sábado, 23 de dezembro de 2017

Boas Festas


O "Cultura e Não Só" deseja a todos os amigos, leitores e colaboradores um Santo Natal com muita saúde, paz e muita música, cinema e cultura e que 2018 seja um ano cheio de "Cultura e Não Só".

Estamos de volta dia 8 de Janeiro.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Soy Luna em Lisboa


Depois do sucesso da série Soy Luna, do Disney Channel, e da tournée de 2017 Soy Luna Live esgotada na América Latina, o espetáculo chega a Lisboa, dia 20 e 21 de Janeiro, na Altice Arena.

Este concerto dará aos fãs europeus de Soy Luna a oportunidade de verem as suas estrelas favoritas, Karol Sevilla e Ruggero Pasquarelli (Luna e Matteo) a interpretarem muitos êxitos da série, ao vivo. Estarão acompanhados por Valentina Zenere, Michael Ronda, Carolina Kopelioff, Katja Martínez, Malena Ratner, Chiara Parravicini, Jorge López, Ana Jara, Lionel Ferro e Gastón Vietto, uma equipa de enérgicos bailarinos e uma sensacional banda. O espetáculo Soy Luna Live vai cativar o público, com cenários, coreografias e um guarda-roupa incríveis que farão com que seja um concerto e uma experiência imperdível para os fãs. Não percas este incrível espetáculo.

Palácio de Congressos do Algarve recebe 12ª edição do festival de humor SOLRIR


Para fechar o ano com um enorme sorriso e iniciar 2018 com muito boa disposição, nada melhor que aproveitar os quatro dias de espectáculos de humor que o festival SOLRIR promove durante os dias 29 e 30 de Dezembro, mas também a 1 e 2 de Janeiro, no NAU Palácio de Congressos do Algarve, na Herdade dos Salgados em Albufeira.

As sessões decorrem às 21h30 no centro de congressos do complexo da Herdade dos Salgados, do grupo NAU Hotels & Resorts, e levarão a Albufeira um cartaz de luxo com alguns dos mais reconhecidos humoristas portugueses, caso de Eduardo Madeira, Hérman José, Fernando Rocha, Nilton, entre outros.

Os bilhetes já se encontram à venda em www.blueticket.pt, ou nas lojas Fnac, Worten e Media Markt. Também poderão ser adquiridos no local do evento, a partir das 15h00, mas apenas nos dias em que decorrem os espetáculos.

Considerado o maior festival de humor do país, o SOLRIR realiza-se desde 2006 e vai já na sua 12ª edição. Já contou com a participação de mais de 200 humoristas nacionais e internacionais.

O SOLRIR é uma iniciativa da Press Happiness, em colaboração com o Município de Albufeira. Conta com o apoio do grupo NAU Hotels & Resorts, o Turismo do Algarve e a Adega do Cantor. A RFM é a rádio oficial do festival.

Kit de Natal para o Rock in Rio esgotado

O Rock in Rio-Lisboa 2018 já está a ser um sucesso! Depois da organização anunciar várias novidades para esta edição, entre as quais uma nova Cidade do Rock com novas áreas (como o Pop District ou Gormet Square), novos palcos (como o Digital Stage), e os primeiros nomes para o line-up do Palco Mundo (como Bruno Mars, Demi Lovato, Muse e The Killers), os fãs não quiseram esperar mais para garantir o seu lugar no festival, esgotando o Kit de Natal.

Todos os que adquiriram o Kit de Natal deverão proceder à troca do voucher entre os dias 1 e 31 de março, em qualquer loja FNAC do país, com a possibilidade de escolher o dia do evento ao qual pretendem assistir. Após esta data o fã permanece no direito de aceder à Cidade do Rock, porém, sujeito à disponibilidade de cada dia do evento.

A 8ª edição está de volta ao Parque da Bela Vista nos dias 23, 24, 29 e 30 de junho, oferecendo aos seus visitantes uma nova cidade do rock, que promete transformar a Bela Vista num gigante parque temático da música, com inúmeras experiências e uma programação surpreendente, que combina o melhor do entretenimento. Para esta edição, a organização já confirmou Muse (23 de junho), Bruno Mars, Demi Lovato, Anitta e Agir (24 de junho) e The Killers (29 de junho). Mas as novidades não se ficam por aqui: na próxima edição o festival vai contar com mais horas de entretenimento diário (o recinto abrirá portas às 12h00 e encerrará às 02h00) e uma nova Cidade do Rock, com novos espaços de entretenimento.

Casino Estoril com 2 festas de Réveillon


Com um duplo programa de Réveillon, o Casino Estoril elege a melhor música cubana e portuguesa para celebrar a chegada do Ano Novo. As propostas vão desde o glamour do Salão Preto e Prata que recebe, em concerto, o Grupo Compay Segundo, até à informalidade de uma actuação especial de José Cid, no Lounge D. A festa de Passagem de Ano prolonga-se, assim, até de madrugada, em diferentes espaços do Casino Estoril.

Réveillon no Salão Preto e Prata
Embaixadores oficiais da música cubana em todo o mundo, o Grupo Compay Segundo será o grande protagonista da noite de Réveillon no Salão Preto e Prata do Casino Estoril. Em concerto exclusivo, o Grupo cubano assinala as primeiras horas de 2018, interpretando os grandes êxitos do carismático músico Compay Segundo, falecido em 2003.

No âmbito da celebração do 110º aniversário de Compay Segundo, o mediático Grupo cubano iniciou, pela Europa, uma digressão que chega, em plena noite de Réveillon, ao Salão Preto e Prata do Casino Estoril.

Em palco, nove experientes músicos homenageiam a música tradicional cubana e a genuína identidade interpretativa de Compay Segundo. Êxitos como “Macusa”, “Saboroso”, “Anita”, “Flores de la Vida” ou memorável hino “Chan Chan” são obrigatórios nos seus concertos.

O programa de animação inicia-se, logo às 21h30, com as actuações da banda Boogie Nights e do Quinteto Boémio. Com um registo versátil, Henrique e Nuno Feist protagonizam, ainda em 2017, um espectáculo pleno de animação. Trata-se de uma actuação especial que culmina, precisamente, com a celebração da meia-noite. Já em 2018, os artistas apresentam surpreendentes momentos musicais. Após o concerto do Grupo Compay Segundo, será a vez da banda Boogie Nights e do Quinteto Boémio regressarem ao palco para prolongar a animação pela madrugada dentro.

Réveillon no Salão Preto e Prata:
21h30 - Animação musical com os Boogie Nights e Quinteto Boémio
23h30 - Espectáculo especial e celebração da meia-noite com Henrique e Nuno Feist
00h30 - Concerto do Grupo Compay Segundo
02h00 - Animação musical com os Boogie Nights e Quinteto Boémio

O programa inicia-se, às 20h30, com o Welcome Drink, seguindo-se, a partir das 21 horas, o Jantar no Salão Preto e Prata. À meia-noite, a chegada de 2018 será comemorada com champanhe e “Passas de Bom Ano”. Pelas duas horas, será servida a ceia e, às quatro da madrugada, será a vez do tradicional Bolo de São Silvestre acompanhado de chocolate quente.



Réveillon no Lounge D
Em plena noite de Réveillon, o Casino Estoril convida os seus visitantes a celebrar a chegada de 2018, com um concerto especial de José Cid no Lounge D. Com um genuíno ambiente festivo, José Cid comemora a chegada do Ano Novo, percorrendo os melhores momentos da sua carreira. A animação musical será assegurada, ainda, pelas bandas Boogie Nights e Quinteto Boémio. A entrada é livre. Mas, para os que desejarem, também, existe a alternativa de concerto com jantar, mediante reserva.

Em concerto dedicado à melhor música portuguesa, José Cid protagoniza, a partir da meia-noite e meia, uma actuação muito interactiva com os espectadores, fazendo uma viagem pelos numerosos êxitos da sua carreira.

Considerado um dos maiores talentos da música portuguesa, José Cid ocupa um lugar muito especial no coração do público. Autor/compositor e intérprete de alguns dos maiores êxitos da música nacional, José Cid construiu um sólido percurso, marcado por memoráveis baladas que se revelam intemporais. ” A Rosa Que Te Dei”, “Na Cabana Junto à Praia”, “20 Anos”,” Ontem, Hoje e Amanhã”, ”Cai Neve em Nova Iorque”,  “A Minha Música”, “Mais um Dia” e “Louco Amor” são alguns dos sucessos que o artista interpreta, habitualmente, ao vivo.

O programa no Lounge D começa, logo às 21h30, com as actuações ao vivo da banda Boogie Nights e do Quinteto Boémio. Após o aguardado concerto de José Cid, estes grupos musicais regressam, ao palco, para assegurar a festa pela noite dentro. 

Programa de Réveillon no Lounge D:
- 21h30 - Animação musical com os Boogie Nights e Quinteto Boémio
- 00h00 - Celebração do Ano Novo
- 00h30 - Concerto de José Cid
- 02h00 - Animação musical com os Boogie Nights e Quinteto Boémio

O Casino Estoril propõe, ainda, um programa mais completo no Lounge D, que inclui Jantar e assistência à animação musical que terá como ponto alto o concerto de José Cid. O traje recomendado é de passeio. 


    







Restaurante/Bistrô "Pão à Mesa Com Certeza"


No coração de Lisboa, no Principe Real situa-se uma das melhores propostas gastronómicas da actualidade, o Restaurante/Bistrô "Pão à Mesa Com Certeza", rico em gastronomia tipicamente nacional com revivalismo de sabores e pratos únicos. 
Desde 2015 tem feito as delicias de portugueses e estrangeiros, sempre a inovar a carta, muda sazonalmente, sendo o menu Outono/Inverno 2017/18, um verdadeiro sucesso. 

Na cozinha o Chef António Amorim assume o conceito e com muita criatividade desde a sua confecção até à sua apresentação.
Pratos como Croquete de Rabo de Boi com Cebolas Caramelizadas em Touriga Nacional e Topinambur ou Espetada de Novilho com Soufflé de Açorda de Coentros e Feijão Catarino com Paiola fazem as delicias de quem passa por este espaço que prima, alem disso, por uma decoração sóbria e revivalista num equilíbrio excelente.



O "Cultura e Não Só" teve a oportunidade de fazer uma visita a este espaço e alem dos pratos já acima descritos destaca o Pregado com Arroz de Moluscos e Tomate e a sobremesa Chocolate e Café, Esponja de Chocolate, Crumble e Gelado de Baileys sendo que a sobremesa icónica desta casa é o Pastel Feijão ”Fabrica Pastel Feijão” By Chef António Amorim. De destacar também a excelente carta de vinhos (todos servidos à temperatura correcta) e o mérito da casa em escolher pequenos produtores de norte a sul do país. Outra das notas positovas vai para a disponibilização de vários vinhos "a copo".

Sem duvida uma local a visitar se gosta de boa comida portuguesa com um toque de inovação. Fica na Rua D. Pedro V, 44 ao Principe Real.



Sobre o chefe
Depois de ter sido paraquedista da Força Aérea, António Amorim arriscou sobrevoar terrenos gastronómicos. De pés na terra e decidido a apostar na sua carreira, trabalhou no Feitoria Altis Belém (2009-2011), passou pelo premiado Hotel Vila Joya, em Albufeira (2013) e foi ainda chefe de cozinha do Blend, no Bairro Alto (até 2014). Destacou-se com um segundo lugar no concurso "Chef Cozinheiro do Ano" em 2009 e colabora actualmente com as revistas "Tele Culinária" e "Sport Life". Actualmente, é chef de cozinha no Restaurante A em Torres Vedras e chef consultor do Pão à Mesa, no Príncipe Real.


quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Munique no horário de verão da Lufthansa


O verão vai trazer muitas novidades para a Lufthansa de Munique. PO grande acontecimento terá lugar logo no início do horário de verão a 25 de Março: a Lufthansa irá estacionar cinco aviões A380 em Munique e voar durante o verão diariamente para Los Angeles, Hong Kong e Pequim. No inverno, lateram-se os destinos do avião A380: este avião emblemático da Lufthansa irá então ligar Munique com Miami, Xangai e São Francisco.

A 27 de Março, a Lufthansa irá operar pela primeira vez o A350 para Singapura. E logo cinco vezes por semana, haverá voos de Munique para esta metrópole asiática. Até ao final do horário de verão em Outubro de 2018, a Lufthansa terá onze aviões do tipo A350 em Munique.

Novos destinos europeus
Funchal será o novo destino de lazer. A Madeira ficará ligada a partir de 31 de março a Munique com um voo semanal direto de aproximadamente quatro horas, e que irá complementar o voo semanal de Frankfurt. O horário de verão irá também trazer aumentos de capacidade para outros destinos em Portugal.

A 27 e 28 de Março, duas cidades polacas, Katowice e Lodz irão ficar ligadas a Munique. A Lufthansa irá operar cinco voos semanais para Lodz, a terceira maior cidade da Polónia. Katowice, a 300 km a sudoeste de Varsóvia, na zona industrial da Alta Silésia. A Lufthansa irá voar para essa cidade polaca cinco vezes por semana a partir da primavera.
Além disso, a Lufthansa irá expandir a sua oferta na Europa a partir de Munique, especialmente para Espanha, Polónia e Grécia.

Mais informações e a possibilidade de reserva de voos da Lufthansa no portal da internet LH.com, na central de reserva da Lufthansa (tel.: 707 782 782), nos balcões da Lufthansa nos aeroportos ou nas agências de viagem parceiras da Lufthansa.

Ana Moura convida Miguel Araújo para celebrar o Réveillon no Casino Lisboa


Com um programa especial de Réveillon, o Casino Lisboa propõe aos seus visitantes uma noite festiva na qual se destaca um concerto de Ana Moura que terá como convidado especial Miguel Araújo. Meia hora depois da chegada de 2018, Ana Moura sobe ao palco central do Arena Lounge para celebrar o Ano Novo, tendo a seu lado Miguel Araújo, um dos artistas mais completos da nova geração da música portuguesa. A entrada é livre.

O Casino Lisboa inicia, logo às 22 horas, o programa de Passagem de Ano com uma dinâmica actuação da banda The Joe’s. Às 23h30, será a vez de um espectáculo de comédia protagonizado por Telmo Ramalho. A celebração da meia-noite promete ser inesquecível, seguindo-se o primeiro set do DJ Rui Remix. Após o concerto de Ana Moura, o DJ Rui Remix regressa ao Arena Lounge para prolongar a festa até às primeiras horas de 2018. A entrada é livre.

Concerto de Ana Moura (convidado Miguel Araújo)
Em plena noite de Réveillon, Ana Moura convida Miguel Araújo a subir ao palco, protagonizando, assim, um concerto inédito no Arena Lounge. A melhor música portuguesa dará, assim, as boas-vindas a 2018.

Ana Moura promete recuperar os melhores sucessos do seu novo disco “Moura”, não esquecendo outros êxitos incontornáveis da sua carreira. Continuando a trilhar um caminho que personaliza o seu fado como uma música aberta ao mundo e sintonizada com a contemporaneidade, Ana Moura é cada vez mais uma cantora incomparável e com esse talento raro de levar uma música com uma enorme tradição à convivência próxima de um público vasto, de todas as idades e de ouvidos despertos para canções que celebram a vida com uma sonoridade que só poderia existir hoje.

Em palco, Ana Moura continuará a contar com o mesmo excelente naipe de músicos que a tem acompanhado nos últimos anos: Ângelo Freire na guitarra portuguesa, Pedro Soares na viola de fado, André Moreira no baixo, João Gomes no teclado e Mário Costa na bateria e percussão.


Por sua vez, Miguel Araújo associa-se, também, à festa de Passagem de Ano. Cantor, músico e compositor, o artista ganhou notoriedade com a banda portuense “Os Azeitonas”, distinguindo-se por vários êxitos como, por exemplo, “Anda Comigo Ver os Aviões”, “Quem És Tu Miúda” ou “Ray-Dee-Oh”.

Em Maio de 2012, estreou-se a solo com o álbum “Cinco Dias e Meio”, no qual se destacaram os temas “O Marida das Outras”, “Fizz Limão” e “Capitão Fantástico”. No final de 2016, anunciou a saída da banda “Os Azeitonas”  para se concentrar na carreira a solo, tendo, posteriormente, editado um novo álbum intitulado “Giesta”.

Espectáculo de comédia com Telmo Ramalho
Em versão exclusiva, Telmo Ramalho protagoniza um espectáculo de comédia na noite de Passagem de Ano, assinalando com memórias e gargalhadas o final de 2017 no Casino Lisboa. No count-down para a mudança do ano, Telmo Ramalho traz ao Arena Lounge o melhor da comédia nacional.
A partir da sua relação pessoal com aquele que é considerado o grande mestre da comédia portuguesa, Telmo Ramalho recria algumas das mais icónicas rábulas de Raúl Solnado, sem esquecer os trejeitos e frases famosas. Uma noite imperdível!

Animação musical com os Joe’s
Com um repertório muito diversificado, a banda The Joe’s inicia, às 22h00, o programa de Réveillon do Casino Lisboa, convidando o público a reviver os ícones que marcaram as décadas de 50 a 70. De Elvis Presley a The Beatles, passando por Roy Orbinson, The Platters, The Doors, Simone & Garfunkel, Rolling Stones ou James Brown, os The Joe’s abrangem diferentes gerações, unindo-as no prazer da música e da dança.

A banda The Joe’s reúne, em palco, um experiente elenco de músicos. Marco Pereira (voz, trombone e trompete), José Nuno Gonçalves (guitarra),  João Pedro Gonçalves (baixo) e André Pedro Dias (bateria conciliam os concertos com a actividade de professores de música e apresentações em outras formações musicais, onde potenciam a sua paixão.

Actuação do DJ Rui Remix
Na cabine da Juke Box, Rui Remix assegura, pouco depois da meia-noite melhores sonoridades para dar as boas-vindas a 2018. Após a actuação de Ana Moura, o conceituado DJ regressa ao Arena Lounge para conduzir a animação pela madrugada dentro.

Figura incontornável da noite portuguesa, Rui Remix construiu, desde a década de oitenta, uma carreira sólida ao serviço do djing, da animação e da divulgação musical. Rui Remix, ao qual muitos carinhosamente tratam por mestre, é um DJ com uma cultura e conhecimento musical muito vasto e continua a ser uma referência para jovens e novos valores do panorama nacional. Um "veterano" que acompanhou a evolução, o que lhe permite manter-se no top dos melhores DJs Nacionais.

Rui Remix mantém presença assídua nos principais palcos, casas e eventos do pais e ilhas e, também, no estrangeiro, sempre com sentido apurado na procura e divulgação de novos talentos da produção nacional e internacional, selecionando temas que são (e outros que virão a ser) os grandes hits das pistas de dança.

Programa de Réveillon do Casino Lisboa
- 22h00: Animação musical com a banda The Joe’s
- 23h30: Comédia com Telmo Ramalho
- 00h00: Celebração da chegada do Ano Novo 
- 00h05: Actuação do Dj Rui Remix
- 00h30: Concerto de Ana Moura (convidado Miguel Araújo)
- 02h00: Actuação do Dj Rui Remix

Com entrada gratuita, o Casino Lisboa oferece uma original noite de Réveillon que se prolonga até às primeiras horas de 2018. Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Lisboa é reservado a maiores de 18 anos.

Basmati Blues nos cinemas a 11 de Janeiro


Uma cientista brilhante é arrancada do laboratório da empresa onde trabalha e enviada para a Índia para vender o arroz geneticamente alterado que criou. O que ela não sabe é que isso vai destruir os agricultores que pensa estar a ajudar e que um romance pode vir a atrapalhar os seus planos.
Protagonizado pela vencedora de um OSCAR® Brie Larson, e com um elenco composto por Utkarsh Ambudkar e pelo vencedor de dois GOLDEN GLOBES® Donald Sutherland, Basmati Blues é uma comédia romântica situada nas paisagens exóticas da Índia.

Carro clássico do rei Felipe VI de Espanha em leilão


Até dia 27 de Dezembro, a Catawiki (www.catawiki.pt), portal de leilões na Internet de mais rápido crescimento, conta com o leilão de um Volvo 480 ES coupé, um dos primeiros carros do rei Felipe VI de Espanha. O gosto da família real espanhola pelo mundo automobilístico é conhecido, não sendo a primeira vez que um dos clássicos que pertenceu à família real espanhola está agora em leilão na plataforma da Catawiki.

O clássico desportivo vermelho, que pertenceu ao monarca espanhol entre 1986 e 1988, foi utilizado em várias ocasiões. Trata-se do segundo carro pessoal que Felipe VI teve, sendo o primeiro um Seat Ibiza 1.5.

O Volvo 480 ES coupé foi o primeiro modelo desportivo da marca sueca em mais de uma década e o primeiro com tração dianteira, contando ainda com características únicas a nível estético.  O comprimento de 4,26 metros combina de forma sofisticada com as linhas habituais de um carro desportivo, sendo na época um veículo destinado a um público mais jovem. Relativamente à mecânica, o motor de 109 cavalos permitia passar de 0 a 100km/hora em apenas 9,5 segundos, atingindo a velocidade máxima de 190 km/hora.

O gosto de Felipe VI por carros surgiu desde cedo, incentivado pelo seu pai quando, aos seis anos de idade recebeu o primeiro kart vermelho e, mais tarde, um buggy 600. Este Volvo foi adquirido pelo próprio rei Juan Carlos para oferecer ao seu filho, existindo também registos de que foi utilizado por si e pela rainha Sofia durante as suas estadias de verão na ilha das Baleares. Em 1988 a casa real decide vender o carro, passando-o para colecionadores privados e atualmente em leilão na plataforma da Catawiki.


Com pouco mais de três décadas, o clássico que pertenceu ao monarca espanhol encontra-se em perfeitas condições e está totalmente operacional. Ao longo dos anos não sofreu restaurações profundas, tendo apenas sido pintado recentemente para manter a característica vermelha em termos de cor. O carro marca 155 mil quilómetros e tem toda a documentação que comprova o facto de ter pertencido ao rei Felipe VI.

“Leiloámos há alguns meses na nossa plataforma um carro que pertenceu ao rei Juan Carlos depois de ter sido proclamado como monarca, um Mercedes blindado que alcançou 39.500 euros em leilão. Neste caso, trata-se de um carro pessoal de Felipe VI, pelo que acreditamos que seja um leilão com um elevado número de licitações, não tanto pelas características do carro em si, mas pela história que o acompanha. Trata-se assim de uma peça única para colecionadores, estimamos que possa alcançar um valor de leilão superior a 23 mil euros”, explica Alejandro Sánchez, Diretor-geral da Catawiki em Portugal.

Estreias de cinema de 21 de Dezembro de 2017


Esta semana dentre as várias estreias de cinema nas salas nacionais o "Cultura e não Só" destaca as seguintes:



Ferdinando

Apesar da sua figura imponente e algo assustadora, o touro Ferdinand tem um coração generoso e sensível. Ao contrário da maioria dos machos da sua espécie, ele prefere a calma e a tranquilidade da quinta onde vive à adrenalina das corridas de touros tão famosas em Espanha, o seu país-natal. Tudo lhe corre de feição até ao dia em que, por lapso, acaba por ser seleccionado para combater nas touradas de Madrid. No lugar para onde ele é levado, Ferdinand acaba por fazer grandes amigos, mas em nenhum momento esquece o seu maior objectivo: encontrar uma forma de voltar para Nina, uma menina meiga que é também a sua melhor amiga…
Produzido pela Blue Sky Studio e realizado pelo brasileiro Carlos Saldanha ("Idade do Gelo", “Rio”), um filme de animação para toda a família que, na versão original, conta com as vozes de John Cena, Kate McKinnon, David Tennant, Anthony Anderson, Gabriel Iglesias, Boris Kodjoe, Miguel Ángel Silvestre, Raúl Esparza, Jerrod Carmichael, Gina Rodríguez, Daveed Diggs, Bobby Cannavale, Sally Phillips, Flula Borg e Karla Martínez. 



Um Ritmo Perfeito 3

Desde que terminaram a Universidade que as Barden Bellas, vencedoras do ICCA (International Championship of Collegiate a Cappella), não fazem nenhuma aparição pública. Agora, cada uma das raparigas tenta encontrar o seu lugar no “mundo real”, esforçando-se por sobreviver com o pouco que ganha com os seus empregos medíocres. É então que, depois de uma noite de copos, decidem inscrever-se no USO Tour, uma tournée de concertos cuja finalidade é animar as tropas norte-americanas instaladas por toda a Europa. Mas o maior problema para as Bella será competir com grupos que, para além da sua inegável qualidade, não se restringem a fazer música “a cappella”…
Terceiro episódio da saga "Um Ritmo Perfeito" – iniciada em 2012 por Jason Moore e continuada por Elizabeth Banks, em 2015 -, uma comédia musical realizada por Trish Sie e escrita por Kay Cannon, a responsável pelos guiões dos filmes anteriores. Anna Kendrick, Anna Camp, Brittany Snow, Rebel Wilson, Hailee Steinfeld, Ester Dean, Hana Mae Lee, Chrissie Fit, Kelley Jakle e Shelley Regner dão vida às personagens. 



Jumanji: Bem-Vindos à Selva

Spencer, Fridge, Bethany e Martha são quatro adolescentes que descobrem Jumanji, um videojogo antigo e algo rudimentar, na cave da escola secundária onde estudam. Curiosos com o que acabaram de encontrar, resolvem jogá-lo. Mas, ao escolherem os avatares para poderem iniciar o jogo, os jovens são sugados para dentro do ecrã. É então que, assumindo as personagens que escolheram, se vêem transportados para uma selva luxuriante onde têm de jogar as difíceis regras do Jumanji. Agora, para poderem regressar ao mundo real, eles terão de esquecer o medo e aprender a trabalhar em equipa. Mas estarão eles preparados para o desafio mais difícil e perigoso das suas existências?
Um filme de acção e aventura realizado por Jake Kasdan que continua a história de “Jumanji”, o filme realizado por Joe Johnston em 1995 e que contou com Robin Williams, Kirsten Dunst, Bonnie Hunt nos principais papéis. Desta vez são os actores Dwayne Johnson, Jack Black, Kevin Hart, Karen Gillan, Nick Jonas e Bobby Cannavale a dar vida aos protagonistas. 


quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Casino Lisboa oferece em Dia de Natal “Concerto Arena Live” com o Gospel Collective


Em mais uma etapa do ciclo de “Concertos Arena Live”, o Gospel Collective actua, precisamente, a 25 de Dezembro no Arena Lounge do Casino Lisboa, que oferece, assim, um verdadeiro presente de Natal aos seus visitantes. Com entrada livre, a não perder, às 22 horas.

Num concerto muito especial, o Gospel Collective apresenta um repertório que visita não, apenas, os tradicionais espirituais negros como, ainda, o new-urban gospel ou afrogospel.

Dirigido pela cantora e maestrina Anastácia Carvalho, o coro Gospel Collective é formado por  cantores profissionais de diversas áreas musicais e nacionalidades lusófonas, que encontram neste conjunto um lugar de comunhão única e singular. 

É com este coração de espalhar a Palavra de modo cantado que o Gospel Collective tem feito inúmeros concertos em nome próprio e se encontra já em estúdio a preparar o seu 1º álbum, apresentando repertório novo e em parte original. 

Reunidos desde 2010, os quase 30 membros do Gospel Collective são herdeiros de um percurso no circuito da música gospel em Portugal que começou em 1999 com o grupo D'Vine, passou pelo grupo 100 Vozes Gospel e mais tarde pelo Faith Gospel Choir.

Ciclo de “Concertos Arena Live 2017”
- 25 de Dezembro: Gospel Collective (Dia de Natal)
- 31 de Dezembro: Ana Moura (Réveillon)

Cassete Pirata - 22 de Dezembro no Musicbox


A encerrar o ano que nos trouxe EP de estreia, homónimo, dos Cassete Pirata, a banda prepara-se para fechar o ciclo com um concerto em Lisboa com convidados, um novo single e vídeo, e a partida para estúdio já no primeiro mês do novo ano para a gravação do seu, aguardado, primeiro longa duração.

Depois do sucesso de "Pó no pé", um dos temas nacionais mais rodados na Antena 3 e da inserção dos Cassete Pirata com o mesmo tema no disco "Novos Talentos FNAC 2017", a banda lança agora aquele que será o seu último single retirado do EP de estreia - "Sem Norte".

“Sem Norte” conta a história de um primeiro amor, impossível e puro como só os primeiros amores podem ser. A animação do video criado por Camila Beirão dos Reis e que acompanha o single remete-nos para esse imaginário juvenil em que o “amor” se descobria através de um “sim” ou de um “não” num qualquer bilhete trocado às escondidas dos professores.

Mas "Sem Norte" será apenas um dos temas que poderão ser ouvidos já no dia 22 de Dezembro no Musicbox em Lisboa onde, para além do primeiro EP, a banda promete já revelar algumas das canções do novo disco, com saída anunciada para o primeiro semestre do próximo ano. 

Neste concerto os fãs da banda serão ainda presenteados com três aparições muito especiais. Três artista que têm acompanhado a banda no desbravar do seu caminho: Benjamim, Samuel Úria e Tiago Bettencourt. O primeiro também o produtor eleito para acompanhar a banda em estúdio. 
O concerto será o fecho do ciclo de vida do EP "Cassete Pirata" e desbrava caminho para o novo disco que promete consolidar o lugar da banda no circuito pop/rock nacional.  

Os Cassete Pirata  são o João Firmino (Pir), vocalista e compositor da maior parte dos temas da banda; o (monstro da bateria) João Pinheiro (Diabo na Cruz, TV Rural) e o António Quintino no baixo (Samuel Úria). A eles juntam-se a dupla única de cantoras e teclistas  – Margarida Campelo e Joana Espadinha.

O background jazzistico e as mais variadas influências e percursos musicais conferem aos Cassete Pirata uma sonoridade rock muito própria e o seu, já invejável, percurso fazem deles uma das mais promissoras novas bandas do panorama nacional. 


Noite de Novo Circo no Casino Lisboa com Raquel Nicoletti a 22 de Dezembro


Com um prestígio consolidado a nível internacional, Raquel Nicoletti regressa, no próximo Sábado, 22 de Dezembro, ao palco central do Arena Lounge para protagonizar um espectáculo de Novo Circo. Com entrada livre, a não perder, a partir das 23 horas, no Casino Lisboa.

Com dois sets, em tecido vertical, agendados para o Arena Lounge, Raquel Nicoletti apresenta um dinâmico exercício de elevado grau de dificuldade que promete surpreender os visitantes do Casino Lisboa.

A artista exprime a sua versatilidade propondo uma fusão sensível entre música, teatro e acrobacia. Raquel é actriz, acrobata e música, e expressa as suas artes e inspirações no pequeno palco no Arena Lounge.

KuantoKusta ajuda-o a economizar nos presentes de Natal


Os portugueses prevêem gastar 338 euros neste Natal, dos quais 53% em presentes. Os dados surgem num estudo da Deloitte e são o mote da lista de sugestões do KuantoKusta para homem, mulher, adolescentes, crianças e, até, animais de estimação.

O comparador de preços online líder em Portugal reuniu as melhores sugestões de presentes de Natal de última hora para toda a família, tendo em conta o orçamento definido para este ano.

Para ‘Ele’, o KuantoKusta sugere uns Óculos Realidade Virtual VR Box 3D (8,99€), uns auscultadores JBL T450 Black (21,40€) ou o Google Chromecast 2 (39,00€), um dispositivo de streaming que se conecta à porta HDMI da televisão. Para ‘Ela’, um batom The Happiness Institute Oh Yeahh (9,39€), um Bio-Oil Óleo Regenerador da Pele (18,75€) ou, para as amantes de fotografia, uma HP Sprocket Photo Printer (121,19€).

Presentes unissexo parecem também ser uma tendência que se alia aos clássicos de bom gosto. Um livro - “Sinal de Vida” (20,52€) - ou um perfume - CK One For Both (22,97€) -, nunca desiludem.

Se no grupo de amigos ou família, “o desportista” pede sempre presentes de aumentar o ritmo cardíaco, ofereça-lhe a pulseira de atividade Xiaomi Mi Band 2 Black, com o melhor preço de 28,95€.

Os adolescentes nunca se cansam de adicionar novas peças ao guarda-fatos. Assim, o KuantoKusta sugere as sapatilhas Jr VS Advanced CL da Adidas (32,90€), que prometem uma entrada no novo ano ainda mais confortável.

E porque o Natal é das crianças, chegou a hora de alegrarmos mais uma geração. A Lego City – Terminal de autocarros (36,99€) ou a Trotinete 3 Rodas Patrulha Pata (29,90€), podem chegar de trenó a sua casa para satisfazer os mais pequenos.

Por fim, mas não menos importante, ofereça algo especial ao seu companheiro de quatro patas. Se tem um gato, o Frolicat Laser Bolt será entretenimento garantido (17,99€). Se é um cão que transforma os seus dias em momentos de animação, agradeça-lhe com os ossos da Kong Brinquedo (7,90€).

Segundo o estudo da Deloitte, os portugueses preveem gastar 338 euros neste Natal, repartido entre presentes (53%), alimentação e bebidas (34%) e eventos sociais (13%).

Sobre o KuantoKusta

O KuantoKusta é o comparador de preços online líder em Portugal. Ativo no mercado desde 2005, permite equiparar, gratuitamente, os preços de mais de 1 milhão de produtos de 15 categorias em mais de 500 lojas. Todos os estabelecimentos são analisados pelo KuantoKusta antes de estarem disponíveis ao internauta. Em 2016, a plataforma faturou 1,4 milhões de euros e registou o valor recorde de quase 26 milhões de visitas.

Crowne Plaza Porto celebra tradição à mesa


O hotel situado na emblemática Avenida da Boavista apresenta os seus programas especiais para celebrar o Natal e a Passagem de Ano na cidade do Porto. Sugestões repletas de elegância e sabores tradicionais portugueses para terminar o ano de forma inesquecível.

O Hotel Crowne Plaza Porto abre as portas à cidade para comemorar a melhor época do ano. São dois programas especiais que incluem as celebrações do Natal em família e a entrada em 2018 com uma festa de Réveillon.

No dia 24, a Ceia de Natal conta com um Menu inspirado nos sabores e aromas típicos da época, onde não faltam o obrigatório prato de Bacalhau e Tornedó de Vitela Grelhado acompanhado por rösti de batata e vegetais mediterrânicos grelhados. À sobremesa, a mesa fica repleta de doces tradicionais de Natal à escolha.

Para o Almoço de Natal, o Chefe Jorge Sousa prepara uma refeição buffet com entradas frias, quentes e muitas especialidades. Os convidados poderão deliciar-se com Roupa Velha, Cabrito assado no forno, Posta de vitela grelhada acompanhada de migas de couve galega e feijão frade e Lombo de garoupa grelhado, molho de limonete, puré de batata e legumes grelhados. No copo, o hotel sugere Vinhos das Caves “Crowne Plaza”, entre Verde Branco, Maduro Branco e Tinto.

Para terminar o almoço da melhor forma, não vão faltar os doces, como leite creme queimado, trouxas de ovos, aletria e arroz doce; as frutas laminadas; e as tábuas de queijos nacionais e estrangeiros com display de Pãezinhos, Bolachas, Frutos secos e Marmelada.

Com a cidade do Porto ao rubro para as festas de fim de ano, o Hotel Crowne Plaza está ainda a preparar uma festa elegante e sofisticada na imponente Sala Guimarães, com proposta de Jantar Buffet de Gala de Réveillon. Na mesa o destaque vai para a Lagosta, Ostra, Salmão fumado com natas ácidas e as Gambas sobre carpaccio de ananás e cocktail. À meia-noite, o brinde é feito com Champagne Cattier e Uvas Passas e, para animar o jantar, haverá música ao vivo e presença de um DJ, a partir das 23h30.

No dia seguinte, o hotel convida a entrar em 2018 com o pé direito e a celebrar à mesa com um Buffet de Sabores Tradicionais Portugueses. Com mais de 40 sugestões, o primeiro almoço do ano inclui várias entradas, como Camarão, Gambas, Lagostim e Sapateira Recheada, e diversos pratos principais, como Lombo de rodovalho escalfado com molho de espumante e açafrão, Polvo assado com vinho tinto, Cabrito assado aos sabores tradicionais e Picanha com flor de sal, para “trinchar” na sala.

A par destes programas, o Crowne Plaza Porto disponibiliza ainda condições especiais de alojamento para aqueles que priorizem o conforto e queiram pernoitar no hotel durante a época festiva, tanto no Natal como na noite de Passagem de Ano.

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Curtas Portuguesas mostram-se em Brasília


O projeto “Portugal Rumo a Brasília 2018” e o Festival CineEco de Seia acabam de lançar o desafio a realizadores portugueses amadores e profissionais a inscrever curtas-metragens sobre a temática da Água, para serem exibidas no espaço de Portugal no Fórum Mundial da Água, que vai decorrer em Brasília de 18 a 23 de Março de 2018.

O Fórum Mundial da Água, organizado a cada três anos, desde 1997, pelo Conselho Mundial da Água e pelo país anfitrião (este ano o Brasil), tornou-se um acontecimento incontornável da agenda internacional, assumindo-se como o maior evento dedicado à água a nível global. Acolhe cerca de 30 000 pessoas durante uma semana.

As inscrições são gratuitas e estão abertas até 15 de Janeiro de 2018, e um júri selecionará as melhores e atribuirá um prémio de 250€ à melhor de todas. As curtas-metragens selecionadas serão exibidas no Pavilhão de Portugal no Fórum Mundial da Água.

Todas as informações e ficha de inscrição, estão no site do festival, em www.cineeco.pt e qualquer esclarecimento pode ser pedido através do seguinte endereço: cineeco@cm-seia.pt

Pixar in Concert


Toy Story foi o primeiro e data de 1995. Seguiu-se A Bug’s Life em 1998. Nestes 22 anos, os Estúdios Pixar já produziram 17 filmes de animação que, em comum, têm o especial cuidado na escolha dos compositores das suas bandas sonoras originais: “Para mim, a música é dos elementos mais importantes num filme. Transmite as emoções.”, afirma John Lasseter, director criativo dos estúdios Pixar e Disney.
No total, são 6 os compositores dos diferentes filmes da Pixar. Várias vezes nomeados para os prémios Oscar na categoria de  Melhor Banda Sonora Original, em 2009  a estatueta foi ganha por Michael Giacchino, compositor da música de Up.
Este Natal, a Lisbon Film Orchestra,  sob direcção do maestro Nuno de Sá, volta a encantar miúdos e graúdos com famosos temas de filmes de animação. Com assinatura Pixar, Toy Story, Monsters Inc., Finding Nemo, Cars, Brave e Ratatouillie são algumas das “estrelas” escolhidas para os concertos de dia 23 de Dezembro no Campo Pequeno e de 14 de Janeiro no Coliseu Porto.

Red Bull Music Culture Clash


Alex d’Alva Teixeira e Carlão vão apresentar o evento do ano no Coliseu de Lisboa no próximo dia 2 de Março. Quatro crews comandadas por Capicua, pelos Paus, por Richie Campbell e por Rui Pregal da Cunha levarão hip hop e rock, reggae e soul, fado e kuduro e tudo o mais para o centro da arena. Red Bull Music Culture Clash: Apoia a tua crew. Quem manda aqui és tu!

A contagem decrescente para o Red Bull Music Culture Clash que se realiza no Coliseu de Lisboa, no próximo dia 2 de Março já está em marcha. Os hosts Alex d'Alva Teixeira e Carlão, as quatro crews e toda a equipa de produção estão neste momento em profunda concentração a ultimarem os mais importantes detalhes para que o público testemunhe um dos mais originais e entusiasmantes eventos do ano.

Em 2016, a crew Atlas comandada por Branko sagrou-se vencedora numa noite que ficou na memória de vários dos protagonistas da edição de 2018. Capicua, líder da Crew 1 Capicua e Guerrilha Cor de Rosa, foi convidada surpresa do colectivo liderado por DJ Ride, Matilha, e garante que se divertiu muito. Joaquim Albergaria, dos Paus, o grupo que comanda a Crew Paus e Pedras, também passou pelo Coliseu em 2016 e ficou surpreendido: "é um evento que promove o espírito de comunidade o espírito de comunidade”, salienta.

A 2 de Março próximo, o Coliseu – uma das mais importantes e icónicas salas de espectáculos portuguesas – vai receber 4 crews que vão disputar o título de campeões do Red Bull Music Culture Clash. e Guerrilha Cor de Rosa Capicua – com Capicua  à frente dos talentos de DJ D-One, nos pratos e, nos microfones e na agitação na frente de palco, M7 aka Beatriz Gosta, Ana Bacalhau, Eva Rap Diva, Marta Ren e Blaya; Paus e Pedras, crew comandada pelo grupo de Joaquim Albergaria, Hélio Morais, Fábio Jevelim e Makoto Yagyu e que conta ainda com os valorosos aliados DJ Glue, Mike El Nite, Holly Hood e Silk; Richie Campbell apresenta Bridgetown com o “maestro” Richie Campbell a dirigir uma equipa que integra Mishlawi, General Gogo, Luís Franco Bastos, Ben Miranda, Dengaz, Plutonio, DJ Dadda, Dodas Spencer e Afonso Ferreira; e, finalmente, Rui Pregal da Cunha apresenta Ultramar: além do histórico vocalista dos Heróis do Mar que é o capitão deste navio musical haverá que ter em conta uma tripulação que inclui os Capitão Fausto, Memória de Peixe e Throes + The Shine.

Ou seja, e como garante Rui Pregal da Cunha, “o Red Bull Music Culture Clash é um evento único onde alguma da fina flor da música nacional está reunida”. Pura verdade. Capicua revela que levará para o palco “muitas mulheres fortes e cheias de atitude” e os Paus explicam que escolheram as “pedras” certas: “O Holly Hood e o Mike El Nite são os melhores MCs do hip hop nacional, o Glue é o melhor Dj e o Silk é o rei das artes marciais”. Nada que intimide os rapazes da Bridgetown que, pela voz de Plutonio, afirmam categoricamente: “2018 é nosso!”.

O espírito de combate irá manifestar-se em quatro rounds – que terão entre 8 e 15 minutos – com cada uma das crews a procurar desarmar os restantes concorrentes através das suas inesperadas e certeiras escolhas musicais. Os hosts tratarão de fazer cumprir as regras – uma das quais impede a repetição de músicas, por exemplo – mas a vitória será sempre decidida pelo público presente. Razão mais do que suficiente para que todos marquem presença.

4 Palcos, 4 Crews e 1 Vencedor! Mas quem vai mandar ali vai mesmo ser o público, soberano com os seus aplausos.

Os bilhetes para o Red Bull Music Culture Clash já estão à venda nos locais habituais. O bilhete de Plateia custa 20€ mas estará igualmente disponível por 35€ um bilhete Plus que dá acesso a uma área Premium, a uma after party exclusiva e a uma oferta especial. Está igualmente disponível um Pack FNAC Red Bull Culture Clash que inclui bilhete para a Plateia, Booklet do evento e uma oferta especial.

Mercedes-Benz comercializa dois milhões de automóveis nos primeiros 11 meses de 2017


A Mercedes-Benz entregou no passado mês de Novembro 195.698 automóveis novos a clientes (+7.2%). Este foi o 57º mês consecutivo com recorde de vendas. Nos primeiros 11 meses do ano foram entregues 2.095.810 automóveis, o melhor período de vendas na história da Marca, e que representou um crescimento de 10,7%. Em Novembro, a Mercedes-Benz foi a marca premium mais comercializada na Alemanha, França, Itália, Áustria, Portugal, Taiwan, EUA, Canadá e México.

Na Europa, com 79.942 automóveis entregues a clientes e um crescimento de 1,5%, Novembro, a marca da estrela apresentou um novo recorde de vendas. Desde o início do ano, 879.878 automóveis foram comercializados (+7,3% face a 2016). Recordes de vendas foram registados nos 11 meses do ano em Portugal, Reino Unido, França, Espanha, Bélgica, Suíça, Suécia, Polónia e Áustria.

Com um total de 74.302 automóveis comercializados na Região Ásia-Pacífico, o mês de Novembro apresentou um crescimento de 16,2% face ao ano transato. Em 2017, esta região já conta com 802.565 unidades Mercedes-Benz vendidas (+20,6%), com especial destaque para a China que em Novembro comercializou 50.813 unidades e 539.728 desde o início do ano (+27,3%).

A região NAFTA contribuiu igualmente para o grande sucesso de vendas da Mercedes-Benz em 2017. Nos EUA, 30.838 clientes optaram por um novo Mercedes-Benz em novembro (+1,6%), o que contribuiu para um total de 359.953 automóveis comercializados nesta região (+0,5%). Canadá (+12,7%) e México (+25,3%) destacaram-se igualmente com uma excelente performance.

O Classe E, nas suas versões limousine e station, continua entre os modelos mais procurados pelos clientes da Mercedes-Benz com um aumento de 8,2% face a Novembro de 2016. Desde o início do ano, o aumento de vendas verificado foi de 46% face a 2016, com especial destaque para a procura da versão longa do Classe E pelo mercado Chinês.

A nova geração do Classe S, introduzida nos EUA e na China no passado mês de Setembro, apresentou um crescimento de 18,5% face ao ano anterior. Também na Alemanha, um dos mercados com maior procura por este modelo, bem como na Coreia do Sul, a procura pelo novo Classe S superou todas as expetativas.

Os SUVs da Mercedes-Benz continuam a estabelecer recordes de vendas (73.418 unidades) em todos os meses ao longo de 2017. O crescimento de vendas (19,8%) foi maioritariamente verificado nos modelos GLC, GLA, GLE Coupé e GLS.

Mais de 11.500 smart fortwo e smart forfour foram entregues a novos clientes durante o mês de Novembro. A procura pelos dois modelos foi especialmente forte nos seus principais mercados – Alemanha e Itália. China, Bélgica e Holanda registaram também uma forte procura com um crescimento de vendas em ambos os modelos. Nos primeiros 11 meses do ano, 123.130 unidades foram comercializadas a nível mundial.

Rui Lage vence Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís


Com produção poética já publicada, Rui Lage venceu o Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís, por unanimidade do Júri, aos 42 anos, com o seu primeiro romance “O Invisível”, que propõe uma abordagem ficcional do lado mais oculto de Fernando Pessoa. O Prémio foi instituído, pela primeira vez, em 2008, pela Estoril Sol, no quadro das comemorações do cinquentenário da Empresa.

Ao eleger “O Invisível”, o júri considerou tratar-se de “um romance com notável fulgor imaginativo” no qual “a figura histórica de Fernando Pessoa é tornada personagem de romance e colocada no centro de uma trama de ficção muito original, que cruza criativamente referentes conhecidos da época e Cultura Pessoanas, particularmente a sua vertente ocultista e/ou esotérica”. 

O autor, Rui Carlos Morais Lage, de seu nome completo, nasceu no Porto em 1975 e é licenciado em Estudos Portugueses e Ingleses pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, instituição na qual se doutorou em Literaturas e Culturas Românicas - especialidade em Literatura Portuguesa. 

É autor de poesia, com sete livros publicados entre 2002 e 2016, entre os quais “Estrada Nacional” (distinguido com o Prémio Literário da Fundação Inês de Castro, em 2016,  e finalista, em 2017, do Prémio P.E.N. Clube de Poesia), e de ensaio (com destaque para “Manuel António Pina”, publicado pela Imprensa da Universidade de Coimbra em 2016), bem como de crítica literária, ficção infantojuvenil e antologias (“Poemas Portugueses: Antologia da Poesia Portuguesa do Séc. XIII ao Séc. XXI”.

Deputado na Assembleia Municipal do Porto e membro do Conselho Municipal de Cultura do mesmo município, é actualmente professor de História Cultural do Teatro na Licenciatura em Artes Dramáticas da Universidade Lusófona e assistente parlamentar no Parlamento Europeu, onde trabalha nas áreas dos assuntos externos e dos direitos humanos.

É este o currículo, a traço rápido, do vencedor do Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís – 2017.
A propósito de “O Invisível”, Rui Lage explica que a génese do romance surgiu-lhe “quando li pela primeira vez certa carta enviada por Fernando Pessoa à sua “Tia Anica”, datada de 24 de Julho de 1916, perguntei-me se não haveria ali matéria para um romance: participação de Pessoa em sessões “semiespíritas”, “mediunidade legítima”, “visão astral” e “visão etérica” (com um notório episódio ocorrido na Brasileira do Rossio, em que terá visto “as costelas de um indivíduo através do fato e da pele”), escritos “automáticos” ditados por entidades incorpóreas”.

“Posteriormente – conta Rui Lage -, prendeu-me o interesse de Pessoa pela “quarta dimensão”, que teve em comum com inúmeras personalidades das vanguardas do início do séc. XX, de Apollinaire a Duchamp, passando por Picasso, e com diversos matemáticos e físicos teóricos, de Poincaré a Einstein, tendo deixado rasto em escritores como Oscar Wilde, Kipling, Fitzgerald ou Conrad. O conceito da “quarta dimensão”, que, não obstante a sua complexidade, alcançou enorme popularidade, foi identificado por alguns com uma dimensão suplementar do espaço, inacessível à comum percepção humana, na qual se diluíam as categorias ordinárias com que pensamos a realidade, perdendo sentido as fronteiras entre o finito e o infinito, o visível e o invisível”. 

Numa narrativa de malha fina, Rui Lage lembra que Pessoa “assimilou elementos de várias dessas concepções, tendo especulado sobre uma “quarta dimensão da mente”, plano de radical liberdade criativa – e de promiscuidade entre “magia” e criação literária –, onde vários podiam coexistir no mesmo, e que ele refere, aliás, num texto a propósito da criação heteronímica, como lugar onde teriam surgido Reis, Campos e Caeiro num “golpe de magia intelectual”.

Houve, contudo uma passagem “que me “deu” o romance, que verdadeiramente me decidiu a escrevê-lo”. Foi encontrá-la, diz Rui Lage, na “Declaração de Diferença”, texto assinado por Bernardo Soares (com a indicação “para ser inserta no Livro do Desassossego”).

Revela ainda Rui Lage não nutrir “especial fascínio pelo ocultismo e pelo espiritismo. O meu princípio orientador é a razão. Mas fascina-me o fascínio do nosso maior génio literário por tais matérias: pelas “artes do escondido”, por uma realidade velada e inexplorada, uma dimensão superior, suprassensível, onde até as leis da física se estilhaçam. Sobretudo quando a própria física teórica já não descarta a possibilidade de dimensões suplementares e contraintuitivas, como se vê pela Teoria de Cordas ou pelas teorias do multiverso”. 

Depois, “a partir destes motivos fui desfiando uma trama que tem Fernando Pessoa como principal protagonista, inventando-lhe um percurso existencial alternativo que se cruza com personagens reais ou efabuladas, alterando vários aspectos da sua biografia mas mantendo o maior número possível de informações verídicas, atestadas pelos seus biógrafos. Por outro lado, não resisti a preencher com elementos ficcionais um dos mais estranhos vazios autobiográficos da cultura portuguesa: os nove anos passados por Pessoa na África do Sul, dos quais ele não deixou praticamente rasto na sua obra literária, apesar de parecer impossível que a paisagem humana e natural de Durban não tivesse de alguma maneira marcado uma personalidade em formação como era a dele nessa época. Essa lacuna permitiu-me fabricar uma génese para as inclinações mediúnicas e ocultistas de Pessoa”.

“Neste romance – reconhece o autor - convergem vários géneros: desde logo o fantástico e o romance histórico (quer Portugal quer a África do Sul são reconstituídos, na sua inserção epocal, com o máximo rigor que me foi possível); mas também o rocambolesco e o satírico, para além de elementos do romance policial (a personagem de Pessoa deve aqui alguma coisa à tradição norte-americana dos “occult detectives”, com ascendentes em Poe e Conan Doyle”.

E enfatiza: “Interessava-me colocar Pessoa em situações incómodas, desconcertantes, fora do seu ambiente lisboeta (já tão explorado noutras ficções), para agudizar contrastes e convocar um mundo arcaico, telúrico, atormentado por influências e presenças invisíveis. Eis porque, com certa dose de perversidade, transportei Pessoa para uma aldeia fictícia, na serra do Alvão, pondo-o a interagir com uma comunidade ensimesmada, radicalmente extemporânea”.

“O Invisível” teve três versões antes de se sagrar como vencedor do Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís e demorou cinco anos a escrever, passando por “longos períodos de pousio”. 

O Júri que o atribuiu, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que presidiu, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integrou José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

O Regulamento do Prémio Revelação, que deixou de fixar um limite de idade para os concorrentes, manteve, contudo, a exigência de serem autores portugueses, ”sem qualquer obra publicada no género”. 

A iniciativa conta, desde o primeiro momento, com o apoio da Editorial Gradiva, que assegura a edição da obra vencedora, através de um Protocolo com a Estoril Sol.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

"Modern Portuguese Cuisine” à mesa do Astória


A primeira carta assinada pelo Chef Francisco Pico no Restaurante Astória acaba de sair do forno, literalmente. O menu reinventa sabores portugueses e combina três características imprescindíveis: tradicional, sazonal e clássico. Há ainda um menu para grupos, inspirado no conceito food to share.

Descobrir Portugal pelo paladar é o desafio da nova carta do Restaurante do Palácio das Cardosas, que revisita os sabores tradicionais portugueses e lhes dá um toque moderno e atual.

A viagem gastronómica começa, claro, com as entradas, onde é possível degustar, por exemplo, uma Sopa de abóbora manteiga com crème fraîche de limão e “crumble” de enchidos ou a Salada de Beterraba assada com nozes caramelizadas, “Blue cheese” e rúcula.

O roteiro segue pelos pratos principais, onde há paragem (quase) obrigatória no Tradicional bacalhau curado e aromatizado com limão e coentros, puré de grão-de-bico e chalotas caramelizadas. O bacalhau é confecionado a baixa temperatura (cozido e, de seguida, finalizado no forno a carvão mineral) para otimizar a textura e torná-lo ainda mais agradável ao paladar.

Nos pratos de peixe, o Chef sugere ainda o clássico Linguado de Mar da nossa costa com molho de manteiga, alcaparras e funcho e, nos de carne, o Lombinho de borrego assado em carvão, cinza de alho francês e cogumelos e puré de batata com manteiga tostada ou o Lombo de javali com puré de castanhas assadas, cogumelos selvagens e molho de vinho do Porto com chocolate amargo.

Para os que preferem dar um passo mais seguro nesta viagem de sabores, existem quatro opções confecionadas em forno a carvão, como o “Poussin” com molho piri-piri ou o Bife de Lombo de vitelão.

Para acompanhar os pratos principais há diferentes opções, como seleção de vegetais da época salteados ou gratin de batata com queijo “gruyere” e parmesão.

Seguimos viagem pelas sobremesas, onde se destaca o reinventado Pudim Abade de Priscos com gelado de vinho do Porto; a “Pavlova” com suspiro, chantilly de baunilha e frutos do bosque e, claro, o destino de eleição: Fondant de chocolate 70% cacau com espuma de chocolate branco, sorvete de framboesa e pimentão-doce.

Para grupos a partir de quatro pessoas, o Restaurante Astória disponibiliza um menu especial, para partilhar, com três entradas, um prato principal (carne ou peixe) e três sobremesas.

Nas palavras do Chef Francisco Pico, “este é um menu que envolve, além da minuciosa seleção de ingredientes e máxima dedicação na confeção, pessoas. Toda a equipa de cozinha participou na elaboração dos pratos e da nova carta, contribuindo para a decisão do que poderia ou não resultar de acordo com a experiência que trazem na bagagem, nomeadamente o contacto direto com o cliente do Astória. No fundo, é um menu de (um) autor, mas inspirado por vários.”

As propostas gastronómicas do Restaurante Astória pretendem responder aos gostos mais requintados, desde os clientes locais aos estrangeiros, que querem conhecer (ou reconhecer) os sabores do nosso país.

A nova carta do Astória, com um conceito focado na Modern Portuguese Cuisine, está disponível ao almoço – a par do menu semanal –, e ao jantar.

José Cid celebra o Réveillon no Lounge D do Casino Estoril


Em plena noite de Réveillon, o Casino Estoril convida os seus visitantes a celebrar a chegada de 2018, com um concerto especial de José Cid no Lounge D. Com um genuíno ambiente festivo, José Cid comemora a chegada do Ano Novo, percorrendo os melhores momentos da sua carreira. A animação musical será assegurada, ainda, pelas bandas Boogie Nights e Quinteto Boémio. A entrada é livre. Mas, para os que desejarem, também, existe a alternativa de concerto com jantar, mediante reserva.

Em concerto dedicado à melhor música portuguesa, José Cid protagoniza, a partir da meia-noite e meia, uma actuação muito interactiva com os espectadores, fazendo uma viagem pelos numerosos êxitos da sua carreira.

Considerado um dos maiores talentos da música portuguesa, José Cid ocupa um lugar muito especial no coração do público. Em qualquer parte do mundo, raríssimos são os artistas que conseguem estar no topo várias décadas. José Cid encontra-se neste grupo restrito por mérito próprio, sendo reconhecido e retratado em largas dezenas de inesquecíveis e inspiradas canções, que vão do étnico, ao fado, ao “pop”, ao rock, ao popular e até ao jazz.

José Cid liderou a renovação da música popular portuguesa no fim dos anos 60 e início dos anos 70 com “A Lenda D’El Rei D. Sebastião”, o tema mais emblemático do Quarteto 1111, para além do primeiro Álbum 1111, logo retirado das bancas pela censura. Até à Revolução de 1974 foi um dos mais censurados canta-autores pela ditadura de Salazar com dois LP e vários singles proibidos.

Com uma atitude mais vanguardista iniciou a música de rock sinfónico em Portugal com o legendário “10.000 Anos Depois Entre Vénus e Marte” com uma edição em Portugal em 1977 e reeditado por “Art Sublime”, de Los Angeles em 1994, que é votado pela crítica mundial (“Q” e “Bilboard”) entre os melhores 100 álbuns do milénio (em nº57).

Nos anos 80 e 90 explorou o lado da música étnica com o CD “Ode a Federico Garcia Lorca” e “Camões, as Descobertas e Nós” sempre com guitarras portuguesas de Coimbra e de Lisboa como sons de prioridade. Em 1995 dedicou o CD “Pelos Direitos Humanos” dedicado à causa Timor Lorosae recebendo mensagem de Ramos Horta, Prémio Nobel da Paz.

Em 2006 produziu o seu próprio Label Vinyl onde editou (em colaboração com a  Farol) o Álbum “Baladas da Minha Vida”, disco de Platina nos primeiros 2 meses de venda, tendo o reconhecimento nacional de todas as gerações pela sua originalidade e vanguardismo.

Autor/compositor e intérprete de alguns dos maiores êxitos da música nacional, José Cid construiu um sólido percurso, marcado por memoráveis baladas que se revelam intemporais. ” A Rosa Que Te Dei”, “Na Cabana Junto à Praia”, “20 Anos”,” Ontem, Hoje e Amanhã”, ”Cai Neve em Nova Iorque”,  “A Minha Música”, “Mais um Dia” e “Louco Amor” são alguns dos sucessos que o artista interpreta, habitualmente, ao vivo.

O programa no Lounge D começa, logo às 21h30, com as actuações ao vivo da banda Boogie Nights e do Quinteto Boémio. Após o aguardado concerto de José Cid, estes grupos musicais regressam, ao palco, para assegurar a festa pela noite dentro. 

Programa de Réveillon no Lounge D:
- 21h30 - Animação musical com os Boogie Nights e Quinteto Boémio
- 00h00 - Celebração do Ano Novo
- 00h30 - Concerto de José Cid
- 02h00 - Animação musical com os Boogie Nights e Quinteto Boémio

The Parkinsons + Moon Preachers no Sabotage dia 21 de Dezembro


Os The Parkinsons são uma das melhores, se não a melhor, bandas de punk da actualidade no panorama português. Em palco, mantém, a energia electrizante de quando eram mais novos e a condição, inerte a eles próprios, de prender e viciar qualquer pessoa. Festa, loucura, caos e muita adrenalina! Dá vontade de saltar para cima do palco e com eles lá ficar. 
É com eles que começamos a celebrar o Natal no Sabotage! Uma festa única, intensa e caótica à vossa espera!

Os The Parkinsons estão de regresso, oito anos depois da última gravação. O novo disco, Back To Life, foi gravado no Loudstudio, em Coimbra, e editado em Setembro de 2012. Aos três elementos originais, Afonso “Al Zheimer”, Victor Torpedo e Pedro Chau, junta-se agora o baterista Kaló (Bunnyranch, Tiguana Bibles, 77,Tédio Boys).
Se em termos sonoros há uma nítida mudança em relação ao passado da banda, em termos líricos a identidade continua intocável mantendo-se a mesma linha de sempre, quase niilista, numa aversão constante a uma sociedade sem rumo.

Os The Parkinsons têm uma carreira dividida maioritariamente entre Portugal e o Reino Unido, são uma banda de culto e considerados por muitos como uma das melhores bandas Punk-Rock a surgir no circuito musical britânico no princípio deste século, são inquietos, reivindicativos e altamente ruidosos.


Na abertura, Moon Preachers. É punk-psicadélico, garage rock narcótico e blues selvagem alimentado a uma guitarra frenética, a uma bateria demoníaca e a duas vozes que mais parecem uivos de meia-noite.

Rafael Santos e João Paulo Ferreira têm 18 anos, vêm da Margem Sul e têm sede adolescente de música eléctrica com alma. Algum tempo antes de atingirem a nauseante idade “adulta", decidiram começar a fazer malhas sobre festas, a morte, deus, o diabo, sonhos, esquizofrenia e tantas outras cenas que os inquietavam. Deram que falar ao tocar por palcos da Margem Sul e Lisboa, nomeadamente quando abriram para The Sunflowers na ZDB e no Maus Hábitos no Porto.
Quanto aos seus concertos ao vivo, já disseram que esta banda é “uma mistura explosiva”, "uma coisa estranha desconcertante” e "uma tribo selvagem”. Digam o que disserem, este duo está aqui para te por a tremer, de todas as maneiras possíveis. Phil Mendrix disse: "São dois mas parecem quarenta!"

Oficina do Natal no Palácio Nacional de Queluz


A Parques de Sintra apresenta no Terreiro do Palácio Nacional de Queluz, até 23 de Dezembro, o video mapping “Oficina do Natal”, uma criação original e produção do ateliê Grandpa’s Lab. Com entrada livre, o espetáculo é composto por animações 3D e será projetado nas fachadas exteriores do monumento.

“Oficina do Natal” gira em torno do homem que antes de ser Pai Natal era apenas Nicolau, um artesão de brinquedos. Nicolau recupera e restaura brinquedos esquecidos, descartados e avariados. E é no Palácio Nacional de Queluz, transformado numa enorme loja de brinquedos, que tudo acontece. Aqui, todos os brinquedos antigos ganham uma segunda vida e chegam às mãos das crianças.

Um dia, Nicolau atravessa um túnel escondido numa árvore e encontra um palácio em ruínas e o respetivo guardião: um brinquedo robô que parece estar inconsciente. Com o seu talento, o artesão – que se transformará na lendária personagem do Pai Natal – dá uma nova vida ao robô, que inicia a recuperação daquele que é, afinal, o Palácio Nacional de Queluz.

Além de ser uma metáfora para o trabalho de conservação e recuperação executado pela Parques de Sintra no monumento nos últimos anos, o espetáculo visa ainda transmitir uma mensagem de consumo mais responsável nesta época do ano.

Com um surpreendente conteúdo visual, o video mapping tem a duração de 15 minutos e acontece de meia em meia hora, entre as 18h00 e as 22h30.

Coco mantém a liderança no box office nacional


Desde a sua estreia, que COCO, o novo filme de animação da Disney*Pixar, mantém a liderança da box office nacional, com 152.579 espetactores e uma receita de bilheteira superior a 773 mil euros.

Inspirado na cultura mexicana e nas suas tradições, já que a história se passa durante um dos feriados mais celebrados no México, o Dia de los Muertos.


sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Black Panther estreia nos cinemas a 15 de Fevereiro de 2018


Black Panther conta a história de T'Challa, que depois da morte do seu pai, o Rei de Wakanda, volta a casa, à nação africana isolada e tecnologicamente avançada, para subir ao trono e assumir o seu lugar como rei. Mas, quando um antigo e poderoso inimigo reaparece, a força de T'Challa como rei e Pantera Negra é testada, quando é atraído para um conflito que coloca o destino de Wakanda e do mundo em risco. Diante da traição e do perigo, o jovem rei deve reunir os seus aliados e libertar o poder total de Pantera Negra para derrotar os seus inimigos e garantir a segurança do seu povo.




As companhias aéreas do Grupo Lufthansa alteram o modo como as milhas-prémio do Miles & More são atribuídas


As companhias aéreas do Grupo Lufthansa estão a alterar o modo como as milhas-prémio são creditadas aos participantes do programa de passageiro frequente e de fidelidade Miles & More. A partir de março de 2018, o número de milhas-prémio que será creditado basear-se-á no preço do voo, ou seja, o preço do bilhete acrescido de taxas cobradas pela respetiva companhia aérea e no estatuto de estatuto de passageiro frequente dos participantes no programa. No sistema antiga, a classe de reserva ou melhor a classe reserva e a distância da rota determinavam o número de milhas que eram atribuídas.

No futuro, os participantes do Miles & More irão receber quarto a seis milhas-prémio por cada euro gasto, correspondendo aos seus hábitos particulares de reserva e aos seus padrões de voos. O novo sistema de atribuição de milhas aplica-se a voos nas companhias aéreas do Grupo Lufthansa (Lufthansa, SWISS, Austrian, Brussels Airlines e Eurowings) assim como em todas as companhias aéreas parceiras do Miles & More, desde que o bilhete para o voo seja emitido por uma companhia aérea do Grupo Lufthansa.

Tal significa especificamente que os participantes do Miles & More irão sempre receber pelo menos quatro milhas-prémio por euro gasto em voos nas companhias aéreas mencionadas atrás. Os membros com estatuto de passageiro frequente irão receber seis milhas-prémio por cada euro em voos na Lufthansa, SWISS e Austrian Airlines, assim como na United Airlines e na Air Canada. Tal significa que as milhas-prémio de bónus que os membros com estatuto recebem por voos na rede das companhias aéreas e nos parceiros da joint venture transatlântica irão duplicar em 50 por cento, dos atuais 25 por cento. O mesmo se aplica às companhias aéreas Adria Airways, Air Dolomiti, Croatia Airlines e LOT Polish Airlines, que também participam no programa de passageiro frequente e de fidelidade Miles & More.

Em voos na Eurowings, Brussels Airlines e outras companhias aéreas parceiras do Miles & More, o bónus de milha-prémio manter-se-á nos 25 por cento, o que significa que os membros com estatuto irão receber cinco milhas-prémio por euro gasto. As milhas-prémio só podem ser creditadas de acordo com este novo sistema se os bilhetes para o voo forem emitidos por um companhia aérea do Grupo Lufthansa, e não por outras companhias aéreas.

O estatuto de passageiro frequente dos participantes, os privilégios associados a esse estatuto e a atribuição de milhas de estatuto não serão afetados pelo novo sistema para milhas-prémio. Esta alteração não irá ter nenhum impacto fundamental no número de milhas-prémio que serão distribuídas pelas companhias aéreas na globalidade nem na disponibilidade de voos-prémio.

Com esta alteração, o Grupo Lufthansa está a estabelecer um sistema flexível para a creditação de milhas-prémio que liga o número de milhas atribuídas ao preço do bilhete. Com esta alteração, o grupo de aviação líder da Europa está a premiar a compra de bilhetes mais caros de um modo mais forte do que é o caso atualmente.

O atual sistema de atribuição de milhas-prémio, que depende da classe de reserva ou melhor na classe de reserva e na distância da rota, será eliminado para voos nas companhias aéreas do Grupo Lufthansa. No futuro, as milhas-prémio só serão atribuídas de acordo com o sistema atualmente em vigor em casos muito raros. O sistema antigo só será aplicado a participantes do Miles & More a viajar numa companhia aérea do Grupo Lufthansa, quando o bilhete para o voo for emitido por uma companhia aérea fora do Grupo Lufthansa ou como parte de um pacote de viagem. Se o voo for reservado numa companhia aérea parceira diferente do Miles & More e operado por uma dessas companhias aéreas, os participantes receberão milhas de acordo com o sistema antigo.

O novo sistema de atribuição de milhas começará a ser aplicado a 12 de Março de 2018. Tal dá aos passageiros das companhias aéreas do Grupo Lufthansa e aos participantes no programa de Miles & More tempo suficiente para adaptarem os seus planos de viagem ao novo sistema de atribuição de milhas. As milhas para bilhetes que foram reservados antes de 12 de Março de 2018 serão creditadas de acordo com o sistema atual, mesmo se a viagem em si começar nesse dia ou depois.

O número de milhas-prémio que são creditadas por voo tem sido adaptado repetidamente no passado à medida que o preço dos bilhetes tem sofrido alterações, tendo baixado especialmente nas classes de reserva de preço mais baixo. O novo sistema de atribuição de milhas irá resultar numa alocação automática de milhas-prémio baseada no volume de vendas que é gerado pela venda do bilhete. Com esta decisão, as companhias aéreas do Grupo Lufthansa estão a criar um sistema coerente para a atribuição de milhas-prémio. E, ao viajarem, os passageiros frequentes irão continuar a beneficiar de altos níveis de conforto e de comodidade: a distância da rota continuará a ser um fator relevante para as milhas de estatuto e os privilégios ligados de estatuto de passageiro frequente serão mantidos.