sexta-feira, 31 de julho de 2015

MEO Sudoeste


Faltam apenas algumas horas para a abertura do Campismo do maior Festival de verão e, para além das inúmeras surpresas já anunciadas para este espaço icónico do MEO Sudoeste, volta a reunir-se uma série de artistas que, no palco Super Bock aqui situado de 1 a 4 de Agosto, vão pôr todos a dançar e a levar a amizade a sério desde o primeiro dia! Este ano a estrutura que receberá cada um dos convidados é espectacular e chama-se Hexagon. Tem uma área de base de 2,60cm x 2,60cm e encontra-se a 6 metros de altura com um jogo de luzes que agitará ainda mais as primeiras noites do campismo da 19ª edição do Festival.


Por aqui irão passar alguns nomes bem conhecidos dos Festivaleiros:

No primeiro dia, a 1 de Agosto, os Kiss Kiss Bang Bang. Os DJs são Tiago Correia e Artur Gaio Pinto e a interacção com o público é um dos seus melhores predicados. Com eles está prometida uma grande de festa, como sempre.

A dupla Henri Josh e Katorz já tem mais de 10 anos de carreira. Na bagagem, mais de 100 espectáculos juntos em vários países. Em 2014 o seu single "Jump into your Life", editado pela Vidisco atingiu o Top 8 ás 8 da Cidade e também o Dancefloor Chart da MTV. Apresentam o projecto KRASH! dia 2 de Agosto no Palco Super Bock.

A 3 de Agosto, o DJ Paulo Jorge. Conhecedor da cabine, os seus sets são vibrantes e contagiam por onde passa. As suas noites são sempre cheias de energia, até ao último acorde.

Na já habitual Noite Cidade, dois nomes que vão encerrar em beleza o Palco Super Bock a 3 de Agosto: Joana Perez e Rob Willow.
Joana Perez, que é já uma das locutoras mais reconhecidas e admiradas da rádio, com uma legião de fãs que seguem atentamente tudo o que faz, terá certamente casa cheia. Rob Willow é o dono do Sunrise da Cidade. 


Outra grande novidade desta edição do MEO Sudoeste é a Milaneza Party no icónico Canal, a praia fluvial dos festivaleiros. A dar música a todos os Festivaleiros, de 3 a 9 de Agosto, estará o DJ No Expression. Rui Pedro Moreira de seu nome, estará das 16h às 19h na sua cabine situada num barco preparado especialmente para o efeito, dentro do Canal a agitar as águas, aquecendo aquelas que serão as melhores tardes no maior Festival de verão.

Jogadores de Pau Miró


"É fácil prever o futuro. Basta olhar para o céu. Ou para o espelho. Se te vires ao espelho, podes saber o futuro." Pau Miró, Jogadores

É como se estas personagens se tivessem esquecido do texto e estivessem à espera que voltasse. Perderam o pulsar do mundo, e só têm uma maneira de o recuperar, talvez demasiado arriscada, seguramente demasiado perigosa. E louca. E também desesperada. Ao fim e ao cabo, no entanto, a única maneira. Pau Miró

Personagens sem esperança, à deriva, sem trabalho, perdidos num mundo que já não é o seu, aparentemente "normais" mas com um fundo de mistério e turbulência que vão mostrando pouco a pouco. Jogadores trata dos páramos da meia-idade e do vício do risco, do colocar-se em perigo: a vertigem como forma de escape de uma realidade opaca. Marcos Ordóñez

No Teatro da Politécnica de 23 de Setembro a 24 de Outubro
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00
Reservas | 961960281

Em Coimbra, no Teatrão, de 28 a 30 de Outubro às 21h30
Reservas | 912511302


Cosmicomix: A Descoberta do Big Bang


Cosmicomix situa o leitor em 1964. Arno Penzias e Robert Wilson, dois jovens radioastrónomos dos Laboratórios Bell, em Holmdel, Nova Jérsia, encontram-se a aperfeiçoar o funcionamento de uma grande antena quando captam um zumbido de fundo, um ruído omnipresente e misterioso. Começa uma investigação que os levará a rever meio século de história da ciência e culminará numa das descobertas maiores da humanidade. Seguindo as pisadas de outros cientistas, uns mais e outros menos conhecidos, Penzias e Wilson deparam-se com descobertas entusiasmantes.

Desde Einstein e Hubble até ao padre e cientista Lemaître, passando por Gamow e por Hoyle, cada um deles encontrou um fragmento da solução, ainda que até essa data ninguém tenha conseguido perceber toda a abrangência ou todas as implicações do que haviam descoberto.

Por detrás daquele ruído banal escondia-se a resposta à pergunta que a humanidade se colocara desde as suas origens: como e quando nasceu o Universo? Este tema, que interessa a todos, é apresentado neste livro de modo apelativo e, ao mesmo tempo, simples.

Depois do êxito de Logicomix, a Gradiva publica agora uma história da descoberta do Big Bang, provando que a ciência pode servir-se dos quadradinhos para chegar a um espectro mais largo de leitores. Cosmicomix é uma obra de elevado rigor e expressividade.

Sobre os Autores

Amedeo Balbi é astrofísico e investigador da Universidade Tor Vergata, em Roma. Dedica uma parte importante do seu tempo ao ensino e à divulgação científica. Trabalhou em Berkeley, Califórnia, com o Nobel da Física George Smoot, assim como em numerosos laboratórios internacionais, entre eles o Laboratório Fermi (Fermilab) de Chicago e o Laboratório de Propulsão a Jacto de Pasadena. Além disso, participou na missão espacial Planck, da Agência Espacial Europeia. É o autor de La musica del Big Bang (2007) e Seconda stella a destra (2010). Mantém o seu próprio blogue desde 2006, www.keplero.org.

Rossano Piccioni é director de arte, consultor, desenhador gráfico e ilustrador. Ganhou já numerosos prémios no seu país de origem e no estrangeiro. Fundou a Escola Adriática de Banda Desenhada com o objectivo de fomentar, promover e publicar jovens talentos na banda desenhada.

Noites de musica ao vivo no Casino Lisboa em Agosto


Com múltiplas propostas de entretenimento, o Casino Lisboa oferece, em Agosto, um novo cartaz de música ao vivo. O palco-multiusos do Arena Lounge recebe, de Quinta-Feira a Domingo os melhores repertórios de André Sarbib, Supreme Sounk, Ru Vasconcellos Quarteto, Satisfaction e Groovebox. O Casino Lisboa acolhe, ainda, de Quinta-Feira a Sábado, pouco depois da meia-noite, diferentes DJ’s que seleccionam os ritmos ideais para um serão pleno de animação. A entrada é livre.

Arena Lounge - Palco-multiusos
Pianista autodidacta, André Sarbib protagoniza, de 30 de Julho a 2 de Agosto, um novo ciclo de actuações no Arena Lounge. Num registo intimista, André Sarbib apresenta as melhores composições do álbum “This Is It”, sendo acompanhado por um baterista convidado.

“This Is It” engloba temas como, por exemplo, “Valsana”, “Asas”, “Celui-lá”, “La Valse des Lilás”, “Lullaby of Liveland”, “My Follish Heart”, “Como um Golpe de Asa Branca”, “Blame it on My Youth”, Alma Eterna”, “That’s All”. Recorde-se que André Sarbib já participou em vários projectos com músicos, tais como Joe Lovano, Barry Altschul, Ivan Lins, Carlos Benavente, Ruben d’Antas, Alice Day, Jorge Rossi, Saheb Sarbib, Carlos Carli, Jorge Pardo, Chavier Colina, Joachim Chacón, Paulo de Carvalho, Rão Kião, António Serrano, Leonardo ou Amuedo.


Os Supreme Sounk apresentam-se, de 6 a 9 de Agosto, no Casino Lisboa, antecipando, desde já, que pretendem “manifestar os afectos da alma através da música”. A banda revela influências de nomes conceituados como, por exemplo, Stevie Wonder, The Supremes, Cesária Évora, Aretha Franklyn, Alicia Keys, Sara Tavares, Amy Winehouse, HMB, Joss Stone, Wild Cherrie, James Brown, Bob Marley, Chuck Berry ou Mayra Andrade.

A banda reúne, em palco músicos experientes, dinâmicos e versáteis, conhecidos por proporcionar momentos intimistas com o público. A vocalista Rute Lopes será acompanhada por Nuno Barreto na guitarra, Ricardo Duarte no baixo, e Rui Coelho na bateria.



Cantora e instrumentista multifacetada, Ru Vasconcellos será, de 13 a 16 de Agosto, a grande protagonista no Arena Lounge, prometendo revelar as suas influências de jazz, blues, soul, funk e pop. 

Com um registo intimista, Ru Vasconcellos apresenta-se, uma vez mais, em formato acústico com Pedro Leónidas na guitarra, Augusto Macedo no hammond, e Vasco Gomes na percussão.
Com um enquadramento revivalista, os Satisfaction sobem ao palco multiusos do Arena Lounge, de 20 a 23 de Agosto. A banda propõe um elenco de êxitos da música pop, rock e soul que marcaram, essencialmente, as décadas de oitenta e noventa.

Os Satisfaction interpretam, assim, um alargado repertório que inclui clássicos como, por exemplo, “Roxane”, de Sting, “Wonderful Tonight”, de Eric Clapton, “Miss You”, dos Rolling Stones, “Come Together”, dos Beatles ou “Night and Day”, de Frank Sinatra.


Por sua vez, os Groove Box apresentam-se, de 27 a 30 de Agosto, no Arena Lounge para prestar um tributo a grandes nomes da soul music, como, por exemplo, Marvin Gaye, Stevie Wonder, Alicia Keys, Joss Stone, Beyoncé, Rihanna ou Jill Scott.

Com uma interpretação própria destes grandes clássicos através de arranjos originais, a vocalista Diana Barreto será acompanhada por Carlos Sério nos teclados, Luis Lavajo no baixo eléctrico, e Miguel Marques na bateria.


Arena Lounge - Jukebox

O programa de animação musical culmina com as dinâmicas sonoridades da Juke Box. De Quinta-Feira a Sábado, pouco depois da meia-noite, diferentes DJ’s seleccionam os temas ideais para um público predominantemente jovem. A entrada é livre.

Programa:
Agosto
01 - Mr. Mute

06 – Dj Al
07 - Bruno Safara
08 - John Holmes

13 - Mário Valente
14 - Luís Patraquim
15 - CVLT

20 - Trool 2000
21 - Johnny Deep
22 - Diogo Pires

27 - Dj Nery
28 - Miguel Kellen
29 - Luis Leite


O amplo espaço do Arena Lounge constitui, assim, um cenário privilegiado para receber um diversificado programa, que se estende pela noite dentro.  

Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Lisboa é reservado a maiores de 18 anos.

Noites de Novo Circo no Casino Lisboa em Agosto


Com um festivo programa de Verão, o Casino Lisboa oferece, em Agosto, aos seus visitantes um surpreendente ciclo de Novo Circo no Arena Lounge. A dupla de acrobatas Angélica e Raquel protagoniza, a partir do próximo Sábado, dia 1, um número de elevado grau de dificuldade em Aerial Cube. A entrada é livre.

Angélica e Raquel encontraram no ar a melhor forma de dar vida às suas visões teatrais, campo em que ambas são  graduadas. Muito entusiasta, esta dupla de acrobatas aéreas do “Armazém 13” revela um singular desempenho e dedicação, conciliando, ainda, a paixão pelas artes aéreas circenses.

Esse pequeno palco que é um cubo dá-lhes asas à imaginação, acção e muita acrobacia. Contam uma com a outra para criarem o mundo imaginário que tanto apreciam, o circo. É com isso que brincam, desfrutando, também, desse momento com apelativa sensualidade 

O amplo espaço central do Arena Lounge acolhe, a partir do próximo Sábado, dia 1, um ciclo de exibições de Novo Circo. Com duas actuações por noite, Angélica e Raquel renovam um número de Aerial Cube, de Quinta-Feira a Domingo, depois das 22 horas, no Casino Lisboa. 

Acessórios AMG Exclusivos para o Classe C


A Mercedes-AMG apresenta os seus novos acessórios: com aplicações exclusivas e faixas laterais desportivas, o visual dinâmico do C 450 4MATIC AMG e dos modelos da linha AMG serão ainda mais exclusivos. Para o Classe C Limousine, os acessórios AMG estão agora disponíveis em todos os concessionários. No final do ano, a correspondente oferta também estará disponível para o Classe C Station. Em 2016 será implementado um programa adicional para versões de carroçaria adicionais e outras séries. 
A Mercedes-AMG, marca de veículos desportivos de elevada performance da Mercedes-Benz, representa a excelência na dinâmica de condução e um elevado apelo emocional. Com os novos acessórios AMG, poderão agora ser acrescentadas ambições mais desportivas e uma aparência personalizada através do Após-Venda. A gama actual inclui cinco acessórios de exterior com design AMG atraente para o C 450 4MATIC AMG Limousine e para os modelos da linha AMG. Estão também disponíveis faixas laterais desportivas, que são aplicadas na forma de deflectores, abaixo da linha descendente do veículo. Todos os componentes combinam na perfeição e estão disponíveis nos concessionários Mercedes-Benz.


Lista dos componentes individuais:
Aba do spoiler do para-choques dianteiro AMG: 748 € 
Painéis das embaladeiras laterais: 1055 € 
Spoiler traseiro AMG: 719 €
Revestimento do para-choques traseiro com aparência difusora AMG:748 €
Entradas de ar laterais AMG: 294 €
AMG Sport Kit de Autocolantes: 267 €

Os acessórios produzidos através da tecnologia de termo moldagem são fornecidos com acabamento em preto de alto brilho - ideal para um visual desportivo. O acabamento de elevada qualidade da superfície não necessita de pintura, o que significa que os acessórios podem ser instalados sem qualquer trabalho adicional - durante o desenvolvimento destes acessórios exclusivos AMG, foi atribuída especial importância ao manuseamento simples e a um processo rápido de montagem. Por exemplo, o técnico de montagem no concessionário Mercedes-Benz necessita de apenas 1 hora e meia para montar os quatro componentes: Aba do spoiler do para-choques dianteiro AMG, Revestimento do para-choques traseiro com aparência difusora AMG, Painéis das embaladeiras laterais AMG e Entradas de ar laterais AMG.

Como uma nova solução é implementada como uma extensão da homologação CE, a partir de 2016 os acessórios AMG não necessitam de ser registados no documento único automóvel. A oficina Mercedes-Benz apenas deverá preencher a confirmação correspondente e entregá-la ao cliente. A gama de acessórios AMG será expandida sucessivamente: a partir de finais de 2015, está prevista uma oferta para outras versões de carroçaria do Classe C e outras séries de modelos. No Salão de Frankfurt (IAA) entre 15 a 27 de setembro, os visitantes poderão conhecer os novos acessórios AMG de forma interativa através de um ecrã tátil.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

7ª Arte - Estreias de cinema de 30-07-2015

Estreias de cinema de 30 de Julho de 2015

Esta semana dentre as várias estreias de cinema nas salas nacionais o "Cultura e não Só" destaca as seguintes:



O Pátio das Cantigas

Em 1942, o cinema português ganhava uma das suas mais emblemáticas obras: "O Pátio das Cantigas", uma comédia realizada por Francisco Ribeiro e interpretada por nomes como Vasco Santana, António Silva ou Laura Alves. Em 2015, ganha novas referências. Os diálogos e jogos de equívocos continuam a gravitar sobre os sonhos, alegrias, aventuras, amores e desamores de um conjunto de personagens de um típico bairro lisboeta, mas transformaram-se para o século XXI. A provocação de Narciso ao merceeiro, por exemplo, passa a ser "Ó Evaristo, não percebes nada disto!".
Assinado por Leonel Vieira ("Zona J", "A Selva", "Arte de Roubar", "Um Tiro no Escuro"), um "remake" de um dos filmes dos chamados "anos d'ouro" da produção cinematográfica nacional. É o primeiro de uma trilogia de "Novos Clássicos", que se completa com "O Leão da Estrela", também dirigido por Vieira, e "A Canção de Lisboa", por Pedro Varela. Esta nova versão de "O Pátio das Cantigas" conta com interpretações de Miguel Guilherme, César Mourão, Dânia Neto, Sara Matos, Rui Unas, Manuel Marques e José Pedro Vasconcelos, entre outros.



Predestinado

Esta é a história de um agente temporal, alguém que dá "saltos" entre o passado, o presente o futuro para combater o crime. Este agente, outrora desfigurado ao tentar impedir um ataque bombista, tem agora em mãos a derradeira missão de salvar vidas apanhando um criminoso que, de alguma forma, sempre lhe conseguiu fugir. A tarefa não se revelará fácil, até porque as constantes movimentações temporais vão expor – ou provocar – toda uma teia de relações de causa-efeito. As personagens com que o agente se cruza revelarão factos sobre si próprio que demonstrarão o quanto, afinal, o passado é inevitável...
Um "thriller" de enredo labiríntico, sobre mistério, vingança e viagens no tempo, com realização de Martin e Peter Spierig ("O Último Vampiro"). Os irmãos australianos também assinam o argumento, tomando como inspiração o conto "All You Zombies", do norte-americano Robert Anson Heinlein, guru da escrita de ficção científica e referência literária do conceito de paradoxo da predestinação, que leva ao limite. Ethan Hawke, Sarah Snook e Noah Taylor asseguram os papéis principais.



Pixels

Quando, em 1982, a NASA enviou para o espaço uma "cápsula do tempo" contendo informações sobre a vida terrestre, ninguém poderia imaginar o tipo de impressão que causaria numa certa raça alienígena… Ao invés de tomar por referências culturais as imagens de videojogos clássicos como "Pac-Man", "Donkey Kong" ou "Centipede", encarou-as como uma declaração de guerra. Três décadas depois, a Terra sofre os efeitos do mal-entendido: uma série de ataques concebidos pelos extraterrestres com base nos modelos desses jogos, em que gigantescos seres feitos de pixéis transformam tudo o que encontram pelo caminho em matéria semelhante à sua. Só há uma solução: chamar os especialistas, ou seja, os "nerds" que, ainda hoje, vivem a suspirar nostalgicamente pelos tempos em que eram gurus das salas de jogos. Sam (Adam Sandler) será o líder da equipa. Armados do conhecimento que trazem dos anos 1980, da mais recente tecnologia e de um sentido de humor a toda a prova, estes heróis improváveis vão ter de jogar a sério para passar de nível – ou melhor, salvar o planeta.
Uma comédia de acção e ficção científica cruzada com o formato de filme-catástrofe. A longa-metragem, dirigida por Chris Columbus ("Sozinho em Casa", "Papá para Sempre", "O Homem Bicentenário", "Harry Potter e a Pedra Filosofal", "Harry Potter e a Câmara dos Segredos"), baseia-se na curta de animação realizada, em 2010, por Patrick Jean. Além de Adam Sandler, o elenco inclui Kevin James, Josh Gad, Peter Dinklage e Michelle Monaghan.

«O Nosso Homem no Estoril», é um thriller político que revela o que a história não contou


O Nosso Homem no Estoril é um thriller que tem na base a queda de uma avioneta na Quinta da Marinha, em Portugal, um evento que ocorreu dias depois de começar o «levantamento nacional» contra o governo republicano de Madrid. Na avioneta, de volta a Espanha, seguia José Sanjurjo, o general que iria dirigir o «levantamento». A teoria de que não teria sido acidente, mas sim sabotagem, ganhou forma. Decorria o ano de 1936.

Sendo fácil juntar suspeitas ao caso, a dificuldade estava, no entanto, em obter factos e seguir pistas para descobrir a verdade, pois eram vários os interessados em ocultá-la. Em Lisboa, a investigação foi entregue ao inspector Miguel Neves que, sofrendo pressões da PVDE, recebeu instruções para seguir uma «pista comunista».  Duvida, curiosidade, interesse em descortinar o que na realidade se passara levaram este inspector a ir mais longe do que alguns desejavam. Com isso, entrou num terreno que lhe era desfavorável.

Segue um pequeno excerto a obra: «A morte de Sanjurjo não tinha sido um episódio isolado num Verão sonolento. Lisboa fervilhava de actividade e pode dizer-se que era um campo de batalha adjacente da guerra civil vizinha. Na tarde de 23 de Julho, Neves começou por receber a notícia de que Juan Ansaldo tinha desaparecido do hospital. O inspector ficou preocupado com o destino do piloto, sabendo da gravidade dos seus ferimentos. A hipótese de um sequestro ou de um assassinato não podia ser descartada. Ao mesmo tempo, o inspector perguntava a si próprio o que iria significar para a sua investigação o misterioso desaparecimento do piloto.»

Numa narrativa que junta personagens reais e ficcionadas, o autor aborda um período conturbado em Portugal e Espanha. O Nosso Homem no Estoril é o segundo livro da colecção «Entre Crimes» que a Gradiva lançou em Fevereiro de 2015. O primeiro título da colecção é A Tentação do Abismo: Sanz Blues, de Rui Araújo.

Sobre o Autor

Armand Travers (1984), nascido no Uruguai, residente na Alemanha, é microbiólogo e estreou-se na ficção com um romance intitulado A Invenção da Gripe.

A sua actividade principal tem sido a investigação, relacionada com várias epidemias que nos últimos anos alarmaram a comunidade internacional. Trabalhou principalmente sobre as epidemias da gripe e do ébola, estando actualmente a iniciar um projecto sobre o coronavírus.

Nas andanças que tem feito pelo mundo, em busca de seres microscópicos, foi encontrando histórias. Uma dessas andanças trouxe-o a Portugal, onde viveu durante dois anos. Laços familiares, herdados e adquiridos, despertaram o seu interesse por várias histórias portuguesas. Para contá-las, mergulhou na história recente do país à beira-mar plantado e deixou-se fascinar por ela. Temas, cenários e personagens portugueses abundam na sua escrita.

Casino Estoril recebe os Irmãos Machado a 5 de Agosto


Com um cartaz muito diversificado, o Auditório do Casino Estoril acolhe, no próximo dia 5 de Agosto, às 22 horas, "Os Irmãos Machado". Ricardo Peres, João Sousa e Marte Ciro são os protagonistas de um espectáculo que concilia momentos de comédia, de música e de malabarismo "radical" com pedras da calçada, martelos e machados.

"Os Irmãos Machado" & "A Orquestra de um Homem Só" assumem-se como entertainers e fazem, também, cobranças difíceis ao domicílio, ou a Países que precisem de cobrar avultadas somas de dinheiro a políticos e banqueiros corruptos. 

Com uma dinâmica sucessão de quadros originais, "Os Irmãos Machado" vão exibindo as suas requintadas formas de cobrança com muito humor e Rock & Roll ao vivo e à “bruta”.

"Os Irmãos Machado" pretendem consolidar-se num espectáculo de culto e continuidade não só por irem renovando o seu reportório musical e humorístico conforme as actualidades mundiais o forem permitindo, como, também, por diversificarem os seus truques e malabarismos. Com muitos registos de interacção com o público, o espectáculo terá alguns convidados especiais que farão aparições regulares no palco dos “Irmãos Machado”. 

Caixa Alfama 2015


Depois dos Santos Populares no passado mês de Junho a próxima grande Festa do Bairro de Alfama já vem a caminho. Para isso, novos nomes se vão juntando à lista dos artistas que vão prestigiar mais a edição do Caixa Alfama 2015: Cuca Roseta, Gonçalo Salgueiro e José Gonçalez.


Cuca Roseta é já uma certeza mais que reconhecida do Fado. Apesar de pertencer a uma geração recente, o seu reportório e a imensidão de concertos que vai dando pelo mundo, fazem da artista um nome sólido e indiscutível. Em 2014 apresentou “Raiz”, com a produção de Gustavo Santaolalla. Este ano tem trabalho novo produzido por Nelson Motta, gigante que trabalhou com nomes como Elis Regina, Marisa Monte ou Daniela Mercury. Nesta viagem transatlântica chamada “Riû”, contam-se originais de, entre outros, Jorge Palma, Sara Tavares, Bryan Adams, Júlio Resende e Djavan, com quem canta dois duetos. Um disco que faz um enlace por géneros que vão do fado à MPB. É com este novo registo que regressa ao Caixa Alfama.

Gonçalo Salgueiro é um multifacetado artista. Músico, ator e produtor, participou em espectáculos musicais e em algumas das mais conhecidas produções de Filipe La Féria. Foi precisamente em “Amália” que a sua voz começou a merecer reconhecimento. Tem um registo muito particular, quase angelical. Com a renomada soprano internacional Elena Mosuc juntou Fado, Ópera e Musical, na produção “OPERFADO”. Regressa ao Caixa Alfama para encantar.

Está perto das três décadas de carreira. José Gonçalez é um dos nomes mais conhecidos e profícuos do Fado. Aos 18 anos estreou-se com “Fado Lusitano” e daí para cá, sublinha-se o encontro com Frei Hermano da Câmara com quem partilhou muitas noites de Fado no espectáculo “Jesus Cristo Anda na Rua”. Já este ano, e que com certeza terá lugar de destaque no Caixa Alfama, apresenta o seu mais recente trabalho, “Até Deus Gosta de Fado”.

MEO Sudoeste - Falta 1 dia!


É já este sábado, que arranca a 19ª edição do MEO Sudoeste, com a abertura do Campismo para aquela que vai ser a melhor semana de férias do verão. Para que tudo corra pelo melhor, seguem agora algumas informações úteis a todos os que já se preparam para viajar para a Herdade da Casa Branca. Encontra-se tudo no site oficial do Festival.

Para chegar ao recinto existem como sempre inúmeras alternativas, as mais apetecíveis são sem dúvida as opções XBUS Village e Xpress Pass MSW da Rede de Expressos que a partir dos 120€ com bilhete incluído, trazem e levam os Festivaleiros a casa sem mais preocupações. Também os pacotes muito procurados, Get a Fest e Festicket, mais indicados para quem vem do estrangeiro e que incluem Bilhete, alojamento e transporte até ao Festival, são boas opções.

Para o regresso, quem não optar por nenhuma destas soluções, pode optar pelas carreiras da Rede Expressos que saem da Zambujeira. Na segunda-feira, dia 10, entre as 6h00 e as 17h00 haverá autocarros a fazer a ligação entre o recinto e a Zambujeira do Mar assegurados em articulação entre a Rede Expressos e a Rodoviária do Alentejo.

Quem quiser poderá sempre ir de carro, onde terá estacionamento gratuito e todas as indicações para chegar à Zambujeira no Site Oficial. Se quiserem ter o privilégio de acampar junto ao carro, podem também optar pelo Car Camping. Cada Car Camping equivale a 1 carro + 5 pessoas e tem o preço de 40€ mais o bilhete do Festival.

Com o campismo aberto desde dia 1, existirão também todas as condições para desfrutar do Festival, dentro e fora do recinto. O transporte para as praias da Zambujeira do Mar estará a funcionar a partir deste dia, entre as 10h00 e as 19h00.


Pavimentado este ano para dar mais conforto aos Festivaleiros, o Canal estará já disponível para banhos e vigiado por nadadores salvadores profissionais nos seguintes horários: de 1 a 4 de Agosto das 09h00 às 19h00 e de 5 de Agosto a 09 de Agosto das 09h00 às 20h00.
A partir de 3 de Agosto, Canal Milaneza Party dará música das 16h00 às 19h00 com o DJ No Expression.


Outros espaços que farão os Festivaleiros sentir-se em casa serão o Supermercado, a já conhecida e este ano ampliada Cozinha Teka e a novíssima Lavandaria LG Cool Spot.
O Supermercado estará aberto a partir de dia 1 de Agosto e irá disponibilizar os produtos essenciais para quem faz da Herdade da Casa Branca a sua morada durante esta semana, como pão, gelo, frescos (desde fruta a saladas), enlatados, champô, entre muitos outros.
Também aberta desde o primeiro dia a já indispensável Cozinha Teka. Este ano com reforço de micro-ondas e placas vitrocerâmicas devido à grande procura no ano anterior, este espaço será privilegiado para os Festivaleiros adeptos da cozinha.
A partir de dia 3, uma das grandes novidades desta edição, a Lavandaria LG Cool Spot onde estarão disponíveis máquinas de lavar e máquinas de secar roupa para os festivaleiros. A roupa será colocada em sacos próprios identificados e o festivaleiro receberá uma pulseira e uma senha. Neste espaço haverá ainda uma zona lounge com sombras, e um espaço para Djs onde qualquer utilizador da lavandaria pode mostrar os seus dotes nos pratos.

Dando continuidade ao trabalho do ano anterior, estará novamente presente o Espaço Criança da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. Aberto a partir de 6 de Agosto entre as 18h00 e as 03h00, animadores e voluntários da instituição irão receber crianças dos 6 aos 12 anos para que se possam divertir, enquanto os pais assistem aos concertos.

MEO Sudoeste - Horários Disponíveis


Faltam poucos dias para o arranque da 19ª edição do MEO Sudoeste. O cartaz contará no Palco MEO com os maiores nomes da electrónica como Hardwell, a dupla de irmãos Dimitri Vegas & Like Mike, W&W, Calvin Harris ou Steve Aoki, grandes nomes internacionais como Clean Bandit ou Emeli Sandé e os maiores nomes nacionais com espectáculos feitos à medida do Festival como os Buraka Som Sistema, D.A.M.A, Carlão, Jimmy P, Dengaz, Regula ou Kura. 
No Moche Room, nota especial para a Curadoria Kambas" by Fred convidando os artistas, Mike El Nite, King Kong, Tribruto, Mundo Segundo & Sam The Kid, Dj Ride e Dj Oder ou o grande espectáculo do DJ Bl3nd. No Palco Jogos Santa Casa, Agir, Diogo Piçarra, Frankie Chavez, Mundo Segundo e os ÁTOA entre outros, já estão prontos para dar música a todos aqueles que escolheram o MEO Sudoeste como a sua casa de férias de 1 a 9 de Agosto. Estes são alguns dos nomes que constituirão o cartaz de luxo da edição deste ano do Festival que conta, desde já, no site oficial, com os horários dos concertos.

Em parceria com a LG, parceira tecnológica do Festival, será também instalado no MOCHE Room um Vídeo Wall LG para que ninguém perca a transmissão em directo e com qualidade Full HD da final da Supertaça entre o Benfica e Sporting às 20:45 de Domingo.

Horários já disponíveis no site oficial do Festival.


quarta-feira, 29 de julho de 2015

Os Azeitonas protagonizam Grande Concerto no Casino Estoril


É já amanhã, 30 de Julho, às 23 horas, que Os Azeitonas protagonizam mais uma etapa do ciclo de “Grandes Concertos” do Casino Estoril. "Serviço Ocasional" constitui o ponto de partida de um concerto que revisita os grandes êxitos da banda. A entrada é livre.

Reconhecidos pela empatia que estabelecem com o público, Miguel Araújo, Marlon, João Salcedo e Nena reencontram-se com os visitantes do Casino Estoril, prometendo revisitar os incontornáveis sucessos que marcaram uma década de produção discográfica.

Êxitos como “Um Tanto ou Quanto Atarantado”, “Quem És Tu Miúda”, “Ray-dee-oh”, “Tonto de Ti”, “Nos Desenhos Animados Nunca Acaba Mal” ou “Anda Comigo Ver os Aviões” estão, habitualmente, em destaque nos seus concertos.

Autores dos seus próprios temas, Os Azeitonas iniciaram, em 2002, um ascendente percurso musical. Segundo os elementos da banda, “fazemos do “formato-canção” a tocha que nos alumia pelos trilhos pedidos da música ligeira portuguesa, e usamos versos de amor como arma de arremesso e ressurreição”. 

Em 2005, gravaram o primeiro álbum, intitulado “Um Tanto ou Quanto Atarantado”, o qual se distinguiu, desde logo, pelo seu tema homónimo. “Tou”, “Ajuda-me a Descobrir”, “Sinto-me em Mim”, “Por Ti Tanto”, “As Bifas de Albufeira” ou “Holligan do Aleixo” foram outros êxitos deste disco.

Os Azeitonas editaram, em 2007, “Rádio Alegria”, que foi, aliás, produzido sob a forma de um livro, que inclui um CD no seu interior. Por sua vez, o disco reúne uma dezena de canções, entre as quais se destacam “Mulheres Nuas”, “Quem És Tu Miúda” ou “Tu Pertences a Mim”.

No álbum seguinte, “Salão América” (2009), Os Azeitonas distinguiram-se com o tema “Anda Comigo Ver os Aviões”, atingindo verdadeiramente o merecido estatuto de banda pertencente aos lugares cimeiros no panorama da nova música nacional. 

Editado em 2013, o disco “AZ” trouxe o merecido reconhecimento conquistando o público com um conjunto de temas, entre os quais se destacam os singles “Ray-dee-oh” e “Tonto de Ti”.

Após já terem esgotado o Lounge D, em 2008, Os Azeitonas regressam ao Casino Estoril com “Serviço Ocasional”, assegurando mais um “Grande Concerto” repleto de animação. 

Revista Egoísta celebra 15 anos com o lançamento de uma nova edição


Com o lançamento de uma nova edição, a revista “Egoísta celebra 15 anos repletos de êxitos editoriais, nos quais pontificam 70 prémios nacionais e internacionais. “Egoísta - 15” é uma edição comemorativa que regista, da melhor forma, um projecto impar que se tornou uma referência no panorama literário português.

Propriedade da Estoril Sol, a “Egoísta” distingue-se pelo seu percurso inovador, ousado e vanguardista, tendo recolhido, desde há 15 anos, os melhores contributos de conceituados escritores, fotógrafos, poetas, jornalistas.

A edição comemorativa “Egoísta - 15” oferece aos seus leitores 126 páginas, nas quais se destacam o conto “Conversation Piece”, de Vasco Graça Moura publicado, há 15 anos, no primeiro número da revista; um elenco de textos de Ana Sousa Dias e de fotos de Alfredo Cunha, prestando homenagem a quinze personalidades que marcaram esta época; e os textos inéditos “As Curvas do Tempo”, de Inês Pedrosa, “Duas horas – e quinze minutos. Um homem com um filme na cabeça”, de Gonçalo M. Tavares, e “Quatro Velhos”, de Valter Hugo Mãe.

Mário Assis Ferreira, Director da revista “Egoísta”, escreve no editorial: “(…) transcorridos que são 15 anos, eis que o tempo foi esculpindo a “Egoísta”, cinzelando-a em volúpias de explosão gráfica e iconográfica, conferindo-lhe o estatuto de “Revista de Culto”. Um percurso de 61 edições – incluindo as especiais – e um acervo de 70 prémios, nacionais e mundiais, a homologar-lhe esse ímpar privilégio de serem mais as distinções concedidas do que as edições publicadas”.

“Uma saga editorial sem desvios de coerência, sempre fiel aos valores culturais que inspiram o Grupo Estoril-Sol, sempre moldada no empenho de uma incansável equipa criativa onde pontifica a Patrícia Reis. Foram centenas de textos, portfolios, reflexões, de grandes autores, nacional e internacionalmente consagrados, que generosamente, abraçaram as nossas páginas, densificando os nossos temas”, sublinha Mário Assis Ferreira.

«Janela do Futuro» de Paulo de Morais, candidato à Presidência da República


Janela do Futuro - #Portugal2016 é um livro que traça um retrato de Portugal, abordando várias temáticas, desde o regular funcionamento das instituições, à Constituição, passando pela corrupção e pelas privatizações, sem esquecer a vida política. Mas o autor não se limita a traçar um diagnóstico do passado e do presente, apresenta soluções, apontando uma janela de futuro.

Paulo de Morais, actualmente candidato à Presidência da República, sublinha que Portugal é hoje a Barca do Inferno, sendo um país de oportunidades perdidas. Argumenta que, possuindo uma matéria-prima de excelência, os Portugueses poderiam viver no Paraíso. Contudo, não é isso que acontece. Atribui a culpa à falta de estratégia e ao modelo de gestão. «E o modelo de gestão de um país… chama-se política», acentua.

Um dos problemas que identifica é o sentimento de medo actualmente sentido na sociedade portuguesa. Mas não é o único. Paulo de Morais refere também que o sistema constitucional se encontra doente. E defende que apenas a intervenção da Presidência da República pode agora desencadear um processo de regeneração.

Na introdução, o autor escreve: «Este regime constitucional está agonizante: a Assembleia da República, sede da democracia, abastardou-se, os governantes mentem todos os dias, o povo tem sede de uma justiça que nunca chega.» E acrescenta: «O representante máximo do sistema, o Presidente da República, não tem cumprido as suas funções presidenciais nem exercido os poderes que a Constituição lhe confere. A principal marca deste regime é a promiscuidade, total e absoluta, entre negócios e política. Verdadeiramente, já nem se consegue distinguir entre política e negócios, pois todos os poderes – legislativo, executivo e judicial – estão reféns do poder económico.»

Janela do Futuro - #Portugal2016 está escrito num tom claro e frontal. Trata-se do segundo livro de Paulo de Morais editado pela Gradiva. Em 2013 publicara Da Corrupção à Crise - Que fazer?, uma obra que contraria duas mentiras colossais que contaminam a sociedade portuguesa: a de que os portugueses andaram a gastar acima das suas possibilidades e a de que não há alternativa à austeridade.

Sobre o Autor

Uma das vozes mais activas na luta anticorrupção em Portugal, Paulo de Morais nasceu em Viana do Castelo em 1963. É licenciado em Matemática, tem um MBA em Comércio Internacional e é doutorado em Engenharia e Gestão Industrial pela Universidade do Porto.

É professor na Universidade Portucalense e investigador no Inesc-Porto.

Foi vice-presidente da Câmara Municipal do Porto de 2002 a 2005. Integrou em 2010 o núcleo fundador da Associação Cívica Transparência e Integridade, capítulo nacional da organização não-governamental Transparency International, de que foi vice-presidente. É perito do Conselho da Europa em missões internacionais de consultoria sobre boa governação pública e luta anticorrupção.

"Os Segredos de Lisboa" - uma viagem pelos segredos mais bem guardados da capital portuguesa


Para quem gosta de passear por Lisboa e descobrir vestígios arquitectónicos de outras eras e civilizações deixamos este livro como sugestão: Segredos de Lisboa.

As arqueólogas Inês Ribeiro e Raquel Policarpo guiam-nos ao longo deste guia indispensável, por uma Lisboa repleta de mistérios, através de vestígios arqueológicos que nos desvendam a cidade de outras eras, de outras gentes, de outras culturas, de outras religiões. Conheça com este livro séculos de vivência de fenícios, romanos, muçulmanos e cristãos

Por exemplo:
No Largo da Sé se descer até à casa de banho pública vai deparar-se com os vestígios de um prédio anterior ao terramoto de 1755.
Na Igreja de Santo António, por entre portas e escadinhas, pode aceder ao subsolo por baixo do altar-mor, que é o local mais importante de toda a igreja, onde teve início a história do templo e do santo padroeiro de Lisboa.


Sinopse

Uma Lisboa desconhecida está à nossa espera num museu, num parque de estacionamento ou até numa improvável casa de banho pública no Largo da Sé. Passear pela Lisboa de hoje é caminhar sobre todo um passado desaparecido. Sob os nossos pés, debaixo de linhas de eléctrico, ruas asfaltadas e túneis de metro, camadas e camadas de terra revelam histórias de quem por aqui passou, viveu e morreu. Contam momentos, eras, séculos de vivência de fenícios, romanos, muçulmanos, cristãos, uma imensidão de pessoas que nestas colinas deixou a sua marca. No Largo da Sé desça à casa de banho pública e depare-se com os vestígios de um prédio anterior ao terramoto de 1755. Na Rua da Prata, embrenhe-se nas galerias romanas e descubra o que resta do complexo subterrâneo de um antigo fórum romano. Na Igreja de Santo António, por entre portas e escadinhas, aceda ao subsolo por baixo do altar-mor, que é o local mais importante de toda a igreja, onde teve início a história do templo e do santo padroeiro de Lisboa. Inês Ribeiro e Raquel Policarpo guiam-nos por uma Lisboa repleta de segredos, através de vestígios arqueológicos que nos desvendam a cidade de outras eras e de outras gentes. Nestas páginas, alguns locais e momentos regressam à luz do dia e partilham o conhecimento de épocas e sítios que muitos desconhecem. Alguns deles desapareceram para sempre, mas outros ainda estão à espera de ser visitados.

Sobre as Autoras

Inês Ribeiro nasceu a 28 de Abril de 1984. Em 2007, licenciou-se em História, variante de Arqueologia, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Lisboa. É mestre em Arqueologia desde 2008, com especialização em Arqueologia/Época Romana. O seu percurso profissional está sobretudo relacionado com a investigação em Arqueologia, com participação em diversas escavações arqueológicas e co-responsável pelo Projecto Arqueológico dos Fornos Romanos do Morraçal da Ajuda, Peniche. Em 2011, fundou, juntamente com Raquel Policarpo, a Time Travellers, uma agência de animação turística dedicada à divulgação da História, Cultura e Arqueologia de Portugal. 

Raquel Policarpo nasceu a 20 de Junho de 1984. Em 2006, licenciou-se em História, variante de Arqueologia, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Lisboa. É mestre em Arqueologia desde 2008, com especialização em Arqueologia/Época Romana. O seu percurso profissional está sobretudo relacionado com a Arqueologia Preventiva. É arqueóloga freelancer e trabalha em vários pontos do país no acompanhamento arqueológico de obras e escavações arqueológicas de emergência. Em 2011, fundou, juntamente com Inês Ribeiro, a Time Travellers, uma agência de animação turística dedicada à divulgação da História, Cultura e Arqueologia de Portugal.

Casino Estoril inaugurou XXXV Salão Internacional de Pintura Naif


A Galeria de Arte do Casino Estoril inaugurou, no passado Sábado, dia 25, o XXXV Salão Internacional de Pintura Naïf. Trata-se de uma mostra colectiva que conta a com presença de trabalhos de 30 artistas, alguns deles já falecidos.

A inauguração foi muito concorrida, certamente fruto da divulgação que a Galeria de Arte do Casino Estoril tem feito, ao longo dos anos, desta linguagem que Júlio Pomar classificou como “uma Arte concebida sem pecado”.

No acto inaugural estiveram presentes, entre outras personalidades: Licínio Cunha, Sobral Torres, José D’Encarnação, João Coutinho, Jean Pierre Blanchon, Alzira Leão e filha, além de 30 artistas participantes.

Nesta exposição estão presentes muitos nomes que são referências na prática desta linguagem, como Isabelino Coelho, nascido em Guimarães e uma referência mundial na Arte Naïf, (que o município esqueceu por ocasião da Guimarães Capital da Cultura), o romeno, Emil Pavelescu e o brasileiro Francisco Silva, que constam das páginas da “L’Art Naïf, Encyclopédie Mondiale”, o mais importante livro, editado na Suiça e divulgado em todo o mundo, com especial destaque para o Isabelino Coelho, autor distinguido com a reprodução de um trabalho seu em página dupla.

Foi homenageado o pintor Luso-brasileiro, António Poteiro, tendo o Director da Galeria de Arte informado que se propõe fazer uma divulgação nacional da sua importante obra.

Preços de comercialização Novo GLE e Mercedes-AMG GLE 63


A Mercedes-Benz renovou recentemente o seu veículo mais vendido do segmento SUV. Os destaques do novo GLE incluem um design da dianteira e da traseira significativamente mais atractivo e várias medidas que definem novas referências no que diz respeito às emissões e aos motores disponíveis.
Em toda a gama de motores disponíveis, o consumo de combustível e as emissões de CO2 foram reduzidos em média 17%, comparativamente ao modelo antecessor. Pela primeira vez no segmento SUV, a Mercedes-Benz disponibiliza uma versão híbrida PLUG-IN, o GLE 500e 4MATIC, que combina a máxima eficiência com prestações excepcionais. Esta versão multifacetada apresenta valores de consumo de combustível ainda mais reduzidos em relação ao campeão de eficiência, o GLE 250 d, no entanto fornece um desempenho ao nível de um modelo com motor V8. O novo GLE já se encontra disponível para encomenda com as primeiras unidades a chegarem a Portugal em Setembro de 2015.


Valores de comercialização em Portugal:


Motorização
Potência (cv.)
PVP
GLE 250 d
204
68.950 €
GLE 250 d 4MATIC
204
75.300 €
GLE 350 d 4MATIC
258
86.450 €
GLE 400 4MATIC
333
84.000 €
Mercedes-AMG GLE 63 4MATIC
557
166.950 €
Mercedes-AMG GLE 63 S 4MATIC
585
174.350 €

Nunca Voltes Atrás - Lee Child


Na sequência de uma viagem épica e com interrupções pelo caminho desde as neves do Dakota do Sul, Jack Reacher chega finalmente à Virginia. O seu destino é um edifício de pedra que fica a curta distância de Washington D.C., a sede da sua antiga unidade, a 110.
Foi o mais parecido com um lar que alguma vez teve. Porquê? Quer encontrar-se com a nova responsável pela unidade, Susan Turner. Gostou da voz dela ao telefone. Mas o oficial atrás da antiga secretária de Reacher não é uma mulher. Porque não está Susan Turner ali?
Aquilo de que Reacher não está à espera é o que se segue. Ele próprio está metido num grande sarilho, acusado de um homicídio com uma história de dezasseis anos. Irá arrepender-se de ter voltado?
Ou será que outra pessoa se irá arrepender?

«Neste momento, Lee Child é o meu autor preferido de thrillers.» Ken Follett

«Jack Reacher é o protagonista de série mais fixe por aí.» Stephen King

«Diz-se que a cada quatro segundos alguém compra um livro do Jack Reacher algures no mundo… O
génio de Lee Child consiste em ter criado um herói durão que os homens invejam e as mulheres adoram.» Daily Express


Sobre o Autor

Nasceu em Inglaterra em 1954. Estudou Direito e trabalhou no teatro e como director de programação televisiva. Foi despedido aos 40 anos, devido a um processo de restruturação. Sempre fora um leitor voraz e decidiu ver nessa reviravolta da sua vida uma oportunidade para fazer algo interessante. Foi assim que escreveu o primeiro livro da série Jack Reacher, que conheceu um êxito estrondoso.
A série conta hoje com mais de 90 milhões de exemplares vendidos, está publicada em 97 países e 42 línguas. Em 2012, Jack Reacher foi protagonizado no cinema por Tom Cruise.
Lee divide o seu tempo entre Manhattan e as suas casas de campo em Inglaterra e no Sul de França. É
casado e tem uma filha.


«Reacher é matéria de que são feitos os mitos, uma grandiosa fantasia masculina. Um dos heróis da ficção pop mais originais e provocadores. Child faz um trabalho de mestre ao dar vida a esta sua aventura com surpresas intermináveis e um suspense feroz.» The Washington Post

«Jack Reacher é o James Bond dos nossos dias, um herói de thrillers de quem nunca nos fartamos. Leio todos os livros mal aparecem.» Ken Follett

«Todos os livros do Reacher produzem uma descarga no sistema nervosa.» Kirkus Reviews

terça-feira, 28 de julho de 2015

Casino Estoril acolhe apresentação do novo protótipo do Instituto Superior Técnico


O Casino Estoril, acolhe hoje a apresentação do “FST 06 - Formula Student Técnico - Novabase” do Instituto Superior Técnico. O evento inicia-se, às 17 horas, com um welcome drink no Lounge D, seguindo-se a apresentação, às 18 horas, no novo protótipo do Instituto Superior Técnico. 

O Casino Estoril associa-se, assim, a esta iniciativa, exibindo, ainda, no átrio principal, até 29 de Julho, um elenco de seis protótipos do Instituto Superior Técnico, no qual se inclui o novo “FST 06 - Formula Student Técnico - Novabase”.

O Projecto FST Novabase é uma equipa constituída por estudantes de engenharia do Instituto Superior Técnico vindos dos cursos de Engenharia Mecânica, Electrotécnica e Computadores, Aeroespacial e Informática. 

O objectivo desta equipa é criar um carro de corrida tipo fórmula de raiz, com o intuito de competir a nível internacional com as melhores universidades de engenharia no âmbito da competição Formula Student. 

O Projecto nasceu em 2001 e conta actualmente com cinco carros construídos (três a combustão interna e dois eléctricos).

Recorde-se que, a Formula Student é uma das maiores competições de engenharia a nível mundial. Por todo o mundo, equipas somente constituídas por estudantes universitários constroem um carro do tipo fórmula e competem em provas estáticas e dinâmicas.

Os carros são avaliados pelo seu desempenho, performance, técnica de construção e gestão de recursos. Assim, as equipas participantes não só tem de construir um Formula de raiz, obedecendo a um exigente regulamento derivado da Formula 1, como também devem justificar todas as suas decisões de gestão, marketing, engenharia, custos, sustentabilidade e desenvolvimento de um negócio, perante um conjunto conceituado de júris.

Caixa Alfama'15 - Diamantina, Luís Matos, Nuno Aguiar e Ricardo Dias Ensemble


O cartaz da edição de 2015 do Caixa Alfama caminha a passos largos para ficar completo e hoje são apresentados mais 4 nomes que representarão o Fado na perfeição: No Clube Sportivo Adicense, juntando-se ao já anunciado Pedro Moutinho estarão Diamantina, Luís Matos e Nuno Aguiar. Ricardo Dias Ensemble representará pela primeira vez no Caixa Alfama o tradicional Fado de Coimbra.


Diamantina, até 2002 e durante uma década, dedicou-se à música ligeira. No entanto, apadrinhada D. Vicente da Câmara e João Ferreira Rosa, o seu timbre peculiar vestiu-se de Fado e daí até então, em Portugal e no estrangeiro, tem participado com sucesso em inúmeros eventos no “Clube de Fado”, de cujo elenco fez parte durante dois anos.

Luís Matos é lisboeta e um dos mais reconhecidos Fadistas da actualidade. Aos 12 já cantava em diversas casas de Fado de Lisboa, tais como “Adega Machado”, “Luso” ou “Severa”, na companhia e amizade de Fernando Maurício. Em 1989, venceu a Grande Noite do Fado na categoria de juvenis, voltando a vencê-la na categoria de seniores em 2005. Luís Matos é hoje um dos cantores residentes da casa de Fado “A Tipóia” e da “Adega Mesquita”.

Nuno Aguiar é um ícone no Fado de Lisboa. Com mais de 50 anos de carreira, profissionalizou-se após ganhar o concurso "Primavera no Fado", no Coliseu dos Recreios, depois de várias eliminatórias no "Salão Luso". De nome próprio Concórdio, é Fadista e poeta de alma e todo corpo, tendo incluído o elenco de espaços como o “Fala”, “Retiro da Severa”, "Forcado" e "Picadeiro", em Cascais.

O Ricardo Dias Ensemble é constituído pelos músicos de diferentes géneros Ricardo J. Dias (Piano e Acordeão), Ricardo Dias (Guitarra de Coimbra), Bernardo Moreira (Contrabaixo), Ni Ferreirinha (Guitarra Clássica) e José Vilhena (Voz), que renovam surpreendentemente o Fado de Coimbra e as trovas de estudantes, reinventando a canção conimbricense elevando-a para voos estilísticos inauditos. Trazem pela primeira vez ao Caixa Alfama este género dentro do Fado carregado de história e tradição.

Festival das Artes encerra com a Companhia de Dança Clara Andermatt e o Baile de Encerramento


O Festival das Artes, hoje, dia 28 de Julho, a sua 7ª edição, com o espectáculo da Companhia de Dança Clara Andermatt em parceria com a PédeXumbo, “Fica no Singelo”, uma co-produção da Culturgest, Teatro Nacional São João, Teatro Viriato e Centro Cultural Vila Flor e com o patrocínio da Idealtower. 

"Fica no Singelo" surgiu da vontade de trabalhar o universo da dança e da música tradicionais portuguesas e implicou, desde logo, um intenso trabalho de pesquisa sobre as técnicas, os materiais e as funções associadas aos bailes populares e ao folclore. Nessa tarefa, a Companhia Clara Andermatt contou com a colaboração da Associação PédeXumbo, uma estrutura classificada como Entidade de Utilidade Pública e que promove, desde 1998, a música e a dança de raiz tradicional por meio de projectos de investigação, registo, formação e criação artística. 

O objectivo perseguido não correspondia, no entanto, a qualquer espécie de "cristalização museológica" ou tentativa de revivalismo. Na origem de Fica no singelo estava, pelo contrário, o desejo de "trabalhar sobre esses conteúdos no âmbito da dança contemporânea, descontextualizando-os e revestindo-os de novas funções e expressões", bem como a necessidade de "encontrar os pontos de contacto e as distâncias, numa troca dinâmica entre o passado e o que 
está por vir". Importava, por um lado, pôr em contacto pólos opostos (tais como a cultura popular e a cultura erudita, o rural e o urbano, o tradicional e o contemporâneo) e, por outro, reflectir criticamente sobre as representações associadas a este universo e sobre como o modo como estas se repercutem na construção de uma identidade e de um imaginário colectivo. 

Clara Andermatt

Clara Andermatt (n. 1963) é considerada uma das pioneiras da Nova Dança Portuguesa - um movimento que, na segunda metade dos anos 80, assumiu uma linha estética de ruptura com as linguagens canónicas do passado. Iniciou a sua formação com a mãe, Luna Andermatt, recebendo, em 1980, uma bolsa de estudo do London Studio Centre. Permaneceu quatro anos na capital inglesa, onde obteve o diploma desta instituição e também o da Royal Academy of Dancing. Depois de ter realizado vários estágios em Inglaterra e nos EUA, foi convidada pelo Professor Mervin Nelson para um curso de teatro em Nova lorque. Foi bolseira do Jacob's Pillow (Massachussets, 1988), do American Dance Festival (Durham, 1994) e do Bates Dance Festival (Maine, 2002). Entre 1984 e 1988, sob a direcção de Rui Horta, foi bailarina da Companhia de Dança de Lisboa e, entre 1989 e 1991, da companhia catalã Metros, de Ramón Oller. Em 1991 Clara Andermatt cria a sua própria companhia, coreografando um vasto número de obras regularmente apresentadas em Portugal e no estrangeiro. Entre os vários prémios e distinções que recebeu, destaca-se o Prémio Almada, atríbuido em 1999 pelo Ministério da Cultura à obra Uma história de dúvida, também eleita Espectáculo de Honra do Festival de Almada. 

"Fica no Singelo" termina com um convite para todos se juntarem à grande festa final do Festival das Artes 2015: o Baile de Encerramento!

Converse Chuck Taylor All Star II



A CONVERSE Inc. lança o novo Converse Chuck Taylor All Star II, uma adaptação contemporânea da silhueta clássica Chuck Taylor All Star, que pela primeira vez apresenta a inovadora tecnologia Lunarlon (Nike), para apoiar o estilo de vida criativo. 

O Converse Chuck Taylor All Star II está preparado para mais, exibindo os atributos exteriores mais reconhecidos da silhueta original Chuck Taylor All Star – incluindo a emblemática sola branca, a biqueira em borracha e o icónico logótipo All Star, ao mesmo tempo que apresenta características e benefícios num sneaker premium, confortável e versátil, para todos os amantes do Chuck Taylor All Star.       

“O Chuck Taylor All Star é um dos sneakers mais lendários e icónicos de todos os tempos”, disse Jim Calhoun, Presidente e CEO da Converse. “ O lançamento do Chuck II é um acontecimento único para a Converse, já que continuamos a trabalhar a marca através da criatividade e inovação, criando não apenas um novo sneaker, mas uma forma de pensar completamente nova.”

Desde o seu lançamento em 1917, o Chuck Taylor All Star tornou-se num dos sneakers mais famosos do mundo, com fãs, artistas e músicos a usarem a marca como um símbolo de criatividade e auto-expressão. Ao criar Chuck II, a Converse exponenciou os espíritos criativos de todo o mundo, juntando-se a eles em tournée, em salas de concerto e estúdios de arte, nas calçadas e nas festas à noite, e percebeu que eles queriam mais. O Chuck Taylor All Star II é criado para atender às necessidades do espirito de vida criativo e é concebido para a próxima geração de auto-expressão. Agora, este adorado clássico recebe uma actualização inovadora, com melhorias no produto, que se mantêm fieis à estética da silhueta original, ao mesmo tempo que reúne características modernas e cómodas numa execução premium. 


O novo sneaker Converse Chuck Taylor All Star II para o Outono de 2015 é lançado na terça-feira, dia 28 de Julho, por um preço de venda recomendado de 70€ (low) e 75€ (hi), em exclusivo nas lojas Taff.


"Skate Riding" Uma exposição de arte digital interactiva de André Sier



A Helder Alfaiate Galeria de Arte com o apoio da Câmara Municipal de Mafra, da Fundação Calouste Gulbenkian e da Galeria Luis Serpa Projectos  vai inaugurar no  sábado 1  de Agosto pelas 17h a exposição "Skate Riding" de André Sier na Sala Atlântico do Parque de Santa Marta em Ericeira

A exposição vai estar patente até 30 de Agosto de 2015.

Horário : Terça a domingo das 10h às 13h e das 14h às 18h
                Encerra à 2.ª feira e feriados.

Morada: Sala Atlântico - Parque de Santa Marta, Largo de Santa Marta, 2655-357 Ericeira

Sobre a exposição: 

[…] até chegarmos aos mundos generativos para uma “realidade aumentada” cripto-filosófica e outra vez utópica de André Sier. […] A apropriação crítica dos códigos de programação provam que a arte pode e é cada vez mais uma arte cognitiva à altura da complexidade dos algoritmos e das lógicas que subtendem as linguagens-máquina, os sistemas informáticos e a programação, desenho e automação interactiva dos objectos virtuais e correspondentes mundos. in “Patinar até à Lua”, António Cerveira Pinto

Skate Riding é uma exposição individual de arte digital interactiva. André Sier parte da cultura skate para conceber, programar e construir uma série de imagens, obras interactivas e esculturas 3D. 

FIDELIDADE CHIADO8 - ARTE CONTEMPORÂNEA inaugura segunda exposição do ciclo da Coleção António Cachola



Já está patente ao publico a segunda exposição de um ciclo de oito mostras da Colecção António Cachola no Chiado 8 - Espaço Fidelidade Arte Contemporânea, com uma selecção de obras de Ângela Ferreira e Fernanda Fragateiro.

Comissariado por Delfim Sardo, o ciclo assinala o arranque de um programa alargado de itinerâncias do MACE - Museu de Arte Contemporânea Elvas, que culminará em 2017, ano em que o espaço que acolhe em permanência a Colecção António Cachola, celebra o seu décimo aniversário.
Este segundo momento da apresentação da Colecção António Cachola no espaço Chiado 8 confronta obras de duas artistas maiores da contemporaneidade portuguesa: Fernanda Fragateiro e Ângela Ferreira. Em ambos os casos, a ligação à arquitectura, à memória crítica do modernismo e a atenção ao eco político do processo estético definem formas complexas e poéticas de entender a relação da arte com o espectador.

A inauguração da exposição contará com a presença das artistas Fernanda Fragateiro e Ângela Ferreira, do coleccionador António Cachola e do curador Delfim Sardo. Os convidados terão oportunidade de conhecer em pormenor e em primeira mão cada um dos trabalhos expostos, bem como o conceito curatorial da mostra e a ambição que orienta todo este ciclo expositivo, dedicado à celebração do MACE e da Colecção António Cachola.
A exposição de Ângela Ferreira e Fernanda Fragateiro estará patente até 30 de Outubro, poderá ser visitada de segunda a sexta-feira das 12h às 20h, com entrada livre.

Sobre a Colecção António Cachola

A Colecção António Cachola, em depósito no Museu de Arte Contemporânea de Elvas, é uma das mais significativas colecções de arte contemporânea portuguesa. A representação que António Cachola (num determinado momento com a colaboração do crítico e curador João Pinharanda) concebeu, possui uma paisagem de fundo - a arte que, em Portugal, foi sendo criada pelos artistas que desenvolveram o seu percurso a partir da década de oitenta do século passado, ou que a partir deste arco temporal definiram a sua presença. O início das aquisições, nos primeiros anos da década seguinte de 1990, são reveladores da observação de proximidade de obras e percursos artísticos de que a colecção é testemunho e a revelar critérios apurados de escolha.
A colecção, que continua em aberto, é composta por obras nos suportes e técnicas mais diversos, espelhando a multiplicidade das práticas artísticas contemporâneas.

Sobre o Ciclo de Exposições Colecção António Cachola no Chiado 8

O ciclo resulta de um protocolo entre a Companhia de Seguros Fidelidade e o MACE, que compreende a apresentação, entre 2015 e 2017, de oito exposições da Colecção António Cachola, com curadoria de Delfim Sardo. As exposições, serão individuais, como é o caso da anterior mostra de João Onofre, ou de confronto e diálogo entre obras e artistas – como é o caso presente--, procurando reflectir novas visões sobre a colecção, constituindo também uma forma de observação da arte produzida por artistas portugueses contemporâneos.