terça-feira, 31 de julho de 2018

Simon Love apresenta "Sincerely, S. Love x"


"Sincerely, S. Love x" é o segundo álbum a solo de Simon (o seu disco de estreia de 2015 "It Seemed Like A Good Idea At The Time” foi editado na brilhante e agora extinta editora Fortuna Pop) e apresenta, pelo menos, dez hits. Hits pop, com harmonias ELO, produção Spectoresque, cordas e trompetes, etc. Tudo gravado nos últimos dois anos em Londres, Inglaterra.

Ao ouvir "Sincerely, S. Love x" evoca imagens do vídeo de Run DMC/ Aerosmith "Walk This Way", exceto no caso de Love, a Fruitgum Company de 1910 estaria a ensaiar num dos lados da parede e The Left Banke no outro. Quando a parede entre as duas bandas se desmoronar, o Elton John pode aparecer para ver de que se trata todo o alarido. Ele vê um piano de cauda branco e junta-se. Depois abrem algumas garrafas de Cola e ouvem The Rutles ou 7 polegadas da Stiff Records. E já que estão todos no mesmo lugar, gravam algumas músicas juntos. O resultado: o álbum que temos agora. Mais ou menos.


“Pode parecer um pouco lamechas mas o amor realmente é uma grande parte deste álbum” admite Simon Love. "God Bless The Dick Who Let You Go" foi um presente de casamento para a minha mulher, por exemplo... sou um forreta! ". Nem um pouco, Simon! Presentes feitos pelos próprios são os mais bonitos presentes de todos. E para ser justo, com um nome como Love, por que é que o mais delicioso dos sentimentos não deveria ser o centro das atenções? O amor está em abundância neste novo álbum de Simon: duas músicas para sua amada ("God Bless The Dick Who Let You Go", "I Fucking Love You"), uma para si ("The Ballad Of Simon Love") e uma para Joey Ramone ("Joey Ramone"). Uma música sobre o vilão dos Beach Boys que partilha seu apelido também não seria de estranhar. Uma para o próximo disco, talvez. Outros tópicos abordados neste set: uma tatuagem desagradável ("Why’d You Get That Tattoo Girl?"), ténis ("Tennis Fan") e uma carta escrita por Stephen Timothy West, de 5 anos, para o apresentador de Blue Peter, John Noakes ("Stephen Timothy West").


Davey Woodward and The Winter Orphans editam pela Tapete Records dia 7 de Setembro


Davey Woodward é conhecido como um compositor criativo com as suas bandas The Brilliant Corners e The Experimental Pop Band. Para alguns, é uma lenda pop indie mas para a maioria das pessoas ainda um estranho desconhecido. Com praticamente 4 décadas de trabalho na música alternativa, Davey Woodward continua com o mesmo entusiasmo e mentalidade única desde o seu primeiro dia enquanto músico.

Logo após completar uma sessão de gravação com Karen, Davey teve a ideia de produzir rapidamente outro álbum, com músicos com quem nunca tinha trabalhado antes. Sabia que as músicas tinham de soar leves e fáceis, de certa maneira remetendo aos tempos em que artistas, como Bowie, iam para estúdio sem músicas acabadas, ou como alguém como Dylan que ia construindo a música à medida que era gravada. Não queria que, de forma nenhuma, as músicas soassem a trabalhadas e difíceis. The Winter Orphans nasceram assim.

Julian (guitarra) não estava em estúdio há mais de uma década. Steve (bateria) tocava em inúmeras bandas ao mesmo tempo e ainda assim arranjou tempo. Steve conhecia Mark que era guitarrista. Davey disse: "Bom, ele pode tocar baixo e piano então!" Davey tocou-lhes as músicas (as letras estavam inacabadas e os acordes mudaram várias vezes ao longo dos cinco ensaios que tivera, antes da gravação, que decorreu durante um longo fim de semana em Julho de 2017). A banda disse que gostou das músicas e disseram a Davey que soavam muito pessoais e que os fazia lembrar Englosh Folk, Courtney Barnett, The Velvets, The Band e Johnny Cash.

Com essas referências, não é surpresa que este disco nos leve de volta a um tempo em que os álbuns eram uma coleção de músicas que nos transportavam para um outro lugar. Em que estaríamos emergidos no mundo de outra pessoa ao longo de meia hora. As palavras e músicas a ecoar na nossa cabeça dias a fio. Sentindo uma ligação ao artista. Esse é um momento especial que é cada vez mais difícil de se sentir na agitação habitual dos dias de hoje. Uma cultura em que ouvir um disco seguido duma só vez já é coisa rara. Por isso é encontrar tempo, sentar, relaxar e ouvir este álbum de estreia de Davey Woodward. Não vai desiludir.

Davey Woodward and The Winter Orphans gostaram tanto de gravar este álbum que planeiam gravar outro álbum. Eles tocaram ao vivo apenas duas vezes mas esperam fazer mais concertos muito em breve. 

Caelum apresentam novo single


Depois de verem o tema "Falta-me a Força" integrar a banda sonora na novela "Vidas Opostas" da SIC, os Caelum apresentam o seu novo single: “Ninguém vai entender”. A música, distribuída pela Sony Music Portugal, está disponível em todas as plataformas digitais como o iTunes, Apple Music, Spotify, Google Play, Deezer e Shazam.

Em 2017, lançaram o single "Falta-me a Força", que já conta com mais de 1 milhão de visualizações no Youtube e esteve vários meses a tocar em airplay nas rádios nacionais.
Mas a notoriedade da banda começou após terem vencido a primeira edição do EDP Live Bands que culminou com o lançamento do álbum “Enigma”, em 2016, pela Sony Music Portugal, atingindo este o top de vendas da FNAC.



O “Ninguém Vai Entender” é mais um sucesso garantido, com a sonoridade que actualmente caracteriza os Caelum.
A banda é composta por Pedro Correia (voz e guitarra), Diogo Costa (guitarra e teclado), José Ganchinho (baixo) e Diogo Lopes (bateria).

Festival Santa Casa Alfama


Nos dias 28 e 29 de Setembro, o Festival Santa Casa Alfama regressa a Lisboa. A proposta é desfrutar do bairro de Alfama ao som do melhor guia possível: o Fado. E como tem acontecido ao longo dos anos, este itinerário passa pelas igrejas do bairro, lugares de culto que se transformam em palcos perfeitos para uma arte tantas vezes ligada a sentimentos como a devoção, a adoração e a fé. No dia 28, a Igreja de São Miguel vai receber Peu Madureira, uma das revelações deste ano de 2018. No mesmo dia, noutro sítio mítico do bairro de Alfama, a Igreja de Santo Estevão, o público vai poder desfrutar das vozes de Margarida Guerreiro e André Batista. E no dia 29, também na Igreja de Santo Estevão, espera-se o grande espetáculo “Avé Maria Fadista” com Cátia de Oliveira, Ana Pinhal, Nádia Bastos e Pedro Ferreira.

Com influências fadistas que passam por Amália Rodrigues, Maria Teresa de Noronha, Alfredo Marceneiro, Fernando Farinha, Camané, entre muitos outros, Peu Madureira não esconde aquelas que são algumas das suas maiores referências fora do Fado, nomes que definem também a sua abordagem à música, como Jacques Brel, Gilbert Bécaud, Edith Piaff ou Marino Marini. Desde 2002, quando começou a atuar ao vivo, Peu tem sido considerado um dos novos embaixadores do Fado, tendo já atuado em Espanha, Cabo Verde, Itália, Roménia, entre outros destinos. Em 2018 participou no Festival RTP da Canção com o tema “Só Por Ela”, com letra e música de Diogo Clemente. Os portugueses ficaram rendidos à voz de Peu, cheia de sensibilidade e profundidade, um belo exemplo de como o Fado pode aproximar-se do sagrado.

André Baptista nasceu em Lisboa a 19 de Abril. Logo foi viver para Sines onde passou toda a infância. Desde menino demonstrou ter um gosto especial pela música e é em Porto Covo, num jantar de magusto, que se estreia a cantar acompanhado de guitarra e viola. Entretanto conta já com dois trabalhos discográficos editados. O primeiro intitula-se “Um Fado Nasce”, um merecido tributo a Alberto Janes; o segundo, editado em 2013, chama-se “Gentes do Fado” e é totalmente composto por poemas escritos por alguns dos maiores fadistas da história. Dono de uma voz delicada e cheia de sensibilidade, promete conquistar o público presente nos bancos da Igreja de Santo Estêvão.

Margarida Guerreiro nasceu no Alentejo e em criança já era conhecida pela sua voz quente e pelo seu timbre singular, a tal ponto que em 1991 foi convidada a cantar num dos mais importantes concertos da sua carreira, um dos últimos concertos de Amália Rodrigues. Em 1997, Margarida venceu o prestigiado prémio Amalia Club de Fado, em Lisboa, e cinco anos mais tarde gravou o seu primeiro álbum, “Sal & Mel”, deixando como que uma porta aberta para o que viria a ser o seu segundo trabalho discográfico, “Encores Fado – Live”, um registo em parceria com Custódio Castelo. Os seus fados integram várias compilações (“Divas do Fado Novo”, “Saudade - Amália noutras Vozes”, “Fado Português”, “Fado Capital VI”, “Cantar Amália”...) e já participou em inúmeros festivais internacionais.

No segundo dia de festival, a proposta para a Igreja de Santo Estevão é absolutamente imperdível e chama-se “Avé Maria Fadista”.

“Mãe de Deus, se for pecado, tocar e cantar o fado, rogai por nós pecadores” são versos de Gabriel de Oliveira para um dos mais bonitos fados de sempre, interpretado por Amália Rodrigues e tantas outras fadistas. Não, cantar o Fado não é pecado. Aliás, esta canção carrega consigo toda a devoção dos portugueses, em especial à Virgem Maria, o que patente nas inúmeras composições criadas ao longo das décadas. Avé Maria Fadista é um espetáculo que se realiza num lugar cheio de significado, a Igreja de Santo Estêvão. Esta é uma compilação de temas que enaltecem a virgem e a crença dos portugueses. Jovens fadistas vão dar voz e alma a fados como “Avé Maria”, “Duas Santas”, “Cantilena da Boa Nova”, entre outros. Cátia de Oliveira, Ana Pinhal, Nádia Bastos e Pedro Ferreira são as vozes deste concerto, além do projeto Sax in Fado, uma agradável surpresa com Bruno Soares no saxofone e Tiago Alexandre na guitarra clássica. O acompanhamento vai estar a cargo de João Martins na guitarra, André Teixeira na viola e Sérgio Marques no baixo.


Super Bock em Stock


Nos dias 23 e 24 de Novembro, as melhores propostas musicais vão ser distribuídas pelos palcos do Super Bock em Stock espalhados pela Avenida da Liberdade e arredores. Johnny Marr, Elvis Perkins, Conan Osiris, Charles Watson e The Harpoonist and the Axe Murderer são alguns dos nomes já anunciados e há 3 novos três nomes que confirmam a aposta do Festival nos artistas e nas bandas que garantem o futuro da música: U.S. Girls, Natalie Prass e The Saxophones.

Meghan Remy começou a fazer música no início dos anos 2000, emprestando o seu talento a algumas bandas de Chicago e Portland. Só mais tarde começou uma aventura a solo, gravando os seus primeiros embriões musicais com um gravador 4 pistas e um microfone. Quando o talento é mais do que evidente, os meios ajustam-se às coisas que o artista tem para dizer – e foi isso que aconteceu no início de U.S. Girls. Esta primeira fase criativa resultou em dois discos: “Introducing” e “Go Grey”, editados em 2008 e 2010. Os discos “U.S. Girls On Kraak” e “GEM” foram os passos seguintes, registos que chamaram a atenção de mais gente e que marcaram uma mudança no som de U.S. Girls, com a crescente utilização de samples. Mas as coisas só ficaram mais sérias a partir da assinatura com a editora 4AD e com o lançamento dos discos “Half Free” e “'In a Poem Unlimited”, este último já na calha para ser um dos melhores discos de 2018. A música de U.S. Girls oferece-nos uma pop que tem tanto de estranha como de irresistível, que tanto nos faz dançar como pensar, e também há política nas canções de Meghan. Temas como “Mad As Hell” não enganam, estamos diante de uma artista que vai marcar o cenário indie dos próximos anos. Um talento para ver e ouvir em Novembro, no Super Bock em Stock.

Natalie Prass nasceu em Richmond, na Virginia, mas foi em Nashville que deu os primeiros passos na música, escrevendo e atuando na sombra de outros artistas. Não demorou muito até que a voz delicada e as composições sofisticadas de Natalie começassem a chamar a atenção do meio em que se movimentava. O primeiro EP foi lançado em 2009, com o título de “Small & Sweet”, um nome que também poderia ser uma descrição da própria música de Natalie. E logo a seguir chega “Sense of Transcendence”, editado em 2011. No regresso a Richmond, Natalie Prass começou a trabalhar no álbum de estreia com a ajuda do amigo, também músico e uma influência para Natalie, Matthew E. White. Por motivos burocráticos, ainda demorou algum tempo até este disco homónimo ver a luz do dia, um facto que só fez crescer as boas expectativas do público e da crítica, totalmente correspondidas quando o álbum foi finalmente editado, em 2015. Na altura, lia-se no site da cantora: "Ela é uma alegria para qualquer ouvinte e tem uma energia genuína com uma mistura de sinceridade e insolência cósmica (...) Ela oferece tudo isso com o charme despreocupado e intuição quase divina". Neste ano de 2018, Natalie regressou aos discos com "The Future and the Past". O encanto continua a ser o mesmo e o som parece ser cada vez mais dançante, apesar de este ser um registo assumidamente confessional. As canções, essas, são algumas das melhores de 2018. “Short Court Style” é um single para ouvir com toda a atenção – e para fazer dançar ao mesmo tempo, como se espera que aconteça no Super Bock em Stock.

The Saxophones é uma dupla da Califórnia formada pelo casal Alexi Erenkov e Alison Alderdice. Ele é um multi-instrumentista, formado no jazz; ela é uma baterista que também empresta a sua voz às belíssimas canções que chegam agora até nós. Depois do EP "If You’re On The Water", editado em 2016, deixar excelentes indicações, "Songs of The Saxophones" é o álbum de estreia, editado este ano, e que posiciona este duo como um dos projetos mais originais a surgir no cenário indie nos últimos tempos. O nome remete para o jazz, mas a música dos Saxophones está mais próxima de rótulos como "dream pop" ou até mesmo "ambient folk". As canções deste novo disco foram escritas quando o casal vivia num barco, na Baía de São Francisco, num inverno particularmente húmido. As condições meteorológicas inspiraram a atmosfera do disco, com canções melancólicas, que revelam um interesse pelas sombras da existência, sem nunca perder uma suavidade muito característica deste duo californiano, que contrasta com a pungência de algumas das letras, diferentes capítulos de uma mesma história. Canções como “Mysteries Revealed” provam que estamos diante de um caso sério de talento – algo que o público português poderá confirmar em Novembro, num dos palcos do Super Bock em Stock.

O bilhete único válido para os dois dias do Festival encontra-se à venda nos locais habituais, pelo preço de 40€ até 31 de Agosto, passando para 45€ a partir do dia 1 de Setembro e 50€ nos dias do Festival.

segunda-feira, 30 de julho de 2018

The Black Angels no Hard Club


The Black Angels, a banda de rock psicadélico de Austin, passa por Portugal dia 4 de Setembro, para apresentar o mais recente trabalho de originais, “Death Song”, com um concerto no Hard Club, no Porto.

A banda composta por Alex Maas, Christian Bland, Kyle Hunt, Stephanie Bailey e Jake Garcia, ganhou o respeito da crítica e dos fãs não só pela arrebatadora discografia de estúdio, como pelas fortes atuações ao vivo, que por unanimidade elevam as músicas a um extremo. O jornal The New York Times, inclusive, salientou, numa das suas críticas, que os The Black Angels ao vivo têm a capacidade de tocar rock psicadélico como se os anos 60 nunca terminassem e são absolutamente mestres ao fazê-lo. Já Mass diz que não considera “Death Song” psicadélico, mas sim um álbum de rock n’ roll.

Para muitos este quinto disco de estúdio é um dos melhores de sempre da carreira da banda e já está a seguir as pisadas do bem-sucedido álbum de estreia “Passover”, editado em 2006. Produzido por Phil Ek (Father John Misty, Fleet Foxes, The Shins), “Death Song” é considerado o mais político trabalho do grupo, onde a lírica explode todo o tipo de questões atemporais misturadas com o som neo-psicadélico, género que faz jus ao nome da banda, que assumiu originalmente da música “The Black Angel’s Death Song” dos The Velvet Underground.

Homem-Formiga e a Vespa 15 de Agosto nos cinemas


Do Universo Cinematográfico Marvel chega Homem-Formiga e a Vespa, um novo capítulo dos heróis com a incrível capacidade de encolher. Depois de "Capitão América: Guerra Civil", Scott Lang tem de lidar com as consequências das suas escolhas como super-herói e pai. Enquanto luta para equilibrar a vida pessoal e as suas responsabilidades como Homem-Formiga, é confrontado por Hope van Dyne e Dr. Hank Pym com uma nova missão. Scott terá uma vez mais de vestir o fato de Homem-Formiga e aprender a lutar ao lado de A Vespa, enquanto a equipa trabalha em conjunto para descobrir segredos do passado.


Noite de Grande Concerto no Casino Estoril com os The Black Mamba a 2 de Agosto


O ciclo de “Grandes Concertos do Casino Estoril” propõe, já na próxima Quinta-Feira, 2 de Agosto, pelas 23 horas, The Black Mamba. Em mais uma noite festiva, a não perder, os The Black Mamba sobem ao palco do Lounge D para interpretar numerosos êxitos bem conhecidos do público. A entrada é livre.

Reconhecida como uma das mais enérgicas e entusiasmantes bandas portuguesas a actuar ao vivo, os The Black Mamba estreiam-se no Lounge D, em noite de “Grande Concerto do Casino Estoril”.

Recorde-se que, Pedro Tatanka Ciro Cruz e Miguel Casais iniciaram, em 2010, um novo projecto musical. “The Black Mamba” nome que baptiza o trio e o álbum de estreia, foi a inspiração encontrada para que em conjunto provassem o seu próprio “veneno”. A química e a experiência destes grandes músicos, permitiu-lhes percorrer o universo do blues, soul e funk, numa adaptação ao seu habitat natural.

O público português foi consensual e imediato no reconhecimento e apoio a este trabalho: 1º lugar de vendas do iTunes, a primeira edição do disco esgotado nas lojas, o airplay nas rádios, a presença de norte a sul do País em várias salas de espectáculos e festivais de relevo.

Em 2014, os The Black Mamba lançaram o segundo disco de originais. “Dirty Little Brother” foi produzido entre Lisboa e Nova Iorque e distinguiu-se, desde logo, pelos seus 11 temas em que colaboraram nomes como, por exemplo, Aurea, António Zambujo, Silk (Cais Sodré Funk Connection) e Orlanda Guillande. “Wonder Why”, single de apresentação contou com a participação de Aurea, rodando nas principais rádios nacionais e contando com uma óptima receptividade por parte do público e da crítica. 

Os “The Black Mamba” encontram-se, actualmente, a trabalhar no disco sucessor de “Dirty Little Brother”. O tema “Stronger” constitui a primeira amostra daquele que será o terceiro álbum de originais da banda.

Com múltiplos polos de interesse, este ciclo de concertos promete agitar as noites de Verão no Lounge D, reforçando a qualidade da oferta cultural e de entretenimento do Casino Estoril. 

Cidade da Califórnia vai tornar-se cidade-piloto para a condução autónoma


A Bosch e a Daimler estão ultimar processos de desenvolvimento da condução totalmente autónoma para veículos em cidade, sem intervenção de um condutor (nível SAE 4/5). Os dois parceiros escolheram a Califórnia como o local-piloto para a primeira frota de testes. No segundo semestre de 2019, a Bosch e a Daimler vão oferecer um serviço "shuttle" de transporte com veículos autónomos, em rotas selecionadas, numa metrópole californiana. Está previsto que a Daimler Mobility Services seja a operadora desta frota de testes e do serviço de mobilidade baseado numa aplicação de smartphone. Este projeto-piloto irá demonstrar como os serviços de mobilidade, por exemplo, a partilha de veículos (car2go), viagens "a pedido" (mytaxi) e as plataformas multimodais (moovel) podem ser interligadas de forma inteligente. Por outro lado, ambos os parceiros optaram pela empresa de tecnologia norte-americana Nvidia para fornecer a plataforma de inteligência artificial como parte da sua rede de unidades de controlo.

Monte Santo Resort celebra uma década ao som de Marta Ren & the Groovelvets


Comemorar uma década é algo único que requer uma celebração com toda a pompa e circunstância. Assim, para assinalar o seu 10º aniversário, o Monte Santo Resort promove no próximo dia 4 de Agosto, sábado, um jantar-concerto ao ar livre, embalado pelo espírito soul de Marta Ren & the Groovelvets, uma das mais carismáticas vozes da nova música portuguesa.

O evento, com início agendado para as 19h00, começa por servir um cocktail de boas-vindas no terraço do Resort. Segue-se o jantar, que será servido na encantadora esplanada junto à piscina principal. As sobremesas serão servidas em buffet e todo o menu será acompanhado de uma seleção de bebidas. O bolo de aniversário será servido com champagne.


Durante o jantar caberá à Marta Ren e aos the Groovelvets abrilhantarem ainda mais esta noite especial com a sua música soul clássica e envolvente, reforçado o ambiente especial do resort mais romântico da Europa segundo os World Travel Awards. Depois do concerto a festa prossegue ao som de um DJ.

A participação neste jantar-concerto de aniversário tem um preço de €70 por adulto e de €35 por criança (dos 3 aos 12 anos). 

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Bandida o novo projecto de Marta Dias & Carlos Barreto Xavier


Raivas, dores, doçuras e contradições numa voz que junta ao fado, e ao jazz, a garra do timbre mestiço para afirmar o ser mulher. Marta Dias e Carlos Barreto Xavier criaram doze canções em Português feitas para cantar com ternura, atrevimento e ousadia. Ah, Bandida.   

Com o primeiro single “A Canção da Bandida” já a rodar na rádio e já disponível em todas as plataformas digitais (Apple Music, Spotify, iTunes, Google Play/YouTube, Amazon, Pandora, Deezer, Tidal, Napster, iHeartRadio, ClaroMusica, Saavn, MediaNet).

As doze canções são fruto da parceria entre Marta Dias e Carlos Barreto Xavier e nasceu da composição, “Esse Meu Amor”, que integrou o “Best Of” da cantora.

Para acompanhar a voz de Marta Dias e o piano de Carlos Barreto Xavier, Bandida conta com a cumplicidade de Ruca Rebordão, nas percussões e de Yuri Daniel (baixo elétrico) cujo percurso musical é bem conhecido de todos e que acompanha Jan Garbarek em concerto, e Pedro Zagalo (Hammond).


7 Maravilhas à mesa


No próximo domingo, dia 29 de Julho, 7 Maravilhas à Mesa dá-nos a conhecer a diversidade da verdadeira mesa portuguesa de mais regiões do nosso país.

A partir das 21h00, Catarina Furtado e José Carlos Malato vão estar em direto da Batalha, para nos mostrar ao pormenor o melhor da gastronomia, dos vinhos e os roteiros turísticos de várias regiões de Portugal. Na segunda gala encontram-se a concurso: Mesa de Angra do Heroísmo, Mesa da Batalha, Mesa de Bragança, Mesa de Cacela Velha, Mesa da Guarda, Mesa de Loures e Mesa de Vila de Frades.

Carolina Deslandes é a artista convidada da segunda Gala. A cantora promete momentos musicais únicos e irá subir ao palco para interpretar temas originais. Estarão reservados outros momentos especiais, como a viagem pela música tradicional portuguesa ao som dos Rapsódia à Mesa, guiados pela mão de Daniel Pereira Cristo. Uma abordagem que vamos poder acompanhar ao longo de todas as Galas e que promete não deixar ninguém indiferente.

Ao longo das próximas semanas, nas 7 galas pré-finalistas vamos ficar a conhecer as duas mesas candidatas mais votadas. 7 Maravilhas à Mesa pretende promover as regiões e o mundo rural, através da gastronomia e dos vinhos, fomentando o turismo e as experiências no território. Um país tão pequeno, mas tão rico na sua diversidade de pratos de norte a sul do país e ilhas e no desafio da sua harmonização com os vinhos produzidos localmente e a oferta turística adjacente.

Verão M está a chegar


A partir de dia 28 de Julho, a sua companhia ao início da noite de sábado. Na nova série da RTP1 vamos poder reavivar memórias de infância comuns a todos e as paixões dos adultos e as descobertas da juventude fazem um verão inesquecível!

Verão M é uma série de ficção familiar e para todas as idades, moderna e refrescante, passada no cenário idílico de Moledo sobre umas férias de Verão repletas de amizade, paixão e aventura.

Manel é um pai à procura de um momento de calma após um divórcio recente. Com a chegada das primeiras férias sozinho com os filhos, decide levar Leonor (11 anos) e Rodrigo (13 anos) a passarem o Verão no sítio onde viveu os melhores momentos da sua juventude: o concelho de Caminha, no Minho, junto à praia de postal de Moledo. Manel acredita que aqui poderá começar um novo capítulo e recuperar a relação com os filhos, que foi desgastada por meses de tensão com a ex-mulher. Leonor fica feliz por passar as férias com o pai, mas Rodrigo preferia estar no Algarve com a mãe e perto dos amigos. Manel tem de contrariar a resistência do filho mais velho ao mesmo tempo que outro problema surge.

Mal chegam a Moledo, Manel reencontra Filipa, uma antiga paixão de adolescência do tempo em que ambos passavam férias em Moledo com os pais. A relação deles foi mais do que um simples namoro de verão e este encontro vai reacender uma paixão que nunca chegou a terminar.

Quando Filipa foi estudar para a Universidade de Barcelona, a distância acabou por afastá-la de Manel e cada um seguiu o seu caminho. Ele casou, teve dois filhos e ela assim fez. Filipa é casada com Kiko, um homem que vive da adrenalina, incapaz de ficar muito tempo parado no mesmo sítio.

No início foi a faceta aventureira do marido que a apaixonou, mas conforme os anos passaram o desgaste na relação foi aumentando e agora vivem cada vez mais de costas voltadas. Acaba por ser Graça (12 anos), a filha de ambos, que continua a segurar o casal junto.

Sábado, dia 28 de julho, às 21h00 na RTP1.

Novo Classe A Limousine chega a Portugal


A família de veículos compactos Mercedes-Benz continua a crescer, estando prevista para breve uma nova versão com lançamento em Portugal no início de 2019: o Classe A Limousine. A nova variante de quatro portas tem 2.729 milímetros de distância entre eixos e as proporções de uma limousine compacta e dinâmica, com distâncias reduzidas das extremidades do para-choques ao centro do eixo, à frente e atrás. Em termos de espaço para os passageiros do banco traseiro, esta proposta está no topo do seu segmento. Adicionalmente, o modelo tem todas as virtudes familiares de um Classe A. Estas incluem motorizações modernas e eficientes, o mais elevado nível de segurança proporcionado pelos mais avançados sistemas de assistência à condução, com funções oriundas do Classe S e o sistema de infotainment MBUX –Mercedes-Benz User eXperience. Com um valor de Cd de apenas 0,22 e uma área frontal de 2.19 m², o novo Classe A Limousine tem o mais reduzido coeficiente aerodinâmico de todos os veículos de produção e, por isso, defende o recorde mundial do CLA Coupé.

Concerto de uma noite de Verão


Todos os anos, a Orquestra Filarmónica de Viena apresenta um concerto nos jardins do Palácio de Schönbrunn, um dos eventos mais especiais da temporada. Os seus jardins oferecem o cenário perfeito para este momento musical único e fantástico.

O concerto deste ano leva-nos numa viagem pela “Noite Italiana”, com excertos das mais famosas óperas e bailados de compositores italianos, ou que se inspiram em Itália. Com direção do maestro russo Valery Gergiev e a participação especial da talentosa soprano russa Anna Netrebko, que interpreta algumas das suas árias favoritas, incluindo ‘Vissi d'arte’ da ópera Tosca de Puccini, a Orquestra Filarmónica de Viena conduz-nos por um deslumbrante espetáculo ao paraíso musical italiano.
Este domingo, dia 29 de Julho, às 23h25 na RTP2 um momento musical de rara beleza nos jardins do Palácio de Schonbrunn.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Beautify Junkyards na ZDB esta sexta-feira


Os Beautify Junkyards, que estão em fase de promoção do seu novo álbum, regressam a Lisboa para apresentar-se na Galeria Zé dos Bois. O concerto acontece já esta sexta-feira, dia 27 de Julho numa noite que ainda terá DJ sets de dois nomes bem conhecidos dos lisboetas, Candy Diaz (co-autora do programa "Floresta Encantada" da rádio SBSR) e María P. (do colectivo Electric Rainbow).

Em Outubro, os Beautify Junkyards irão fazer uma mini-tour no Reino Unido, estando já marcado para 26 de Outubro um concerto numa das mais emblemáticas salas londrinas, o Cafe OTO, numa noite inteiramente dedicada à editora Ghostbox, em que além dos Beautify Junkyards, actuará também a cantora folk Sharron Kraus e o Focus Group de Julian House (DJ).


Noites de Verão no Casino Lisboa com extenso programa de animação


As noites de Verão do Casino Lisboa distinguem-se por um vasto programa de animação reservado para o Arena Lounge. 

Arena Lounge - Jukebox
O programa de animação musical culmina com as dinâmicas sonoridades da Juke Box. São diferentes DJ’s seleccionam os ritmos ideais para um público predominantemente jovem. A não perder, de Quinta-Feira a Sábado, pouco depois da meia-noite.

Quinta-Feira, dia 26 - Yugo Dee
Sexta-Feira, dia 27 - Johnny Deep
Sábado, 28 - Nuno Di Rosso

Arena Lounge – Palco central
Os espectáculos de Novo Circo continuam, também, em destaque no Casino Lisboa. Jocka Carvalho estará em evidência, na próxima Sexta-Feira e Sábado, dias 27 e 28 de Julho, com um número em tecido vertical. A entrada é livre.

Onde estão os limites do eu? Até onde posso ir através da imaginação? Estas são as demandas da alma de Jocka Carvalho, um jovem que se define pela procura do seu lugar de expressão e que já percorreu várias aéreas artísticas e desportivas, tendo sido atleta de alta competição, bailarino, artista de circo, coreógrafo.

Jocka Carvalho já se apresentou em grandes palcos mundiais, tendo desenvolvido intensamente os seus talentos nas artes circenses e dança. Está, actualmente, em digressão com Acts Circenses, uma fusão perfeita de circo, dança e acting! Jocka World is the Circus… let him be part of yours!

O Décimo Círculo


Jodi Picoult, autora nº 1 do New York Times, é uma das autoras de romance feminino mais internacionais e populares da atualidade, e está de regresso com o livro O Décimo Círculo.

À semelhança dos seus livros anteriores, em O Décimo Círculo as personagens debatem-se com uma questão moral difícil, neste caso em concreto: uma violação. Trixie Stone, de 14 anos, vê-se com a sua inocência perdida, e o seu pai, Daniel Stone, dispõe-se a «ir ao inferno e voltar para proteger a filha». Através desta história, Jodi Picoult levanta a questão: até onde iria para proteger um filho? 

Este livro é ainda acompanhado de imagens de banda desenhada da autoria de Daniel Stone (pai de Trixie), que conta a história de uma rapariga que é raptada pelo diabo e levada para o inferno de Dante, e do pai que, literalmente, desce ao inferno para salvá-la.

Sobre a Autora

Jodi Picoult nasceu e cresceu em Long Island. Estudou Inglês e Escrita Criativa na Universidade de Princeton e publicou dois contos na revista Seventeen enquanto ainda era estudante. O seu espírito realista e a necessidade de pagar a renda levaram Jodi Picoult a ter uma série de empregos diferentes depois de se formar: trabalhou numa corretora e numa editora, foi copywriter numa agência de publicidade e professora de Inglês. Aos 38 anos, é autora de onze bestsellers e em 2003 foi galardoada com o New England Bookseller Award for Fiction.

Casino Estoril inaugura XXXVIII Salão Internacional de Pintura Naif


É já no próximo Sábado, 28 de Julho, pelas 17 horas, que o Casino Estoril inaugura o XXXVIII Salão Internacional de Pintura Naïf. Os 19 autores presentes, responderam de forma positiva à Direcção da Galeria de Arte que fez um apelo para que a edição deste ano primasse pela apresentação de trabalhos de qualidade e autenticidade naïf. A entrada é livre.

Segundo a Direcção da Galeria de Arte: “De modo nenhum, podemos concordar com aqueles que afirmam que os pintores naïfs são aqueles que não sabem pintar. Antes pelo contrário, são aqueles que pintam como sabem, provenientes das mais diversas profissões e classes sociais”. 

Escreveu Tomás Paredes, distintíssimo crítico espanhol “Os artistas ingénuos estão longe das academias e dos seus códigos, mas não da sabedoria; distantes da chamada arte culta, mas encontram-se no coração, no âmago da própria Cultura; longe das especulações intelectuais, mas não afastados da emoção profunda e incorruptível da gente simples. São profundamente verdadeiros, visceralmente humanos.”

Os artistas participantes são os seguintes: A.Barbosa, A.Réu, Antero Anastácio, António Charrinho, Arménio Ferreira, Augusto Pinheiro, Bento Sargento, Carlos Ribeiro Antunes, Conceição Lopes, Deborah Collens, Dulce Ventura, Elza Filipa, Feliciana, Fernanda Azevedo, Leonel Pereira, Manuel Castro, Maria Vilaça, Nell e Rute Castro

Na edição deste ano, a 38ª, é homenageada Fernanda Azevedo, nascida em Torre Dona Chama, concelho de Mirandela, professora reformada do ensino secundário. Esta artista é titular de um currículo vastíssimo, no qual se destaca a participação em importantes salões de pintura naïf, em diversas cidades europeias. As suas obras distinguem-se por uma linguagem própria, característica dos grandes artistas, tendo como temas preferidos, Lisboa e os seus emblemáticos locais históricos, Cascais e a sua lindíssima baía. Tem mantido ao longo dos anos uma consistente qualidade na elaboração das suas obras, o que a torna numa das principais referências da Pintura Naïf em Portugal.

É sempre de louvar o aparecimento de novos talentos, e este ano, surgem pela primeira vez neste Salão, dois artistas. Deborah Collens, cidadã inglesa que desde 2011, escolheu, e bem, o Algarve para morar e Antero Anastácio, artista nascido em Peniche e que tem nesta bonita cidade piscatória e nas suas gentes, inspiração para criar os seus coloridos trabalhos.

A Galeria de Arte do Casino Estoril acolhe, até 11 de Setembro, o XXXVIII Salão Internacional de Pintura Naïf. Patente ao público, todos os dias, das 15 às 24 horas. Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Estoril é reservado a maiores de 18 anos. 

Estreias de cinema de 26 de Julho de 2018


Esta semana dentre as várias estreias de cinema nas salas nacionais o "Cultura e não Só" destaca as seguintes:



Happy End

Encontro de várias gerações de uma família burguesa em Calais, França. George Laurent, o ancião, sofre de demência progressiva; Thomas, o filho, depois da notícia do envenenamento da ex-mulher, é obrigado a viver com a sua filha, Ève, que por sua vez tem tendências suicidas; Anne, a filha, tem em mãos o negócio de construção civil da família e tem de lidar com o trauma de um acidente de trabalho causado pelo seu filho, que sofre de desequilíbrios mentais.

Um filme sobre dramas e segredos familiares, com a crise de refugiados e da Europa contemporânea como pano de fundo. Depois de "Amor", Isabelle Huppert ("A Pianista", "Ela", "Marvin") e Jean-Louis Trintignant ("Janis e John"), voltam a contracenar num filme de Michael Haneke ("O Laço Branco", "Brincadeiras Perigosas") que conta ainda com Mathieu Kassovitz ("Uma Traição Fatal", "A Vida de Outra Mulher", "Valerian e a Cidade dos Mil Planetas"). 



Titã

Com o planeta Terra à beira do seu fim, são desenvolvidas experiências para, no futuro, se habitar Titã. Rick Janssen, um ex-militar, e a sua família são escolhidos para a missão que visa preparar o ser humano para colonizar esse satélite de Saturno. Alterar o metabolismo do corpo para as condições do planeta, fazendo-os sobreviver com pouco oxigénio, e aperfeiçoar a visão nocturna são algumas das faculdades que se vão tentar desenvolver. Mas cedo as cobaias humanas descobrem que estão a ser vítimas de experiências genéticas e que os efeitos colaterais, além da degeneração do corpo, dão origem a comportamentos violentos. E que há outros propósitos por detrás da missão…



Hotel Transylvania 3: Umas Férias Monstruosas

A família do conde Drácula entende que ele deve fazer uma pausa no seu trabalho no hotel e marca-lhe uma viagem num cruzeiro de luxo, para que possa descansar durante uns dias. Já em alto mar, Drácula conhece a misteriosa comandante do navio, Ericka, por quem acaba por se apaixonar. Mas Drácula não sabe que Van Helsing, o seu maior inimigo, é o bisavô de Ericka e que ele continua com o seu plano de eliminá-lo, assim como a todos os monstros que o acompanham nessas férias. E que, pior ainda, a bisneta tenciona ajudá-lo nessa missão… Terceiro filme da série "Hotel Transylvania", novamente realizado por Genndy Tartakovsky.

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Kodaline no Coliseu de Lisboa


Os Kodaline acabam de confirmar a data do concerto de apresentação da digressão “Politics of Living”. A banda irlandesa atua dia 24 de Outubro, no Coliseu de Lisboa.

O quarteto de Dublin apresenta em Lisboa o novo disco de estúdio, que será apresentado ao público no próximo dia 10 de Agosto. Para este novo trabalho, os Kodaline trabalharam pela primeria vez com um leque variado de escritores e produtores, incluindo o guru pop Wayne Hector, Jonny Coffer (Beyonce, Emeli Sande, Naughty Boy e Two Inch Punch (Rag ‘n’ Bone Man, Sam Smith). Este é o trabalho sucessor de “Coming Up For Air”, editado em 2015 e Disco de Ouro no Reino Unido. Já o álbum de estreia, “In A Perfect World”, vendeu mais de um milhão de cópias em todo o mundo e já soma mais de 200 milhões de visualizações no canal Vevo.

Os Kodaline são Steve Garrigan (voz, guitarra, teclados, bandolim e harmónica), Mark Prendergast (guitarra, voz secundária e teclados), Vinny May (bateria e percursão) e Jason Boland (baixo e voz secundária).


NOS Apresenta Comic Con Portugal 2018


A Comic Con Portugal acaba de fechar uma parceria com a NOS em que esta se assume como main sponsor na próxima edição do evento, que decorre de 6 a 9 de Setembro, no Passeio Marítimo de Algés.

Enquanto líder de Comunicações e Entretenimento em Portugal, a NOS tem vindo a reforçar o seu investimento no território do Entretenimento. Para além da inovação constante no seu produto-core televisão (App NOS TV, App NOS Play, Youtube na UMA), a NOS tem desafiado os portugueses a viverem, de uma nova forma, as suas paixões. Com a NOS a Música, o Futebol e o Cinema são experiências memoráveis e irrepetíveis, com um ecossistema digital próprio e uma rede de influencers e content makers que recria e amplifica a vivência para outro patamar de emoção e imersão.

Esta nova parceria estratégica com a Comic Con Portugal reforça a ligação da NOS ao seu território natural e amplifica a sua presença e relevância na cultura pop.

A Comic Con Portugal aborda uma grande variedade de temas que vão desde Cinema & TV, a Banda Desenhada & Literatura, Cosplay, Gaming, New Media, Música, entre outros e atrai vários tipos de visitantes nacionais e internacionais. A NOS, presente desde a primeira edição do evento, tem uma grande capacidade para chegar, com credibilidade, a um elevado número de consumidores e tem procurado oferecer a cada nova edição um maior conjunto de ativações diferenciadoras, cada vez mais digitais e direcionadas para a experiência do consumidor nas diferentes áreas do evento. Este ano a aposta da NOS é ainda mais estratégica assumindo-se como main sponsor do evento.

Rita Torres Baptista, Diretora de Marca e Comunicação da NOS, afirma que “A NOS, como marca de entretenimento, quer estar próxima dos portugueses, das suas emoções e interesses. A Comic Con Portugal é um evento único que se distingue pelas personagens, conteúdos e ativações preferidas dos portugueses pelo que a parceria com a NOS se revela natural nesta estratégia emocional de comunicação”

Para Paulo Rocha Cardoso, Diretor-Geral da Comic Con Portugal "Esta parceria resulta de um trabalho contínuo e de uma relação crescente entre ambas as partes, desde a primeira edição, em 2014. E porque queremos sempre inovar e melhorar, acreditamos que a marca NOS é o parceiro perfeito, com a sua vasta experiência em eventos de entretenimento de elevada escala, como os festivais de música NOS Alive e NOS Primavera Sound, a Liga NOS ou os Óscares, para superar as expectativas dos visitantes do evento".

Mais do que um evento de quatro dias, a Comic Con Portugal é uma plataforma fundamental de comunicação e interação. Utiliza referências e valores do universo da cultura Pop, fazendo os fãs sentirem-se ligados às personagens e narrativas e criando experiências e memórias que mudam e melhoram a perspetiva de verem o mundo e a si próprios.

Viagem à Espanha do Renascimento encerra ciclo "Reencontros" no Palácio de Sintra


A edição 2018 do ciclo “Reencontros” despede-se no próximo fim de semana com o agrupamento Accademia del Piacere, criado em 2002, em Sevilha, pelo extraordinário gambista Fahmi Alqhai. Ao Palácio Nacional de Sintra, eles trazem, nos dias 27 e 28 de Julho, dois programas distintos que propõem dois diferentes modos de imersão na música instrumental espanhola do Renascimento.

Na sexta-feira, 27 de Julho, o programa “Redescobrindo Espanha – “Fantasías, diferencias y glosas” na música espanhola dos séculos XVI e XVII” revisita a primeira gravação do grupo para a editora Glossa (de 2013). Trata-se aqui de observar o repertório instrumental da época à luz das práticas da variação e da improvisação, tendo por um lado em atenção os tratadistas coevos, como o espanhol Ortiz ou o veneziano Ganassi, mas inscrevendo na ‘performance’ deste repertório uma apropriação moderna do modo de fazer essas ‘transformações’. Isto é, a prática musical como reflexo da formação dos músicos e do seu meio circundante, então como agora. 

No dia 28 de Julho, sábado, a Accademia del Piacere irá iluminar os dois polos em redor dos quais se desenvolvia a vida musical na Sevilha dos séculos XVI e XVII, época do apogeu do comércio das Índias. O programa intitula-se ‘Hispalis Splendens – Música na Sevilha do Século de Ouro’ e aborda, por um lado, a música instrumental profana praticada no “século”, desde os meios populares aos círculos aristocráticos e da grande burguesia da cidade; e, por outro, a música religiosa, que tinha por centro irradiador a grandiosa catedral hispalense, concluída em 1506. Como pano de fundo, ainda, a transição do humanismo renascentista para o misticismo da Contrarreforma. Termina deste modo a quarta edição dos “Reencontros”.

O ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” dá continuidade à 4.ª Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que iniciou em Março com os “Serões Musicais no Palácio da Pena”, e termina, em Outubro e Novembro, com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”.

Levantar a âncora, içar as velas…A maior aventura de todos os tempos


A Ilha do Tesouro é um dos clássicos da literatura infantojuvenil da autoria do escocês Robert Louis Stevenson. Escrito em 1883, as peripécias de Jim Hawkins em busca de um lendário tesouro de piratas continuam a encantar miúdos e graúdos que apreciam uma boa história de aventura. 
A Ilha do Tesouro é a obra referência no que respeita a aventuras infantojuvenis sobre piratas e que tem sido amplamente adaptada para peças de teatro, séries, cinema e filmes de animação. Algumas das personagens - Jim Hawkins, o capitão Smollett ou Billy Bones – tornaram-se icónicas no universo da literatura. 

Casino Estoril recebe Vanessa da Mata no próximo Sábado


É já no próximo Sábado, 28 de Julho, a partir das 21h30, que Vanessa da Mata actua, no Salão Preto e Prata do Casino Estoril. Com a sua voz inconfundível, a artista apresenta os melhores temas do seu mais recente álbum intitulado "Caixinha de Música" não esquecendo outros memoráveis êxitos da sua carreira.

O novo álbum de originais de Vanessa da Mata distingue-se por reunir várias composições que já conquistaram o público. O tema "Caixinha de Música", que dá nome ao disco, assim como as canções "Orgulho e Nada Mais" e "Gente Feliz” estão em evidência.

Com 15 anos de carreira, Vanessa da Mata lançou sete álbuns, tendo registado numerosos sucessos, entre os quais se destacam "Ai, Ai, Ai", "Amado", "Boa Sorte/Good Luck", "Não Me Deixe Só", "Ainda Bem" ou “As Palavras”.

Em concerto inédito no Casino Estoril, o público poderá deixar-se contagiar pela voz e presença de uma carismática cantora já galardoada com prestigiados prémios como, por exemplo, um Grammy Latino com o CD “Sim” na categoria de melhor álbum de pop contemporâneo brasileiro.

terça-feira, 24 de julho de 2018

Diogo Morgado na Comic Con Portugal


O ator português Diogo Morgado, estará no evento da Comic Con Portugal, no dia 8 de Setembro, para apresentar e promover o seu filme "Solum", do qual é realizador e também participa como ator.

Neste painel, que também irá contar com vários elementos do elenco, serão partilhadas mais informações do filme e respetivas personagens e apresentado pela primeira vez, um clip de 12 minutos, que irá permitir desvendar mais sobre "Solum".

Uma inabitada e exótica ilha é usada para um programa de Reality TV de sobrevivência chamado “Solum”. Oito Concorrentes, deixados neste ambiente inóspito e isolado, levam consigo apenas o que é estritamente necessário para a sua sobrevivência. O último a desistir vence o concurso. Sarah magoa-se, e é a primeira a querer desistir, porém morre  misteriosamente quando o tenta fazer. Assim que chega à ilha, Liam tem apenas um propósito: acabar com a competição. Carol começa a ter sonhos de uma outra realidade. Paul sabe a verdade, sabe o que de facto se está a passar. Sobreviver não é mais um show. "Solum" não é uma ilha, muito menos um reality show. Sobreviver é apenas um começo.


A decorrer na área de Cinema & TV do evento Comic Con Portugal, este será um dos vários conteúdos exclusivos que serão apresentados no maior evento de Cultura Pop do país.

Ala dos Namorados e Convidados em Loulé


A Ala dos Namorados apresenta-se em Loulé, para aquele que será o primeiro concerto oficial da celebração dos 25 anos de música de uma das bandas portuguesas de maior longevidade.

Sara Tavares, Vitorino, Shout e a Orquestra Clássica do Sul, juntar-se-ão à Ala dos Namorados a 4 de Agosto em Loulé, num concerto ímpar onde se poderão ouvir todos os êxitos, numa sucessão de temas que se encarregará de nos lembrar o lugar que a Ala dos Namorados ocupa na história da música popular portuguesa. Certamente não há outra banda em Portugal que alie de forma tão perfeita sons de tantas correntes musicais distintas com uma escrita tão aprimorada e uma voz tão cativante e singular.

Todo este sucesso sempre resultou de uma combinação singular e inimitável na música da Ala dos Namorados, em que cabem a canção ligeira portuguesa de travo clássico, o jazz de apelo popular, a pop mais desempoeirada, o fado no seu registo mais cançonetista e uma transversal capacidade para fazer de todos estes géneros uma experiência única e personalizada. Tudo porque sempre houve um triângulo de iluminada cumplicidade e de uma inspirada convergência de talentos: a mestria melódica de Manuel Paulo e João Gil na composição, a riqueza narrativa da escrita de João Monge capaz de captar na perfeição o quotidiano das cidades portuguesas e a voz versátil e emotiva de Nuno Guerreiro. Esta combinação só podia ter resultado num daqueles casos de sucesso fadados para a composição de hinos populares.

A História do Hip Hop Tuga em Concerto


Depois do sucesso inquestionável da primeira apresentação do espetáculo “A História do Hip Hop Tuga”, vai voltar a fazer-se história. No hip hop e em cima do palco. Um concerto que se planeou único, mas que em resposta aos muitos pedidos do público e por vontade de todos os músicos envolvidos, e mais alguns, volta a palco no dia 8 de Março de 2019 na Altice Arena, em Lisboa.

O ponto de partida é o mesmo: reunir em palco uma boa parte dos nomes mais representativos dos últimos 25 anos do hip hop nacional, em celebração do lugar de destaque em que hoje encontramos a cultura hip hop, mais forte do que nunca.
À equipa vencedora que participou na primeira apresentação de A História do Hip Hop Tuga, vão juntar-se no concerto de 8 de Março na Altice Arena, em Lisboa, mais artistas do que na primeira edição, tanto MCs como DJs, Writters e Bboys.

Esta história feita de muito trabalho de todos os artistas das 4 vertentes deste movimento vai ser contada através das músicas que marcaram este último quarto de século da cultura hip hop, derrubando barreiras e passando mensagens, por vezes polémicas, em representação do espelho da liberdade, que é o hip hop.

Em Setembro tudo será revelado, o elenco e não só… Entretanto, para quem queira garantir já o seu lugar, os bilhetes já se encontram à venda, na Blueticket e locais habituais.

Hotel Rural Quinta do Marco com acessibilidades para mobilidade reduzida


O Hotel Rural Quinta do Marco, que reabriu este ano renovado, está totalmente adaptado para facilitar a deslocação de clientes com necessidades especiais. Desta forma e para garantir o melhor conforto a quem tem mobilidade reduzida, o hotel implementou um conjunto de novas acessibilidades em todos os seus espaços.

Este projeto de adaptação foi realizado com o apoio do programa Valorizar, do Turismo de Portugal, na vertente da Linha de Apoio ao Turismo Acessível, num investimento global de cerca de 90 mil euros. 

Neste âmbito, foram realizadas obras de melhoria de centenas de metros quadrados, com aplicação de pavimento betuminoso permeável, de cor terra escuro, em volta de todo o hotel, permitindo o acesso a cadeiras de rodas e carrinhos de bebés a todos os quartos e espaços públicos: receção, restaurante, bar, piscina, spa e parque de estacionamento.

O Hotel Rural Quinta do Marco instalou igualmente um percurso tátil direcional e pavimentos de alerta ao longo de todo o espaço, com guias de deslocação e placas de sinalética em braille com indicações para os clientes invisuais. Nos quartos, foram ainda colocadas placas indicativas e direcionais com o respetivo número do alojamento.

Também a acessibilidade digital foi melhorada. O website do Hotel Rural Quinta do Marco foi adaptado, pela empresa Dengun, para ser utilizado por invisuais.

O Hotel Rural Quinta do Marco, em Tavira, com um design contemporâneo, tem quartos duplos, triplos ou familiares, wi-fi gratuito e estacionamento incluído. Inserido no meio de um jardim mediterrânico, integra uma horta biológica, que abastece o restaurante panorâmico, com mais de 120 lugares. Este estende-se numa agradável esplanada com vista sobre a serra e costa Algarvia.

Diário 1915 – 1926 de Virginia Woolf


Com prefácio de Quentin Bell (biógrafo e sobrinho de Virginia Woolf) e organização e notas de Anne Bell, Diário 1915 – 1926, de Virginia Woolf, é de uma grande beleza lírica e literária, sem deixar de retratar uma época (Primeira Guerra Mundial), um período artístico e estético importante, bem como as mudanças políticas da Europa. 
Este diário, anotado e enriquecido com cartas e ensaios de Virginia Woolf, permite conhecer de forma íntima e sem filtros os pensamentos de um dos maiores nomes da literatura, com rasgos líricos surpreendentes e passagens de uma inteligência acutilante. 
Diário 1915 – 1926 é uma reedição da edição original da Bertrand, que faz uma seleção personalizada e anotada para o nosso país. 

Sobre a Autora

Virginia Woolf nasceu em Londres, em 1882. Após a morte do pai, Sir Leslie Stephen, primeiro editor do Dictionary of National Biography, Virginia e a irmã, a pintora Vanessa Bell, mudaram-se para Bloomsbury e tornaram-se membros incontornáveis do grupo com o mesmo nome. Este coletivo informal de artistas, do qual faziam parte Lytton Strachey e Roger Fry, influenciou fortemente a cultura britânica no início do século XX. Em 1912, Virginia casou com Leonard Woolf, escritor e reformista social. Três anos depois, publicou o seu primeiro romance, A Viagem, no qual lançou as sementes do seu estilo narrativo distintivo e inovador. Em 1917, Virginia e Leonard fundaram a Hogarth Press, que inauguraram com a publicação do livro Two Stories, em coautoria, impresso à mão na sala de jantar da sua casa no Surrey. Os seus períodos de intensa criatividade eram frequentemente intercalados com períodos de sofrimento psíquico intenso, com início após a morte da mãe, em 1895. A 28 de Março de 1941, meses antes da publicação do seu derradeiro romance, Entre os Actos, Virginia Woolf suicidou-se. 

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Já estão disponíveis os bilhetes para o concerto solidário de António Zambujo


O músico António Zambujo juntou-se à Vida Norte e à Casa da Música para organizar um concerto solidário de apoio a grávidas e bebés em situação de fragilidade acompanhadas pela IPSS. O concerto está marcado para 27 de Novembro, mas como se pretende ter sala cheia para ajudar esta nobre causa, os bilhetes já se encontram à venda.

Os bilhetes estão disponíveis por 20€ (2ª plateia) e 25€ (1ª plateia e camarote) por pessoa. As verbas angariadas neste evento solidário revertem a favor da Vida Norte, permitindo à IPSS dar resposta aos inúmeros pedidos de apoio que recebe regularmente de grávidas em situações de grande dificuldade.

Atualmente a Vida Norte atua nos concelhos do Porto e de Braga, acompanhando uma média de 100 grávidas e famílias por mês. Este apoio em geral inicia-se desde da gravidez até o bebé completar 18 meses de vida, e está assente num acompanhamento de proximidade e na capacitação das mães procurando garantir que as famílias terão as condições necessárias para dar seguimento a um projeto de vida estruturado e feliz.

António Zambujo é um dos nomes incontornáveis da música portuguesa actual, somando salas esgotadas, dentro e fora de Portugal, e vários prémios. O seu percurso musical está traçado de forma distinta entre o Fado e o Cante Alentejano, num estilo único. A pulsação da sua música deixa perceber ainda uma frequência marcada pelo ritmo da MPB, que tem sido progressivamente assumida ao longo dos sete discos que já editou e que está particularmente presente no último, "Até Pensei Que Fosse Minha", um disco exclusivamente composto por canções de Chico Buarque.

Neste concerto solidário, António Zambujo apresenta-se a solo mas acompanhado pelo seu vasto repertório, oferecendo aos presentes um percurso pelos seus maiores sucessos, e não será diferente daquilo que sempre é: um cantor e músico de excelência, com uma capacidade única de cativar o público.

Todos cabem no Sol da Caparica


Veteranos, consagrados e estreantes, todos cabem no Sol da Caparica, com grandes espectáculos de Peste & Sida, Jorge Palma, GNR e UHF. Gigantes com história ao vivo n’O Sol da Caparica.

Jorge Palma começou ainda nos anos 70, depois da revolução, a cruzar as lições dos mestres da música de intervenção com os sons elétricos do seu tempo.
Os UHF e GNR integraram a leva do arranque dos anos 80 que ficou conhecida como Boom do Rock Português, momento que inspirou os Peste & Sida, grupo que haveria de marcar o final dos anos 80 e o arranque dos anos 90 com a sua versão enérgica e bem-disposta do punk.
Todos juntos, Palma e os GNR, UHF e os Peste, ofereceram à nossa memória coletiva algumas das mais incríveis canções que já todos tivemos o prazer de cantar a plenos pulmões. Vai ser assim, de novo, n' O Sol da Caparica, entre os próximos dias 16, 17 e 18 de agosto.

Os Peste & Sida deram um Hino à Costa da Caparica
Estrearam-se em álbum em 1987 com Veneno e nos anos seguintes revelaram-se imparáveis com uma série de registos que são hoje vistos como clássicos do nosso punk rock: Portem-se Bem, Peste & Sida É Que é ou Eles Andam Aí, afirmando-se como nome incontornável do nosso panorama elétrico.
Logo em 1989 ofereceram à nossa história o clássico "Sol da Caparica", hino ao Verão, à amizade, à diversão e à boa disposição que se tornou um clássico gigante, sempre obrigatório em concertos. E, claro, uma inspiração para o nome do nosso festival.
Ao vivo na Caparica no dia 16 de agosto, os Peste & Sida vão assinar um momento histórico, convidando para o palco praticamente todos os músicos que fizeram a sua longa história de mais de três décadas para, todos juntos, cantarem as canções que se foram instalando na memória de todos, de "Furo na cabeça" a "Reggaecida", "Está na Tua Mão", "Paulinha" ou "Gingão". E claro que se prevê momento apoteótico quando "Sol da Caparica" for entoado a uma só voz pelos muitos milhares que certamente não quererão perder esta oportunidade singular de ver e aplaudir os Peste & Sida.

Jorge Palma só e bem acompanhado pelas suas canções em momento especial do Sol da Caparica
Quando se estreou, aos 25 anos, com o clássico Com Uma Viagem na Palma da Mão, Jorge Palma já tinha vivido Vilar de Mouros e uma revolução, já tinha viajado e colhido inspiração no Lou Reed e Leonard Cohen, nos Beatles e no Bob Dylan.
Depois vieram o Sérgio Godinho e o José Mário Branco, as mensagens e a poesia de Ary dos Santos, e tudo o inspirou a criar, ao longo das décadas seguintes, as suas próprias canções, tantas que o público português foi sempre aplaudindo com fervor, transformando-o num dos mais queridos artistas portugueses.
Agora, no dia 16 de agosto, ao vivo n' O Sol da Caparica, Jorge Palma vai protagonizar um momento especial quando se apresentar sozinho ao piano, com as suas memórias e as suas canções que todos sabemos de cor.
Canções que o elevaram ao estatuto de um dos mais respeitados e aplaudidos cantautores portugueses de sempre, inspiração para muitos dos seus pares.
Este concerto é um dos mais especiais da sua longa carreira, um encontro íntimo entre um autor e a sua obra, em frente do público que sempre o acarinhou.

UHF jogam em casa na margem onde tudo começou
São grandes embaixadores da margem sul, os veteranos UHF, grupo de Almada, que conhece bem a Costa de Caparica, as suas gentes e as suas histórias. Foi com sonhos elétricos feitos de canções e de rock que os UHF deram os primeiros passos, fazendo de salas como Incrível Almadense ou o Rock Rendez Vous uma espécie de laboratórios onde afinaram a fórmula de um rock poético e musculado que obteve enorme sucesso logo quando se estrearam com o clássico álbum À Flor da Pele.
Sobre a vinda ao festival O Sol da Caparica, no dia 17 de Agosto, António Manuel Ribeiro, o histórico e carismático líder do grupo de "A Minha Geração", disse à revista Blitz: " O que acontece de sucesso com o Sol da Caparica é que foi logo sucesso no primeiro ano. Conseguiu logo guindar-se a uma posição de festival de referência. É que o Sol da Caparica, utilizando música portuguesa, reflete os concertos cheios que nós todos temos. Os Xutos têm os concertos cheios, os UHF têm os concertos cheios, os Resistência têm os concertos cheios, ou o Carlão tem os concertos cheios. Ali reflete-se aquilo que acontece em todo o país".

Noite de Grande Concerto no Casino Estoril com Aurea


Aurea é a protagonista de mais uma etapa do ciclo de “Grandes Concertos do Casino Estoril”, agendada para a próxima Quinta-Feira, 26 de Julho, pelas 23 horas. Aurea sobe ao palco do Lounge D para interpretar os principais êxitos do álbum “Restart”, não esquecendo outros clássicos incontornáveis da sua carreira. A entrada é livre.

Com uma voz inconfundível, poderosa e cativante, Aurea tem somado sucessos na sua carreira, recomeçando, desta vez, o seu percurso musical com um novo disco de 12 composições originais.

Com os sucessos obtidos com os álbuns “Aurea”, em 2010, “Aurea ao Vivo no Coliseu dos Recreios”, em 2011, e “Soul Notes”, em 2012, a mediática intérprete parou para reflectir e lançou “Restart”. 

O que é que leva uma artista com uma carreira consolidada a começar de novo? É que é de começar de novo que falamos, quando falamos de “Restart”. Para trás ficou a segurança de uma fórmula que lhe valeu várias Platinas: a Soul inspirada nos clássicos anos 60, nos heróis Otis Redding, Aretha Franklin ou Al Green.

A procura de um lugar só seu falou mais alto. Um lugar sem tempo, sem género vincado que, sem nunca se desviar das origens que a inspiram, sejam Soul ou Jazz, sejam Pop ou Rock, seja o seu mais fiel reflexo. O reflexo de uma artista madura que, ao mesmo tempo que domina a sua linguagem, sabe que a sua arte é alimentada pelo inconformismo.

Deixou o conforto da sua banda para trás e voou para os Estados Unidos, para trabalhar com a lendária baterista Cindy Blackman Santana e com o extraordinário baixista Jack Daley – a dupla que assegura a produção de “Restart” e que já foi a secção rítmica de gente como Lenny Kravitz ou Joss Stone – em busca desse lugar que a define. Ou melhor, a distingue.

Rodeada de músicos de peso, daqueles que têm as fundações da música moderna no seu ADN, Aurea começou de novo. Reformulou a sua linguagem soltando-se das amarras que lhe haviam garantido o sucesso e conseguiu. Encontrou esse lugar que é só seu.

Nas 12 grandes canções que compõem “Restart”, há ainda muita Soul, como há Jazz, Rock e uma apurada sensibilidade Pop. Há passado e presente porque há, acima de tudo, intemporalidade. Há exigência, cuidado com o pormenor, perfeccionismo. Há Aurea.
Nenhum artista consegue sustentar uma carreira marcante, sem assumir riscos, sem se reinventar e sem procurar, constantemente, vincar a sua personalidade. Começar de novo faz parte do caminho a que apenas estão destinados os eleitos. E Aurea é um deles.

O programa do ciclo de “Grandes Concertos do Casino Estoril” prossegue no dia 2 de Agosto com os The Black Mamba.

Noite de fado no Casino Estoril


É já na próxima Quarta-Feira, 25 de Julho, a partir das 22 horas, que Carlota e Gonçalo Castelbranco se apresentam no Lounge D do Casino Estoril para protagonizar mais um espectáculo de fado. Com estilos muito próprios, os fadistas serão acompanhados por Diogo Lucena Quadros e Francisco Gaspar, nas guitarras, e Luís Roquette, na viola. A entrada é livre.

Carlota 
Carlota Faria Blanc assistiu, desde muito jovem, a grandes noites que se prolongavam até madrugada em casa da Avó Gena, irmã de Frei Hermano da Câmara onde para além do próprio, tinha o privilégio de ouvir em ambiente familiar e intimista fadistas como, por exemplo, Salvador Taborda, Teresa Tarouca ou Maria João Quadros.

A vertente de intérprete nasceu, mais recentemente, quando numa das noites de fado que costuma frequentar perdeu a vergonha e experimentou cantar. Carlota sente-se realizada a cantar e tenta evoluir o mais que pode, tendo em conta as referências que ouvia em casa da sua Avó.

Gonçalo Castelbranco
Gonçalo Castelbranco é considerado uma das referências da nova geração. Aos 27 anos, participou já em vários espectáculos musicais, tanto em Portugal como no estrangeiro, tendo sido aplaudido pelo seu protagonismo no musical “O Nazareno”. 

As raízes fadistas estão presentes na sua voz, muito por influência das suas ligações familiares a Frei Hermano da Câmara. Nos últimos anos, marcou presença assídua no “Arredar Bar”, histórica casa de fados, em Cascais, que foi recuperada para as grandes noites fadistas da região, e onde Gonçalo Castelbranco foi o artista residente.

Tony Carreira em Viseu para uma sessão de autógrafos


Tony Carreira vai estar na FNAC Viseu no dia 4 de Agosto, pelas 20h00, para uma sessão de autógrafos do seu livro O Homem Que Sou. 
No seu livro de memórias, Tony Carreira partilha as recordações do menino que cresceu num casebre sem água canalizada nem eletricidade, do rapaz que emigrou para ganhar a vida como operário fabril e do homem que conseguiu tornar-se músico de sucesso, que mais vezes esgotou o pavilhão atlântico, cantou ao lado de grandes artistas internacionais, recebeu mais de 60 discos de ouro e platina e até foi agraciado pelo governo francês ou pelos World Music Awards. Neste livro, Tony Carreira revisita sucessos e aventuras, mas fala também sem rodeios de desencantos, contradições e fragilidades, para além de fazer algumas revelações surpreendentes. 

sexta-feira, 20 de julho de 2018

1ª e 2ª temporadas de 'The Handmaid’s Tale’ no NOS Play



Série nomeada para 20 Emmys pode ser vista em exclusivo no serviço de streaming da NOS. Os fãs da aclamada série ‘The Handmaid’s Tale’ podem assistir às temporadas 1 e 2 na íntegra e em exclusivo no NOS Play. Nomeada para 20 Emmys, nas categorias principais, a história de Offred deverá conhecer novos desenvolvimentos já em 2019.

Desde que a série ficou disponível para exibição na plataforma de streaming da NOS, 30% dos utilizadores que veem séries já assistiram ou acompanham as aventuras e desventuras de Offred. Este é um dos conteúdos com maior audiência na plataforma, tendo disponíveis as duas primeiras temporadas num total de 23 episódios.

Galardoada nos Emmys de 2017 com seis estatuetas, entre as quais Melhor Série Dramática e Melhor Atriz de Série Dramática, distinções que acumulou também nos Globos de Ouro.
Depois de Kingdom, a série ‘The Handmaid’s Tale’ demonstra a aposta do NOS Play em entregar conteúdos relevantes e em exclusivo, aposta que se irá manter reforçando o papel na NOS no eixo do entretenimento.