano, apesar da singularidade de cada um.

A exposição é de entrada gratuita e estará patente até ao dia 25 de Janeiro de 2019.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Projeto TEATRA no Teatro da Trindade INATEL


No dia 20 de Dezembro, pelas 18h00, decorre, no Teatro da Trindade INATEL, a inauguração do projeto TEATRA, que retrata 20 atores e encenadores que glorificaram, enobreceram e engrandeceram a arte do teatro em Portugal. A conceção e direção artística são da responsabilidade de João Telmo e Martim Pedroso e a fotografia de Telmo Pereira.

A Nova Companhia lançou a estes atores - Carlos Paulo, Catarina Avelar, Cucha Carvalheiro, Eunice Muñoz, Fernanda Lapa, Fernando Gomes, Isabel Ruth, João d’Ávila, João Mota, José Peixoto, Lídia Franco, Lima Barreto, Luís Lucas, Lurdes Norberto, Márcia Breia, Maria do Céu Guerra, Paula Só, Rui Mendes, Ruy de Carvalho e Sinde Filipe - o desafio de serem fotografados na pele do personagem que nunca chegaram a interpretar, mas pelo qual sempre se sentiram seduzidos.

O evento de inauguração contará com a presença dos atores que participaram no projeto. A obra fotográfica estará patente até ao dia 10 de Março.

Novo Mercedes-Benz EQC com segurança comprovada


O novo Mercedes-Benz EQC (consumo de energia em ciclo combinado: 22.2 kWh/100 km; emissões de CO2 em ciclo combinado: 0 g/km, valores provisórios) é um Mercedes genuíno no que diz respeito a segurança passiva. Além do habitual e extenso programa de testes de colisão, a marca aplica as exigentes normas de segurança à bateria e a todos os componentes portadores de corrente elétrica. Em muitos casos estas normas são ainda mais exigentes do que os requisitos legais.

Concerto Solidário na Casa do Vinho Verde apoia Ala Pediátrica do Hospital de São João


A 22 de Dezembro, pelas 18h00 e pelas 21h30, a Casa do Vinho Verde abre portas a uma causa nobre e promove um concerto solidário com os Medivoce em duas sessões, cujas receitas revertem a favor da Ala Pediátrica do Centro Hospitalar Universitário de São João.

Um ensemble com um pianista e três cantores (um barítono e dois sopranos), formado por médicos com Curso Superior de Música do Conservatório, propõe uma viagem pelos temas mais icónicos da época natalícia como “Oh Holy Night”, “Silent Night”, “Sleigh Ride”, “The Christmas Song”, “Have yourself a merry little Christmas”, Let it snow” ou “Jingle Bells”, entre tantas outras músicas que fazem parte do imaginário colectivo.

Ana Zão (soprano), Inês Soares da Costa (mezzo), Pedro Cardoso (tenor) e Rui Soares da Costa (barítono) levam ao Salão Nobre da Casa do Vinho Verde os sons de Natal e a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes oferece uma prova de espumantes e aguardentes de Vinho Verde para brindar à solidariedade, ao Natal e à Ala Pediátrica do Centro Hospitalar Universitário de São João.

Mercedes-Benz investe 20 mil milhões de euros em células de bateria


A Mercedes-Benz acaba de dar o próximo passo rumo à sua estratégia para o futuro da mobilidade. A empresa desempenha atualmente um papel de liderança em todas as quatro áreas da mobilidade elétrica – "connectivity", "autonomous", "shared & services" e "electric" -  e está a investir dez mil milhões de euros na expansão do seu portfólio de veículos elétricos e mais mil milhões de euros na rede global de fábricas de baterias.

Judite Canha Fernandes vence Prémio Literário Revelação Agustina-Bessa Luís


Com o romance “Um Passo para Sul”, Judite Canha Fernandes, sagrou-se vencedora da 11ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís, por maioria do Júri, presidido por Guilherme d’Oliveira Martins. Recorde-se que, o Prémio foi instituído, pela primeira vez, em 2008, pela Estoril Sol, no quadro das comemorações do cinquentenário da Empresa.

Ao eleger “Um Passo para Sul”, o júri considerou tratar-se de “um romance fundado num triângulo geográfico e existencial, repartido por Cabo Verde, São Tomé e Açores. Os registos linguísticos e imaginativos do crioulo inscrevem-se criativamente na estrutura global da narrativa, contribuindo para a formatação de uma linguagem literária muito estimulante”. 

O Júri realçou, ainda, o facto de “Um Passo para Sul” ser “um romance em que o amor, mas também a violência terrível exercida sobra as mulheres, se constituem em traves mestras do universo existencial dos personagens. Se o final deste romance sugere um futuro de esperança e luminosidade, não faz esquecer a contundência psicológica que o estrutura e que a todos nos agride no seu alcance humano e social mais profundo”.

A autora, Judite Canha Fernandes, nasceu no Funchal e aos oito anos foi viver para Ponta Delgada, onde cresceu. É escritora, performer, feminista, bibliotecária, activista, mãe, investigadora, sem nenhuma ordem em especial. 

Gosta de coisas muito diferentes e é algo avessa à ordem, como se intui. Foi representante da Europa no Comité Internacional da Marcha Mundial das Mulheres entre 2010 e 2016. Deu conferências e palestras um pouco por todo o mundo nas temáticas relativas a género e feminismos. É doutorada em Ciência da Informação, licenciada em Ciências do Meio Aquático, pós-graduada em Ciências Documentais, Biblioteca e Arquivo.

E conta sobre si: “Em 2015 tomei a decisão radical de me dedicar por completo à escrita. Era uma decisão adiada desde a infância, que tive a coragem de tomar nesse momento por um equilíbrio de circunstâncias pessoais e de vontade. Digo desde a infância porque desde que comecei a ler, não só comecei a ler muito, em todos os bocadinhos que tinha, como soube que queria “aquilo”. Queria fazer “aquilo” que os livros me proporcionavam. Falo deste momento por me parecer importante para poder dizer algo sobre como me fui fazendo romancista. Também porque dedicar-me a um trabalho onde é difícil sobreviver financeiramente, a não ser que tenhas o privilégio do desafogo financeiro ou da riqueza, é uma decisão radical. Para mim foi trabalhos a que me tinha dedicado até aí tomavam-me todo o tempo e aquele que restava, além do que queria para a minha vida pessoal, era dedicado aos ativismos. Ora escrever exige tempo. Tomei esta decisão no sentido do tempo”. 

Numa retrospectiva sobre o seu percurso literário, recorda:  “O início desse processo passou por reabrir dez anos de cadernos, voltar a ler o que fora escrevendo e tentar compreender o que eventualmente tivesse forma de livro. Nesse processo, as primeiras coisas que surgiram, mais prontas, foram poesia, que de algum modo é uma linguagem literária que me surge mais naturalmente. Um dos primeiros livros que escrevi neste período foi caderno de música, livro que não cheguei a publicar. Esse livro é precisamente um exercício em torno dessa  minha longa e profunda indecisão, também por uma necessidade de brincar com isso, de me auto-provocar”. 

A ficção foi chegando progressivamente. Segundo Judite Fernandes, “Sentia que era uma área de experimentação que queria muito desenvolver e que há na ficção, para mim, um processo mais consciente, mas estruturado, do que na poesia. Tinha alguns esboços de contos, tive vontade de trabalhar o primeiro, o conto muito curto e fui progressivamente estendendo essa dimensão, no sentido de uma prática que me aproximasse gradualmente de estruturas mais complexas”

 Quis também “ existir a respiração necessária a que uma história mais complexa se pudesse construir, poder ver detalhes, deixar que personagens se fossem dando a conhecer, até poder conviver com elas o tempo necessário para que o romance se escrevesse”.

 “Um passo para Sul” foi surgindo assim. Tive uma bolsa da lusofonia que me apoiou na criação e me permitiu voltar a Cabo Verde, lugar onde vivi e onde se passa parte do romance. É o meu primeiro romance. Que seja uma boa história, é o que desejo. Poder escrevê-lo foi maravilhoso”. 

O Júri que atribuiu o Prémio, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que presidiu, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integrou José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

Recorde-se que, o Regulamento do Prémio Revelação, que deixou de fixar, em 2016, um limite de idade para os concorrentes, manteve, contudo, a exigência de serem autores portugueses, ”sem qualquer obra publicada no género”. A iniciativa conta, desde o primeiro momento, com o apoio da Editorial Gradiva, que assegura a edição da obra vencedora, através de um Protocolo com a Estoril Sol.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Colectânea de Max nas lojas digitais e streaming


Se fosse vivo, Max teria hoje 100 anos. Nos anos 40, deu nas vistas como baterista e vocalista do conjunto Tony Amaral, com quem actuou em Lisboa no Clube Americano e no Nina, sendo depois contratado para actuar a solo no Rádio Clube Português. Em 1949, assina pela Valentim de Carvalho e estreia-se com um 78 rotações que inclui “Bailinho da Madeira e “Noites da Madeira”.

Seguiram-se 30 anos de carreira com dezenas de discos, digressões em todos os continentes ─ incluindo actuações no talk-show de Groucho Marx na NBC ─, participação em revistas no Parque Mayer e num par de filmes ao lado de Raul Solnado e de Artur Semedo. Um caso distinto e constante de popularidade.

Max é o nosso Bing Crosby em “Noites da Madeira”, o crooner nacional que só tem paralelo em Tony de Matos, mas que também canta “Vielas de Alfama” como o mais castiço dos fadistas ou à capela em “Ó Ai Ó Linda” como voz de coro da Beira Baixa a deslizar por ascendências magrebinas, para logo surfar a onda latino-americana com “Cha Cha Cha em Lisboa” (e brincar com a letra citando a sua “Rosinha dos Limões”, que Caetano Veloso viria a imitar, com sotaque madeirense e tudo, num célebre concerto no Coliseu de Lisboa nos anos 80…), ao mesmo tempo que ironiza e diríamos que desmonta o “folclore” e a “política do espírito” do Estado Novo e de António Ferro nas inesquecíveis interpretações de “Bate o Pé” e “Bailinho da Madeira”, ou até mesmo no clássico “Pomba Branca” com letra de Vasco Lima Couto.

E que dizer do eterno “A Mula da Cooperativa”, um Portugal puro, cantarolado em nonsense num número que é ao mesmo tempo cabarético e circense, produzindo um improvável retrato micro-social. Mais do que relembrar, é bom não esquecer quem foi Maximiliano de Sousa, nascido no Funchal, a 20 de Janeiro de 1918.

A compilação "Noites da Madeira" chegou às plataformas digitais, um disco originalmente editado em formato CD. São 40 temas que traduzem a diversidade do repertório de Max, crooner-fadista-cantor-jazzman-cantador-humorista e figura ímpar do entretenimento!

Kit Especial de Natal Comic Con Portugal


Decore estas datas! De 12 a 15 de Setembro de 2019, vai decorrer a 6º edição do maior evento de cultura pop do país, a Comic Con Portugal, pelo segundo ano consecutivo, no Passeio Marítimo de Algés, em Oeiras.

Com vários conteúdos geracionais, o evento abrange uma grande variedade de temáticas da cultura pop, de Cinema & TV, Banda Desenhada & Literatura, Gaming, entre muitas outras. A edição deste ano, a primeira em Oeiras, revelou-se um enorme sucesso, com um espaço renovado, mais de 108.000 visitantes, 242 convidados e mais de 420 atrações durante os 4 dias do evento. 

Segundo Isaltino Morais, Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, "a próxima edição tem tudo para ser um sucesso e o concelho está cá para apoiar este evento e fazê-lo crescer, porque eventos desta dimensão só podem ser em Oeiras".

E toda a experiência Comic Con Portugal vai agora mais além, com o lançamento de um Kit exclusivo de Natal, o presente ideal para os fãs do universo da cultura pop, nesta época natalícia. O Kit Especial de Natal Comic Con Portugal estará à venda a um pvp de 50,00 euros, na The Pop Culture Store, até dia 31 de Dezembro e inclui 1 Passe Weekend para a edição de 2019, uma Mochila, um Gorro, um Cachecol e um Lego Brickheadz (várias personagens à escolha). 


Para Paulo Rocha Cardoso, Diretor Geral do evento Comic Con Portugal "o evento Comic Con Portugal consolidou e já conquistou o seu lugar no calendário anual dos grandes eventos em Portugal, assumindo-se como a referência no sector. Já temos vários fãs do evento, que participam desde a primeira edição, e a cada nova edição chegamos a mais, assim como a marcas parceiras. A cultura pop está instalada no nosso dia a dia e tem um papel fulcral e este evento, assim como as ativações que vamos fazendo ao longo do ano, são o reflexo disso".

Lisboa prepara-se para Amar Amália


2019 assinala os 20 anos do desaparecimento de Amália Rodrigues – Diva da música nacional e uma das mais brilhantes vozes do século XX. Para marcar esta data, vários nomes da música portuguesa e da lusofonia juntam-se no palco do Altice Arena a 16 de Fevereiro, para um espetáculo que promete lembrar, sentir e renovar o espírito da fadista.

Sob a direção artística de Diogo Clemente e Tiago Pais Dias, Simone de Oliveira, Paulo de Carvalho, Dulce Pontes, Marco Rodrigues, Amor Electro e Vanessa da Mata irão “cantar a saudade” durante cerca de duas horas, guiando a plateia através do reportório eternizado por Amália. Atuações a solo, duetos entre artistas e várias surpresas podem esperar-se ao longo do espetáculo, onde além do Fado haverá, também, espaço para homenagear a artista com interpretações pop e rock.

Amar Amália é criação da produtora Vibes & Beats. Depois de Lisboa, cidade escolhida para estrear o projeto, o espetáculo irá partir rumo a outras paragens (nacionais e internacionais) que, em breve, serão anunciadas.

IndieLisboa e Allianz Portugal anunciam maior prémio monetário a filme português


A Allianz Portugal e o IndieLisboa acabam de revelar que o valor do prémio de  “Melhor Longa Metragem Portuguesa” aumentou para 7500€, na 16ª edição do IndieLisboa by Allianz. O valor, anteriormente de 5000 euros, torna-se agora no prémio monetário mais elevado atribuído a um filme português nos festivais de cinema do país. 

“O IndieLisboa é um evento imprescindível no panorama cultural nacional e, por este motivo, faz todo o sentido a Allianz estar associada. O patrocínio insere-se perfeitamente na nossa estratégia e tem-se revelado numa parceria vencedora para ambas as partes. Enquanto parceira de um dos principais festivais de cinema em Portugal, a Allianz trabalha para estar mais próxima de todos aqueles que confiam nos nossos serviços e levar a cultura a todos. O aumento no valor do Prémio Allianz espelha precisamente o investimento na cultura que a Companhia tanto preza”, afirma José Francisco Neves, Diretor Coordenador de Market Management da Allianz Portugal.

A cultura é uma das principais apostas da Allianz, pelo que a Companhia tem investido em iniciativas e atividades, como o IndieLisboa by Allianz, que potenciem colaborações de sucesso e retribuam a confiança depositada por todos os seus Clientes.

Recorde alguns dos filmes vencedores Prémio Allianz nas últimas edições do festival: “Our Madness”, de João Viana (2018); “Encontro Silencioso”, de Miguel Clara de Vasconcelos (2017), “Treblinka”, de Sérgio Tréfaut (2016) e “Os Olhos de André”, de António Borges Correia (2015).

O IndieLisboa by Allianz é um festival de cinema independente que decorre anualmente em Lisboa. É um evento ideal para descoberta de novos autores e tendências do cinema mundial, que promove uma competição de longas e curtas metragens de novos realizadores.

A edição de 2019 decorre de 2 a 12 de Maio no Cinema São Jorge, na Culturgest, no Cinema Ideal e na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema. Nas mesmas datas, decorre também o IndieJúnior, parte integrante o IndieLisboa by Allianz, que conta com filmes e oficinas para os mais novos.

Até 31 de Dezembro, é possível inscrever filmes para a próxima edição do festival e consultar mais informações em www.indielisboa.com .

"Vidago Palace" nos Estados Unidos da América


"Vidago Palace", a coprodução internacional RTP/TVG, poderá ser vista muito em breve nos Estados Unidos da América através da ACORN TV, uma das grandes plataformas de streaming com conteúdos britânicos e internacionais.

A série de autoria de Henrique Oliveira, com produção da HOP e da produtora Galega Portocabo, é mais um dos formatos da RTP a ser emitido na América do norte.

Vidago Palace tem conquistado o mercado internacional, prova disso é a recente venda ocorrida para o mercado da Polónia. Este foi igualmente um dos conteúdos que registou um grande interesse no último MIPCOM, em Cannes.
O drama romântico "Vidago Palace" narra a história de amor impossível entre uma jovem sonhadora e um jovem determinado, de diferentes classes sociais, em pleno início da Guerra Civil Espanhola, situada na idílica envolvente do hotel de luxo Vidago Palace.

A série, emitida na primavera de 2017 faz parte dum acordo para estabelecer uma linha de produção entre ambos os canais. Aliás, neste momento, está já em desenvolvimento um novo projeto de ficção que juntará mais uma vez a RTP1 e a TV Galiza. Trata-se de uma série de 6 episódios, com o título ‘Auga Seca’, um drama policial intenso, com a ação a decorrer dos dois lados da fronteira, entre as cidades de Vigo e do Porto, e que contará com a participação de uma equipa de atores portugueses e galegos.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Ricardo Carriço & Amigos hoje no Casino Estoril


Ricardo Carriço apresenta-se hoje pelas 22h30 no Casino Estoril para protagonizar um concerto acústico. Ricardo Carriço convida a subir ao palco do Lounge D alguns dos seus amigos que são, aliás, intérpretes bem conhecidos do público. A entrada é livre.
Ricardo Carriço propõe, assim, uma noite entre amigos e de partilhas de experiências musicais, onde estarão em destaque vários êxitos do seu novo álbum, bem como alguns clássicos de Natal. 

O Casino Estoril, em parceria com a LR Portugal, acolhe este concerto especial que reúne os contributos musicais dos seguintes convidados: Fernando Cunha, Maria Anadon, Miguel Gameiro. Olavo Bilac, RichFellaz, Sofia Hoffmann e Tozé Brito.

Após o lançamento do seu primeiro EP, em 2014, e do seu álbum, em 2018, Ricardo Carriço pretende reforçar este seu novo caminho artístico na sua já longa carreira profissional, apostando num formato mais acústico e com novas sonoridades que irá dar origem, em 2019, ao seu novo álbum.

Noite de concerto "Arena Live" com Papillon no Casino Lisboa


Papillon será o protagonista, na próxima Segunda-Feira, 17 de Dezembro, às 22 horas, de mais uma etapa do ciclo de “Concertos Arena Live” no Casino Lisboa. Em concerto inédito, o intérprete sobe ao palco do Arena Lounge para apresentar as suas melhores composições, privilegiando os temas do álbum “Deepak Looper”, um conto autobiográfico produzido por Slow J. A entrada é livre.

Papillon é o nome de guerra de Rui Pereira, um dos novos valores da música urbana portuguesa e um quinto do notável grupo de hiphop, os GROGNation. Poeta da era moderna, Papillon mistura a sua escrita afiada ao ritmo e ao sentimento que lhe são inatos. O seu nome emergiu no cenário do hip-hop tuga com a participação memorável na Liga Knock Out. 

Como parte do colectivo GROGNation, já soma duas mixtapes, dois EPs e o álbum “Nada é Por Acaso”. Como artista a solo, já colaborou com nomes tão marcantes como, por exemplo, Profjam, Slow J e Charlie Beats. 

Em busca de novos projectos e desafios, Papillon estreou, este ano, a solo, o álbum “Deepak Looper”. Trata-se de um conto autobiográfico produzido por Slow J que já mereceu os aplausos do público.

Com um programa diversificado, os “Concertos Arena Live 2018” oferecem diferentes conceitos e estilos musicais no amplo espaço do Arena Lounge, o qual dispõe, aliás, de múltiplas soluções técnicas para originais actuações ao vivo.

Ciclo de “Concertos Arena Live 2018”

- 17 de Dezembro: Papillon
- 25 de Dezembro: Gospel Collective (Dia de Natal)
- 31 de Dezembro: The Gift (Réveillon)