sexta-feira, 29 de junho de 2018

Rock in Rio-Lisboa tranmite nos ecrãs da Cidade do Rock, o jogo Portugal x Uruguai.


Amanhã o Rock in Rio-Lisboa vai transmitir, em todos os ecrãs da Cidade do Rock, o jogo Portugal x Uruguai. Assim, os horários de todos os palcos serão ajustados, fechando a Cidade do Rock uma hora mais tarde (03h00).

No Music Valley, as Somersby Pool Parties mantêm-se, subindo Carlão a palco às 17h00, seguindo-se o DJ Francisco Praia que vai animar todos os fãs até às 19h00. A programação é retomada às 21h15 com o concerto de Blaya, seguindo-se Diego Miranda às 22h30, Karetus às 23h30, Rich & Mendes às 00h30 e, para encerrar o último dia em grande festa, Vintage Culture das 01h30 às 03h00.

E para os visitantes da Cidade do Rock poderem usufruir de todas as experiências que este parque temático da música proporciona, inclusive as gastronómicas, nos dias 29 e 30 o Time Out Market Rock in Rio vai ficar aberto mais tempo, fechando apenas à uma da manhã.

Recorde-se que ainda há bilhetes disponíveis, nos locais habituais. Além dos concertos do Music Valley, nesse dia os fãs também poderão cantar e dançar ao som de Hailee Stainfield, Ivete Sangalo, Jessie J, Katy Perry (Palco Mundo), Paulo Flores, Batuk e Selma Uamusse (EDP Rock Street) e ainda e assistir às performances de D4rkframe, @Cavalinho da Chuva, Pyong Lee, Christian Figueiredo, Dois Brancos e Um Preto feat. Lili Caneças, entre tantos outros que subirão ao palco mais digital da Cidade do Rock.

Rock in Rio-Lisboa altera toda a programação de dia 30 para transmitir Portugal x Uruguai


Amanhã o Rock in Rio-Lisboa vai transmitir, em todos os ecrãs da Cidade do Rock, o jogo Portugal x Uruguai. Os horários dos concertos serão, por isso, adaptados em função do horário de jogo, proporcionando assim, a todos os visitantes do recinto, um clima único de festa e futebol, no maior evento de música e entretenimento do mundo. Além disso, no último dia da 8.ª edição do festival as portas do recinto vão fechar uma hora mais tarde – às 03h00.

No Palco Mundo, o horário dos dois primeiros concertos será antecipado para antes do jogo, com Hailee Steinfeld a abrir às 16h30 e o furacão Ivete Sangalo a aquecer para o jogo às 17h45. Segue-se a transmissão do jogo Portugal x Uruguai e, depois deste, a festa segue com Jessie J e Katy Perry nos horários inicialmente divulgados - 21h15 e 23h00, respetivamente.

Já na EDP Rock Street, junto à qual se localiza o Bosque do Futebol com um ecrã gigante para os fãs assistirem ao jogo, o espetáculo de Paulo Flores será antecipado para as 18h15, mantendo-se Batuk às 17h00 e Selma Uamusse às 15h15. As animações de rua prosseguem no horário previsto.

No Super Bock Digital Stage, há alterações aos horários das atuações de D4rkframe, que subirá ao palco às 17h50, @Cavalinho da Chuva, que atuam às 18h15, João Sousa e Miguel Alves às 21h00, Rebel Kidz Crew às 21h20 e às 21h35 Digital Sunset com André Henriques.

Além destes palcos, também o Music Valley irá transmitir o jogo, além do Time Out Market Rock in Rio, da Arena de Gaming Worten Game Ring e mais um ecrã gigante junto à área VIP. Dentro do espaço VIP o jogo também será transmitido nos vários ecrãs. 

Os novos horários do Music Valley e Worten Game Ring serão divulgados em breve.

Recorde-se que ainda há bilhetes disponíveis, nos locais habituais. Além dos concertos do Palco Mundo e EDP Rock Street, os fãs também poderão cantar e dançar ao som de Blaya, Carlão, Karetus, Rich & Mendes, Diego Miranda e Vintage Culture (Music Valley), e assistir às performances de D4rkframe, @Cavalinho da Chuva, Pyong Lee, Christian Figueiredo, Dois Brancos e Um Preto feat. Lili Caneças, entre tantos outros que subirão ao palco mais digital da Cidade do Rock.

Siraiva lança novo álbum - Rumo ao Azul


O Verão está a chegar e Siraiva lança hoje o álbum Rumo ao Azul, com 13 temas de pop dançável, cheios de cor, frescura, boa onda e conta com diversas parcerias. O álbum têm o apoio da Fundação GDA. 

Os primeiros passos de Rumo ao Azul começaram em 2014, com o single “Brinca na Barriga” (com Pacman), a que se seguiu “Dá-me um toque” (com Rui Pregal da Cunha), que aqui surgem como faixas-bónus. Mas outras aventuras de Siraiva se meteram pelo meio, atrasando a finalização deste trabalho. 

Primeiro o álbum Gentleman Takes Polaroids (2016), integralmente cantado em inglês e que acumula parcerias com vocalistas internacionais. Depois, surge o convite da participação no Festival RTP da Canção 2017, com o tema “Without You”, interpretado por Lisa Garden. 
Mas a notável capacidade de trabalho de Pedro Saraiva levou-o a finalizar, já em 2018, este projeto adiado. O terceiro single, “Tantas Cenas” (com Presto), saiu em Fevereiro. Além dos já referidos Pacman, Rui Pregal da Cunha e Hugo Piteira (Presto, dos Mind da Gap), Rumo ao Azul reúne colaborações com Ben Monteiro/Alex Teixeira (D’Alva), Vítor Silva, Pedro Pode, 1016, Melo D, DJ Slimcutz, João Luís Barreto Guimarães (que já tinha colaborado com Pedro Saraiva em D.R.Sax), Big Papo Reto, Inês Kilpatrick, Bruno Azevedo, Valter Lobo, João Pedro Coimbra, Clavezinhas de Sol, Chamorra e Gabriela Marramaque. 



Rumo Azul é o disco deste Verão, ideal para ouvir na ida para a praia mas também na pista de dança, nas noites quentes que se aproximam.

Tiago Bettencourt ao vivo no Coliseu de Lisboa


Tiago Bettencourt apresenta ao vivo no Coliseu de Lisboa a 6 de Dezembro o seu mais recente disco de originais “A Procura_” , um espectáculo que será uma viagem incessante que nos levará a todos os cantos deste sexto disco da sua carreira.

Após praticamente um ano do lançamento de “A Procura_” que conta com os singles “Se Me Deixasses Ser”, “Partimos a Pedra”, “Diz Sim”, e mais recentemente “Dragão”, Tiago Bettencourt traz agora ao Coliseu um espectáculo memorável onde atuará no centro da plateia com o público sentado à sua volta.

O Coliseu foi o local escolhido para a apresentação ao vivo de um disco que “pede atenção, pede tempo para perceber os pormenores e proximidade para não se ficar longe demais. Mas pede também tetos altos e um cenário forte que catapulte a cinematografia das canções. “ refere Tiago Bettencourt.

Com as novidades sonoras deste novo álbum chegou também um novo conceito para o espectáculo que tem vindo a ser apresentado e que culminará no Coliseu de Lisboa. Esta é uma aposta na memória contida nos sintetizadores, no minimalismo, no impacto de um quadrado de luz fechado onde Tiago Bettencourt e os Mantha tocam juntos.

Tiago Bettencourt refere ainda que “desde que sou músico que nunca quis que nos meus concertos o espectáculo se sobrepusesse às canções mas sim que compensasse gráfica e cromaticamente as imagens sugeridas nas letras e nos arranjos. Hoje a música continua a ser o mais importante, e com ela a interacção entre os músicos, e a dos músicos com o público.”

O espectáculo no Coliseu será diferente, será maior, mas sem se perder a simplicidade do desenho que se vislumbra no novo videoclipe da canção “Dragão”. Este é ainda um concerto que para além de apresentar o seu mais recente LP contará ainda com as suas várias composições de referência da nova música portuguesa.


Fica o convite a todos os que conhecem o Tiago desde o princípio, os que chegaram à pouco tempo, e os que nunca pensaram em se aproximar.

35º Festival de Almada no D. Maria II


O Teatro Nacional D. Maria II acolhe dois dos espetáculos que integram a programação da 35ª edição do Festival de Almada: A reunificação das duas Coreias, a 7 e 8 de Julho, e Actriz, a 15 e 16 de Julho.

A reunificação das duas Coreias é uma criação da companhia croata Gavella Drama Theatre, que lança um novo olhar sobre este texto de Joël Pommerat, acerca das relações entre os dois sexos e as diferentes dimensões da vida amorosa e familiar. Num extremo, a solidão absoluta; no outro, a paixão desenfreada.

Actriz, com texto e encenação de Pascal Rambert, é representado por atores e atrizes dos quatro cantos do mundo. Uma peça sobre as últimas horas de Eugenia, uma grande atriz que espera a visita da morte numa cama de hospital. Uma reflexão sobre a arte, a existência e as contradições que atravessam as relações humanas.

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Morrer com Dignidade: A Decisão de Cada Um


Já está nos escaparates através da editora Contraponto uma obra intitulada Morrer com Dignidade: A Decisão de Cada Um, da autoria do movimento cívico Direito a Morrer com Dignidade e organizada pelo médico e político João Semedo. O livro, que conta com testemunhos de personalidades de vários quadrantes, vai ser apresentado no dia 5 de Julho, pelas 18h30, na Livraria Bertrand do Shopping Cidade do Porto.

Casino Estoril recebe Daniela Mercury a 6 de Julho


Referência da música popular brasileira, Daniela Mercury regressa, no próximo dia 6 de Julho, às 22 horas, ao Salão Preto e Prata do Casino Estoril. Num concerto intimista, a cantora baiana, de São Salvador, sobe ao palco, acompanhada de um violão, para revisitar todos os êxitos da sua carreira.

Consegue imaginar um furacão dentro de um teatro? Uma artista famosa pela dança e pela energia, que já se apresentou em centenas de palcos pelo mundo, sempre para multidões, vai apresentar-nos um espectáculo de voz e violão.

O Axé, a Voz e o Violão vem para dar ainda mais seriedade e importância ao género que mudou para sempre os paradigmas da música popular brasileira, e traz o que há de mais belo na música baiana. Daniela passeia por clássicos da MPB, que ganham uma nova versão na voz marcante e única da Rainha do Axé.

Daniela escolheu o violão de Alexandre Vargas, um músico que, além de fazer parte da história do género, é também mestre em Educação Musical pela Universidade Federal da Bahia. É ele quem a acompanha nessa aventura tão desafiadora, fazendo com que as grandes canções sejam compreendidas pelo público. Daniela está a trazer um novo olhar para o género. 

Ela tira a roupa do Axé, que aparece sem percussão, sem a guitarra elétrica e sem o baixo e o resultado é espectacular e surpreendente. A magia se faz e o público escuta-a com outros “ouvidos”. A ideologia que ela carregou mundo fora durante as últimas duas décadas ganhou outra roupagem e sem nenhuma monotonia. O clamor pelo respeito à ancestralidade africana.

“O Axé, A Voz e O Violão” é uma obra que dialoga com a actualidade, que resgata o passado, vislumbra o futuro, e alegra os nossos corações, trazendo o que verdadeiramente importa: a emoção.

Após ter protagonizado, de 2017, um memorável concerto que esgotou o Salão Preto e Prata, Daniela Mercury regressa ao Casino Estoril com um novo espectáculo que promete conquistar, uma vez mais, o público.

Hotel Rural Quinta do Marco com acessibilidades para mobilidade reduzida


O Hotel Rural Quinta do Marco, que reabriu este ano renovado, está totalmente adaptado para facilitar a deslocação de clientes com necessidades especiais. Desta forma e para garantir o melhor conforto a quem tem mobilidade reduzida, o hotel implementou um conjunto de novas acessibilidades em todos os seus espaços.

Este projeto de adaptação foi realizado com o apoio do programa Valorizar, do Turismo de Portugal, na vertente da Linha de Apoio ao Turismo Acessível, num investimento global de cerca de 90 mil euros. 

Neste âmbito, foram realizadas obras de melhoria de centenas de metros quadrados, com aplicação de pavimento betuminoso permeável, de cor terra escuro, em volta de todo o hotel, permitindo o acesso a cadeiras de rodas e carrinhos de bebés a todos os quartos e espaços públicos: receção, restaurante, bar, piscina, spa e parque de estacionamento.

O Hotel Rural Quinta do Marco instalou igualmente um percurso tátil direcional e pavimentos de alerta ao longo de todo o espaço, com guias de deslocação e placas de sinalética em braille com indicações para os clientes invisuais. Nos quartos, foram ainda colocadas placas indicativas e direcionais com o respetivo número do alojamento.

Também a acessibilidade digital foi melhorada. O website do Hotel Rural Quinta do Marco foi adaptado, pela empresa Dengun, para ser utilizado por invisuais.

O Hotel Rural Quinta do Marco, em Tavira, com um design contemporâneo, tem quartos duplos, triplos ou familiares, wi-fi gratuito e estacionamento incluído. Inserido no meio de um jardim mediterrânico, integra uma horta biológica, que abastece o restaurante panorâmico, com mais de 120 lugares. Este estende-se numa agradável esplanada com vista sobre a serra e costa Algarvia.

Nova coleção Sumol Paez Fruit of Choice


Depois do sucesso da primeira edição, Sumol e Paez voltam a juntar-se para lançar a coleção de edição limitada “ Fruit of Choice by Sumol”. Com o mote “Mando Fruta” (frase tipicamente argentina, país de origem da Paez, que significa atitude e exagero), foi criada uma coleção irreverente cheia de atitude inspirada em elementos icónicos da América latina e os sabores de Sumol.

Tal como refere a frase “Mando Fruta”, esta coleção pretende surpreender com peças irreverentes como é o caso dos blusões de ganga vintage personalizados e pintados à mão pela artista portuguesa Wild Gipsy, e com os bikinis, fatos de banho e jardineiras com design da Juliana Cerdeira. Outra novidade é os Paez para os mais pequenos a combinar com mais velhos e os padrões desenhados em aguarela pela designer Joana Monteiro, inspirados nos quatro sabores de Sumol, maracujá, ananás, laranja e maçã com um twist Latino com a presença de catos, flamingos e flores.

Bruno Oliveira, Brand Manager Sumol, “Com o sucesso do primeiro ano, quisemos agora ser mais irreverentes e surpreendentes misturando as origens da Paez com os sabores de Sumol, juntando assim o ADN de diversidade e atitude presente nas duas marcas. Para esta coleção, também procuramos manter a qualidade, optando por criação e produção nacional.”

“Após 8 anos em Portugal, a Paez dá um salto e junta-se à nova marca portuguesa Degrau, que abraça e acolhe novas marcas, onde pretendemos surpreender no design, qualidade, originalidade e na sustentabilidade. Na Degrau emerge a coragem de se fazer diferente, e foi por isso que quisemos renovar e inovar esta parceria com a Sumol; uma colaboração que para além de emergente, cria um conceito inovador onde duas marcas, completamente distintas mas com um ADN congênere, se juntam para criar peças novas, um conceito emergente e um lifestyle muito próprio.” explica Ricardo Ortigão Ramos , CEO Degrau & Partner Paez Portugal.



Estreias de cinema de 28 de Junho de 2018


Esta semana dentre as várias estreias de cinema nas salas nacionais o "Cultura e não Só" destaca as seguintes:



The Incredibles 2: Os Super-Heróis

Catorze anos depois da primeira aventura, assistimos ao regresso da família Pêra. Na sequela de "The Incredibles", é a mãe, Helena, também conhecida como Mulher-Elástica, quem assume o protagonismo, enquanto o pai fica em casa. Depois de, no filme anterior, terem falhado em dar conta do assalto ao Banco de Metroville, a polícia decide fechar o programa de realocação de super-heróis. Eles são obrigados a viver permanentemente numa identidade secreta e, no caso da família Pêra, vão ter de mudar-se para um motel. Até que, um dia, o director de uma companhia de telecomunicações decide convocar super-heróis para uma publicidade, para lhes devolver a credibilidade junto da população. Entretanto, Mulher-Elástica é chamada para uma missão contra um novo vilão que invade ecrãs para controlar os espectadores. Quando, finalmente, consegue vencê-lo, percebe que há alguém por detrás dele que quer tornar ilegal o estatuto de super-heróis. Felizmente, tem a ajuda de Roberto "Sr. Incrível" Pêra para combater os vilões e desmontar essa conspiração. E ao seu lado vão estar os seus filhos – Violeta, Flecha e o bebé Jack, que agora descobre que tem superpoderes –, além do amigo Gelado.
Regresso à animação de Brad Bird (que dirigiu o primeiro "The Incredibles" e co-realizou "Ratatui"), depois de "Missão Impossível: Operação Fantasma" e "Tomorrowland - Terra do Amanhã".



Sicario: Guerra de Cartéis

Os cartéis da droga mexicanos começaram a traficar terroristas para os Estados Unidos. Nesta sequela de "Sicario: Infiltrado", o agente da CIA Matt Graver volta a juntar-se ao misterioso ex-advogado Alejandro Gillick para uma missão que acaba por ter contornos mais complexos e violentos do que se esperaria. Especialmente quando Isabela Reyes, a filha de um barão da droga, é raptada numa manobra que tem como finalidade desencadear a guerra entre os vários cartéis.
Terrorismo e emigração ilegal, na fronteira entre os Estados Unidos e o México, são os temas deste "thriller" onde todos se tornam peões em jogos que são, acima de tudo, políticos.
Realizado por Stefano Sollima, "Sicario: Guerra de Cartéis" conta, novamente, com Benicio del Toro como Alejandro Gillick e Josh Brolin como Matt Graver, e ainda com Isabela Moner, Jeffrey Donovan, Manuel Garcia-Rulfo e Catherine Keener, entre outros.



Tal Mãe, Tal Filha

Avril trabalha numa companhia especializada em perfumes para casa-de-banho e teria uma vida estável e organizada, não fossem os seus companheiros de casa. Vive com o namorado, Louis, ainda estudante e a escrever uma tese, e com Mado, a mãe, que em tempos foi dançarina mas actualmente está desempregada. Desde o divórcio que Mado vive em casa do casal, depende financeiramente da filha e se comporta como uma adolescente. Forçada a agir como se fosse a mãe desses dois adultos, em breve Avril vai ser realmente mãe de uma criança. Mas Mado também! Tudo piora, quando esta tem uma crise porque vai ser, simultaneamente, mãe e avó.
Uma comédia francesa realizada por Noémie Saglio, com Juliette Binoche no papel de Mado, Camille Cottin como Avril e Lambert Wilson como Marc.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Os Anos Trump - O Mundo em Transe


A imagem das famílias separadas ao tentar entrar nos Estados Unidos e das crianças fechadas em gaiolas sem poderem ver os pais são o exemplo mais espectacular da crueldade de Donald Trump e do seu mandato marcado pelo ódio e desrespeito pelos direitos humanos. Trump corrompeu a sociedade norte-americana e legitimou práticas de racismo e prepotência que se pensava estarem ultrapassadas e o efeito das suas medidas tem ultrapassado fronteiras ajudando os movimentos xenófobos que se vão afirmando pela Europa.

É, por isso, necessário debater o fenómeno e o que está por detrás e lutar por uma sociedade mais equilibrada que dê continuidade ao legado político. Segundo Eduardo Paz Ferreira a segunda década do século XXI tem sido seriamente marcada por uma sucessão de acontecimentos que questionam valores que norteavam a civilização e que, embora fossem, de quando em quando, postos em causa, nunca o foram com a fúria e violência actuais.

O apagamento do papel do Estado, a afirmação de uma globalização sem regras nem valores outros que não os financeiros, bem como a instalação de redes de influência económica que comandam a política abriram o caminho para uma crise social sem precedentes. Nesse contexto, a eleição de Donald Trump para presidente dos Estados Unidos configura-se como um dos acontecimentos mais nefastos que o mundo conheceu nos últimos anos e não é possível ficar indiferente a esse facto ou olhar apenas para os sucessivos episódios caricatos e indignos, a que vamos assistindo como quem olha para uma sucessão de sketches de mau gosto.

A presidência Trump está a ter consequências de enorme gravidade no seu país, mas estas consequências far-se-ão sentir de um modo muito mais alargado, atingindo-nos a todos e podendo conduzir a uma ruptura civilizacional. Sucedem-se, quotidianamente e a um ritmo alucinante, acontecimentos terríveis que colocam o mundo em transe e exigem resposta.

O novo livro do advogado Eduardo Pais Ferreira é, pois, um livro de indignação e zanga e um livro de resposta. Tendo a mente que possa ser diminuta a sua capacidade de intervenção, considera também que a acomodação pode ser perigosa. Os Anos Trump – O Mundo em Transe é, neste sentido, uma obra que recusa a indiferença e o comodismo e que visa alertar para os perigos com que vivemos, explorar as razões porque lá chegámos procurando identificar caminhos de redenção.
Procura, sobretudo, combater a indiferença perante a acumulação de sinais do mal ou a tendência para pensar que se trata apenas de um período mais da história da América, que será corrigido nas próximas eleições.
Para o autor o problema Trump está muito longe de ser apenas uma questão americana. É necessário encará-lo como uma ameaça que também paira sobre todos nós.

Sobre o Autor

Há cinquenta anos, juntou-se à Oposição Democrática nos Açores e contestou a Mocidade Portuguesa, o que lhe saiu caro. Na Universidade, esmagado entre os defensores da lei, da ordem e dos «gorilas» e os radicais de esquerda, não hesitou em ficar ao lado dos que queriam o fim da ditadura. Com um pequeníssimo grupo de amigos, esteve na génese do PS. Firmada a democracia e, apesar de convicto da importância dos partidos, não lhe apeteceu filiar-se e iniciou um percurso livre, sempre na área do socialismo democrático.

Lutou em momentos fundamentais, como a defesa da liberdade de imprensa – era então jornalista da República de Raul Rêgo. Esteve ao lado de Ramalho Eanes nas duas presidenciais e na campanha do PRD. Com Francisco Salgado Zenha conheceu o amargo sabor da derrota, minimizado pela vitória de Mário Soares na segunda volta. Licenciado, mestre e doutor em Direito, é professor catedrático da FDUL e presidente dos Institutos de Direito Económico Financeiro e Fiscal e de Direito Europeu da Faculdade. Lecciona há quarenta anos Finanças Públicas e Direito Europeu, sem perder a esperança de ajudar à formação de bons juristas e cidadãos conscientes. Inquieta-se, com frequência, com o presente e o futuro do país, da Europa e do Mundo e organiza movimentos de opinião e conferências. Quando o deixam, vai à televisão falar destas coisas.

De entre os muitos livros que escreveu e organizou, recordam-se os mais recentes: Da Europa de Schuman à Não Europa de Merkel (2014), Encostados à Parede (2015) e Por uma Sociedade Decente (2016).

MOCHE Ring


A cada edição o palco que conta com o nome MOCHE reinventa e acompanha as novas tendências no que toca à música, aos ritmos, aos rituais antes de voltar a casa… ou seja, à tenda! Este é o palco das noites temáticas, dos momentos que prometem ficar na memória de todos. E como no MEO Sudoeste nada é deixado ao acaso, também o cenário é pensado ao pormenor para criar o ambiente perfeito. Querem uma pista? Talvez tenham. Uma pista de dança, um ring de battles, uma cabine com power DJ after hours, pela noite dentro. O MOCHE Ring é isto até ao último beat.

No dia 8 de Agosto, a noite no MOCHE Ring tem o título de “EDM to the Fullest” e promete aquecer a pista de dança com Tony Junior, Sick Individuals, Mightyfools e Putzgrilla.

Tony Junior é um dos artistas do momento na Holanda, um DJ de sucesso e também uma estrela da televisão holandesa, com uma fama que chega, cada vez mais, a todo o mundo. E quando falamos de performances ao vivo capazes de arrebatar até o público mais imperturbável, Tony Junior está na linha da frente. Começou no rock, por influência familiar, mas mudou-se para o house com o sucesso que se tem visto. Em 2010, editou o primeiro single, "Loesje", em colaboração com Nicolas Nox, alcançando um enorme sucesso no seu país. Pouco depois já contava com o apoio de nomes como Martin Garrix, Hardwell, Nicky Romero ou Showtek. Em 2015, em colaboração com Tiësto, edita aquele que é dos seus maiores sucessos até agora: “Get Down”, chegando a mais de 7 milhões de visualizações do YouTube e milhares de streams no Spotify. Desde aí, Tony Junior não tem parado de surpreender e deixa o público aos seus pés sempre que se apresenta nos vários palcos ao redor do mundo. A sua imagem carismática, juntamente com os hits que traz na bagagem, fazem com que cada apresentação de Tony Junior seja mesmo imperdível. E umas das próximas apresentações vai ser no MEO Sudoeste, na noite “EDM to the Fullest” do MOCHE Ring.

Sick Individuals são dois dos mais promissores talentos da música de dança em todo o mundo. O duo é constituído por Rinze "Ray" Hofstee e Joep "Jim" Smeele. Conheceram-se em Hilversum, na Holanda, quando estudavam composição musical. Começaram por compor para anúncios televisivos, mas o interesse pela música clássica e pela música moderna acabaram por fazer crescer a ambição artística destes dois jovens, o que viria a resultar no projecto Sick Individuals. No início foram muito influenciados por projetos como Daft Punk, Bingo Players ou os swedish House Mafia. E logo ficaram conhecidos graças aos remixes de temas de Rihanna, Avicii, Icona Pop, Tiesto, Flo Rida ou David Guettra. O remix do tema “I Love it”, de Icona Pop, recebeu a atenção e o reconhecimento mais do que merecido por parte da indústria da música de dança. Já passaram por alguns dos maiores festivais do mundo, como Tomorrowland, Ultra, Sensation, Mysteryland, ou Electric Zoo, e em todos estes sítios os Sick Individuals deixaram um público rendido à sua arte. Próxima paragem: o MOCHE Ring do MEO Sudoeste.

Jelle Keizer e Andy Samin conheceram-se em 2007 e logo perceberam que o trabalho em equipa faz o sonho transformar-se em realidade. Os remixes de artistas como Britney Spears, Fall Out Boy, Benny Benassi ou Pitbull fizeram com que os Mightyfools ganhassem algum reconhecimento e cedo chegaram os convites para atuarem um pouco por todo o mundo. Ao reconhecimento do público, juntou-se o reconhecimento de artistas como Hardwell, David Guetta, Afrojack, Calvin Harris, entre muitos outros. “Footrocker” foi um dos grandes temas do ano de 2013 e marcou uma nova fase na carreira dos Mightyfools, mais empenhada artisticamente e com um sucesso comercial cada vez maior, como provam as produções "Put Em Up" e "Go", também lançadas em 2013. Mas os sucessos não se ficaram por aí. Temas como “Garuda", "No Class" ou "Gangsta" alcançaram milhões de escutas e visualizações e ainda hoje fazem ferver qualquer pista de dança. Entretanto, e mais de dez anos depois do início, os Mightyfools continuam a construir uma marca global, a desafiar os seus próprios limites e a provar que o trabalho em equipa continua a valer a pena. E esse espírito vai fazer-se sentir já na próxima edição do MEO Sudoeste, no MOCHE Ring.

Os Putzgrilla entraram na arena musical portuguesa com o seu estilo único, extremamente enérgico e até provocativo revelado em “Bunda”, um single de 2014. Rizzo, Rui, Miguel e, na altura, Pitty invadiram os palcos e garantiam que ninguém mantinha os pés no chão com hits como “Sentadinha”, lançado em Setembro de 2015, ou “Squeeze Me” e “Pégate”, lançados em Dezembro do mesmo ano. Estes foram temas que não deixaram ninguém indiferente e isso valeu-lhes presenças garantidas em eventos académicos e outras festas, como a Semana Académica de Lisboa e de Faro, o Arraial do Técnico, Azurara Beach Party, Latada de Coimbra, entre outros eventos. Agora com Carla Maximum como performer do grupo, o projeto continua a crescer graças aos inúmeros êxitos com o especial condão de se tornarem virais, e às atuações inesquecíveis marcadas por uma energia contagiante – é isso que se espera já no próximo MEO Sudoeste, para dar o arranque da noite de 8 de Agosto, no MOCHE Ring.

Harry Potter com a Orquestra Filarmonia das Beiras


O público vai viver uma nova experiência com o próximo capítulo dos Filmes-concerto da saga Harry Potter com a Orquestra Filarmonia das Beiras e um coro de 48 elementos (num total de 145 musicos em palco) a interpretar ao vivo a música do filme composta por John Williams.

Os filmes-concerto da saga Harry Potter regressam à Altice Arena com o concerto “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban”, o terceiro filme da série. No dia 9 de Fevereiro de 2019, a Orquestra Filarmonia das Beiras vai interpretar ao vivo da banda sonora mágica de “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban” enquanto o filme é projetado simultaneamente, na íntegra, num ecrã de 20m de largura por 8m de altura, em alta definição.

A CineConcerts e a Warner Bros. Consumer Products anunciaram em 2016 a saga de filmes-concerto Harry Potter, uma nova digressão global de concertos, em celebração dos filmes da saga. Desde a estreia mundial de “Harry Potter e a Pedra Filosofal” em concerto em 2016, mais de meio milhão de fãs viveram esta experiência mágica do mundo fantástico de J.K. Rowling, que deverá incluir mais de 600 concertos em mais de 38 países em 2018.

No terceiro ano em Hogwarts, Harry, Ron e Hermione conhecem o prisioneiro fugitivo Sirius Black e aprendem a lidar com um Hipogrifo meio cavalo / meio-águia, a repelir os Boggarts que mudam a forma e a dominar a arte da Adivinhação. Harry tem de aprender também suportar Dementors que sugam almas, a superar um homem-lobo perigoso e a lidar com a verdade sobre Sirius e a sua relação com Harry e os seus pais.

Nomeada para um Oscar®, a banda sonora fascinante e magistral composta por John Williams tornou-se um clássico célebre, evocando motivos bonitos e variados, continuando as aventuras de Harry Potter e dos seus amigos nesta mágica aventura.

Justin Freer, presidente da CineConcerts e produtor/ maestro da Harry Potter Film Concert Series explica: "A série de filmes de Harry Potter é um fenómeno cultural que surge uma vez na vida e que continua a encantar milhões de fãs em todo o mundo. É com grande prazer que proporcionamos aos fãs a oportunidade de ouvir pela primeira vez ao vivo a banda sonora premiada, interpretada por uma orquestra sinfónica, enquanto o filme é projetado simultaneamente no grande ecrã. Este é realmente um evento inesquecível ".

Brady Beaubien, da CineConcerts e Concert Producer da Harry Potter Film Concert Series, acrescenta: "Harry Potter é sinónimo de emoção em todo o mundo e esperamos que, ao proporcionar a interpretação desta música incrível com o filme completo, o público continue a gostar de voltar ao Mundo Mágico".

Orquestra Filarmonia das Beiras
A Orquestra Filarmonia das Beiras foi fundada em 1997 como um movimento artístico independente e continua até hoje com o mesmo espírito. É uma das principais orquestras em Portugal e tem tocado com os mais importantes artistas da música portuguesa, de estilos que passam pelo fado, pop, música clássica e eletrónica.

CineConcerts
A CineConcerts é uma das principais produtoras de eventos de música ao vivo, acompanhada por uma componente multimédia. Fundada pelo produtor/maestro Justin Freer e pelo produtor/escritor Brady Beaubien, a CineConcerts já mobilizou milhões de pessoas em todo o mundo, em concertos que têm vindo a redefinir a evolução dos espetáculos ao vivo. Algumas das mais recentes experiências de música ao vivo realizadas incluem espetáculos como Gladiador, O Padrinho, Do Céu Caiu Uma Estrela, DreamWorks Animation In Concert, Digressão de Concerto do 50º aniversário do Star Trek: O Caminho das Estrelas - A Última Viagem, e Breakfast at Tiffany’s.

Justin Freer tornou-se rapidamente num dos mais requisitados maestros de bandas sonoras, acumulando já uma longa lista de projetos sinfónicos ao vivo com projeção de imagem. Tem colaborado com algumas das mais importantes orquestras do mundo, tais como a Chicago Symphony Orchestra, a London Philharmonic Orchestra, a New York Philharmonic, a Philadelphia Orchestra, a Philharmonia Orchestra, a San Francisco Symphony e a Sydney Symphony Orchestra. Desde projeções de filmes com orquestra ao vivo, até eventos de música interativos, passando por programações especiais em ambiente 3D, a CineConcerts está na vanguarda do entretenimento ao vivo.

Casino Estoril estreia musical Peter Pan a 3 de Julho


O Casino Estoril estreia, no próximo dia 3 de Julho, às 19 horas, “Peter Pan - O Musical”, uma produção e encenação do Alma Studio. Trata-se de um curto ciclo de representações que se renova nos dias 4, 7 e 8, no Salão Preto e Prata.

Depois do êxito do último musical, Mary Poppins, “Peter Pan - O Musical” vem recheado de surpresas. Para além de contar no elenco com a experiente bailarina e artista completa Vera Alves, no papel de Peter Pan, e o encantador e promissor jovem ator António Cabral nos papéis de Captain Hook e Mr. Darling, todas as personagens são surpreendentes. Terá a participação de grupos de dança e de música muito especiais. Um palco repleto de história, música e dança, com crianças perdidas que se confundem com animais, lutam com índios e fogem de piratas.

A contagem do tempo é algo que nos faz pensar, tal como se devemos ou não crescer. E esta viagem à Terra do Nunca é um momento em que tempo e idade são pormenores de menor importância!


Um rapaz que não queria crescer e que, ao acreditar em fadas, consegue voar. Numa noite especialmente iluminada, entra pela janela da casa da Família Darling, para levar Wendy e os irmãos para a Terra do Nunca.

É com a curiosidade de Wendy, a ousadia de Peter Pan e a imaginação de cada um de nós, que embarcamos nesta aventura!

Já não precisa de esperar pelo dia 6 para ver Barack Obama no Porto


É no dia 6 de Julho (sexta-feira) que o ex-presidente dos Estados Unidos da América vai estar em Portugal, para ser orador no Climate Change Leadership Porto Summit. No entanto, não precisa de esperar pela data para conseguir o aclamado encontro com Barack Obama. Isto porque o Sea Life Porto vai surpreender os portuenses – e todos os que passem pela Invicta durante estes dias – com a figura de cera do ex-presidente norte-americano, vinda diretamente do Madame Tussauds™.

O aquário do norte do país embarca nesta aventura porque, à semelhança de Barack Obama, assume como uma das principais missões a conservação dos oceanos. Segundo Rui Ferreira, diretor-geral do Sea Life  Porto, “esta iniciativa faz todo o sentido uma vez que nos permite abraçar uma causa sobre a qual falamos desde o momento em que abrimos as portas ao público. De uma forma divertida e original, conseguimos atrair as atenções dos portugueses, tanto miúdos como graúdos, para um tema urgente. E desta forma alertamos e damos a conhecer mais sobre o tema, porque as pessoas precisam de compreender melhor as consequências da poluição e das alterações climáticas a médio e longo prazo. Necessitam também de ter consciência de que com pequenas mudanças no dia-a-dia podem fazer a diferença”.

Para celebrar a visita do líder histórico à Invicta, poderá conhecer o político hoje e amanhã no Palácio da Bolsa. A figura de cera estará num dos mais aclamados monumentos nacionais ao longo destes dois dias, pronto para uma imponente e inesquecível fotografia.

Depois viaja até ao Sea Life Porto, onde dá o mote para duas semanas educativas, dedicadas à proteção e conservação dos oceanos. De 1 a 15 de Julho acontecem as “Semanas da Sustentabilidade e Conservação”, com um calendário repleto de atividades didáticas e que procuram alertar a sociedade sobre os problemas ambientais que o nosso planeta, nomeadamente os oceanos, enfrentam.

Eugénia Barroca, embaixadora do Sea Life Porto para a juventude, que participou, este ano, no World Ocean Summit (México) é uma das oradoras, assim como o Professor Doutor Luís Vieira, investigador do CIIMAR, que no dia 7 de junho, às 15h30, apresenta “Lixo Marinho e Microplásticos: um problema emergente”.

Durante os quinze dias há ainda espaço para várias experiências, como o Vortex, que explica a formação das ilhas de lixo nos oceanos, os jogos de reciclagem, que acontecem todas as manhãs pelas 11h30 (exceto quando se realizam as palestras dos convidados), e a transmissão de vídeos sobre a reconstrução de recifes de coral e as correntes de lixo nas Maldivas, que procuram sensibilizar sobre um problema que está menos distante do que parece. As atividades serão sempre bem acompanhadas, pois claro, com a figura de cera de Barack Obama.

terça-feira, 26 de junho de 2018

Noite de Grande Concerto no Casino Estoril com Virgul a 28 de Junho



Em noite de Grande Concerto, o Casino Estoril recebe Virgul, a 28 de Junho, a partir das 23 horas. Com um espaço próprio no panorama da música nacional, Virgul sobe ao palco do Lounge D para interpretar os seus principais êxitos. A entrada é gratuita. 

Virgul estreou, recentemente, o seu primeiro single, a solo, intitulado “I Need This Girl” que resume o essencial sobre o primeiro trabalho em nome próprio e revela o que se segue. 

Uma sonoridade House, Pop, Tropical, que faz o público viajar entre a Jamaica e o Algarve, do Caribe a Miami ou do Hawai ao Rio de Janeiro com paragens obrigatórias por Porto Rico, Luanda ou Haiti.

Virgul tem esta necessidade artística, uma mescla de influências, de estilos e de sons que se congregam harmoniosamente num estilo único e tão próprio que o caracteriza. O caminho foi longo até se encontrar, mas valeu a espera. 

A sua identidade artística exprime-se em canções que apelam à dança, à boa disposição, à alegria, ao amor, que celebram a amizade, a música, paz de espírito, a liberdade e que revelam o seu íntimo.   

O programa do ciclo de “Grandes Concertos do Casino Estoril” é o seguinte:
- 28 de Junho: Virgul

- 05 de Julho: Miguel Gameiro
- 12 de Julho: Carminho
- 19 de Julho: D.A.M.A
- 26 de Julho: Aurea

- 02 de Agosto: The Black Mamba
- 09 de Agosto: Rui Veloso

Com múltiplos polos de interesse, este ciclo de concertos promete agitar as noites de Verão no Lounge D, reforçando a qualidade da oferta cultural e de entretenimento do Casino Estoril. 

Noites de Novo Circo no Casino Lisboa com Jocka e Rita


Os espectáculos de Novo Circo no Arena Lounge constituem uma das apostas da animação cultural do Casino Lisboa. O duo Jocka e Rita protagoniza, na próxima Sexta-Feira e Sábado, 29 e 30 de Junho, um original número em Straps. A entrada é livre.

Dois caminhos que se fundem no solo e no ar. Unidos por desígnios artísticos, Jocka e Rita transportam-nos para o seu universo conjunto, onde buscam  a inalcançável perfeição do movimento, na simbiose dos opostos. 

O crepúsculo e a aurora, a força e a flexibilidade, a alquimia da arte, unificando dois trajectos, dois seres, num palco, num só espectáculo.




Coreografia comovente e explosiva sobre África no Teatro Viriato


Inspirado em Fela Kuti, compositor, saxofonista, ativista político, inventor do Afrobeat, opositor aos governos repressores em África e criador de uma comuna revolucionária, Kalakuta Republik é um espectáculo de Serge Aimé Coulibaly que funde música, dança e a revolução africana, e que sobe ao palco do Teatro Viriato no dia 7 de Julho.                   

Apesar de se inspirar em Fela Kuti, este espetáculo não é uma biografia, mas sim uma coreografia comovente de como a arte interfere com a política. Kalakuta Republik é um estudo coreográfico emocionante de como o envolvimento artístico pode interferir a nível político.

Seis bailarinos em palco imóveis. Quando um sétimo se junta ao grupo, tem início uma explosão enérgica e uma marcha imparável, uma espécie de metáfora furiosa que revela uma intensa vontade de viver. O palco começa assim a parecer-se com o Shrine, espaço mítico e mágico, meio templo, meio discoteca, onde o nigeriano Fela Kuti costumava cantar a sua esperança e a sua revolta, depois de rezar com a sua audiência.

Kalakuta Republik é um pedaço de África sem clichés, um espectáculo imperdível.

O Teatro Viriato é uma estrutura cultural de programação e produção de artes do palco, sediado em Viseu, gerida pelo Centro de Artes do Espetáculo de Viseu, Associação Cultural e Pedagógica (estrutura financiado pela DGArtes e Município de Viseu).  A programação regular inclui, música, teatro, dança, novo circo, atividades pedagógicas e residências artísticas. É também, desde 1999, o espaço de residência permanente da Companhia Paulo Ribeiro. 

Los Manitos - Uma nova dupla de hip-hop


A Dominant artists, produtora do consagrado Dj e produtor internacional, Mastiksoul, apresenta Los Manitos, uma nova dupla de hip-hop formada por Fábio e Kiari Flores, filhos do conceituado músico Angolano Paulo Flores, que em menos de um mês, com o seu video de estreia, arrecadaram mais de um milhão de visualizações no youtube.

Los Manitos lançam agora o seu segundo single, "La, la, la" um tema de superação e afirmação da dupla, que vem provar que podem ter herdado o talento inconfundível do seu pai para a música mas tem todas as condições para se afirmar em nome próprio na cena de hip-hop comercial actual.

Embora com percursos diferentes, Kiari nascido em 2002, com apenas cinco anos tem a sua primeira experiência em palco tocando congas ao lado do seu pai, para um publico de 30 mil pessoas no estádio dos coqueiros em Luanda. Até aos dias de hoje ainda acompanha o seu pai nos seus concertos.
Já Fábio, nascido em 1992, encontra a sua paixão pela música no beatbox e grava a sua primeira mixtape com 16 anos.

Em 2018, os irmãos decidem juntar-se em nome da paixão comum pelo hip-hop, e unem esforços para criar o projecto Los Manitos. 

O primeiro single da dupla, “Acontece”, saiu a 20 de Abril e em 3 semanas atingiu a marca de 1 milhão de views no youtube. No vídeo podemos vislumbrar imagens da sua primeira actuação ao vivo, para um público de 10.000 mil pessoas, em Punta Umbria, em Espanha. A química com o público foi imediata e foi em palco que ficou a promessa de um novo single, que agora lançam produzido pelo amigo e mentor, Mastiksoul.

Num estilo de hip-hop mais comercial, Los Manitos prometem ser a mais recente revelação no panorama musical e dar muito que falar.


Casino Lisboa presta homenagem a José Carlos Ary dos Santos


O Casino Lisboa prossegue hoje pelas às 21h30, o ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino”. Trata-se da 3ª edição que presta, desta vez, homenagem a José Carlos Ary dos Santos. Agendada para o restaurante Beltejo, no 3º piso, esta iniciativa de âmbito cultural resulta de uma parceria do Casino Lisboa com a Associação de Moradores e Comerciantes do Parque da Nações - AMCPN.

O Casino Lisboa acolhe, assim, mais uma oportuna iniciativa de índole cultural. Num programa diversificado, estará em evidência um grupo de jograis que interpretará poemas e canções de José Carlos Ary dos Santos. A animação musical será assegurada por Ricardo Fonseca na viola campaniça, Hélder Charneira na viola clássica e João Sabbo na flauta transversal. Estarão, também, em destaque outras manifestações culturais: pintura ao vivo com o Mestre Carlos Santos Marques e exposição de imagens e vídeo de José Boldt.

Em noite de “Tertúlias Poéticas do Casino”, o público poderá ler os poemas, partilhá-los com os presentes e conhecer, ainda, os autores, poetas, músicos, pintores e fotógrafos.

O ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino” é uma organização da AMCPN que se realiza no restaurante Beltejo do Casino Lisboa, até ao próximo mês de Novembro. Visa criar um espaço de convívio na Freguesia do Parque das Nações, onde a cultura partilhada é o seu pilar central.

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Belém Art Fest


O Belém Art Fest, o Festival dos Museus à Noite, vai tomar de assalto os mais emblemáticos espaços da cidade nos dias 27 e 28 de Julho. Marcelo Camelo, Dengue Dengue Dengue e Conan Osiris são as primeiras confirmações para a 7.ª edição, que ao longo de dois dias vai unir a música, a arte e o património, numa perfeita simbiose.

Marcelo Camelo atua no dia 27 de Julho no Belém Art Fest, no incrível Claustro do Mosteiro dos Jerónimos. O carioca apresenta-se a solo, num concerto com voz e viola, passados cinco anos da última vez que subiu a solo em palco, mais concretamente no Teatro Tivoli, em Lisboa, no mesmo formato intimista, que ele faz funcionar tão bem.

Um dos músicos mais respeitados da atualidade da música brasileira, Marcelo Camelo atua depois das aventuras com Banda do Mar, e produções de discos, como o caso de “Vem” (2018), o último de Mallu Magalhães. Acompanhado de voz e viola, o autor de obras como “Nos/Sou” (2008) e “Toque Dela” (2011) recupera um repertório icónico, que passa não só pela sua carreira a solo, como também por composições icónicos dos Los Hermanos e até por temas conhecidos via Banda do Mar.

Foi precisamente em 2013 que apresentou o documentário “Mormaço” num ano que se regista a última apresentação a solo. A presença do compositor carioca no alinhamento do Belém Art Fest constitui um dos motivos mais inéditos e que suscita maior curiosidade no regresso a palco de Marcelo Camelo.

Ainda no dia 27, mas no Palco do Museu Berardo atuam Dengue Dengue Dengue. A dupla peruana de Tropical Bass, composta por Filipe Salmon e Rafael Pereira vai trazer diretamente de Lima as suas experiências sonoras mergulhadas na Cumbia Digital, um projeto sempre em constante evolução, que explora ritmos e sons do mundo. Não é fácil atribuir um género específico ao duo, mas certo é que graças ao espetáculo visual que trazem e às muitas sonoridades envolvidas, o resultado só se pode traduzir em festa.

Dia 28 de Julho (sábado) é a vez de Conan Osiris se apresentar no Palco do Museu Berardo. Tiago Miranda, nome de berço do compositor e produtor, lançou recentemente o primeiro álbum de originais “Adoro Bolos”, um disco que recebeu fortes aplausos da crítica especializada e que agora será presenciado ao vivo com um concerto no Festival dos Museus à Noite. Uma experiência que promete ser memorável.

Belém, o mais importante eixo cultural da cidade, vai receber durante dois dias um cartaz de luxo com concertos únicos no Claustro do Mosteiro dos Jerónimos, Museu Coleção Berardo, Museu Nacional de Arqueologia, Picadeiro do Museu dos Coches e ainda no Jardim da Praça do Império. Junta-se a esta programação exposições, visitas guiadas noturnas, street food e artesanato.

Esta iniciativa é uma produção da Amazing Adventure em parceria com a Everything is New, Direção-Geral do Património Cultural, Museu Coleção Berardo, Câmara Municipal de Lisboa e Junta de Freguesia de Belém.

Postmodern Jukebox de regresso a Portugal


Depois de dois fabulosos concertos nos Coliseus em Março deste ano, os Postmodern Jukebox estão de regresso a Portugal com a nova digressão “Back in Black & White”. O coletivo atua no novo Forum Braga, dia 12 de Novembro.

Os espetáculos de Postmodern Jukebox trazem uma banda de talentosos músicos, com um elenco de cantores de luxo e muitas surpresas garantidas. Como qualquer fã poderá confirmar, um concerto de PMJ nunca é igual, cada experiência é única, com músicas novas e combinações imprevisíveis, que dão um toque singular a cada atuação.

O talentoso colectivo reinventa sucessos contemporâneos de pop, rock e R&B em estilos de vários anos, desde o Swing ao Doo-wop, do Ragtime ao Motown, ou como diria o seu criador, Scott Bradlee, “é música pop numa máquina do tempo”. O projeto, iniciado por Bradlee em 2009, conta hoje com mais de 950 milhões de visualizações no YouTube e 3.4 subscritores neste canal, tendo angariado mais de 1.7 milhões de gostos no Facebook. A banda atuou no “Good Morning America”, ficou nos tops do iTunes e da Billboard, captou a atenção da NPR Music e da NBC News e esgotou centenas de espetáculos por todo o mundo.

Para aqueles que só conhecem os PMJ dos vídeos que “distorcem” o tempo, o espetáculo ao vivo é uma experiência a um outro nível. É uma festa dos anos 20 que deixaria o Great Gatsby orgulhoso, misturado com uma noite agitada dos anos 60 com os Rat Pack, temperado com uma pequena alma de Motor City e alguns clássicos Rocking Sock Hop. Um concerto divertido, fresco e excitante, que promete deixar o público a dançar sem parar. 


Curadoria Orelha Negra no MEO Sudoeste


A Curadoria Orelha Negra está de regresso ao MEO Sudoeste. No dia 9 de Agosto, leva ao MOCHE Ring o bom gosto de uma das maiores referências da música nacional. Cálculo, DJ Kronic, Estraca, Harold & Nasty, Phoenix RDC, Mike El Nite e Suspect provam isso mesmo e são os nomes escolhidos para animar mais uma noite imperdível.

Cálculo é um nome obrigatório quando falamos de hip hop feito em Portugal. O rapper e produtor da editora FADED conta com mais de uma década de carreira na cena urbana nacional. Depois de deliciar os seus ouvintes com o seu primeiro álbum, “A Zul”, editado em 2015, volta agora em força com um novo trabalho em mãos, "Tour Quesa", um disco antecipado pelos singles “Salvar o Mundo”, "Saíste" e “Estrelas”. Aclamado como um dos produtores mais influentes a nível nacional, já produziu para artistas de renome, tais como GROGNation ou Mundo Segundo. O show de Cálculo é uma multiplicação de emoções fortes, que vão certamente sair a dobrar no MOCHE Ring, dia 9 de Agosto.

DJ Kronic é um dos nomes mais experientes do hip hop português. Os seus trabalhos enquanto produtor estão na história do hip hop nacional, graças à sua versatilidade e a um conhecimento que vai além do hip hop, passando por outros géneros musicais. Nasceu em Paris, fez-se homem em Portugal e estudou música em Nova Iorque - o resultado só poderia ser uma música capaz de abraçar o mundo. Esteve presente no boom do rap em Portugal e foi responsável por algumas mixtapes pioneiras em território nacional. “Projecto Inoxidável”, o grupo TWA e o supergrupo Madvision, com Sam The Kid, Tekilla, DJ Link e Kacetado, são algumas das marca de Kronic. Nos últimos anos, Kronic tem sido o DJ oficial de Regula e em 2016 editou “Rockaz”, um álbum de reggae e dub, a provar todo o ecletismo da sua música.

Nascido em 1997 no bairro da Musgueira, Estraca é a mais recente promessa do hip hop português e uma lufada de ar fresco no universo musical nacional. Estraca mostrou-se pela primeira vez com a mixtape “Ouve e Respeita”, reafirmando a sua presença logo depois com “Histórias”. Em 2016 aparece o seu primeiro trabalho em formato físico, “Compilação”, e em 2018 lançou o seu segundo álbum, um disco homónimo. “Estraca” conta com produções de Madkutz e Charlie Beats, e é um álbum cheio de consciência social, onde o jovem aborda temáticas e problemas tão presentes no quotidiano como o cancro, bairros sociais, desemprego, a corrupção e a política. É mais umas das escolhas da Curadoria Orelha Negra para o MOCHE Ring do MEO Sudoeste.

“Indiana Jones” e “Adrenalina” são os dois primeiros trabalhos de originais de Harold e Nastyfactor dos GROGNation. Depois do tremendo sucesso do coletivo, estes rapazes de Mem Martins não deixaram os seus créditos por mãos alheias e preparam agora, pela primeira vez, um concerto conjunto no MEO Sudoeste. Harold tem em “Indiana Jones” um dos melhores discos de hip hop de 2016. Com colaborações de nomes como Bispo, Mundo Segundo ou do seu “irmão” Papillon, este é um disco cheio de groove e melodias urbanas. O ano de 2018 trouxe a estreia de Nastyfactor com o EP “Adrenalina”. Rimas e mais rimas em sete faixas absolutamente surpreendentes, como podemos ver pelos singles “Prontos ou não” ou “Escáfia”. No dia 9 de Agosto, o MEO Sudoeste vai ver estes dois artistas em conjunto no MOCHE Ring.

“Não sofra mais, rebuçados peitorais Dr. Bayard” podia ser um anúncio moderno do tão conhecido rebuçado português, mas é o primeiro avanço do novo trabalho de Mike El Nite. Mike El Nite volta ao ativo com mais um tema recheado de wordplay e sátira sem descurar as referências à cultura portuguesa, acompanhado por Finix MG, a quem está associado desde os tempos da Astro Records, e Sippinpurpp, fenómeno ovarense da nova escola do trap nacional. Este é o primeiro passo para um novo trabalho, com saída prevista para 2018. Depois do muito aclamado "Justiceiro", um dos melhores álbuns de hip hop português dos últimos tempos, Mike El Nite mantém o seu estilo mas aborda novas sonoridades e novas temáticas neste trabalho surpreendente e inovador. Estas novidades prometem aquecer a noite com a Curadoria dos Orelha Negra.

Phoenix RDC é Ydalo Carvalho nascido em Angola e criado na Linha da Azambuja, mais propriamente em Vialonga (Icesa), é já um nome incontornável do hip hop nacional. Há vinte anos na cultura hip hop, o músico conta já com cinco álbuns, o último intitulado “American Express”. Este disco foi considerado pela crítica como um dos melhores discos de hip hop do ano 2017, um registo em que revela toda a sua maturidade e versatilidade enquanto artista. Com uma enorme base de fãs, Phoenix é um dos rappers mais ouvidos em Portugal e tem colaborações com Valete, Regula, Wet Bed Gang, DYNAMIC DUO, BeatBombers, DJ Ride, Kosmo, entre muitos outros. Phoenix RDC vai estar no MOCHE Ring, no dia 9 de Agosto, para mostrar todo o seu talento.

A ambição de Suspect é muito simples: ser o melhor em tudo o que faz. E isso não é apenas a habitual bravura que vem do rap, estilo combativo por natureza, trata-se mesmo de um impulso interno que lhe permitiu ultrapassar as dificuldades da vida, incluindo a prisão, e estar pronto para conquistar o mundo a partir do coração da música urbana londrina. Apesar das boas notas a matemática, Suspect acabou por perceber que a música era o caminho redentor por onde seguir. Aclamado pela crítica e pelos seus pares, comos Kenny Allstar, Giggs e Chipmun, Suspect é um dos rappers mais promissores do mundo. “Still Loading” viu a luz do dia em 2018 e é o primeiro disco do rapper. A Curadoria Orelha Negra vai trazê-lo ao MEO Sudoeste dia 9, no MOCHE Ring.

Amores e Desamores de 13 a 22 de Julho em Coimbra


De 13 a 22 de Julho, o Festival das Artes celebra a sua 10.ª edição com um regresso às origens. A história mítica de Pedro e Inês serve de mote a uma edição especial dedicada à qualidade artística existente em Portugal nas mais diversas áreas, da música à gastronomia, da dança às artes visuais.

Sob o signo dos “Amores e Desamores”, o festival volta a ter como palco principal o Anfiteatro Colina de Camões, nos jardins da Quinta das Lágrimas, mas espalha-se por toda a cidade, do Convento São Francisco ao rio Mondego, passando por locais como a Biblioteca da Universidade de Coimbra, o Edifício Chiado ou o Museu Machado de Castro.

A programação inclui vários concertos, entre os quais três orquestras nacionais que prometem encher as noites de música clássica, três exposições, um bailado, um programa educativo para os mais novos, um ciclo de gastronomia, uma conferência e uma especialíssima sessão de cinema.

O concerto de abertura “Amor Fatal” tem lugar no dia 13 de Julho, no Convento São Francisco, onde o extraordinário violinista Yang Liu e a Orquestra Filarmónica Portuguesa, dirigida pelo maestro Osvaldo Ferreira, apresentam a Abertura Fantasia Romeu e Julieta de Piotr Ilitch Tchaikovsky, uma das mais pungentes e célebres obras musicais escritas a partir do drama de Shakespeare, seguida do Concerto para violino nº1, em sol menor, Op. 26 de Max Bruch e da Sagração da Primavera de Igor Stravinsky.

Os “Amores e Desamores” também merecem destaque na obra de Graça Morais, com a exposição “Os quadros também se enamoram” a ser inaugurada no dia seguinte, no Edifício Chiado, com curadoria de José Pedro Correia da Silva. O Ciclo do Cinema, por sua vez, estreia-se este ano no formato drive-in com a exibição do lendário filme “West Side Story” a 16 de Julho, num serão que promete ser inesquecível.

No dia 21 de Julho, o Anfiteatro Colina de Camões acolhe o bailado em I Ato, “Murmúrios de Pedro e Inês”, um espectáculo onde a dança usa os dois corpos como linguagem que materializa a lenda e a emoção, dirigido e interpretado por Solange Melo e Fernando Duarte, com coreografia de Fernando Duarte e música de Bernardo Sassetti e Fernando Lopes-Graça.

O concerto de encerramento do festival, no dia 22 de Julho, parece feito à medida da celebração, pois une a jovem e talentosa pianista Inês Costa à Orquestra Metropolitana de Lisboa que é dirigida pelo maestro Pedro Amaral. “Amor e Saudade” volta, assim, a juntar os nomes simbólicos de Pedro e Inês com o Concerto para piano nº 21 em Dó Maior K. 467 de Wolfgang Amadeus Mozart e a Sinfonia nº 9 Op.95 em mi menor “Novo Mundo” de Antonín Dvořák.

Os 90 Anos das Concessões de Jogo nos Casinos Portugueses


A Galeria de Arte do Casino Estoril acolhe, no próximo dia 1 de Julho, pelas 17 horas, a conferência “Os 90 Anos das Concessões de Jogo nos Casinos Portugueses”. Trata-se uma oportuna conferência que celebra esta efeméride, convidando um distinto painel de oradores a analisar, reflectir e debater o momento actual e os novos desafios do sector do jogo a nível nacional e internacional.

Mário Assis Ferreira, Presidente da Estoril Sol, será o moderador desta conferência que conta com o contributo de um prestigiado painel de oradores convidados. São aguardadas com expectativa as intervenções de alguns dos mais experientes profissionais do sector em Portugal.

O Casino Estoril acolhe, assim, uma conferência que assinala os 90 anos das concessões de exploração dos jogos de fortuna ou azar em Portugal, procurando, ainda, reunir um conjunto de válidas opiniões que serão, decerto, relevantes para o desenvolvimento do sector do jogo.

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Mercedes-Benz EQC realiza na Península Ibérica


Espanha é a próxima etapa de testes para o Mercedes-Benz EQC. Após os bem-sucedidos testes de inverno, o EQC deverá cumprir um extenso programa de testes sob o calor tórrido do verão espanhol com temperaturas até 50° Celsius. Será dada especial atenção a aspetos extremamente exigentes para os veículos elétricos como, o ar condicionado e o sistema de carregamento, bem como o sistema de arrefecimento da bateria, a cadeia cinemática e as unidades de controlo. Os critérios habituais como a dinâmica e o conforto de condução também serão testados com maiores níveis de exigência.

O desafio número 1 é o calor seco: enquanto a bateria de um veículo elétrico "simplesmente" perde energia quando está sujeita a baixas temperaturas, já a exposição a elevadas temperaturas comporta o risco de danos. A gestão destas características físicas é o objetivo dos testes extremos em Espanha. Um dos elementos que irá merecer destaque é, por exemplo, o circuito de arrefecimento da bateria: como irá suportar os elevados requisitos de transferência de calor? De que forma irá responder uma bateria quase totalmente carregada a um carregamento adicional? Qual a influência exercida pelo calor na autonomia do veículo?
O programa de testes também integra os testes de descarga da bateria, ou seja, os testes de estrada durante os quais a bateria é completamente descarregada. 
Outro aspeto a considerar será o sistema de ar condicionado durante e antes da viagem, visto que a pré-climatização é um fator importante de conforto. É aqui que dúvidas como: "O tempo indicado é suficiente para a pré-climatização?" e "A autonomia calculada está correta quando a temperatura é considerada?" são esclarecidas. Adicionalmente, as características de ruído dos componentes, como é o caso do compressor de ar condicionado em condições de elevada temperatura, são especificamente examinadas.
A poeira em terrenos mais arenosos também é um desafio particular durante os ensaios em Espanha, pois os técnicos de testes pretendem conhecer onde este pó poderá assentar nos componentes e se o conceito de vedação funciona na prática.

Diferentes países representam diferentes circunstâncias, uma evidência que desempenha uma parte muito importante no programa de testes da Mercedes-Benz. A questão fundamental é se a operacionalidade a nível internacional de cada sistema individual está assegurada ou seja se, por exemplo, os sinais de trânsito ligeiramente diferentes são reconhecidos, as portagens são fiavelmente detetadas ou se os limites de velocidade são corretamente detetados pela câmara dos sistemas de assistência. Todas estas questões também são examinadas pelos engenheiros de desenvolvimento durante as longas semanas de testes em Espanha.

Programa de testes exigente na Mercedes-Benz
A validação sistemática de todo o veículo está entre as extensas medidas do processo de desenvolvimento de todos os modelos da Mercedes-Benz, o que serve para sustentar os elevados padrões de qualidade. Antes de ser iniciada a produção de um produto, todo o veículo deve atingir um nível de maturidade definido pela Mercedes-Benz. Isto ocorre em várias fases: a primeira compreende o design e a simulação preliminar através de computador, depois segue-se a validação quer dos componentes individuais em dinamómetros, quer em veículos de testes. 

Boleia grátis para o NOS Alive a partir do Alegro Alfragide


O centro comercial Alegro Alfragide volta a assegurar estacionamento e transporte de ida e volta para o festival NOS Alive, este ano sujeito a inscrição prévia e obrigatória para ter acesso a este serviço completamente gratuito. Em dias de festival a única preocupação deve ser o horário dos concertos para disfrutar ao máximo dos artistas que passam pelos diversos palcos.

O Alegro Alfragide garante a melhor entrada no NOS Alive para viver ainda mais a música. Ao longo dos 3 dias oferece estacionamento e transporte gratuito até ao Passeio Marítimo de Algés para chegar ao festival da forma mais eficaz e confortável. Para ter acesso a este serviço gratuito, este ano é necessário fazer uma inscrição prévia no site do Alegro Alfragide. Garantida a inscrição, basta deixar o carro no parque de estacionamento do centro comercial e seguir para o NOS Alive na boleia do Alegro Bus, com ligações até ao recinto, e viagens de regresso, de 30 em 30 minutos, entre as 16h00 e as 03h00 da manhã. Como o objetivo é facilitar e evitar filas, nos dias 11 e 12 de Julho ainda é possível trocar os passes de 2 e de 3 dias pela respetiva pulseira no Alegro Alfragide, sendo o único local do País onde é possível fazê-lo antecipadamente.

 As boas notícias continuam. Com o festival totalmente esgotado a venda de bilhetes terminou, mas o Alegro tem bilhetes para oferecer. Fique atento às páginas de Facebook e de Instagram do Alegro Alfragide para saber como se habilitar a ganhar um destes bilhetes.

Guerra de Janne Teller


Chega hoje às livrarias o livro «Guerra», da dinamarquesa Janne Teller, conceituada autora detentora de inúmeros prémios literários. Nesta obra, que é bestseller internacional e livro sensação em todos os países em que foi publicado, Janne Teller inverte os papéis de refugiados e coloca um jovem português de 14 anos na pele de um. A autora escreve uma versão personalizada para cada país em que esta obra é publicada. O que aconteceria se estivesse refugiado devido à guerra? Como reagiria perante esse cenário? De que forma agiria? Estas são algumas das perguntas que este livro coloca e que leva a uma tomada de consciência das dificuldades por que inúmeros refugiados passam diariamente.

Sobre a Autora
Janne Teller é uma conceituada autora dinamarquesa de ficção e ensaios com ascendência austríaca e germânica. É detentora de inúmeros prémios literários e conhece um enorme sucesso de vendas internacional, estando publicada em 25 línguas. Os seus livros giram em torno de questões existenciais e desencadeiam discussões polémicas. Autora de seis obras de ficção, incluindo o extraordinário Nada, que, tendo sido proibido no passado, é hoje
considerado um clássico contemporâneo. Janne Teller é também ativista dos direitos humanos e foi uma das organizadoras da campanha Escritores contra a Vigilância em Massa. É membro do júri do prestigiado Prémio Alemão da Paz.
Formada em macroeconomia, antes de se dedicar inteiramente à escrita, Janne Teller trabalhou na resolução de conflitos e questões humanitárias na União Europeia e nas Nações Unidas, Moçambique, Tanzânia, Bangladesh e muitos outros países do mundo.

O Rei no exílio – Remake


O Rei no exílio – Remake, de Francisco Camacho/EIRA, apresenta-se a 29 de Junho, às 21h, no Teatro Nacional D. Maria II. Este é o regresso de Francisco Camacho ao local onde estreou O Rei no Exílio, há 27 anos, para uma única apresentação do remake da obra que o projetou para os palcos internacionais.

Livremente inspirado no último rei de Portugal, D. Manuel II, exilado em Inglaterra em 1910, este solo dá a ver uma personagem dividida entre a passividade e a ação, que hesita em envolver-se na luta pelo poder e se rodeia de prazeres triviais. O auge da crise financeira em Portugal motivou a reelaboração da proposta coreográfica, em 2013. Ainda que partindo de uma figura histórica, expõe-se aqui um corpo presente, preso na dialética entre razão privada e razão de Estado, entre poder e potência, envolto num manto de ironia que mais amplifica na atualidade o apelo particular desta obra marcante da história da dança portuguesa.

Viagem no tempo transporta Tomar à Idade Média


Entre 5 e 8 de Julho, Tomar regressa à Idade Média e convida quem a visita para, durante quatro dias, entrar na máquina do tempo e ser transportado ao séc. XII. A Festa Templária transforma a cidade num autêntico burgo medieval, com cavaleiros templários, artesãos, mercadores, saltimbancos, malabaristas, entre muitas outras personagens. Esta é uma iniciativa do Município de Tomar, em parceria com várias entidades da região.

A Festa Templária constitui uma verdadeira aula de história viva, onde é possível perceber como aconteceram alguns episódios que marcaram o país. É o caso da Recriação do cerco de 1190 ao Castelo Templário, que retrata a mestria dos cavaleiros ao travar o forte contra-ataque dos muçulmanos. Esta recriação é apresentada por várias dezenas de atores e figurantes, muitos dos quais são nabantinos.

Outro ponto alto da Festa Templária é o Cortejo Noturno, no sábado, 7 de Julho, que reúne as várias personagens históricas, num percurso pelas ruas do centro de Tomar. O cartaz não fica completo sem os ofícios e danças medievais, a feira de artesanato alusivo à época, os petiscos nas tasquinhas com sabores de outros tempos, as ementas dedicadas à gastronomia medieval nos restaurantes aderentes, as visitas culturais e o jantar real no Convento de Cristo. 

No dia da abertura, 5 de Julho, é ainda possível participar no seminário “A Ordem do Templo e a Defesa Territorial”, que terá lugar no Convento de Cristo.

A Festa Templária, que tem lugar em várias zonas da cidade, do Mouchão Parque ao Convento de Cristo, passando pelo centro histórico, pretende recordar o passado, mantendo viva a influência da Ordem de Cristo, sucessora da Ordem do Templo.